Releases

0
0
0
s2sdefault

A Vigilância Sanitária de Salvador (Visa), vinculada à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realiza, nesta sexta-feira (19), uma operação nas drogarias da capital baiana. As ações visam ampliar o enfrentamento ao novo coronavírus e reforçar as medidas de proteção à vida na cidade. Mais de 1.034 farmácias já foram inspecionadas pela Visa desde o início da pandemia. O cidadão pode realizar denúncias à Vigilância Sanitária através do Fala Salvador 156.

O coordenador da Vigilância Sanitária, Raoni Rodrigues, chama atenção para a gravidade do momento. “A população da nossa cidade tem que entender que as novas variantes do coronavírus possuem uma taxa de transmissibilidade muito maior, e tem se verificado que elas geram casos graves em pessoas mais jovens. Por isso, esse é o momento em que o cumprimento das normas referentes aos protocolos de prevenção da Covid-19 se torna mais importante”.

Salões – Ontem (18), foram fiscalizados 64 salões de beleza, localizados em cinco distritos sanitários com elevado número de casos do coronavírus: Cabula, Boca do Rio, Itapuã, Pau da Lima e Liberdade. Todos os estabelecimentos foram notificados e receberam orientações dos profissionais do órgão.

Desde a reabertura, mais de 280 salões de beleza já foram inspecionados na cidade. Estes estabelecimentos devem seguir os protocolos, como ter local próprio para a lavagem de material; manter cadeiras e colchões de macas revestidos por material impermeável em bom estado de conservação; ser independente da residência, utilizar toalhas limpas, sempre lavadas após cada uso; estar limpo e organizado, com ventilação apropriada e circulação de ar; possuir licença sanitária e manter a rotina de limpeza de escovas de cabelo, pentes, bobes e qualquer outro acessório após o uso de cada cliente.

“Estamos com as equipes da Vigilância Sanitária atuando de forma intensa em toda a cidade para garantir que os estabelecimentos cumpram os protocolos específicos por setores determinados pela legislação vigente. Nessas ações voltadas para a população e para o setor regulado verificamos os cuidados indispensáveis para reduzir os riscos de infecção, como manter o distanciamento entre as pessoas, fornecimento de álcool em gel 70% aos clientes, bem como, o uso das máscaras que, em nossa cidade, se tornou item obrigatório”, destacou o secretário da SMS, Leo Prates.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Para atender as determinações do decreto estadual que institui o toque de recolher a partir desta sexta-feira (19), o transporte público da cidade terá uma operação especial para evitar a circulação de pessoas nas ruas das 22h às 5h. De acordo com o documento, somente é permitida a circulação durante este intervalo em casos de urgência ou para atendimentos de saúde ou farmácia, além de funcionários que estejam atuando nas áreas de saúde ou segurança. 

Diante disso, os ônibus na cidade farão sua última viagem às 22h30 e retomarão as atividades a partir das 5h do dia seguinte. Além dos veículos regulares, a Secretaria de Mobilidade (Semob) vai disponibilizar 20 ônibus da frota reguladora distribuídos nas estações da Lapa, Pirajá, Acesso Norte e Mussurunga, que atenderão os corredores próximos de acordo com a necessidade, visando agilizar o escoamento de passageiros. 

O órgão dará atenção especial aos Polos Geradores de Viagem (PGV), como shoppings e empresas de call centers, que liberam uma grande quantidade de funcionários após o fechamento. “Montamos nossa operação buscando garantir o atendimento necessário principalmente nestes locais, que geram uma grande demanda de passageiros, e também nas estações, para garantir que ninguém fique sem transporte para retornar às suas casas”, afirmou o secretário de mobilidade, Fabrizzio Muller. 

Ele orienta ainda que estabelecimentos comerciais e colaboradores antecipem seus horários de fechamento e saída para evitar imprevistos. “É importante a compreensão de todos neste momento para que as pessoas possam fazer seu deslocamento com tranquilidade”, destacou. 

