Saúde

0
0
0
s2sdefault

Os cerca de 16 mil moradores de Vila Canária e adjacências passam a ter atendimento médico mais próximo de casa, essencial neste momento de pandemia da Covid-19, com a Unidade de Saúde da Família do bairro (USF) construída pela Prefeitura. O equipamento foi entregue nesta quarta-feira (3) pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do vice Bruno Reis e do secretário municipal da Saúde, Leo Prates.

Localizado na Rua Coronel Sá, s/n, a unidade é fruto de uma antiga reivindicação da comunidade local. Com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, a estrutura tem capacidade para atender cerca de 650 pessoas por dia, através da atuação de quatro equipes de saúde da família e quatro para atendimentos odontológicos. 

O prefeito ressaltou que a USF Vila Canária é mais um exemplo do esforço da gestão municipal em expandir a atenção básica de saúde na cidade. Por exemplo, somente o Distrito Sanitário de Pau da Lima, no início de 2013, o índice era de apenas 8,5% de cobertura. Em 2020, saltou para mais de 62% e, até o fim deste ano, chegará a 74,4% com a entrega de mais duas USFs: Gal Costa e São Marcos II.

"Quanto mais a cidade investe na atenção básica, menos ela vai precisar investir em urgência e emergência. Nesse período de pandemia, mais do que nunca, a palavra prevenção terá força na área de saúde para preservar vidas", disse ACM Neto.

O secretário Leo Prates avaliou que a área da atenção básica é a mais importante de todas as etapas do Sistema Único de Saúde (SUS). "É ela quem cuida das doenças na fase inicial, na prevenção. É uma área que consideramos tão importante que estão sendo feitos esforços para entregar unidades de saúde como está, a nona somente neste período de pandemia", destacou. 

Estrutura - A estrutura física da USF Vila Canária possui salas de consulta médica, de coleta e de vacina, além de recepção e área administrativa. Dentre os serviços complementares disponíveis estão curativos, nebulização, preventivo, realização de visita domiciliar, marcações, entrega de medicamentos e confecção da segunda via do Cartão do SUS.

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura iniciou neste sábado (16) o fortalecimento das unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o enfrentamento ao coronavírus. Mais 10 ambulâncias, que começam a operar imediatamente, totalizando agora 51 na cidade, foram entregues pelo prefeito ACM Neto, em evento na base do Samu localizada na orla da Pituba, ao lado da Arena Aquática de Salvador. 

Com isso, o serviço, um dos mais bem avaliados pela população da cidade e que se tornou exemplo para o Brasil inteiro pela qualidade do atendimento, sendo ainda referência para 10 municípios da Região Metropolitana de Salvador (RMS), ganha mais dez novas equipes aprovadas em concurso e já convocadas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). 

ACM Neto aproveitou a solenidade para anunciar que outras dez equipes serão contratadas pela SMS nesse momento de pandemia. O processo de contratação, via Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), já foi autorizado. Hoje, o Samu possui 41 equipes, compostas por condutores, enfermeiros e médicos. Com as novidades entregues e anunciadas hoje, esse número vai subir para 61.

"Estamos também, no dia de hoje, autorizando a Secretaria de Saúde a contratar uma organização social para reforçar esse serviço do Samu ainda mais. Até porque já chegamos à capacidade máxima de operação direta por parte da Prefeitura, inclusive pela quantidade de ambulâncias. Como não temos condições de prever se o quadro da pandemia vai exigir mais equipes, decidimos nos antecipar e partir para a contratação dessa organização", revelou ACM Neto.

O prefeito, que participou do evento ao lado do vice Bruno Reis e do titular da SMS, Leo Prates, além de profissionais do Samu e imprensa, homenageou todos que trabalham no serviço de urgência. "Todos os dias, essas pessoas que estão no Samu correm riscos, se expõem demais, estão na linha de frente. Quem precisa do serviço e tem o coronavírus, por exemplo, geralmente está em estado grave. Com essa doença, a demanda aumentou bastante, pois o Samu continua sendo chamado, e cumprindo sua função, pelos mais diversos motivos", lembrou.

Transferências - Como destacou o secretário Leo Prates, o fortalecimento do Samu é fundamental para otimizar o tempo de deslocamento para as ocorrências habituais e relacionadas a regulação de pacientes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para os hospitais de referência.

