Educação

0
0
0
s2sdefault

As matrículas de novos alunos no Ensino Fundamental da rede pública municipal começam na próxima segunda-feira (6). Visando atender melhor aos alunos e familiares, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) organizou por data os segmentos a serem atendidos. Dessa forma, a segunda-feira (6) será destinada aos alunos oriundos de escolas comunitárias, filantrópicas e confessionais que têm convênio com a Smed, e das escolas privadas credenciadas pelo projeto Pé na Escola.

 

No dia 7, poderão se matricular pessoas com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento ou com altas habilidades/superdotação. Para os demais interessados em se matricular no 1º ano do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos I, o dia da solicitação será a próxima quarta-feira (8). Aqueles que pretendem cursar o 2º ou 3º anos do Ensino Fundamental podem se matricular na próxima quinta-feira (9) e os que irão para o 4º e 5º anos devem se matricular no dia 10. Atualmente, 335 escolas da rede dispõem de Ensino Fundamental.

 

Para fazer a matrícula, o estudante maior de 18 anos ou o responsável deverá ir a qualquer instituição de ensino da rede municipal, das 8h às 17h, com a certidão de registro civil ou RG, CPF, comprovante de residência, cartão de saúde, duas fotos 3x4 e histórico escolar (quando se tratar de alunos do 2º ano do Ensino Fundamental ou do Tempo de Aprendizagem II da Educação de Jovens e Adultos). Em casos excepcionais, o atestado de escolaridade poderá ser aceito em substituição ao histórico escolar.

 

“Esse é um momento muito importante para a organização do ano letivo. É o primeiro contato realizado entre a escola e a comunidade. É um momento de acolhimento e de confiança recíproca. Todo o nosso planejamento tem como objetivo prestar um bom atendimento às famílias. A Prefeitura está preparada para atender a demanda dos estudantes e seus responsáveis em todas as escolas”, disse Joelice Braga, diretora pedagógica da Smed.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Fanfarra, capoeira, dança e até cobrança de pênalti fizeram parte das comemorações dos alunos, professores e funcionários da Escola Municipal Teodoro Sampaio, em Santa Cruz, que recebeu a quadra poliesportiva completamente requalificada pela Prefeitura nesta sexta-feira (20). A cerimônia, que marca também o fim do ano letivo da rede municipal de ensino, reuniu as presenças do prefeito ACM Neto e do secretário da Educação (Smed), Bruno Barral, dentre outras autoridades e população.

Com investimento de R$ 700 mil, as intervenções foram feitas principalmente na instalação da cobertura total, mas também englobaram iluminação do entorno e acesso à quadra. “Esta quadra foi um pedido da diretora Lurdinha (Maria Lourdes Torres), em nome da comunidade escolar, que mostrou a necessidade e vimos a importância de serem feitas essas melhorias no equipamento. O pedido é de que apenas tenham muito cuidado com o uso do espaço, que também estará aberto à comunidade de fora da escola para prática esportiva”, afirmou o prefeito.

Bastante emocionada, a diretora da Teodoro Sampaio agradeceu pelo pedido atendido e pelos investimentos que a Prefeitura têm feito na instituição de ensino. “Eu sempre sonhei com a cobertura dessa quadra. Só tenho a agradecer a todos pela ação”, afirmou.

Estrutura – A escola municipal já havia passado por uma profunda reforma, entregue pela gestão em 2016. A instituição atende a mais de 1 mil alunos do Ensino Fundamental I e II e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Além da quadra, a unidade escolar possui 21 salas de aula, sala para Atendimento Educacional Especializado (AEE), laboratório de informática, refeitório e sanitário para pessoas com necessidades especiais, dentre outros ambientes.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com objetivo de incentivar a leitura infantil, a Secretaria Municipal da Educação (Smed) realiza nesta sexta-feira (6), às 9h, o Evento de Autógrafo, que reúne pais, alunos e familiares na Escola Municipal Saturnino Cabral, localizada na Rua Araçatuba, n° 60, em Cosme de Farias.

O evento acontece em parceria com a Estante Mágica, uma plataforma educacional digital que é utilizada para mostrar o resultado dos livros que os alunos da escola municipal, com idades entre quatro a 12 anos, produziram ao longo da unidade. No total, o livro possui 12 páginas, sendo que seis delas contêm textos, e as demais são preenchidas com desenhos também feitos pelos estudantes.

