Releases

0
0
0
s2sdefault

Alunos da Escola Municipal São Domingos Sávio, localizada em Ondina, contam com um projeto diferente para aprender matemática em tempos de pandemia. As aulas virtuais da professora Lucyene Dantas Lima contam com o uso de avatar e cards explicativos, que vem tornando a arte de aprender a disciplina em algo divertido.

Segundo a professora, que leciona para alunos do 6º ano, a intenção era de estar mais perto dos jovens de 11 e 12 anos, com a intenção de diminuir o distanciamento da escola e tornar as aulas mais afetivas e estimulantes. Ela conta que queria gravar vídeos, mas tinha vergonha. Por isso, começou com o avatar nos encontros via aplicativo de mensagem, e a cada dia ela cria figurinos diferentes para a boneca.

“Fui percebendo que eles ficavam ansiosos em ver como eu ia aparecer, qual era a roupa do dia. Natal, Dia das Crianças, São João, eu me vestia de acordo com a data”. No Dia da Mulher, o look foi em homenagem à Maria Quitéria, heroína da independência da Bahia.

As aulas acontecem de segunda a quarta, sempre no turno da tarde, das 14h às 17h. São três turmas com 30 alunos cada, totalizando 90 estudantes. A Pró Lu, como é chamada, salientou que o distanciamento não é a mesma coisa de estar em sala de aula, mas qualquer forma de aprendizagem para que eles possam entender o conteúdo, é efetiva. A professora, inclusive, lança toda quarta-feira um quiz interativo com temas diversos, como a tabuada, no aplicativo Google Forms.

“Eu busco atingir eles não só com conteúdo, mas também com brincadeira, com jogos. O mais importante de tudo é o afeto, eles verem que eu estava ali sofrendo com eles por estar distante. Mas eles me fortaleciam, me deixavam felizes”, comentou a professora.

A aula começa com a chegada do avatar, que orienta os alunos em relação ao conteúdo. A pandemia é abordada com cards e figurinhas especialmente elaborados, pois Lucyene também assiste alunos com deficiência. A professora aproveita ainda para mandar vídeos do YouTube, tornando a aula mais lúdica e reforçando o conteúdo das aulas que eles assistem na televisão.

A boneca é criada e editada em um aplicativo chamado Avatoon. Lá, a docente conseguiu criar uma figura virtual com características similares a ela e que usa a voz da professora. “Não tenho dúvida que eles aguardam ansiosos cada atividade que vai começar. Você não sabe a felicidade que é ter os alunos ali assistindo minha aula”, completou.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A soma de esforços neste período de pandemia do novo coronavírus tem sido essencial para acelerar as ações de combate à doença, além de dar apoio à população afetada pelas medidas de isolamento social. Neste cenário, a Prefeitura firmou, nesta quarta-feira (7), duas parcerias com empresas do setor privado, que darão suporte às políticas públicas contra a Covid-19 na capital baiana. Os anúncios foram divulgados pelo prefeito Bruno Reis em coletiva virtual.

Também participaram da cerimônia simbólica a vice-prefeita e secretária de Governo (Segov), Ana Paula Matos, representantes das entidades parceiras – Ambev e 99 – e de gestores municipais. Uma das ações é o apoio da Ambev ao programa SOS Cultura, que visa oferecer auxílio emergencial de R$1,1 mil a trabalhadores de eventos sociais e culturais afetados pela crise sanitária. A outra parceria é com a empresa de transporte por aplicativo 99, que vai dar descontos e doar corridas para cidadãos e profissionais de saúde envolvidos com a vacinação.

A Ambev viabilizou R$1,2 milhão ao município para ajudar no custeio dos auxílios emergenciais do SOS Cultura, que beneficiarão mais de 6 mil trabalhadores de diversos ramos artísticos. Bruno Reis destacou o quanto o segmento cultural foi impactado economicamente por não retornar às atividades nesse um ano de pandemia e que a retomada do segmento estará condicionada ao avanço da vacinação dos públicos prioritários, definidos no Plano Nacional de Imunização.

“Quando vínhamos na perspectiva de tentar retomar eventos, veio a segunda onda e tivemos que voltar com as medidas de isolamento social. Esse setor gira em torno de R$2 bilhões por ano, tendo como ápice o Carnaval”, reforçou o prefeito.