A operação será realizada a partir desta sexta (19) até a próxima quinta-feira (25), compreendendo os sete dias determinados no decreto. Agentes de trânsito e transporte estarão nos principais pontos monitorando o atendimento e realizando os ajustes necessários para garantir o atendimento no transporte. 

Transporte particular – Táxis, mototáxis e motoristas por aplicativo poderão circular após as 22h, desde que fique comprovada a necessidade de atendimento às situações especificadas como exceção, que se resumem a serviços de saúde, farmácia, ou em que fique comprovada a urgência do deslocamento. Também serão mantidos os atendimentos no aeroporto e rodoviária, para garantir o deslocamento de passageiros nestes locais. 

“Estes trabalhadores são essenciais numa emergência, e, portanto, o atendimento deve continuar. Mas isso deve ser feito de forma responsável, evitando os deslocamentos que não sejam realmente necessários”, frisou Muller.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Parque Marinho da Barra recebeu, nesta quinta-feira (18), duas das seis boias de sinalização náutica para demarcação do espaço, com intuito de alertar embarcações motorizadas, banhistas e a população em geral sobre os limites geográficos e os cuidados que se deve ter para a preservação do ambiente marinho local. Os primeiros equipamentos flutuantes foram colocados atrás do Forte Santa Maria, no mar da praia do Porto da Barra. 

A estimativa é que todas as boias estejam instaladas no parque ainda neste final de semana. Na prática, elas farão a delimitação de uma área de 322.142 m² na Baía de Todos-os-Santos, entre os Fortes de Santo Antônio (Farol) e Santa Maria. 

O geógrafo e membro do conselho gestor do parque, José Rodrigues de Souza, destaca que a intervenção dará maior visibilidade e segurança ao espaço marinho. “Apesar desse local estar na carta náutica e no próprio Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU-2016), grande parte da população e turistas que chega a Salvador ainda desconhece a existência dessa unidade de conservação ambiental”, afirma. 

Para ele, a diversidade de vida marinha que existe no parque, como corais, esponjas, peixes, cavalos-marinhos e polvos também ficarão mais protegidos com os novos balizamentos. “A legislação proíbe que alguém colete materiais e ou realize pesca no parque, afinal de contas ali é patrimônio público”, explica. 

Estrutura - As boias são amarelas e têm cerca de quatro metros de altura cada, sendo que um metro fica submerso. Uma lanterna de alcance de duas milhas náuticas, que equivale a 3,7 km, também será instalada em cada equipamento. Além disso, será adotada, para cada uma das seis unidades, uma poita (âncora de concreto) de 2.200 kg e correntes de aço de 25,4 mm de diâmetro, capazes de manter o sinalizador seguro e ancorado no mar a uma profundidade entre 5 a 16 metros. 

A sinalização com boias náuticas mostra claramente que o Parque Marinho da Barra se trata de uma área restrita, inclusive no que tange à proibição de tráfego de barcos, lanchas, jet-skis, assim como o fundeio de embarcações para não causar impactos no ecossistema marinho local. Por outro lado, não há imposições quanto à prática de esportes como stand up paddle, surf, natação e outras atividades que não gerem prejuízos à fauna ou à flora subaquáticas.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Até o próximo dia 28, a Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb) vai participar de uma ação de sustentabilidade que busca apoiar as cooperativas de reciclagem afetadas diretamente pela não-realização do Carnaval em 2021. Trata-se do projeto Circuito Mar, fruto de uma parceria com MAP Brasil, SOLOS e a Ambev, que pretende retirar de quatro circuitos à beira-mar 20 toneladas de materiais, a exemplo de latinhas de alumínio, garrafas PET, caixas de papel e até óleo de cozinha, gerando cerca de R$100 mil em renda para as cooperativas. 

O presidente da Limpurb, Omar Gordilho, destacou que o trabalho das cooperativas impacta de forma positiva na preservação do meio ambiente. “Apoiar essa iniciativa é também uma forma de valorizar o trabalho desses profissionais”, disse. 

