Educação

0
0
0
s2sdefault

A greve partidária conduzida pela APLB Sindicato, controlado por partidos como o PCdoB, segue sem adesão dos professores. Balanço divulgado hoje (13) pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) aponta que 87% das escolas da rede municipal estão funcionando, ou seja, 378 unidades de ensino, um percentual mais alto do que ontem (de 86%). Apenas 13% fecharam as portas por conta da greve, o que corresponde a 56 unidades.

Entre aquelas que abriram normalmente está a Escola Municipal de Pernambués, onde os professores e todos os servidores foram trabalhar. "A APLB está adotado de todas as táticas possíveis para tentar evitar que a categoria deixe de trabalhar e até mesmo para dar a impressão de que as escolas estão fechadas, o que não é verdade. Esse é um movimento eminentemente partidário, e a prova disso é que a APLB não atua da mesma forma em relação ao governo do estado. Só vamos voltar a negociar com o fim da greve", avisou o secretário municipal da Educação, Bruno Barral.

Ele lembrou que a Prefeitura já apresentou uma proposta de reajuste de 2,5% à categoria, que tem obtido ganhos reais desde o início da atual gestão. Em 2013, o percentual de aumento chegou a 7,8%, seguido de 8,3 em 2014, 8% em 2015 e 2,5% em setembro de 2017, ou seja, há menos de um ano. "Em todos os anos da gestão do prefeito ACM Neto, nós tivemos uma proposta na mesa, com exceção de 2016. Mesmo assim, a greve é contra a Prefeitura e não contra o estado, mesmo com todo o histórico de avanços", lamentou Barral.

O secretário afirmou concordar que os professores e servidores da educação merecem mais. Porém, é preciso levar em conta a situação financeira da Prefeitura e todas as conquistas obtidas ao longo dos últimos anos, pois investir em educação não se resume a salários. "A atual gestão já reformou, reconstruiu ou construiu mais de 63% das unidades escolares desde 2013, com mais de R$300 milhões investidos. Saímos de 17 mil vagas para mais de 40 mil na Educação Infantil, investimentos para melhorar a merenda e os kits escolares e Salvador foi a capita que mais cresceu no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Ou seja, crescemos em quantidade e qualidade", citou.

Corte de ponto - Ontem (12), o prefeito ACM Neto avisou que vai cortar o ponto dos professores que não comparecerem ao trabalho já no mês de julho. Ele considerou a greve partidária e disse que vai tratar o movimento da APLB como tal.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Ensinar crianças a se alimentarem de forma nutritiva e possibilitar o contato com os alimentos in natura são apenas algumas das propostas do projeto "Alimentação Saudável é Gostosa pra Chuchu", que contempla crianças de um a quatro anos no Centro Municipal de Educação Infantil Pio Bittencourt, na Federação. Nesta quinta-feira (12), 25 crianças do grupo quatro encerraram um ciclo de atividades voltadas ao ensino de práticas alimentares sadias, produzindo uma salada nutritiva que foi consumida pelos próprios alunos.

Ao todo, 81 crianças participam das atividades do projeto, que é contínuo. “Hoje conseguimos perceber que as crianças já reconhecem os alimentos, sejam frutas, verduras ou legumes. A maioria não tinha acesso em casa e então resolvemos mostrar a eles a importância de uma alimentação rica. Eles aprendem a degustar, experimentar sabores e desenvolvem gosto pela alimentação saudável”, pontua a diretora da unidade educacional, Consuelo Almeida.

Através do programa as crianças estudam em sala diversos vegetais separadamente, analisam a textura, formas e degustam de forma individual. Após um período de atividades semelhantes, quando o conhecimento sobre os alimentos já foi expandido, as crianças elaboram saladas – sejam de frutas ou verduras e legumes – passando por todo o processo de produção, que vai desde a escolha e higienização até a degustação coletiva. Para estimular o desenvolvimento da autonomia das crianças, a degustação é feita na modalidade de self service, deixando que elas se sintam à vontade para escolher, misturar e apreciar os alimentos.