Ele lembrou que, desde quando a crise sanitária se manifestou na cidade, a Prefeitura realizou diversas ações para apoiar quem trabalha com entretenimento. Dentre elas estão cestas básicas e lançando chamadas emergenciais para destinação de R$18 milhões de recursos via Lei Aldir Blanc.

Compromisso – O diretor de relações institucionais da Ambev, Rodrigo Moccia, falou do compromisso da empresa em se engajar junto ao poder público nas medidas de combate à Covid-19 e aos trabalhadores que perderam renda. Há cerca de dez dias, por exemplo, a Ambev doou 40 mil máscaras N95 para o sistema de saúde, além de distribuir álcool em gel para todo o estado.

“No Carnaval, tivemos iniciativas específicas para catadores e ambulantes. No entanto, sentíamos que deveríamos fazer algo a mais para o setor cultural e produtores de evento, que são membros importantes para o nosso ecossistema”, completou Moccia.

Corridas – Com a parceria entre a Prefeitura e a 99, empresa de tecnologia ligada à mobilidade urbana, o cidadão que for a um dos pontos de vacinação da cidade poderá ter descontos ao utilizar o app, que pode ser baixado em smartphones nas plataformas Android e iOS. São oferecidas duas corridas por pessoa com um abatimento de 30%, limitado a R$10.

A ação, que também faz parte da celebração pelos 472 anos da capital baiana, viabiliza cerca de 30 mil viagens com desconto. Para usufruir do benefício, os soteropolitanos devem inserir o cupom “OBRIGADASSA”, até o próximo dia 30, dentro do próprio aplicativo. 

Ainda por meio da parceria com a 99, foi disponibilizada a doação de 10 mil corridas de valores de até R$20 para profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate à pandemia. Isso facilitará o deslocamento desses colaboradores a unidades de saúde e à casa de idosos acamados que serão imunizados por meio da Vacina Express. A liberação dos vouchers será feita pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

“Entendemos que a vacinação é essencial neste momento. Estamos com essa doação de 10 mil corridas para a Prefeitura utilizar. Esse valor é 100% destinado aos motoristas parceiros, ou seja, a 99 não receberá nada”, explicou a diretora de relações institucionais da empresa, Amanda Soldani.

Panorama – Durante a coletiva, Bruno Reis também falou sobre sua ida a Brasília ontem (6) para captação de recursos na área da saúde a fim de garantir a divisão do custeio das despesas de unidades da rede e da UPA Santo Antônio, no bairro de Roma. 

Também foi tratado sobre a habilitação de leitos de UTI covid e das tendas de suporte ventilatório, além de investimentos para execução da obra do trecho 2 do BRT da capital. O sistema conta com a primeira etapa praticamente concluída e com a terceira em andamento.

O prefeito divulgou, ainda, o atual cenário da pandemia em Salvador. A cidade, que amanheceu nesta quarta (7) com apenas oito pacientes aguardando regulação por leito de UTI, zerou a fila durante esta tarde, incluindo as demandas por vagas de enfermaria.

“Comparando com outras cidades e capitais do país, nenhuma delas tem hoje a situação como a nossa. E isso se deve à coragem de tomarmos as decisões certas e na hora certa”, afirmou o prefeito, lembrando o plano de retomada econômica iniciado há dois dias.

Homenagem – Ainda na ocasião, o chefe do Executivo municipal lamentou a morte, ocorrida ontem (6), do ativista e coordenador de Políticas e Promoção da Cidadania LGBTI+ pela Prefeitura, Vida Bruno. “Era uma pessoa extremamente querida, que contribuiu muito para que a cidade avançasse nessa política afirmativa de combate à LGBTfobia. Tomamos a decisão de prestar essa última homenagem, denominando o Centro de Referência LGBT do Rio Vermelho com o nome de Vida Bruno”, anunciou.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis) lançou, nesta quarta-feira (7), a cartilha digital sobre o Plano de Mitigação e Adaptação às Mudanças do Clima em Salvador (PMAMC). O lançamento do produto tem como objetivo oferecer à população o acesso ao plano, de forma resumida, com informações básicas e necessárias para o enfrentamento da mudança do clima na cidade. A cartilha pode ser acessada no portal sustentabilidade.salvador.ba.gov.br . 

A secretária da Secis, Edna França, destacou a criação de um instrumento com conteúdo simplificado para facilitar o entendimento sobre o PMAMC. “Pensamos num produto menor, mas que fosse educativo, para aumentar a mobilização e orientação da sociedade. O objetivo é mostrar ao cidadão como ele pode contribuir com ações mais sustentáveis para melhor qualidade de vida das pessoas e do planeta”, afirmou. 