O recolhimento do material já está acontecendo duas vezes na semana, com o uso de triciclos e uma Kombi, sendo encaminhado para uma central em cada um dos circuitos, para otimizar a logística. Depois, seguem para triagem, pesagem e comercialização nas cooperativas parceiras. 

Iniciativa – A ação é um dos atos promovidos pelo Circuito Mar e acontece em quatro circuitos: Barra, Ondina, Rio Vermelho e Pituba. Nesses locais, as cooperativas farão a coleta dos materiais gerados em bares, restaurantes, hotéis e condomínios. 

“Esse projeto é a oportunidade de conectar estabelecimentos com cooperativas para que deixemos um legado entre esses dois atores que poderão continuar se apoiando ao longo do ano. Isso reforça o propósito da Casa Mar e torna esses atores potências”, explica Saville Alves, sócia da SOLOS, co-realizadora da ação de sustentabilidade. 

Suporte – Além dessa ação, a Limpurb presta suporte às cooperativas cadastradas durante o ano, coletando materiais através de caminhões do tipo baú. No entanto, devido à pandemia, os serviços estão suspensos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Núcleo de Ações Articuladas para População em Situação de Rua (Nuar), gerido pela Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), retoma o atendimento dos serviços do Cadastro Único (CadÚnico) nesta quinta-feira (18). As atividades, suspensas por conta da pandemia do coronavírus, estão sendo realizadas mediante protocolos de prevenção e proteção contra o Covid-19, no intuito de assegurar às pessoas em situação de rua o acesso aos serviços socioassistenciais. 

Serviços de atualização do Cadastro Único para o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e Tarifa Social estão entre os serviços do CadÚnico feitos presencialmente no núcleo às terças e quintas-feiras, das 9h às 15h. A unidade funciona na Rua do Corpo Santo, 17, Edifício Isadora, no Comércio. 

O secretário da Sempre, Kiki Bispo, destaca a importância da retomada dos serviços para as pessoas em situação de rua. “O Nuar é sinônimo de apoio e acesso aos benefícios socioassistenciais. O retorno das atividades do Cadastro Único é fundamental para que possamos continuar contribuindo para a garantia de direitos e desigualdade social”, afirma. 

Além dos serviços do CadÚnico, as atividades para Cartão SUS, atendimento psicossocial, orientação jurídica, busca de vagas de emprego através do Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-obra (Simm) também já estão sendo feitas na central de serviços. A coordenadora do núcleo de ações articuladas, Aldeci Andrade, ressalta que, nos demais dias da semana, haverá atendimento remoto nos serviços permitidos para esta finalidade, a exemplo da orientação jurídica.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O ano letivo na rede municipal de ensino de Salvador será iniciado de forma remota, a partir da próxima segunda-feira (22), e as gravações das aulas estão a todo o vapor na Escola Municipal Paroquial da Vitória, localizada no bairro da Vitória. Em uma sala de aula adaptada com câmeras, microfones, monitores de TV, livros e pela famosa lousa, o sinal de ok da produção é o que a professora, Andreia Santos, de 44 anos, precisa para iniciar a gravação do conteúdo que será transmitido pela TV para os estudantes. 

A iniciativa faz parte do Plano Emergencial de Educação, da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação (Smed), que contempla a recuperação dos conteúdos de 2020 e o atendimento ao currículo deste ano, para garantir que os alunos não atrasem os estudos. Sem previsão para retomada das aulas presenciais, as unidades escolares ofertarão o ensino remoto, que poderá migrar para o formato presencial ou híbrido, desde que haja liberação das autoridades de saúde, considerando a segurança dos alunos, professores, comunidade escolar e familiares. 

Andreia explica que as aulas são importantes para garantir que os alunos sejam assistidos. “É fundamental para que todos tenham a oportunidade de aprender e viver os conteúdos, que depois serão trabalhados em sala através de blocos de atividades e intervenções realizadas pelas escolas. Esse é um momento diferente, todos nós estamos aprendendo e buscando alternativas para que as nossas crianças não fiquem desassistidas. O apoio e incentivo das famílias também são importantes para trilhar esse caminho. Juntos, nós vamos alinhando e fazendo com que as possibilidades fiquem ainda melhor", disse Andreia. 