"São pacientes que precisam de ambulâncias equipadas e profissionais qualificados para sobreviver. De tal modo que esse é um serviço importantíssimo e que precisava de fato ser ampliado nesse momento de pandemia, quando, a cada dia, os leitos dos hospitais recebem mais pacientes com a Covid-19 em estado grave", disse o secretário.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Dados atuais demonstram ocupação de 61% dos leitos de UTI para pacientes com Covid-19

O prefeito ACM Neto disse hoje (15) que, apesar dos esforços da Prefeitura, não está descartado um colapso no sistema de saúde público e até privado se a disseminação do novo coronavírus não for contida na cidade. Ele reforçou mais uma vez a necessidade da população seguir com o isolamento social. O prefeito também avaliou como positivas as medidas restritivas adotadas pelo município até aqui, inclusive aquelas regionalizadas por bairro, que foram mais duras. 

"O colapso no sistema de saúde pública de Salvador estava previsto, pelos estudos da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), para acontecer ontem (14), nos casos dos leitos clínicos para pacientes com a Covid-19, e, para as UTIs, no dia 20. Mas, graças à ampliação do suporte em saúde e às medidas de isolamento social, conseguimos derrubar a taxa de transmissão e o colapso não aconteceu. Até o dia 24, posso dizer que não há risco de saturação. Mas ele ainda existe", declarou o prefeito.

As declarações de ACM Neto foram dadas em coletiva virtual à imprensa, na tarde de hoje (15), na qual anunciou o começo de aulas pela internet para alunos da rede pública municipal - as escolas estão com atividades suspensas e sem previsão de retorno. Segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), 48% dos leitos clínicos e 61% dos de UTI dedicados a tratar pacientes com a Covid-19 estão ocupados hoje na capital baiana. Somente a Prefeitura já garantiu a criação de 176 novos leitos, entre clínicos e de UTI.

Decretos - ACM Neto afirmou ainda que na segunda-feira (18) dará uma posição sobre a prorrogação ou não dos decretos com medidas restritivas na cidade. Quase todos têm validade até este dia, inclusive os regionalizados, valendo apenas para Pituba, Plataforma, Boca do Rio e parte do Centro. 

"No caso das determinações por bairro, levamos em conta fatores como o crescimento na circulação de pessoas e também dos casos da doença. E não fizemos apenas restrições: adotamos também ações de proteção à vida, com distribuição de máscaras e cestas básicas, testes rápidos para a Covid-19, higienização, apoio a entidades sociais e várias outras. E conseguimos, os dados demonstram, reduzir o fluxo de pessoas nas ruas e, com isso, a circulação do vírus", ressaltou o prefeito. 

No caso da Pituba, por exemplo, a redução da circulação de veículos, que estava na faixa dos 30% do total de antes da pandemia, alcançou 41% após o início das novas medidas. A queda no fluxo de passageiros foi para 70%, contra 60% da semana passada, sempre em comparação ao período anterior à pandemia.



0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), detectou 27 casos positivos para coronavírus em testagens rápidas feitas hoje (13) nos bairros de Nazaré, Plataforma e Pituba, localidades onde estão em vigor medidas restritivas regionalizadas para ampliar o isolamento social, conter a disseminação da Covid-19 e proteger a vida das pessoas. Na Boca do Rio, outro bairro com medidas específicas, nenhum caso da doença foi detectado nesta quarta.

Em Nazaré, onde há restrição à circulação na Avenida Joana Angélica, foram realizados 75 testes, sendo 7 positivos. Em Plataforma, foram 80, com 11 casos confirmados. E na Pituba, localidade onde as novas medidas tiveram início hoje (13) - nas outras localidades, as determinações entraram em vigor na última segunda-feira (11) -, foram feitos 75 testes, com 9 confirmações para a Covid-19. 

Ontem, nos testes realizados na Boca do Rio, Plataforma e Nazaré, foram detectados 17 casos positivos para o novo coronavírus. Somados os três dias (anteontem, ontem e hoje), já foram confirmadas 51 pessoas infectadas em 830 testagens. "Esses números, que são preocupantes, demonstram que acertamos ao ampliar e regionalizar as medidas para conter o avanço da doença nas localidades onde a taxa de contaminação tem sido maior e o isolamento social menor. Isso demonstra que estamos agindo com base em dados técnicos e na linha correta", disse o prefeito ACM Neto.