A titular da pasta também falou que, no pós-pandemia, a publicação será disponibilizada também de forma impressa. A cartilha destaca o que é a mudança climática, como ela acontece, quais os impactos que ela causa e como o cidadão pode ser colaborador dessa política de enfrentamento e de melhoria do planeta para melhor qualidade de vida das pessoas.

“Entendemos que a cartilha é um instrumento educativo capaz de mobilizar, orientar e ajudar na construção de consciência ambiental para que a população seja colaboradora desse processo de enfrentamento e que a gente possa estar minimizando os impactos, fazendo essa mitigação do clima e, também, as adaptações para esse enfrentamento”, disse Edna. 

Plano – Aprovado em dezembro do ano passado pelo C40 (grupo de 40 grandes cidades do mundo preocupadas com a sustentabilidade), o Plano de Mitigação e Adaptação às Mudanças do Clima em Salvador (PMAMC) é uma iniciativa da Secis financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do Programa de Desenvolvimento do Turismo em Salvador (Prodetur), em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult). 

O plano propõe 57 ações para curto, médio e longo prazo, baseado em estratégias, com o objetivo de a cidade alcançar a mitigação e adaptação climática. A proposta tem finalidades para os anos de 2024, 2032 e 2049. A primeira fase contém 14 metas de mitigação e 11 de adaptação, para que, até 2024, Salvador atinja um percentual de 15% na redução de gases, comparado a 2018.  

“O plano traz ações e metas que o município precisa desenvolver para que aconteça a mitigação e adaptação a essas mudanças, através de plantio de árvores, coleta seletiva e políticas ambientais com a população. Então, o plano traz várias propostas de ações e metas para esse enfrentamento. Ele funciona como um orientador de como o município precisa de comportar”, finalizou a titular da Secis.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Dia do Jornalista, celebrado nesta quarta-feira (7), homenageia o trabalho desses profissionais que se dedicam para informar à população os fatos do dia a dia de forma imparcial e ética. Com a chegada da pandemia da Covid-19, o papel da comunicação governamental, a exemplo da exercida na Prefeitura de Salvador, e da imprensa em geral ganhou contornos ainda mais expressivos, colaborando diretamente no enfrentamento à doença – desde a propagação de notícias relevantes, orientação e conhecimento, até mesmo ao combate às fake news. 

O principal pilar das atividades jornalísticas da Prefeitura é a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), que possui mais de 70 profissionais entre servidores efetivos e cargos comissionados, atuando em diversos setores. A partir do órgão e em colaboração com as assessorias de órgãos e autarquias municipais, são veiculadas diariamente as notícias e informes sobre as atividades, projetos e serviços públicos municipais que devem ser de conhecimento dos soteropolitanos. 

Nesta data em que se comemora o Dia do Jornalista, a titular da Secom, Renata Vidal, se diz orgulhosa em ter escolhido a profissão, ainda mais nesse momento que o mundo atravessa. "Na Secom, por exemplo, dá gosto de acompanhar a dedicação, a seriedade e compromisso que nosso time de jornalistas tem com o trabalho. Todos absolutamente conscientes do importante papel social que temos, comunicando e informando a população de forma séria e transparente. Nós, jornalistas éticos, sérios e apaixonados pela profissão, estamos de parabéns hoje e sempre". 

Comunicação interligada – Todo o material divulgado pela comunicação da Prefeitura conta com apoio imprescindível das assessorias dos demais órgãos municipais, que possuem profissionais qualificados e dedicados em exercer a função que o bom jornalismo exige. Para o jornalista Marivaldo Filho, que atua nas assessorias de comunicação das secretarias de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre) e de Governo (Segov), o papel de informar inerente ao jornalista se tornou ainda mais essencial durante a pandemia da Covid-19.  

“Nesse cenário tão difícil, também é nossa função conscientizar sobre a importância da utilização da máscara e do isolamento social. Após mais de um ano numa rotina absolutamente diferente da que estávamos acostumados, com ingredientes da pressão e do medo maximizados, esse 7 de abril precisa ser celebrado pela resistência dos profissionais de imprensa que seguem firmes na missão de comunicar, superando os desafios que o momento delicado impõe”, afirmou. 