No cronograma, serão disponibilizados para os estudantes conteúdos de disciplinas, como Português, Matemática, Artes e Educação Física, dentre outras. As gravações contemplam turmas dos anos iniciais e finais, Educação para Jovens e Adultos (EJA) I e II, e Regularização de Fluxo. As aulas poderão ser acompanhadas pelos canais de televisão 4.2 (Anos Iniciais e EJA I) e 4.3 (Anos Finais, Regularização de Fluxo e EJA II). No total, 112.262 alunos serão beneficiados pelas aulas à distância. 

Abrangência – De acordo com o secretário da Smed, Marcelo Oliveira, o uso da televisão como instrumento do ensino remoto é muito importante, principalmente, por sua abrangência. “No Brasil, quase 97% dos domicílios têm um aparelho de televisão. Ou seja, as aulas serão transmitidas por esse meio e chegarão a um número muito grande de nossos alunos, senão a totalidade deles", afirmou. 

O gestor lembra ainda que, além dos dois canais exclusivos em TV aberta para distribuição do conteúdo programático da Rede Municipal, os alunos também serão acompanhados pelos professores e terão atividades diárias para aprofundamento e fixação do aprendizado. 

Emoção – Ao finalizar a gravação da aula remota, a professora deixou uma mensagem saudosa e de esperança para os alunos. "Eu tenho um vínculo muito forte com os meus alunos, está longe deles está sendo muito difícil. Mas, fico feliz em saber que eles estão bem e em segurança. Aos pais, peço que incentivem cada vez mais seus filhos para que eles possam continuar adquirindo conhecimento nesse momento difícil. Aos meus alunos, desejo que tenham esperança e nunca deixem de aprender, porque tudo vai passar e logo, voltaremos a matar a saudade do aprendizado em sala de aula", declarou Andreia.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Para acolher e cuidar dos profissionais da rede municipal de saúde de Salvador durante a pandemia, a Prefeitura criou o Núcleo de Apoio e Atendimento ao Trabalhador (Naat), uma das diretrizes do Plano de Contingência para Trabalhadores da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Somente em cinco meses, foram contabilizados 3.689 teleatendimentos realizados pela central do Núcleo, com 3.502 encaminhamentos resolvidos. 

Nesse mesmo período, foram realizadas 2.332 orientações, 15 encaminhamentos para consultas psiquiátricas, 52 consultas psicológicas, 109 consultas médicas e 1.640 testes foram realizados. Além disso, mais de 1,2 mil testes foram agendados através da central de atendimento do Naat. Os funcionários receberam, ainda, uma cartilha com informações sobre o serviço e como proceder. 

O atendimento é exclusivo para os trabalhadores e familiares dos profissionais de saúde da SMS e é realizado através dos telefones (71) 3202-1538 ou 3202-1540. O serviço funciona no Centro de Formação dos Trabalhadores da SMS, que fica no Complexo Municipal Clementino Fraga (5º Centro), localizado na Avenida Centenário, nos Barris, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. 

Entre os serviços ofertados pelo Naat estão o acolhimento, testagem e monitoramento com agendamento para realização de teste e acompanhamento do caso, desde a notificação e afastamento do trabalhador sintomático até o desfecho e retorno do profissional à atividade laboral. Também é oferecido o suporte clínico através de telemedicina e as ações psicossociais são realizadas por uma equipe multiprofissional. Os trabalhadores que precisam passar pela testagem são encaminhados para a Unidade de Saúde da Família San Martin III. 

Acompanhamento – A assistente social Auristela Leal, que trabalha no Centro Municipal de Saúde Mental Oswaldo Camargo, falou sobre a importância do atendimento que recebeu do Naat quando foi diagnosticada com Covid-19. "Quando apresentei os sintomas do coronavírus, imediatamente lembrei que tinha visto a divulgação do serviço no grupo de Saúde Mental, que faço parte, e entrei em contato. No atendimento, recebi todo o apoio e fui bem acolhida, além de informar sobre os sintomas e ser encaminhada para realizar o teste na unidade de saúde”, relatou. 