“Esse projeto é importante para que os alunos trabalhem não somente a leitura, mas também a escrita e a criatividade”, afirma a diretora Jaciara Nogueira. Todas as produções dos alunos são impressas em edições de capa mole ou dura, para serem apresentadas aos pais e familiares. Dessa forma, a criança autografa o livro físico durante o evento desta sexta.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Trajes em tecidos afro, muito dourado na maquiagem, postura e elegância chamaram a atenção do público no 13º Desfile da Beleza Negra, realizado pela Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima, nesta quinta-feira (28), no Largo Tereza Batista, no Pelourinho. Com o intuito de ressaltar a cultura e identidade negras, 22 alunos e alunas, de seis a 14 anos, subiram a passarela, cada um representando um país do continente africano. A iniciativa integra a série de atividades promovidas pela Secretaria Municipal da Educação (Smed) ao longo deste mês, quando é lembrado o Dia da Consciência Negra.

O evento foi aberto com os hinos do Brasil e África do Sul. Representando Angola, a estudante do 5º ano, Jequitiara Júlia Silva, 11 anos, foi uma das primeiras a subir ao palco. Com vestimenta dourada, torço na cabeça e muito brilho na maquiagem, fez questão de comentar sobre a alegria de representar o povo negro. “Como nós somos bonitos e como toda nossa gente tem tanta beleza. Eu estou me sentindo linda em representar a nação de Angola”, revelou a garota.

Para Fabrício Matos, de 11 anos, que representou a Etiópia, os povos africanos têm uma beleza muito especial. “Adorei vestir essas mantas vermelhas com colares de coco e pedras. Estou me sentindo um verdadeiro rei”, brincou o menino que brilhou na passarela pela elegância e personalidade.

Para a diretora da escola, Joseane Copique, o objetivo do desfile é reconhecer a importância histórica e cultural do povo negro. "Além disso, fazemos esse evento para valorizar a autoestima dos alunos. Estimulamos o empoderamento deles o ano todo e, sempre durante o mês de novembro, promovemos esse desfile que ilustra o quanto eles se sentem bem com suas identidades”, assinalou a pedagoga. A Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima fica no Santo Antônio Além do Carmo e atende a 220 alunos, da 1 ª a 5ª série do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Os jurados levaram em consideração os quesitos como plástica, simpatia, elegância e presença de palco, além de conhecimento sobre o país africano que está representando. Os dois casais vencedores foram presenteados com cestas de kits de beleza contendo cosméticos, perfumes e itens de higiene pessoal. Além do desfile, a programação do evento contou ainda com a apresentação da peça “África Contada”, do grupo de teatro da Policia Militar da Bahia (PM-BA), e o espetáculo de dança “Negras Perfumadas”, do Projeto Mais Educação da Vivaldo da Costa Lima.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

As unidades escolares da rede municipal de Salvador promovem, durante todo o mês de novembro, atividades especiais relacionadas ao Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro - data da morte de Zumbi dos Palmares. São desfiles, oficinas, debates, palestras, peças teatrais que marcam a data e promovem o debate e a conscientização acerca do tema. O trabalho, entretanto, não se restringe a esse período. A temática está presente em sala de aula durante todo o ano, por meio de materiais didáticos e pedagógicos e fazem parte do projeto político pedagógico das unidades escolares.

De acordo com o secretário municipal da Educação, Bruno Barral, Salvador possui uma importante trajetória de discussão das relações étnico-raciais dentro das escolas e junto à comunidade escolar. “O Nossa Rede, que é o material pedagógico próprio, construído com a participação dos professores da rede municipal de Salvador, abarca a temática nos diversos anos de escolarização”, afirma. “E é uma proposta muito interessante e inovadora, porque trata da questão étnica-racial a partir da transversalidade. Ou seja, é uma temática abordada através de várias disciplinas”. Barral cita também a utilização de materiais específicos e livros literários para as mais diversas faixas etárias que tratam da igualdade étnica, racial, religiosa e de gênero.

