Saúde

0
0
0
s2sdefault

 

Afastamentos pelo INSS, aposentadorias por invalidez e ações judiciais com pedido de indenização por danos morais têm chamado a atenção do Ministério Público do Trabalho (MPT) para o alto índice de adoecimento no setor bancário. O assunto será tema de audiência pública nessa sexta-feira (27), das 8h30 às 17h, na sede do órgão, no Corredor da Vitória, com presença do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Salvador (Cerest), vinculado à Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

Na ocasião, será lançada a publicação “Retrato do Adoecimento no Setor Bancário na Bahia”. O relatório envolveu técnicos e pesquisadores de nove órgãos, inclusive do Cerest, e traça um panorama do problema. “Cerca de 94% dos pacientes admitidos no ambulatório do Cerest são bancários. Eles chegam para investigação de nexo causal, ou seja, a relação da doença com o trabalho. Por isso, é importante debater o tema com órgãos e sociedade civil, criando estratégias para diminuição dessa estatística tão alarmante”, pontuou Tiza Mendes, gerente do serviço municipal.

Dados – Ações de violência, como assaltos e explosões de caixas eletrônicos, e o alto nível de exigência das instituições em relação a resultados por parte dos trabalhadores, como o estabelecimento de metas elevadas de produção, são apontados como os principais fatores para o grande número de afastamentos e aposentadorias. Denúncias de assédio moral e ações judiciais também contribuem para o surgimento do problema.

De 2012 a 2014, por exemplo, o MPT recebeu 65 denúncias de assédio moral no setor. O número de ações individuais na Justiça do Trabalho contra bancos também vem crescendo fortemente, saltando de 2,3% do total das ações em 2009 para 4,6% em 2016. Outro dado alarmante é o crescimento ano a ano da concessão de benefícios pelo INSS a bancários, seja por acidentes de trabalho ou por adoecimento, que saltaram de pouco mais de 100 em 2010 para quase 900 em 2015.

O estudo também está sendo distribuído para unidades do MPT em todo o país, como forma de estimular a atuação do órgão em outros estados. Na Bahia, um projeto de atuação deverá dar seguimento a este esforço através de inquéritos individualizados, que poderão ser convertidos em termos de ajuste de conduta ou ações civis públicas.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Pessoas com deficiência passam a contar, a partir desta terça-feira (24), com mais um importante instrumento na garantia dos próprios direitos de inserção na sociedade. A nova sede do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência (Comped), que abriga também a Unidade para Pessoas com Deficiência do município (UPCD), vai contribuir para corrigir a baixa empregabilidade desse público na capital baiana, no intuito de tornar Salvador uma referência nacional na inserção do segmento no mercado de trabalho.

A cerimônia de inauguração foi realizada pela manhã e contou com as participações do prefeito ACM Neto e do vice, Bruno Reis, acompanhados do chefe de Gabinete do Prefeito, João Roma, da coordenadora da UPCD, Risalva Teles, presidentes de associações para pessoas com deficiência, gestores municipais e convidados. Vinculada diretamente ao Gabinete do Prefeito, a UPCD fica localizada na Rua Engenheiro Lima e Silva, Edifício Fernando José, 399, na Avenida Joana Angélica, mesmo prédio em que hoje fica o Instituto de Previdência do Salvador (IPS/Previs).

De acordo com o prefeito, a UPCD representa o resgate do compromisso e de uma dívida histórica com esta parcela da população. “Este espaço vai servir para acolher tanto o conselho municipal como, também, o conjunto de ações em atenção a este público. É necessário pregar mais ações concretas de inclusão de pessoas com deficiência, considerando um país cheio de desigualdades como o nosso. A marca desta gestão tem sido justamente essa: ouvir a voz das pessoas”, completou ACM Neto.