“A cada pessoa identificada como positivo nessas ações de testagem rápida e encaminhada para isolamento, conseguimos evitar que pelo menos outros quatro indivíduos sejam infectados. Sendo assim, nosso objetivo com os testes em massa da população é repetir em Salvador a iniciativa bem sucedida em países que conseguiram identificar e isolar um grande número de infectados, impedindo assim um disseminação mais rápida do vírus”, acrescentou Leo Prates, titular da SMS. 

Tanto na Pituba quanto na Boca do Rio, Plataforma e região da Avenida Joana Angélica, a Prefeitura, além das ações restritivas ao comércio e à movimentação das pessoas, buscando ampliar o isolamento social, promove a distribuição de máscaras, realização de testes rápidos, medição de temperatura, entrega de cestas básicas para ambulantes e feirantes, higienização de ruas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, apoio a instituições de idosos, crianças e pessoas com deficiência e Cras Itinerante.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com objetivo de facilitar o acesso às doses da vacina contra a gripe na capital baiana, a Prefeitura expandiu na última segunda-feira (11) a oferta do imunobiológico para todas as 142 salas de imunização da rede municipal, além de cinco drives-thru (na Arena Fonte Nova; no 5º Centro de Saúde Clementino Fraga, nos Barris; nos dois campi da Faculdade Bahiana de Medicina, nos bairros do Cabula e Brotas; e no Atakadão Atakarejo de Fazenda Coutos), funcionando das 8h às 17h.

Apesar da ampliação dos pontos de vacinação, a procura pelas doses continua baixa, sobretudo entre gestantes, puérperas (mães no pós-parto até 45 dias) e crianças de seis meses a menores de seis anos, ou seja, até 5 anos 11 meses e 29 dias. 

“A adesão à estratégia tem sido baixa nos últimos dias, apesar dos esforços de ampliação dos pontos de vacinação. É importante que o público-alvo se dê conta da seriedade da situação epidemiológica no país e busque a imunização. Normalmente, o pico dos casos de gripe acontece a partir dos meses de junho e julho. Por esse motivo, é importante se vacinar agora para que, no período em que a incidência da doença é maior, as pessoas com maior vulnerabilidade estejam protegidas", explicou Doiane Lemos, subcoordenadora de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Desde o início da campanha de vacinação, em 23 de março, pouco mais de 470 mil pessoas foram imunizadas na capital. Entre o público eletivo com menor adesão à campanha estão as gestantes, com cerca 29% de cobertura, as puérperas, com 39%, e as crianças de seis meses a menores de seis anos, com apenas 2%. Idosos (115%) e trabalhadores da saúde (91%) tiveram meta de imunização alcançada na cidade.

Fazem parte ainda do público eletivo da vacinação contra gripe os portadores de doenças crônicas, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, portuários, motoristas e cobradores do transporte público, bem como pessoas com deficiência. Para ter acesso às doses, os portadores de doenças crônicas deverão apresentar a prescrição médica com o motivo da indicação, ou seja, a patologia que o paciente apresenta. As puérperas também devem comprovar a que realização do parto nos últimos 45 dias.

A partir da próxima segunda-feira (18), serão incorporados à estratégia professores das escolas públicas e privadas e os adultos de 55 a 59 anos de idade. A campanha seguirá até 5 de junho em Salvador. 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, celebrado nesta terça-feira (12), foi marcado em Salvador pela entrega do hospital de campanha para tratar pacientes com o novo coronavírus, localizado na área do antigo Wet’n Wild, na Avenida Luis Viana Filho (Paralela). Com investimento da Prefeitura de quase R$30,5 milhões, a estrutura foi entregue pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do vice-prefeito Bruno Reis e do secretário municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, corpo técnico e imprensa. Também esteve presente na ocasião o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins.