De acordo com a coordenadora de comunicação na Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Lélia Dourado, exercer a profissão numa pasta tão sensível requer muitos desafios. “É quase impossível não nos envolvermos emocionalmente com as demandas que chegam e, simplesmente, nos limitarmos às nossas funções de apenas responder tecnicamente ou encaminhar para que os setores responsáveis resolvam. Ou seja, além da execução das nossas atividades de atendimento à imprensa e ao nosso público interno, fazemos questão de resolver a demanda do usuário e, de certa forma, atuando na melhoria constante do SUS, pois, muitas vezes, somos a ‘porta de entrada’ de problemas que acabam surgindo na rede”, destacou. 

Ainda segundo Lélia, com a crise sanitária provocada pelo Sars-CoV-2, tudo foi multiplicado, principalmente o cuidado com as atividades e com o próximo. “Ser jornalista na saúde nos enriquece também como seres humanos”, acrescentou. 

Josiane Schulz, assessora de comunicação da Secretaria Municipal da Educação (Smed), acredita no fortalecimento do jornalismo como ferramenta essencial para assistir à população em um momento que exige empatia, responsabilidade e compromisso. "Além das atividades cotidianas, atuamos de forma ainda mais contundente na divulgação de matérias de serviço. No caso da Smed, sobre a distribuição das cestas básicas a alunos, de materiais pedagógicos, das ações sanitárias nas escolas e as teleaulas, entre outras", elencou. 

Estrutura e conteúdo – A Secom possui quase 20 jornalistas, incluindo estagiários da área, divididos entre produção e apuração das pautas que levam em conta critérios de noticiabilidade e transparência. Incluindo outros órgãos e autarquias, são mais 60 profissonais do setor que auxiliam na divulgação, comunicação interna e atendimento às demandas da imprensa. Os assuntos costumam ter como base demandas de utilidade pública provenientes de fontes de secretarias e autarquias vinculadas à gestão, além dos atos de governo. 

Neste período de pandemia, por exemplo, constantemente são veiculadas matérias sobre funcionamento de atendimentos e serviços, processo de vacinação, estratégias adotadas para frear o coronavírus e medidas de apoio à população em vulnerabilidade, entre outros. Todos os conteúdos gerados são publicados nos sites da Agência de Notícias (www. agenciadenoticias. salvador. ba. gov. br) e da própria Secom (www. comunicacao. salvador. ba. gov. br), além de serem enviados através de mailing para profissionais que atuam em portais de notícias, jornais impressos, TVs e rádios. 

No mês passado, a Secom implantou mais uma ferramenta de informação de acesso público, com o lançamento do podcast Salvador em Detalhes. Os programas de áudio terão periodicidade mensal e a missão editorial de divulgar informações sobre políticas públicas e ações realizadas pela administração municipal, através de entrevistas, análises e opiniões sobre a realidade da primeira capital do Brasil. O conteúdo está disponível no Spotify e no site da Agência de Notícias.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Febre, dor de cabeça, diarreia, desconfortos abdominais e sintomas gripais. Pessoas que apresentem sinais da Covid-19 ou que já tenham tido resultado positivo de um exame RT-PCR para o Sars-CoV-2 devem evitar tomar as vacinas disponíveis por, ao menos, um mês. 

A médica infectologista da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Adielma Nizarala, explica que, ao apresentar sintomas, o paciente deve buscar um atendimento médico para a confirmação do diagnóstico. “Se a pessoa vai tomar a primeira ou segunda dose da vacina e apresenta sintomas do coronavírus, deve procurar um atendimento de saúde para ser diagnosticada, independente da dose. Uma vez diagnosticado, o indivíduo não poderá fazer o uso da vacina”, diz. 

Conforme a médica, caso haja a confirmação do contágio da Covid-19, o recomendado é adiar a aplicação do imunizante por 30 dias. Isso para garantir que se encerre a janela de transmissão do vírus e agravamento dos sintomas, bem como uma recuperação do sistema imunológico. 

“Para o diagnóstico positivo de Covid-19 é indicado o uso da vacina após quatro semanas do início dos sintomas. Para outras doenças, o indivíduo só pode ser vacinado depois que sair do quadro respiratório e não tiver mais na fase aguda da virose. Independentemente de ser Covid, qualquer pessoa que tiver sintomático respiratório, com febre, não deve ser vacinado” explica Adielma. 