Funcionamento - A UPCD contribuirá tanto na formação de pessoal qualificado para lidar com os diversos tipos de deficiência, sejam elas motora, visual, auditiva e intelectual, como na oferta de cursos profissionalizantes. Hoje, cerca de 4% das 320 vagas oferecidas em 2017 para pessoas com deficiência, através do Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-Obra (Simm), foram preenchidas de forma definitiva ao longo do ano. Dentre os motivos apontados para este déficit no mercado de trabalho consta a falta de qualificação para determinada área ou, de forma oposta, à oferta de colocações aquém da formação apresentada pelo candidato que se apresenta à vaga. Atualmente, o órgão, localizado no bairro do Comércio, conta com aproximadamente 240 vagas para PCDs.

A presidente da UPCD, Risalva Telles, destacou que parcerias com entidades do setor privado também deverão ser realizadas para facilitar o ingresso das pessoas com deficiência ao mercado de trabalho. “Inclusive, já estamos elaborando, em conjunto com o Ministério do Trabalho, um projeto para garantir que os concluintes dos cursos realizados aqui tenham garantidas uma vaga de emprego”, revelou.

O prédio que agora abriga a UPCD foi totalmente requalificado, recebendo modernos elementos de acessibilidade, conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Elaborada a partir de recursos públicos e privados, a unidade contou com a doação de equipamentos eletrônicos por meio do Ministério Público e do Rotary Club da Bahia. A iniciativa deu vida à implantação da sala de informática para pessoas com deficiência visual. Nas demais alas do prédio, estão dispostas as diretorias, administração, sala de musicoterapia, salão multiuso e sala de cinema.

Conselho – Na ocasião, também foram empossados os 18 novos membros do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência (Comped). Destes, nove são oriundos da gestão pública, enquanto a outra metade é composta por representantes das entidades de apoio às pessoas com deficiência, como a Associação Baiana dos Deficientes Físicos (Abadef), o Ser Down, Associação Baiana de Síndrome de Down e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).

O presidente do Comped, Antônio Carlos Barbosa, fez um desafio. “Precisamos trabalhar bastante para que Salvador se torne referência no país nas políticas para as pessoas com deficiência, nos próximos dois anos. Hoje, 90% deste público ainda não é visto pela sociedade. Todos devem ter direito a emprego, educação, cultura e lazer, e precisamos garantir isso”, pontuou.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) promoverá, entre os dias 23 e 27 de outubro, a VII Semana de Mobilização sobre a Doença Falciforme. O evento, realizado através do Programa de Atenção às Pessoas com Doença Falciforme (PAPDF), contará com palestras ministradas por profissionais de saúde, diálogos com os pacientes, além de coleta para eletroforese de hemoglobina, exame que diagnostica a doença, indicado para pessoas que não realizaram o teste do pezinho.

"Durante toda semana, as unidades básicas de saúde e os ambulatórios de referência intensificarão ações educativas e de divulgação sobre a rede de saúde disponível, exame diagnóstico e características da doença, além da coleta da eletroforese de hemoglobina nos postos do município. As ações são intensificadas nesse período para que a população tenha acesso a mais informações sobre a doença", explica Mariana Maracajá, do Campo Temático da Doença Falciforme no município.

Mais atividades - A Semana de Mobilização acontece também em articulação com a Secretaria Municipal de Educação (Smed). Serão realizadas duas atividades voltadas para o tema: A Escola e o Cuidado às Pessoas com Doença Falciforme. A primeira ocorrerá no dia 26, no auditório da Faculdade Unijorge (Campus Comércio), com a apresentação da Tese de Dissertação de Isabel Castro, coordenadora do Centro de Educação e Apoio Social do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da UFMG, com o tema “Avaliação de Sistemas Cognitivos na Anemia Falciforme: estudo comparativo de crianças e adolescentes com e sem infartos cerebrais silenciosos”.

No dia 27, o evento acontece na Câmara Municipal de Salvador, a partir das 8h, onde o papel da educação e da escola no cuidado às crianças e adolescentes com doença falciforme será reafirmado. As atividades são voltadas para os profissionais da saúde e da educação, usuários e familiares. Em parceria com Associação Baiana das Pessoas com Doença Falciforme (ABADFAL), a SMS participará ainda da II Semana da Doença Falciforme, no período de 24 a 28 de outubro, no Shopping Center Lapa, para orientar a população sobre o agravo.