A unidade de alta complexidade possui duas tendas, sendo que uma delas, totalmente equipada, já atende pacientes com a Covid-19 a partir da tarde de hoje. No entanto, o atendimento não será de demanda aberta, ou seja, será feito apenas aos encaminhados pelo sistema de regulação. Nesta primeira fase, são oferecidas 50 vagas de UTI e outros 40 leitos clínicos – estes para casos de menor gravidade. O serviço é administrado pela Associação Saúde em Movimento (ASM), vencedora da licitação municipal.

O prefeito lembrou do desafio em construir uma unidade de alta complexidade desse porte em apenas 40 dias na cidade. “Quando os primeiros casos surgidos na China evoluíram para problemas no sistema de saúde local, e vendo as notícias de um hospital construído em poucos dias lá, com toda a estrutura de pessoal e dinheiro que aquele país possui, achava que algo assim aqui seria impossível. No entanto, tivemos que aproveitar a área de um antigo parque aquático, fazer todo o trabalho de adaptação, construção, contratação de equipes e instalação de equipamentos. Da ordem de serviço dada no dia 1º de abril para a entrega hoje, está sendo comprovado que o impossível é possível e se tornou realidade”, ressaltou ACM Neto.

Estrutura – O funcionamento do Hospital de Campanha será em esquema 24 horas e conta com quase 600 profissionais especializados. São 18 médicos intensivistas plantonistas, 35 médicos intensivistas diaristas, 28 médicos plantonistas e cinco diaristas, dois infectologistas, um cirurgião-geral, um pneumologista, um neurologista, um cardiologista, um nefrologista, um radiologista, 36 fisioterapeutas, 27 enfermeiros especializados em UTI, 12 enfermeiros especializados em internação, quatro bioquímicos, seis farmacêuticos, 13 nutricionistas, nove assistentes sociais, 135 técnicos de enfermagem especializados em UTI, 27 técnicos de enfermagem especializados em internação, 13 técnicos de laboratório e 14 técnicos de radiologia, dentre outros colaboradores.

A unidade também possui uma câmara fria com capacidade para 28 corpos e um outro equipamento semelhante será instalado no local, para 42 corpos. O protocolo adotado atualmente é de que pessoas que venham a falecer com Covid-19 até as 14h sejam sepultadas no mesmo dia e, após este horário, somente no dia seguinte. “Sabemos que muitas pessoas falecem em casa e, caso aconteça após às 14h, os corpos serão trazidos para cá”, afirmou o prefeito.  

Ampliação – Na ocasião, o prefeito também autorizou o início da instalação da segunda tenda, projetada para receber mais 100 leitos clínicos. No entanto, se houver necessidade, parte desse montante pode ser convertida em leitos de UTI para atender aos casos mais graves.

Atualmente, o tempo médio de ocupação de leitos nas unidades públicas de saúde de Salvador é de 14 dias para UTI e sete dias para clínicos. Antes da entrega do Hospital de Campanha, a taxa de ocupação total dos leitos públicos é de 45% para clínicos e de 73% para UTI. “A previsão era de colapso de leitos a partir do dia 14. No entanto, todo o esforço na oferta de novos leitos e de mais medidas de restrição chegaram à redução da taxa de transmissão para 7%, taxa essa que já chegou a 10%. Então, esse colapso não vai acontecer agora”, revelou ACM Neto.

Alerta – O prefeito ainda fez questão de alertar que não é hora de relaxamento do isolamento social, já que o momento mais crítico da pandemia na capital baiana está previsto para o período de 20 de maio a 20 de junho. Sobre as medidas mais restritivas aplicadas pela Prefeitura na Avenida Joana Angélica, Boca do Rio e Plataforma, iniciada ontem (11), uma situação chamou a atenção para a necessidade da iniciativa.

“Em Plataforma, por exemplo, 25% das pessoas que fizeram o teste rápido foram positivadas para o novo coronavírus. Hoje, o bairro já ultrapassou a Pituba em número de casos confirmados e foi o que mais registrou mortes em maio”, disse o chefe do Executivo municipal.  
Homenagem – Os profissionais de Enfermagem, especialmente os que atuam na rede municipal, também foram lembrados no dia dedicado à atividade, durante a inauguração do Hospital de Campanha. “São os funcionários que estão nas Unidades Básicas de Saúde, pronto-atendimentos, Upas, no Hospital Municipal, nas recentes unidades especializadas para atender aos casos de coronavírus. Assim como outros profissionais, os enfermeiros estão na linha de frente , portanto, correm risco e estão diariamente testando os limites da sua capacidade profissional. Fica aqui a nossa homenagem a todos eles, pois não há equipe de saúde consistida sem o enfermeiro”, declarou ACM Neto.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A partir desta terça-feira (5), Salvador já passa a contar com mais 47 leitos de UTI destinados a pacientes graves com Covid-19. Instalado pela Prefeitura, o Hospital de Emergência para Tratamento contra o Coronavírus, localizado na Alameda das Espatódeas, no Caminho das Árvores, foi entregue pela manhã em cerimônia que reuniu o prefeito ACM Neto, o vice Bruno Reis e o titular da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, além de corpo técnico e imprensa.