A infectologista esclareceu, no entanto, a diferença entre reações pós-vacina e sintomas da doença. Conforme a profissional, a imunização contra o coronavírus pode causar efeitos por um curto período. “Normalmente, essas reações acontecem no mesmo dia da aplicação e pode evoluir até três, quatro dias, no máximo. Nesse caso, não é doença”, destaca. 

Casos graves — As reações são muito semelhantes com os sintomas da doença contra a qual a pessoa foi vacinada. No caso da Covid-19, a pessoa pode apresentar dor de cabeça, dor no corpo, desconforto abdominal, diarreia e febre, de forma leve. A médica ressaltou que é muito pouco provável que o efeito colateral da primeira dose chegue até a data da aplicação da segunda dosagem. “O período mínimo de uma dose para outra é de 28 dias. Este prazo, com quadro agudo respiratório, o paciente deve estar internado, investigando o que está acontecendo”, alertou Adielma. 

De acordo com especialistas, é correto afirmar que nenhuma vacina previne em 100% as chances de a pessoa contrair o coronavírus. No entanto, o imunizante serve para prevenir os casos mais graves – ou seja, se a pessoa contrair o vírus, ela deverá sentir apenas sintomas mais leves. 

“O objetivo do imunizante é evitar que o indivíduo apresente quadros que o levem à morte. Mesmo após 21 dias da segunda dose, a pessoa pode ser infectada. A garantia da vacina que essa pessoa não evolua ao ponto de necessitar a internação em UTIs”, relata Adielma. 

Dessa forma, a infectologista alerta para a necessidade de manter as medidas de segurança, mesmo após a aplicação das duas doses da imunização. “Trinta a cinquenta por cento das pessoas vão pegar o vírus mesmo estando vacinadas. A diferença é que essas não farão casos graves. Por isso é tão importante que mesmo pessoas imunizadas ainda se mantenham em uso de todas as medidas de precaução, para evitar que outras pessoas sejam infectadas”, reforça.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Uma lei federal sancionada no dia 1º de abril pode beneficiar mulheres vítimas de violência doméstica no Brasil, além de promover a equidade no ambiente de trabalho. A lei nº 14.133/2021 tem como objetivo principal trazer unificação, avanços e modernização às questões ligadas a licitações e contratos no Brasil. Por meio dessa alteração, empresas poderão desenvolver ações de responsabilidade social, apoiar toda uma rede de ações de proteção à mulher, sem infringir o princípio da igualdade. 

Dentre as várias mudanças, destaca-se a inclusão do artigo 25, parágrafo 9º, inciso I. Este item da lei vai possibilitar que um percentual mínimo da mão de obra, que será responsável pela execução do objeto da contratação em licitações, seja constituído por mulheres vítimas de violência doméstica. Além disso, o artigo 60, inciso III, fala de critério de desempate, por parte de licitantes, em ações de equidade entre homens e mulheres no ambiente de trabalho. 

No âmbito municipal, a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) vai atuar na sensibilização de empresas para que, a partir de agora, ao participar de processos licitatórios, destinem de 5% a 10% de vagas ao público feminino, dando preferência às que passaram pelas casas de referência da secretaria. 

Para a titular da SPMJ, Fernanda Lordelo, essa é uma grande conquista social. “O ato tem como objetivo dar oportunidade para que mulheres, vítimas de violência doméstica, consigam se inserir no mercado de trabalho. Acredito que apenas com autonomia e independência financeira é possível manter essas mulheres afastadas do ciclo de violência”, destaca.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura de Salvador lamenta e se solidariza com a família do coordenador de Políticas e Promoção da Cidadania LGBTI+, Vida Bruno, que faleceu nesta terça-feira (6), na capital baiana. Homem trans, historiador e militante em defesa da cidadania e direitos humanos, foi um dos participantes da criação do Centro Municipal de Referência LGBT, vinculado à Secretaria Municipal da Reparação (Semur), tornando-se coordenador do serviço desde o início das atividades, em 2016. Bruno foi, ainda, um dos principais colaboradores municipais na elaboração de políticas públicas para a população LGBTI+ na capital baiana.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O prefeito Bruno Reis viajou a Brasília, nesta terça-feira (6), onde se reuniu com representantes do governo federal para debater ações em prol da capital baiana. O chefe do Executivo municipal participou de audiências com os ministros de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e da Saúde, Marcelo Queiroga, em busca de recursos para obras de infraestrutura e para a área da saúde que, neste caso, serão necessários para fortalecer iniciativas de combate à pandemia da Covid-19.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Para promover proteção e dignidade a pessoas em situação de vulnerabilidade, principalmente devido à pandemia de Covid-19, as Unidades de Acolhimento Institucional e Emergencial da Prefeitura oferecem, além de abrigamento, assistência nutricional, de saúde e social, tudo isso envolvido com muito amor, cuidado e sensibilidade. Coordenadas pela Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre), as 17 estruturas possuem 1,1 mil vagas destinadas a adultos e famílias em situação de rua. 