O projeto prevê diversas outras atividades. Dentre elas está uma ação onde as crianças têm a vivência com os alimentos cultivados em hortas, montadas com o auxílio de vasilhames e canteirinhos. Para atender de forma integral as crianças, o projeto ainda se estende aos pais e responsáveis, por meio de palestras que são ministradas por nutricionistas da unidade de saúde local. Além disso, de forma programada, uma empresa parceira realiza peças de teatro com o uso de fantoches para reforçar as questões alimentares com as crianças.

Culinária em sala – Outro projeto mantido de forma permanente na instituição é Exploradores do Mundo. Através dele, os alunos fazem descobertas coletivas por intermédio dos pais. No período que antecedeu o São João, um grupo de alunos aprendeu com uma mãe a fazer bolo de aipim e cuscuz de milho. “São diversos resultados positivos. Os professores avaliam os alunos através da observação da criança ao longo do ano. Eles percebem mudança de atitudes como comer a salada toda na refeição que servimos diariamente ou pedir para repetir a salada", reforçou Consuelo Aldeia.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) repúdia a truculência e o radicalismo de um pequeno grupo de manifestantes de perfil político-partidário que estão tentando impedir a entrada de alunos, professores e gestores da rede municipal em algumas escolas. São atitudes agressivas e de completo desrespeito às crianças, aos adolescentes, jovens e adultos que querem estudar e têm direito à educação, bem como aos professores e gestores que querem trabalhar e manter a escola funcionando.

"É lamentável esse tipo de atitude. Repudiamos veementemente essas ações. Nossos alunos e suas famílias que estão sendo prejudicadas por uma minoria, que está, na realidade, fazendo política-partidária e para isso prejudica a população", criticou Bruno Barral, secretário municipal da Educação. "Também é uma atitude desrespeitosa aos professores e gestores que querem trabalhar, dar aula e acolher nossos alunos. E que representam a maioria", disse.

O secretário voltou a pedir aos sindicalistas que reflitam e aguardem a evolução das negociações, que estão avançando. "Peço também que preservem nossos alunos da perda de dias de aula e dessa situação de estresse e de ameaça desnecessárias e absurdas", frisou. Levantamento divulgado nesta quinta-feira (12) mostra que 86% das escolas não aderiram à greve e estão funcionando, com professores e alunos em sala de aula.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Balanço divulgado pela Secretaria Municipal da Educação (Smed) aponta que 93% das escolas da rede municipal não aderiram à greve comandada pela APLB. Para o secretário Bruno Barral, titular da Educação (Smed), isso demonstra o compromisso que os professores têm com seus alunos, lembrando que a rede tem 431 escolas e cerca de 142 mil estudantes matriculados.

"Estamos em processo de negociação, as rodadas vêm acontecendo com muita transparência e diálogo. Avançamos em alguns pontos, outros ainda estão sendo negociados. Por isso, seria precipitado fazer uma greve sendo que os canais estão abertos", avalia.

Barral visitou algumas escolas na manhã desta quarta-feira (11), em continuidade a um processo de visitas e interlocução com gestores e professores que vem ocorrendo periodicamente durante sua gestão.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A orientação da Secretaria Municipal de Educação (Smed) é que as escolas funcionem normalmente. A Smed entende o movimento de greve como precipitado, uma vez que a negociação está em andamento. Destaca que há proposta de aumento real para a categoria e que a valorização dos professores é uma política implementada desde o início da primeira gestão de ACM Neto. Um exemplo disso é o aumento registrado na média salarial da categoria, que passou de R$ 4.826,71 para R$ 6.431,13, representando um incremento de 33,24%.