Ela complementou que, desde o primeiro contato, passou a ser monitorada por uma equipe de enfermeiros, psicólogos e médicos disponíveis para atender todos os dias. “Sem dúvidas, esse é um serviço de excelência muito importante para todos nós, que estamos atuando na linha de frente contra o coronavírus." 

De acordo com Melícia Reis, subcoordenadora da Coordenadoria de Gestão de Pessoas e Saúde (CGPS) da SMS, o Naat tem o papel de acolher o trabalhador e fazer uma escuta qualificada da sua demanda durante este período de pandemia. “Os atendimentos realizados respondem às nossas expectativas, estamos recebendo muitos feedbacks positivos e de agradecimento pelo serviço que está sendo ofertado. Afinal de contas, são pessoas que estão trabalhando para cuidar da vida de outras pessoas. Nosso intuito com as ações do Núcleo é preservar a força de trabalho e cuidar da saúde desses trabalhadores”, declarou.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Avançar na alfabetização de crianças ainda no primeiro ano do Ensino Fundamental, corrigir índices de distorção idade-série e otimizar a aplicação de recursos no desenvolvimento da rede municipal de Educação. Estas são as três principais frentes que balizarão a Prefeitura no desenvolvimento do ano letivo que se inicia em Salvador, cujas aulas virtuais serão iniciadas na próxima segunda-feira (22), em meio à pandemia da Covid-19. 

O tema foi abordado nesta quinta-feira (18), durante seminário da Jornada Pedagógica 2021, promovida pela Secretaria Municipal da Educação (Smed). O evento ocorreu de forma virtual e contou com as presenças do prefeito Bruno Reis; da vice-prefeita e secretária de Governo (Segov), Ana Paula Matos; e do titular da Smed, Marcelo Oliveira; além de professores, coordenadores e representantes da educação do município. 

O prefeito falou sobre as expectativas para o ano letivo que se inicia em meio a uma crise sanitária que segue afetando todo o segmento escolar do país. “A pandemia trouxe diversos efeitos colaterais, dentre os quais se refletem na educação, com a falta de aulas presenciais. Só com muito trabalho, empenho e decisão firme de investimentos e recursos poderemos reparar o tempo perdido e crescer na qualidade do ensino”, destacou. 

Conforme o chefe do Executivo municipal, o principal desafio será universalizar o acesso das crianças de dois e três anos à creche. Para isso, a ideia é seguir ampliando na construção de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), além de manter parcerias com creches e escolas comunitárias e avançar o programa Pé na Escola. 

O prefeito reforçou que, além de prejuízos sem precedentes, a pandemia possibilitou à rede municipal se reinventar com auxílio da tecnologia. Neste cenário, toda a estrutura que está sendo empregada para a realização das atividades remotas, por exemplo, servirão para ampliar o reforço e ensino integral aos alunos da rede pública. “Quando for possível o retorno das aulas presenciais, pretendemos aproveitar essa tecnologia para, num turno ter aula presencial e, no contraturno, ter aula virtual”, afirmou. 

Avanços – Bruno Reis também traçou um comparativo da situação que a capital baiana estava no início de 2013, reforçando os avanços que a cidade alcançou. “A realidade de Salvador era de escolas deterioradas. Não havia plano de cargo e salário para valorizar os servidores da educação, a merenda escolar não era de qualidade, o material pedagógico distribuído para as crianças, assim como fardamento, não ocorria com regularidade”, enumerou. 

Salvador, acrescentou, ocupava a última posição no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Graças aos esforços dos profissionais que atuam na rede, a cidade foi que a mais avançou no índice. Além disso, a Educação Infantil, que contava com apenas 17 mil vagas, hoje chega a ofertar quase 50 mil, praticamente universalizando o acesso das crianças no segmento. 