Além da questão curricular, que contempla, inclusive, o ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira, muitas escolas desenvolvem projetos especiais durante o ano. Um deles é o “Meus Super Heróis Também Podem Ser Negros”, desenvolvido pela professora Lorena Costa, na Escola Municipal Gersino Coelho, no Doron. Também o “Festival da África”, da Escola Municipal Teodoro Sampaio, na Santa Cruz, “Laços e Africanidades”, da Escola Municipal Padre José de Anchieta, na Federalção, “Rei e Rainha Azeviche”, da professora Cláudia Mattos da Escola Municipal Consul Schindler, em São Caetano, entre tantos outros.

Barral destaca ainda a formação de professores, a Educação Escolar Quilombola e os trabalhos do Fundo Municipal para o Desenvolvimento Humano e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (Fiema) e do Núcleo de Políticas Educacionais das Relações Étnico-Raciais (Nuper) da Secretaria Municipal da Educação (Smed). Idealizado e coordenado pela professora Eliane Boa Morte, o Nuper atua nas escolas municipais de Salvador com o objetivo de propor, implementar e acompanhar políticas educacionais relativas às questões raciais e de gênero. Por sua vez, o Fiema, presidido pela diretora Rita Sales, tem o objetivo de promover o desenvolvimento humano de mulheres afrodescendentes em situação de vulnerabilidade social.

“Temos um excelente trabalho sendo desenvolvido na Rede Municipal que visa uma formação que busca a equidade, com foco na inclusão e estimulando o respeito à diversidade. E uma das importantes conquistas disso é junto aos nossos alunos: O empoderamento, o fortalecimento da autoestima e uma cultura de respeito e paz. E são conquistas que ultrapassam os muros das escolas”, diz o secretário. “Entretanto, há um longo caminho ainda a ser percorrido. A Educação de Salvador tem importantes avanços, mas muito ainda a aperfeiçoar na busca pela construção de uma sociedade sem racismo, sem preconceitos”, conclui.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Algumas das escolas municipais que já contam com horta são a Fernando Presídio, no bairro de Paripe; Filhos de Salomão de Campinas de Pirajá; Dona Arlete Magalhães, em Castelo Branco; Nova do Bairro da Paz, no bairro homônimo; Brigadeiro Eduardo Gomes, em São Cristóvão; Bosque das Bromélias, no Jardim das Margaridas; Clemilda Andrade, em Brotas e Beatriz Farias, em Cajazeiras. 

Transformação – Desde 2016, o projeto tem reforçado a necessidade e importância da participação da população para a construção de uma cidade melhor, cumprindo um papel social e ambiental. As hortas são instaladas em espaços onde, muitas vezes, havia um terreno baldio que acumulava lixo e proporcionava insegurança nas comunidades. As hortas escolares funcionam nas escolas municipais e cumprem também um papel importante na educação de crianças e jovens. 

O plantio inclui hortaliças, verduras, frutas e ervas. São comuns a alface, cebolinha, coentro, pimenta, tomate, couve, cenoura, manjericão, hortelã e orégano. Também podem ser encontradas plantas medicinais como erva-cidreira, aroeira, boldo e capim-santo, entre outros. As hortas tornaram-se espaços ecológicos de socialização, dando sentido à vida de muitas pessoas que antes conviviam com a depressão. Além disso, esses ambientes têm fornecido alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos à população.

Implantação – O pedido de implantação de hortas comunitárias pode ser feito pelo telefone (71) 3611-3802. Para auxiliar os cidadãos a implementar e cuidar da horta, foi criado o Guia para Implantação e Gestão de Hortas Urbanas e Escolares, lançado em 2018. O manual reúne dicas técnicas e orientações para planejar e manter esses espaços. 

A cartilha ensina como cultivar 46 vegetais, entre hortaliças e frutas, e aponta a época ideal para plantar cada um deles em Salvador. O material pode ser baixado gratuitamente através do site sustentabilidade. salvador. ba. gov. br .  

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A primeira hora comunitária de Ilha de Maré será entregue pela Prefeitura, através da Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), nesta quarta-feira (13), às 14h. O espaço dedicado ao cultivo de frutas, legumes e hortaliças funcionará na Escola Municipal de Ilha de Maré, localizada na Rua da Caeira, s/n, Praia Grande, e receberá os cuidados de alunos e professores da instituição.

Até o final deste ano, o projeto Hortas Urbanas, Escolares e Pomares da Secis pretende implantar mais dez hortas, totalizando 53 equipamentos espalhados pela cidade e ilhas. Atualmente, já são 43, sendo 15 escolares e 28 urbanas – duas dessas acessíveis para deficientes, idosos e crianças, situadas no Imbuí e Jardim das Margaridas.