Diante disso, a Smed classifica o movimento como político partidário, uma vez que o governo do estado oferece uma proposta de 0% de aumento e isso não suscita qualquer movimentação por parte dos professores. Com a deflagração da greve, os principais prejudicados são os 142 mil alunos da rede municipal. Houve uma rodada de negociação entre a Smed e a APLB na noite desta terça-feira (09) e um novo encontro foi agendado para as 18h desta quarta-feira (11).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Os sentimentos de satisfação e de sonho realizado foram predominantes para os jovens presentes na Casa do Estudante Quilombola – Ilha de Maré, inaugurada pela Prefeitura nesta terça-feira (10), na Rua Doutor Otaviano Pimenta, em Matatu de Brotas. Inédita no Brasil, a estrutura tem capacidade para abrigar 30 estudantes universitários quilombolas que residem em Ilha de Maré – uma das três pertencentes ao município – e que cursam o ensino superior em Salvador. Simbolicamente, as chaves do imóvel foram entregues pelo prefeito ACM Neto a Renato das Neves, de 31 anos, um dos estudantes residentes na casa.

Neves, que cursa Ciências Sociais na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), relatou como a casa vai ajudar os estudantes na conclusão dos estudos. “A rotina era muito difícil. Tinha que acordar às 4h, pegar o barco das 5h para chegar na Uneb às 7h. Ou seja, sempre chegava atrasado e não pegava a aula completa. Quando o mar estava revolto, então, a gente não conseguia atravessar. Esta casa é muito boa, é um sonho. Estou emocionado porque agora fica muito mais fácil para os jovens de Ilha de Maré estudar em Salvador. É um momento histórico para toda a juventude de Ilha de Maré e familiares”.

O prefeito salientou que, apenas para a implantação da Casa dos Estudantes Quilombolas, foram investidos cerca de R$200 mil. “É uma felicidade muito grande para a Prefeitura realizar uma iniciativa pioneira no país, que é implantar uma casa de acolhimento de estudantes específica para a comunidade quilombola. Vamos poder acolher e abrigar esses jovens ao longo de todo o percurso deles no ensino superior, ofertando a eles um lugar para morar e se alimentar com segurança e qualidade. Assim, é reparada uma dívida histórica com a comunidade, que sempre sonhou com essa estrutura”, pontuou ACM Neto.

A secretária Ivete Sacramento explicou que a escolha por Ilha de Maré ocorreu devido ao número de comunidades quilombolas no local. Das cinco existentes em Salvador, quatro estão na ilha: Botelho, Passa Cavalo, Bananeiras e Santana. A quinta comunidade é a de Praia Grande, em São Tomé de Paripe, na parte continental da capital baiana.

“Só recentemente como política pública se reconheceu que Salvador tem cinco comunidades quilombolas, quatro delas em Ilha de Maré. Até então, esses estudantes ficavam isolados do processo de frequentar o ensino superior por conta da barreira do mar. Muitos jovens não têm condições financeiras de ir e voltar ou alugar um imóvel no centro. Somente pela Educação, vamos ter de fato uma revolução da população quilombola”, completou a titular da Semur.

Iniciativa – Fruto do Programa de Ações Afirmativas para a Comunidade Quilombola em Salvador, o novo espaço visa assegurar condições básicas de moradia a alunos de Ilha de Maré que estejam matriculados de forma presencial em entidades de ensino superior sediados na capital baiana, mas que encontram dificuldades no deslocamento para frequentar as aulas. Bem amplo e confortável, o imóvel possui sala de estudo, área de lazer, sete quartos, cinco banheiros e duas copas, além de boa localização – próxima a pontos de ônibus e estação do metrô.

Para ter acesso ao espaço, o estudante quilombola deverá apresentar RG e CPF, comprovantes de residência e de matrícula atualizados. 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Prêmio Jorge Amado de Literatura chega à terceira edição em 2018 e terá as inscrições realizadas entre o próximo dia 16 até 27 de agosto. Promovido pela Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal da Educação (Smed), o prêmio tem por objetivo incentivar e valorizar a produção literária dos alunos da rede pública de ensino de Salvador. 