O prefeito lembrou que este hospital foi objeto de uma requisição administrativa realizada pelo município logo no início da pandemia. “Uma das primeiras preocupações quando percebemos a amplitude que o coronavírus teria no Brasil foi determinar a equipe de saúde que mobilizasse todo o esforço possível no sentido de ampliar a quantidade de leitos clínicos e os de terapia intensiva disponíveis na cidade. A ampliação da rede de assistência à saúde é decisiva para que possamos salvar vidas, principalmente de pessoas em estado grave vítimas da Covid-19”, afirmou ACM Neto.

Com investimento de quase R$19 milhões, a unidade, onde antes funcionava um hospital dia, possui três pavimentos e foi requisitado pela Prefeitura ao Itaigara Memorial no início de abril. A estrutura terá funcionamento 24 horas por dia e já começa a receber pacientes na tarde de hoje. Nesta primeira etapa, 17 leitos situados no andar térreo estão liberados para aqueles encaminhados pelo Sistema de Regulação.

Até a segunda-feira (11), os outros 30 leitos, localizados no primeiro andar, também serão liberados para uso. Todos os leitos são isolados e equipados com ventiladores pulmonares, monitores multiparamétricos e eletrocardiográficos, radiologia clínica e gases medicinais para atendimento adequado aos casos graves. Dos 47 respiradores, 15 foram fruto de doação da Rede D’Or, que administra o Hospital São Rafael. Já o segundo andar é dedicado a serviços administrativos.

O Hospital de Emergência é administrado pela S3 Gestão em Saúde, vencedora da licitação municipal. A estrutura terá 336 profissionais de saúde, sendo cinco médicos intensivistas plantonistas, cinco médicos intensivistas diaristas, um infectologista, um pneumologista, 28 fisioterapeutas, 28 enfermeiros especializados em UTI, quatro bioquímicos, quatro farmacêuticos, seis assistentes sociais, 135 técnicos de enfermagem e quatro técnicos de laboratório, além do corpo administrativo.

Esforço – O prefeito salientou que a administração municipal vai continuar mobilizando o máximo do esforço para ofertar novas vagas clínicas e de UTI para tratamento de pacientes com coronavírus na capital baiana. Na próxima semana, por exemplo, deverá ser iniciado o funcionamento do Hospital de Campanha, localizado na área do antigo Wet’n Wild, na Avenida Paralela. A estrutura terá, inicialmente, uma tenda com 40 leitos clínicos e 50 de UTI, e uma segunda tenda já está sendo construída para, caso necessário, oferecer mais 80 leitos clínicos e de UTI.

Já estão sendo utilizados os 39 leitos de UTI, frutos de contrato da Prefeitura com os hospitais Português, Santa Izabel e Martagão Gesteira, além da ampliação no Hospital Municipal de Salvador. Foi feita a requisição administrativa do Hospital Sagrada Família, que está em fase de preparação e será gerido pelas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) – o local terá dez leitos de UTI e dezenas de leitos clínicos.

Está em fase avançada a formalização da requisição administrativa do Hospital Salvador, com dez leitos de UTI, e do COT Canela, também com dez vagas de UTI. Neste último caso, está sendo feito processo de seleção de nova organização social que deverá administrar esses leitos e possibilitar, ainda, mais 40 vagas de terapia intensiva.

A Prefeitura também está avançando na parceria com o Hospital ProHope, que deverá receber neste fim de semana internamentos clínicos de Covid-19 e a intenção é implantar no local dez leitos de UTI. Além disso, prossegue a mobilização para aquisição de respiradores, inclusive com processo de chamamento público lançado para credenciamento de fornecedores do equipamento.