O prefeito também assegurou que a educação da cidade será prioridade e que o governo municipal seguirá investindo mais de 25% da receita no setor. “Os recursos, mesmo com pandemia e dificuldade de arrecadação, estão assegurados”. 

Eixos – O secretário Marcelo Oliveira falou dos desafios de se conduzir o ensino da cidade em tempos de pandemia. Ele elencou três vertentes que a administração municipal terá que empregar pela frente. 

“Primeiro: vamos dar ênfase absoluta na alfabetização. Temos crianças do terceiro, quarto até quinto ano que não sabem ler ou escrever corretamente. Esse problema acontece em várias redes de ensino no Brasil inteiro. Vamos desenvolver um programa, chamado de Aprender para Valer, que vamos buscar a alfabetização dessas crianças no primeiro ano. No segundo ano, faremos apenas uma eventual correção dos que não lograram a fluência na leitura e na escrita”, explicou. 

Outro assunto que será pauta permanente é corrigir a distorção idade-série. “Caso contrário, corremos risco de aumentar a evasão escolar. Temos no Ensino Fundamental II cerca de 8 mil alunos com dois ou mais anos de defasagem. Isso é um desastre porque as crianças se desestimulam. Se elas não passam de ano, vão ficando mais velhas e entram na adolescência nas séries iniciais”, complementou o secretário. 

“O terceiro e não menos importante projeto é trabalhar, todos nós, 100% dos nossos profissionais, incluindo professores, diretores e gerentes, no controle rigoroso de custos. Precisamos ter indicadores de desempenho em termos de eficiência de aplicação de recursos públicos que não poderão ser desperdiçados, nem sofrer o mínimo desvio de finalidade”, afirmou o gestor. 

Fortalecimento – A vice-prefeita Ana Paula Matos, por sua vez, agradeceu ao apoio de todos os colaboradores que atuam para o funcionamento da educação na rede municipal. Ela chamou atenção para as dificuldades que a pandemia de Covid-19 impôs na cidade, provocando mudanças e reavaliação da estratégia educacional e pedagógica. “Toda a questão de ensino-aprendizagem passou a estar em xeque, mas a única certeza que temos é que sairemos desse processo como seres humanos e profissionais melhores”, disse.  

Ela também defendeu a necessidade de se intensificar os esforços para fortalecer o vínculo entre a escola e as famílias.  “Estou com a missão de coordenar as ações sociais na cidade, entre elas o programa Vida Nova. A iniciativa contará com um comitê local que reunirá a gerência do posto de saúde, a diretoria da escola, a coordenadoria do Cras, a gerência de educação, entre outros atores, para pensar em ações que precisam ser fortalecidas dentro da casa dos alunos. Isso vai permitir melhor formação pedagógica e fortalecerá vínculos familiares”, completou.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Patrimônio É... está de volta e, em 2021, os temas vão propor reflexões sobre as ações de preservação e manutenção em torno do patrimônio cultural da cidade de Salvador. A primeira edição deste ano vai abordar o tema "Kaô Kabecilê, vamos caminhar e fazer justiça!", sobre a conservação da Pedra de Xangô, em Cajazeiras X. O evento vai ser será totalmente virtual, a ser transmitido no canal da Fundação Gregório de Mattos no YouTube, na próxima quarta-feira (24), às 18h30.

A mesa contará com a participação de Ìyá Márcia d'Ọ̀gún, Ìyalọ̀ríṣá do Ìlẹ̀ Àṣẹ Ẹwà Ọ̀lódùmarè, professora mestra e conselheira do Conselho Municipal de Política Cultural; de Leonel Monteiro, presidente da Associação Afro-Ameríndia (AFA); de Pai Barosi de Ode, líder religioso do Ilê Axè Ode Aty Ya Re, em Cajazeiras XI; Fábio Velame, doutor em Arquitetura e Urbanismo pelo PPGAU-UFBA; e do vereador e ex-titular da antiga Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), André Fraga. A mediação ficará a cargo da historiadora e gerente de Patrimônio Cultural da FGM, Gabriella Melo.