As inscrições serão realizadas de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no horário de 9h às 17h, na escola onde o aluno estuda. O regulamento, com todas as informações detalhadas do prêmio, encontra-se à disposição dos interessados na página eletrônica da Smed.

“Trata-se de uma iniciativa implementada em 2014 que, além de revelar nossos talentos, estimula a criatividade e o gosto pela leitura e pela produção de textos", explica o secretário de Educação, Bruno Barral. "O resultado desse trabalho é incrível e emocionante", completa.

Premiação – O prêmio é voltado para os alunos do Ensino Fundamental I (1º a 5º ano), que concorrem nas categorias Poesia e Conto. Já os alunos do Ensino Fundamental II (6º a 9º ano) e da Educação para Jovens e Adultos (EJA) poderão participar nas categorias Romance, Histórias em Quadrinhos e Videoclipe. 

Os vencedores de cada categoria serão premiados da seguinte forma: R$ 4 mil para os primeiros colocados; R$ 3 mil para a segunda colocação e para o 3º lugar de cada categoria, R$ 2 mil. O valor do prêmio está sujeito à tributação de impostos.

A comissão julgadora para cada categoria será composta por três especialistas, sendo um deles, necessariamente, educador. Todos serão de reconhecido mérito e designados pela Comissão Organizadora do Prêmio Jorge Amado, cujos nomes serão publicados no Diário Oficial. O resultado do concurso será divulgado no dia 31 de outubro deste ano.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A merendeira da Escola Municipal de Ilha de Maré, Dejanira dos Santos, e a nutricionista da Secretaria Municipal de Educação (SMED), Emília Coelho, embarcam no início da tarde desta quarta-feira (04) para o Rio de Janeiro, onde serão as únicas a representar o Nordeste brasileiro no programa Super Merendeiras. O reality show vai ao ar na TV Escola e terá 13 episódios de 26 minutos cada. Participam da competição dez merendeiras de todas as regiões do país, selecionadas entre as 5 mil inscritas nas duas edições do Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar, promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

As dez merendeiras vão concorrer entre si utilizando diferentes tipos de receitas feitas na rede municipal de ensino das respectivas regiões. As gravações serão realizadas de 4 a 17 de julho e o objetivo do programa é promover a alimentação saudável com entretenimento e valorização de quem é diretamente responsável por preparar as refeições de 45 milhões de estudantes em todo o país. Duas delas vão para a grande final e uma será a grande vencedora.

As receitas serão avaliadas por três jurados especialistas em alimentação e educação. A merendeira Dejanira dos Santos, que venceu o Concurso “Melhores Receitas da Alimentação Escolar” no Nordeste, irá apresentar a receita do abará feito com aipim com carne moída, que já foi servida no início de 2017 ao presidente Michel Temer e ao ministro da Educação, Mendonça Filho, na cerimônia de anúncio de recursos para a merenda escolar de todo o País, no Palácio do Planalto.

“Nunca imaginei que essa versão do abará nutritivo fosse ser tão apreciada e fazer esse sucesso. Gosto de inventar, misturar temperos e fazer novas experiências na cozinha. Estou feliz por estar hoje sendo referência, e poder levar o nome da nossa Ilha, de nossa cidade para fora e ver essas crianças saboreando com muito gosto essa receita é maravilhoso. Eu fico feliz em estar representando todas as merendeiras da nossa cidade e também da região Nordeste”, afirmou Dejanira, conhecida na Ilha como Pióca e que está há 17 anos na Escola Municipal Ilha de Maré.

De acordo com a nutricionista Emília Coelho, da Secretaria Municipal de Educação (SMED), o cardápio feito na escola é diferenciado, pois consegue manter a parte cultural, a tradição do local e conseguir introduzir o novo de maneira a agradar as crianças. “O acarajé e o abará é muito tradicional e todo mundo sabe o que tem dentro dessas iguarias, então começamos a pensar como colocar isso dentro da merenda escolar. A Dejanira veio com essa preparação diferente transformando uma receita tradicional e cultural dentro da alimentação escolar de forma saborosa e agradável”.