A doença - A Doença Falciforme acomete principalmente a população afrodescendente. Estima-se que, por ano, 3,5 mil crianças nasçam com o problema no Brasil. Em Salvador, a proporção é de 1 caso para cada 650 nascidos vivos. Os principais sintomas da Doença Falciforme são a anemia crônica, icterícia (cor amarelada na parte branca dos olhos), mãos e pés inchados e com muita dor nos punhos e tornozelos (frequente até os dois anos de idade), além de crises de dores em músculos, ossos e articulações.

Serviço - Em Salvador, os portadores contam com dois Ambulatórios Especializados em Doença Falciforme do Brasil, no Multicentro Vale das Pedrinhas e no CAE Centro - Carlos Gomes, onde os usuários recebem atendimento ambulatorial completo através de uma equipe multiprofissional composta por hematologistas pediátrico e adulto, enfermeira, nutricionista, assistente social, psicólogo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura iniciou, nesta segunda-feira (23), a Semana de Mobilização para Combate ao Aedes aegypti. O evento acontece até a sexta-feira (27), com dinâmicas educativas, panfletagem e visitas de agentes comunitários de saúde. Dentre as ações, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão vinculado à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), retoma os “faxinaços” por toda a cidade, com o objetivo de eliminar focos e criadouros do Aedes aegypti, durante o verão, estação que favorece a multiplicação do mosquito.

Os mutirões de limpeza acontecem a partir desta quarta-feira (25), nas ruas Osvaldo Cruz, em Castelo Branco, e Artêmio Castro Valente, no bairro de Canabrava, das 8h às 15h. “Salvador é um lugar quente e o mosquito precisa de água e calor. O inverno esse ano foi rigoroso com as chuvas, e agora o verão está chegando – essa combinação se torna perfeita para o desenvolvimento do Aedes e o número de arboviroses aumenta. Por isso, durante toda a estação, os nossos agentes de endemia vão atuar em diversos bairros da capital”, afirma a subgerente das Arboviroses do CCZ, Isolina Miguez.

Durante a mobilização, em parceria com a Limpurb, serão promovidas visitas casa a casa, além de trabalhos de manejo ambiental, limpeza, remoção e descarte de lixo ou quaisquer outros materiais que possam se tornar criadouros, palitação de material reciclável, vistoria de depósitos elevados (como caixas d'água e calhas) e distribuição de material educativo. As equipes de trabalho também visitarão imóveis fechados e abandonados. Os moradores das localidades trabalhadas devem colaborar com a iniciativa, descartando entulhos e materiais inservíveis que podem ser colocados em frente às suas casas para recolhimento.

Dados – A capital baiana apresenta, em 2017, uma taxa de 3,1% de infestação predial (LIRAa). De janeiro a setembro deste ano, têm apresentado uma queda acentuada no número de casos confirmados de dengue, zika vírus e chikungunya em Salvador. Os dados apontam para a eficácia das estratégias aplicadas pelo município no controle da infestação pelo mosquito Aedes aegypti – que também é responsável pela transmissão do vírus da febre amarela, embora até agora só haja registros em micos e macacos – nos 12 distritos sanitários da capital baiana.

Entre janeiro e setembro deste ano, 515 casos de dengue foram confirmados. O número é 54% menor que o mesmo período de 2016, quando 944 pessoas tiveram diagnóstico positivo. Em relação à chikungunya, houve uma baixa de 57%, com 91 infectados até setembro contra 158 no mesmo período do ano passado. A zika, por sua vez, teve uma redução de 77 para 36 ocorrências, contabilizando uma diminuição de 47%.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação, celebrado em 16 de outubro, a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) iniciou o Projeto CRAS Cidadão Saudável. As atividades foram realizadas nesta semana, no Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Mata Escura. O projeto tem como objetivo oferecer ações educacionais de prevenção e controle de obesidade para famílias assistidas pelos Centros.