Em seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), estão sendo preparados os “gripários”, estruturas de atendimento instaladas em área anexa para atendimento dos casos menos complexos. A intenção é liberar espaço dentro das UPAs para recebimento de pacientes com o novo coronavírus.

Colapso – O prefeito alertou que, mesmo com todo esse esforço na entrega de novos leitos e unidades, a cidade corre um sério risco de, ainda neste mês de maio, sofrer colapso no sistema de saúde. “O único caminho possível para evitar esse cenário é o de as pessoas continuarem respeitando as medidas de restrição de mobilidade, apesar do decorrer do tempo e da impaciência que isso provoca, e terem a consciência de que o pior ainda está por vir”, disse ACM Neto. Ele ainda solicitou a colaboração dos prefeitos de cidades do interior para continuarem com as medidas de prevenção nas localidades, já que muitos pacientes acabem vindo buscar atendimento em Salvador, aumentando ainda mais a pressão no sistema de saúde da capital.

O secretário Leo Prates avaliou que Salvador ainda consegue dar atendimento aos pacientes do coronavírus, mas o quadro atual é grave. Por exemplo, a curva diária de crescimento de casos é de 7,5%, sendo que o ideal é baixar, pelo menos, para 6%.  “As pessoas precisam entender que, nas nossas perspectivas e na dos epidemiologistas, entraremos em colapso já na semana que vem. Ou seja, não haverá leito de UTI para atender mais ninguém, nem no setor público e nem no privado. Podemos evitar o mal maior no sentido de que, se puder, fique em casa, e se não puder, use máscara”, completou.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Previsão da Prefeitura é abrir estrutura ainda essa semana, garantindo mais 50 leitos de UTI

As ações municipais para ampliar o suporte a pacientes vítimas do coronavírus em Salvador não param. Após anunciar a implantação de 39 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), finaliza os preparativos para a abertura do hospital de campanha que é montado no Wet'n Wild, que terá, na primeira fase, 50 vagas de UTI e 40 de enfermaria.

Além disso, serão entregues até a semana que vem mais 47 novos leitos no Itaigara Memorial, no Caminho das Árvores, unidade de saúde privada requisitada pelo município para enfrentar a pandemia. Até a primeira quinzena de maio, serão 163 novos leitos de UTI e de enfermaria, incluindo os 39 já disponíveis em quatro hospitais da capital baiana.

No Wet'n Wild, na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), o Hospital de Campanha I (HCAMP I) já está praticamente pronto e vai oferecer 90 leitos, distribuídos entre a UTI e enfermaria. Neste momento, está em fase de finalização as instalações de rede elétrica, gás, refrigeração e câmara frigorífica.

A estrutura terá 600 profissionais, incluindo médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas e equipe administrativa e de serviços gerais. No mesmo local, está sendo montado o HCAMP II, que terá, numa segunda fase, a mesma quantidade de leitos e será utilizado, caso haja evolução dos casos de Covid-19 no próximo mês.

O coordenador de urgências do município de Salvador, Ivan Paiva, explica que a Prefeitura tem trabalhado de forma incansável para montar a estrutura necessária para atender os pacientes acometidos pela Covid-19, principalmente os casos mais graves da doença. “Estamos em ritmo bem acelerado, pois a Prefeitura tem trabalhado com planejamento para impedir a aceleração da doença na cidade”, afirma.

A evolução da doença em outros países tem mostrado que grande parte dos pacientes graves precisam de internamento e, consequentemente, de ventilação mecânica, ou seja, necessitam do uso de respiradores. Paiva assinala que a mortalidade pode ser reduzida, se as cidades conseguirem montar estruturas de hospitais para tratar a doença. “O caminho é o que estamos seguindo, ampliando esses leitos com assistência ventilatória”, frisa o médico.

Entregas – Os 39 novos leitos de UTI contra o novo coronavírus ofertados, no início da semana passada, estão distribuídos da seguinte forma: dez no Hospital Municipal de Salvador (HMS), cinco no Hospital Português (HP), 14 no Hospital Santa Izabel (14) e dez pediátricos no Hospital Martagão Gesteira (HMG).