Transformação – Desde 2016, o projeto vem reforçar a necessidade e importância da participação da população para a construção de uma cidade melhor, cumprindo um papel social e ambiental. As hortas são instaladas em espaços onde, muitas vezes, havia um terreno baldio que acumulava lixo e proporcionava insegurança nas comunidades. As hortas escolares funcionam nas escolas municipais e cumprem também um papel importante na educação de crianças e jovens.

O plantio inclui hortaliças, verduras, frutas e ervas. São comuns a alface, cebolinha, coentro, pimenta, tomate, couve, cenoura, manjericão, hortelã e orégano. Também podem ser encontradas plantas medicinais como erva-cidreira, aroeira, boldo e capim-santo, entre outros. As hortas tornaram-se espaços ecológicos de socialização, dando sentido à vida de muitas pessoas que antes conviviam com a depressão. Além disso, esses ambientes têm fornecido alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos à população.

Guia – Para auxiliar os cidadãos a implementar e cuidar de uma horta, foi criado o Guia para Implantação e Gestão de Hortas Urbanas e Escolares, lançado em 2018. O manual reúne dicas técnicas e orientações para planejar, manter e ser bem-sucedido na criação desses espaços. A cartilha ainda ensina como cultivar 46 vegetais, entre hortaliças e frutas, e aponta a época ideal para plantar cada um deles em Salvador. O material pode ser baixado gratuitamente através do site sustentabilidade. salvador. ba. gov. br .

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Escola Municipal Nova do Bairro da Paz teve uma noite de quarta-feira (6) diferente: um desfile para toda comunidade escolar com camisas trabalhadas em diversas técnicas (batique, tie dye, serigrafia, stencil, positivo/negativo, entre outras), com o objetivo de promover o entretenimento através do empreendedorismo. O trabalho foi desenvolvido com os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA - TAP 5), sob a orientação do professor de artes visuais Alessandro Moreira, ao longo da terceira unidade.

A atividade buscou focar na arte, dialogando com o contexto social vigente, permitindo que o pensamento e o conhecimento ampliem o aprendizado com significado e organização estética visual. Moreira contou que cada aluno fez a própria camiseta, estimulando em todos o processo criativo. “Todos se viram motivados a alcançar resultados significativos, agregando valores às peças”, pontuou.

No total, cerca de 150 alunos da EJA participaram da atividade e, na passarela, 29 estudantes desfilaram as peças por eles produzidas. De acordo com o professor, uma das preocupações centrais no processo de construção foi mostrar a fusão entre o folclórico e a arte urbana predominante na comunidade. “Foi possível sentir a essência do folclore regional misturada às técnicas modernas e que permitiu, pela proposta, o direito de falar por meio das potencialidades”.

Após o evento, cada aluno ficou com a própria peça e todos se mostraram animados diante da possibilidade de empreender através de produções em pequena escala, como forma de obter retorno financeiro. “Eles foram orientados a se inscrever em feiras, participar de eventos e foram encorajados, através de rodas de conversas e trocas de experiências, a voarem cada vez mais alto”, finalizou o docente.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Os estudantes que forem participar do segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (10), vão contar novamente coma operação  especial de transporte montado pela Prefeitura para facilitar a mobilidade e garantir a tranquilidade dos participantes. A operação vai acontecer das 8h às 18h.

A Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) vai reforçar a frota de 79 linhas, que vão operar com 490 veículos, o que representa um acréscimo de 55% em relação aos domingos normais. As outras linhas mantêm o funcionamento normal na cidade.

Os ônibus atendem aos principais corredores das regiões da Orla, Miolo e Subúrbio. Além destes ônibus extras, a Semob terá o reforço de nove veículos reguladores nas estações Acesso Norte, Pirajá e Mussurunga. Esses veículos ficarão à disposição da fiscalização para apoio dos candidatos na saída das provas, entre as 16h e 23h.

É importante lembrar que os portões das instituições onde serão realizadas as provas abrem às 12h e fecham às 13h (horário de Brasília). Aos domingos, os usuários do transporte público contam com o benefício do Domingo é Meia, válido apenas para integração ônibus-ônibus.

 

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...