As nutricionistas ofertam serviço gratuito de diagnóstico e educação nutricional, orientação sobre prática de ações culinárias saudáveis e aproveitamento integral dos alimentos, entre outros, mesclando informações e aulas práticas. O projeto é uma realização da Semps, através da Diretoria de Proteção Social Básica (DPSB) e da Coordenadoria de Segurança alimentar e Nutricional (COSAN). As ações serão realizadas uma vez por semana, totalizando quatro edições em cada CRAS.

Deise das Neves já se considera uma “moradora” do CRAS. Ela é usuária dos serviços socioassistenciais da unidade, e compareceu hoje só para participar da iniciativa. “O projeto é ótimo, aprendi muitas coisas, minha alimentação não estava adequada. Voltarei nos próximos dias e vou seguir as orientações. Também vou trazer minha irmã que está precisando receber as orientações e avisar a toda família”, afirmou.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Até o próximo dia 10, uma unidade móvel do Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Gestão Pública (INTS) realizará mamografias gratuitas para mulheres, no estacionamento da Prefeitura-Bairro Itapuã, localizada na Av. Dorival Caymmi. Denominada de Vida + Rosa, a ação ocorrerá de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. Serão feitas mamografias para mulheres a partir dos 35 anos, e o atendimento ocorrerá por ordem de chegada. As interessadas deverão levar RG, CPF e comprovante de endereço.

Outra unidade administrativa que sediará ações de conscientização, prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama é a Prefeitura-Bairro Cajazeiras, situada na Estrada da Paciência. Nesta terça (3), de 14h30 às 16h, o espaço contará com teste rápido de HIV, hepatite B e C e sífilis, além de marcação de preventivo e solicitação de mamografia. Também serão oferecidos tratamento estético e distribuídos kits de escovação para as crianças. A ação conta com apoio da Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS), além de parceria do Hospital Prohope e Mary Kay.

Câncer - O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo, e no Brasil é o segundo mais frequente, depois do de pele não melanoma. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o câncer de mama responde por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. 

O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, tais como: idade, fatores endócrinos/história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários. Segundo o Inca, as mulheres podem reduzir em até 28% o risco de desenvolver câncer de mama, ao adquirir hábito de alimentação saudável e prática de atividade física. Controlar o peso corporal, evitar a obesidade e o consumo de bebidas alcoólicas são outras recomendações básicas para prevenir a doença. 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Campanha de mobilização pela prevenção do câncer de mama e de útero realizada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) acontece até o fim de outubro

O câncer de mama continua sendo a principal causa morte por neoplasia entre a população feminina em idade fértil em Salvador. A forma mais eficaz de diagnóstico precoce e prevenção da doença é através da realização periódica da mamografia, mas das 11 mil vagas disponibilizadas por mês pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para a realização de exames gratuitos, apenas 47% são preenchidas.

 De janeiro a setembro deste ano, foram registrados cerca de 180 óbitos em decorrência da patologia na capital baiana. A taxa de mortalidade por câncer de mama continua elevada no município por conta do diagnóstico tardio, que chega, geralmente, quando a doença já está em estado avançado.

A marcação para o exame de mamografia é disponibilizada nas unidades básicas da capital durante todo o ano, porém, no mês do Outubro Rosa, a campanha de mobilização é intensificada. Para ter acesso ao procedimento, as interessadas devem procurar um dos 120 postos da rede municipal munidas do documento de identificação com foto e do cartão SUS para avaliação médica e de enfermagem.

Outubro Rosa – O início oficial da campanha do Outubro Rosa acontece neste domingo (1), com a iluminação do Elevador Lacerda na cor rosa. As ações vão contar com a presença de profissionais de saúde, que realizarão o agendamento de exames clínicos e mamografia para mulheres de 50 a 69 anos.

"Se conseguirmos identificar um câncer de mama em estágio precoce, a chance de cura é acima de 90%. Por isso, é importantíssimo que as mulheres que fazem parte do grupo de risco, que são aquelas acima de 50 anos de idade ou com histórico da patologia na família, procurem periodicamente o serviço de saúde para realização do exame", alertou a coordenadora da Atenção Primária do município, Adriana Miranda.