Direitos preservados – Símbolo sagrado e elemento cultural afro-brasileiro, a Pedra de Xangô, localizada na Avenida Assis Valente, em Cajazeiras, tem recebido cuidados constantes através de ações promovidas pela Prefeitura. É patrimônio cultural do município desde 2017, através de tombamento municipal coordenado pela FGM.

Por meio da Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), o local passou a fazer parte da Área de Proteção Ambiental (APA) do Vale da Avenida Assis Valente e Parque em Rede Pedra de Xangô, que criou o projeto Parque Pedra de Xangô, fruto de uma antiga demanda da comunidade de Cajazeiras e das religiões de matriz africana. A ordem de serviço para a execução da obra de implementação foi assinada em fevereiro de 2020.

Para Leonel Monteiro, presidente da Associação Afro-Ameríndia (AFA), uma das entidades que solicitaram o tombamento da Pedra de Xangô, o reconhecimento como patrimônio cultural do município é o principal instrumento para preservação dos sítios religiosos, arqueológicos e culturais da cidade.

“Até porque, para que seja realizado o tombamento, precisa ser traçada uma poligonal. Dentro dela, tudo que ali estiver contido, nós e o poder público temos a obrigatoriedade de preservar na sua originalidade. Como é um monumento natural, entendemos e fizemos esforços para que toda a área que ainda há algum manancial aquífero e de vegetação se transformasse em uma área de proteção ambiental através do parque”, detalha.

Para Maria Alice Silva, autora do livro "Pedra de Xangô: um lugar sagrado afrobrasileiro na cidade de Salvador" e doutoranda em Arquitetura e Urbanismo pela Ufba, o parque é um lugar do sagrado, da ciência e da resistência, sendo um centro de reverência e referência, além de uma encruzilhada religiosa, política e comunitária do povo de terreiro de Salvador. “Pedra de Xangô é uma construção coletiva e cidadã que deu certo. Poder público, comunidade religiosa e ciência trabalhando juntos na implantação do primeiro parque a levar o nome de um orixá no Brasil. Parabéns ao tripé. Inaugurando uma nova era de se implantar políticas públicas em Salvador, por isso, Pedra de Xangô é enredo, é rede.”, enaltece.

Para a diretora de Patrimônio e Humanidades da FGM, Milena Tavares, preservar a Pedra de Xangô é proteger os remanescentes naturais locais (massa verde e manancial hídrico), que, além de servir de moldura para a pedra, reserva mérito de preservação em si mesmo, como elemento de identidade cultural. Além disso, se constitui em espaço simbólico e de memória ao que se considera sítio histórico do antigo Quilombo do Buraco do Tatu.

Milena completa que a área ainda possui aspecto peculiar de servir ao culto do candomblé, sendo apropriada pela população de terreiros, legítimos herdeiros de saberes e fazeres, que reforçam e recriam as dinâmicas da cultura afro-brasileira nesse território, reconhecendo-o e o autenticando-o como sagrado.

Vandalismo – O espaço, que é sagrado para os adeptos das religiões de matriz africana, constantemente é alvo de ataques com cunho de intolerância religiosa. Em janeiro de 2019, foram jogados 100 kg de sal grosso no local, retirados pela Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb) e, em seguida, pelo povo de santo, que realizou a limpeza em conformidade com os ritos sagrados.

Entre 28 de novembro e 11 de dezembro de 2020, a FGM contratou empresa especializada, a Jeanart Arte e Restauro, a fim de realizar intervenção de restauro com a remoção das pichações com inscrições de conteúdo de intolerância religiosa, feitas por ação de vândalos, de maneira que não agredisse a superfície da Pedra, nem os elementos naturais em seu entorno.

Limpeza – Por meio da Limpurb, estão sendo realizadas intervenções periódicas no local, intensificadas em decorrência das obras que estão sendo executadas para a criação do Parque Pedra de Xangô. As intervenções contemplam serviços de roçagem manual e mecanizada, sacheamento, gancheamento, varrição e coleta dos resíduos.

0
0
0
s2sdefault

Sub-categorias

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...