Uma dessas unidades está localizada no bairro de Amaralina, em Salvador. Reinaugurada há mais de um ano, já acolheu 61 idosos em situação de vulnerabilidade, e coleciona histórias de superação. Edson da Silva, de 65 anos, chegou à unidade há oito meses e contou, com orgulho e emoção, a trajetória. 

"Eu sou caminhoneiro, o mundo é a minha casa. Fui infectado com o coronavírus, fiquei internado no Hospital Municipal e, quando tive alta, fui acolhido por essa Unidade. Aqui é o melhor lugar do mundo, sou muito bem servido, me tratam com respeito e amor. É maravilhoso. Daqui só saio quando a pandemia acabar, direto para estrada", afirmou. 

Localizada na Rua Visconde de Itaborahy, a estrutura foi pensada inicialmente para ser um abrigo familiar, mas teve o público-alvo alterado em função da pandemia de Covid-19. O titular da Sempre, Kiki Bispo, destacou a importância do acolhimento aos idosos, sobretudo por pertencerem aos grupos de maior risco da Covid-19. 

“Sabemos que os idosos são as pessoas mais vulneráveis da pandemia do coronavírus, com isso aumenta nossa responsabilidade. Em um ano, a Unidade Institucional de Amaralina foi palco de grandes histórias de vida”, pontuou. 

Acompanhamento especializado – A coordenadora da UAI, Késsia Pauferro, informou que além do fornecimento de quatro refeições diárias (café, almoço, janta e ceia), atividades de pintura e exercícios fisioterapêuticos são realizadas com periodicidade. “Na equipe, temos uma técnica de enfermagem que auxilia na manipulação dos medicamentos e acompanhamento nas demandas de saúde. Também temos um psicólogo que realiza atendimento psicoterápico", explicou Késsia. 

O acolhimento é feito através da Central de Vagas, a partir de uma análise de perfil. A alta depende do perfil e planos de cada idoso. "Existem pessoas que têm perfis de longa permanência. Nesse período, são assistidas pela UAI até voltar para a família ou acabam vivendo no espaço sem previsão de saída. Têm outros idosos que são mais ativos, que ficam até sair, por exemplo, a liberação do auxílio aluguel. Eles trabalham e querem ter a vida livre", relatou a coordenadora. 

Ela destacou, ainda, a equipe técnica que realiza um trabalho de desenvolvimento individual humano e sensível, além da rede assistencial envolvida. "Na UAI, a gente vai para escuta. Existe uma equipe técnica, que é composta por assistente social, pedagoga e psicóloga. Um plano de desenvolvimento individual é traçado por elas, a partir da vontade do assistido. Se ele quiser morar sozinho, a gente vai solicitar o auxílio aluguel dele. No entanto, a gente faz o acompanhamento mesmo depois que ele é desligado da unidade, através do Cras (Centro de Referência em Assistência Social)," afirmou Késsia. 

Protocolos sanitários – As Unidades de Acolhimento funcionam atendendo aos protocolos sanitários para evitar a transmissão da Covid-19. As estruturas possuem dispensadores de álcool em gel, tapetes sanitizantes, além de marcações de distanciamento social. 

O uso de máscara de proteção é uma das regras praticadas pelos abrigados no dia a dia, sendo exceção apenas na hora da alimentação e no dormir. As unidades recebem, ainda, ações preventivas, com realização de testes rápidos e aferição de temperatura, verificação das condições de saúde dos acolhidos e intensificação das medidas de higiene nos mobiliários e instalações, como banheiros e quartos.

Além disso, as equipes de assistência social promovem trabalhos educativos junto aos assistidos, que recebem orientações sobre a Covid-19, assim como sintomas da doença e os procedimentos necessários para se proteger da infecção.

0
0
0
s2sdefault

Sub-categorias

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...