Programação – Durante todo o mês de outubro, uma carreta vai percorrer os bairros de Salvador com oferta gratuita de exames clínicos e orientações para o autocuidado das mamas.

Entre os dias 02 a 06, a população pode conferir a Loja Rosa instalada no Shopping Center Lapa, Centro da cidade, das 9h às 21h, onde serão oferecidos serviços e orientações na área de saúde da mulher. O Salvador Shopping vai ofertar também, de 2 a 11, um consultório para realização de exame clínico e orientação para autocuidado.

As mulheres da capital também contarão com os mesmos serviços a partir do dia 16 na Estação da Lapa. Nos 12 Distritos Sanitários do município serão realizadas mamografias, busca ativa de pacientes, além de palestras, salas de espera e distribuição de material educativo que incentivam o diagnóstico precoce, estimulando o acompanhamento periódico de saúde e a realização do auto exame das mamas.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A expectativa é imunizar pelo menos 200 mil animais e até o momento foram vacinados cerca de 44 mil entre cães e gatos

A menos de duas semanas para finalização da campanha de vacinação antirrábica em Salvador, apenas cerca de 44 mil animais foram imunizados até o momento. Esses números são considerados baixos. A estratégia que seguirá até 30 de setembro, tem como objetivo imunizar pelo menos 200 mil animais contra raiva nesse período.

“A vacina é a principal forma de prevenir a raiva, com 100% de letalidade zoonose. É importante que a população não deixe para última hora.” alerta, Aroldo Carneiro, Veterinário do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

O veterinário ressalta ainda que três casos de raiva silvestre em morcegos foram confirmados, nos bairros de Massaranduba, São Cristovão e Brotas, este ano em Salvador. “Mesmo os animais que não saem de casa sozinhos e vivem mais isolados em apartamentos, devem ser vacinados, caso morcegos entrem nas residências e venham contaminar os animais de estimação.” declarou. 

Os donos de animais de estimação poderão levar os bichos para imunização em 250 postos de saúde, distribuídos em todas as regiões da capital baiana. O serviço é oferecido gratuitamente de segunda a sexta-feira, de 8h às 14h. 

Devem ser imunizados animais a partir dos três meses de idade, exceto os que estiverem doentes. O último caso de raiva humana em Salvador foi registrado em 2004.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

No total, cerca de 110 pontos de imunização espalhados em todas as regiões da cidade funcionarão das 8 às 17 horas na capital baiana

A Prefeitura de Salvador promove no próximo sábado (16) o Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação na capital baiana. No total, serão instalados cerca de 110 pontos de imunização entre os postos de saúde que estarão abertos e locais estratégicos como shoppings, supermercados, escolas, creches, associações e igrejas, funcionando das 08 às 17 horas. 

O objetivo da estratégia é ampliar a cobertura vacinal da população, bem como proteger crianças e adolescentes que possam estar com alguma dose atrasada. “A ação visa resgatar não vacinados ou completar esquemas de imunização, por isso não há uma meta pré-estabelecida a ser alcançada, no entanto, iremos avaliar o número de doses aplicadas no período. Esse ano, a campanha incluiu os adolescentes porque esse grupo prioritário é um dos que apresenta uma maior resistência a se vacinar, já que muitos pais acreditam que não há necessidade de imunizar os filhos nessa faixa etária", esclareceu Doiane Lemos, subcoordenadora de Imunização de Salvador.

Este ano a campanha que segue até o próximo dia 22 de setembro, contempla menores de 5 anos, crianças de 9 anos e adolescentes com idade entre 10 e 15 anos incompletos.

Em Salvador, mais de 450 mil jovens fazem parte do público alvo da intensificação. Eles deverão comparecer ao posto de saúde portando a caderneta de vacina que será avaliada pelo profissional responsável. Sendo necessário, receberão as doses pendentes. No total, serão atualizados 14 imunobiológicos nessa população.

 

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...