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A modificação da rotina devido à necessidade do isolamento social para amenizar os efeitos do coronavírus pode causar nas pessoas ansiedade, tristeza e até mesmo depressão. Com o intuito de oferecer apoio psicológico online e gratuito para a população, a Prefeitura lançou a plataforma online Psiu Acolhimento, com detalhes apresentados pelo prefeito ACM Neto em coletiva virtual realizada nesta segunda-feira (27), no Palácio Thomé de Souza.

A ferramenta foi desenvolvida através das secretarias de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis) e de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), em parceria com as startups Cubos Tecnologia e Sanar. O objetivo é conectar psicólogos voluntários aos cidadãos que estão em distanciamento social, através do endereço www. psiuacolhimento. com. br . Até o momento, cerca de 200 profissionais estão cadastrados no serviço.

O prefeito salientou que os efeitos provocados por essa fase de enfrentamento ao coronavírus, que envolve restrição à mobilidade e isolamento social, são muito grandes para os cidadãos. “Atinge todas as ordens, seja econômica, social, de convivência familiar e, é claro, os impactos psicológicos são muito sérios durante esse período. Infelizmente, as consequências não vão cessar nem mesmo quando a pandemia estiver mais controlada. Por isso, surgiu essa ideia da plataforma online de apoio psicológico”, acentuou ACM Neto.

“É um momento difícil que a humanidade está atravessando por causa da pandemia da Covid-19. E sabemos que os efeitos negativos disso são refletidos de várias formas na sociedade, principalmente no psicológico das pessoas. Por isso, o objetivo dessa plataforma é dar apoio psicológico profissional a quem está em isolamento e se sentindo triste, ansioso ou que apenas precisa ser ouvido”, enfatizou o titular da Secis, João Resch.

Funcionamento – Quem necessitar do acolhimento vai precisar realizar um breve cadastro para acessar a lista de profissionais disponíveis. Apenas maiores de 18 anos poderão ser atendidos e o serviço funciona 24 horas por dia, de acordo com a disponibilidade do voluntário. Os acolhimentos serão todos realizados por videochamada e terão em média 20 minutos de duração. Todos os psicólogos cadastrados possuem registro no Conselho Regional de Psicólogos (CRP).

"Criamos a plataforma com o objetivo de ser simples e intuitiva, mas não deixamos de nos preocupar com a privacidade e com a segurança dos dados. Esperamos ajudar milhares de pessoas com essa solução e com o apoio da comunidade de psicólogos que está sendo muito solidária e consciente neste momento”, relatou o CEO da Cubos Tecnologia, José Messias Júnior.

Para a secretária da Sempre, Ana Paula Matos, a Psiu Acolhimento é de fundamental importância nesse momento de enfrentamento à Covid-19. “Ela acolhe e aproxima, mesmo que virtualmente. Muitas vezes, uma palavra de apoio, um incentivo, um cuidado são determinantes para a manutenção da saúde física e mental num momento de crise como a que estamos passando.”

Mesmo residindo em Foz do Iguaçu, no Paraná, a psicóloga baiana Cíntia Mota fez questão de participar da iniciativa. “É um momento de conexão com a minha terra natal e tô achando ótima essa oportunidade de poder ajudar, mesmo à distância. Parabenizo a todos por essa iniciativa”, disse, durante a apresentação.

Capacitação – A Sanar, startup baiana de educação para profissionais da Saúde, também parceira no projeto, elaborou um curso especial para capacitação gratuita de todos os psicólogos que se cadastrarem na Psiu. "Para realizarem os acolhimentos online, precisam estar preparados. A quarentena mudou a forma do psicólogo atuar e nem todos estávamos preparados para esse novo modelo", destacou Ana Vanessa Neves, coordenadora pedagógica de Psicologia da Sanar.

As aulas abordam assuntos como boas práticas do acolhimento à distância, psicoterapia breve, acolhimento frente ao luto e outras dificuldades trazidas pela pandemia, além de outros temas elaborados pela empresa em parceria com o Instituto Humanitas de Pesquisa e Intervenção em Sistemas Humanos. O curso é fornecido 100% online em plataforma própria da Sanar e será disponibilizado nas próximas semanas para todos os psicólogos cadastrados na Psiu.

 

 

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...