A nutricionista pontua ainda que a receita tem alto teor nutritivo. “O aipim é uma massa magra com bastante carboidrato e fibras que ajudam na energia das crianças. A carne é a proteína que eles precisam para ter mais nutrição e crescimento, além disso, o azeite de dendê tem vitaminas A e K, importantes para fortalecer o sistema imunológico e agir no processo de coagulação sanguínea”, finaliza.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Finalistas farão intercâmbio de dez dias em Portugal, em companhia do escritor Laurentino Gomes

Cinquenta e quatro alunos de 13 escolas municipais de Salvador foram selecionados para a segunda fase do projeto "Era uma vez... Brasil", que, ao final, levará os alunos melhor avaliados para um intercâmbio de dez dias em Portugal, onde conhecerão os caminhos percorridos pela corte portuguesa até a vinda ao Brasil, em 1808. Em 2017, dez alunos da Rede Municipal foram finalistas e participaram do intercâmbio, que incluiu roteiros culturais com pontos relevantes para a história Portugal-Brasil, como Terreiro do Paço, Palácios Nacionais de Queluz e da Ajuda, além da visita a cerca de 23 museus, bibliotecas e escolas de Lisboa.

Neste ano, a segunda etapa do projeto, chamada de Campus, será realizada de 25 de junho a 1º de julho, na Escola Municipal Célia Goulart, em Mata de São João. Cem adolescentes de Salvador e Mata de São João participarão durante sete dias, em período integral, de oficinas culturais de audiovisual, além de duas vivências com povos das etnias indígenas e afro com o intuito de se apropriarem e conhecerem suas origens.

Criado pela Origem Produções, o ‘Era uma Vez... Brasil’ é um projeto de arte-educação voltado para adolescentes do 8º ano da rede pública de ensino. O foco dos trabalhos é a chegada da família real e da corte portuguesa ao Brasil, tendo como base o livro 1808, do escritor Laurentino Gomes, que viaja com os alunos no intercâmbio. Este é o terceiro ano consecutivo que o projeto é realizado.

Segundo Marici Vila, diretora executiva da Origem Produções, 2018 superou a expectativa, somando, na primeira etapa, 97 escolas públicas participantes, de dez cidades de três estados brasileiros. “O projeto vem se consolidando e criando uma rede extremamente importante para o desenvolvimento dos jovens, professores e comunidade. O resultado é o reconhecimento das nossas raízes, a valorização da nossa identidade e o respeito pela diversidade”, explica.

O escritor Laurentino Gomes destaca a importância da iniciativa. “É emocionante participar desse projeto e observar esses jovens, alunos de escolas públicas, tendo a oportunidade de conhecer diversos monumentos e ter aula enquanto fazem turismo. O ‘Era Uma Vez... Brasil’ tem um importante significado social e acredito que nenhum dos estudantes volta para casa da mesma forma. É importante que eles assumam a responsabilidade de mudar e transformar suas famílias, a comunidade onde vivem, o município. O Brasil precisa muito disso”, destaca.

Participantes - Além dos 54 alunos da Rede Municipal de Salvador, participam dessa segunda etapa oito alunos do Colégio Militar e 38 alunos de escolas públicas de Mata de São João.

Rede Municipal - Foram selecionados para a segunda etapa do projeto alunos das seguintes escolas municipais de Salvador: 2 de Julho (Trobogy); Alfredo Amorim (Ribeira); Almirante Ernesto de Mourão de Sá (Paripe); Amélia Rodrigues (Tororó); Brigadeiro Eduardo Gomes (São Cristóvão); Elysio Athayde (Cajazeiras); Hildete Lomanto (Garcia); Ivone Vieira Lima (São João do Cabrito); Maria José de Paula Moreira (Ribeira); Olga Figueiredo de Azevedo (Matatu); Pirajá da Silva (Liberdade); Professor Alexandre Leal Costa (Nazaré) e Professora Suzana Imbassahy (Barbalho).

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...