Saúde

0
0
0
s2sdefault

Acontece neste sábado (04), das 8h às 17h, o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza em Salvador. Para ampliar a cobertura e atingir a meta de proteger pelo menos 90% dos 570 mil indivíduos que fazem parte da população eletiva no município, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) disponibilizará além 255 pontos de imunização entre unidades da rede básica e locais de grande circulação de pessoas como shoppings, supermercados, creches, associações, igrejas e estações de transbordo.

Iniciada em 10 de abril, a estratégia imunizou até o momento cerca de 171 mil pessoas, número que corresponde a 27% do total da população-alvo. Aproximadamente 399 mil pessoas entre idosos (a partir de 60 anos), crianças (de 6 meses a menores de 6 anos), gestantes, puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde e professores do serviço público e privado, portadores de doenças crônicas, além de policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas ainda não procuraram os postos de saúde da rede municipal para receber a dose da vacina.

Balanço - Os portadores de doenças crônicas correspondem ao grupo que menos procurou os postos até o momento (7,8%), tendo como subsequente os professores (13%). Entre os demais grupos prioritários, os trabalhadores da saúde seguem liderando o ranking de menor cobertura (18%), sendo seguido pelos idosos (25,6%). Os demais também seguem abaixo do esperado. As crianças, que formam um dos grupos mais vulneráveis, atingiu apenas 30%.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Já fazem quase três anos do fechamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Roma, pelo governo estadual, e desde então os moradores da Cidade Baixa pedem à Prefeitura a construção de um novo equipamento do tipo. Esse desejo começou a se realizar hoje (30), quando o prefeito ACM Neto deu início às obras da UPA da região, na Avenida Dendezeiros, no Bonfim – bem em frente às Obras Sociais Irmã Dulce (Osid). A ordem de serviço foi assinada no local nesta terça-feira (30), em evento que contou ainda com as presenças do vice-prefeito Bruno Reis, do secretário municipal da Saúde, Luiz Galvão, demais gestores e autoridades municipais, lideranças comunitárias e população.

O prefeito ressaltou os desafios enfrentados pela gestão municipal com o fechamento da UPA de Roma, desde as cobranças da população causada pela decisão estadual até o processo judicial pelo terreno. “A gente percebe a necessidade dos moradores da Cidade Baixa, inclusive alguns do Subúrbio, pelos serviços de urgência e emergência. A Prefeitura assumiu o que era uma tarefa do governo estadual e, depois de uma luta para garantir a desapropriação do terreno, finalmente conseguimos concluir todo o processo. A empresa está com a ordem de serviço dado para começar as obras agora. A gente espera que, já no próximo ano, toda a população da região possa ter atendidas as necessidades de urgência e emergência”, relatou ACM Neto.

A unidade de saúde é um desejo dos moradores do Distrito Sanitário de Itapagipe, que atualmente não contam com um equipamento do tipo – a estrutura semelhante mais próxima, de acordo com o secretário Luiz Galvão, está localizada a 15 quilômetros de distância. “A UPA Cidade Baixa vai funcionar 24 horas por dia e terá capacidade para atender a 450 pessoas diariamente. Com isso, será feita uma reparação com a população devido ao fechamento da UPA de Roma”, salientou o titular da secretaria.

Estrutura - O investimento total para a UPA Cidade Baixa, incluindo desapropriação, construção e equipamentos, é de R$10 milhões. Os serviços oferecidos serão de urgência e emergência, com atuação de uma equipe multiprofissional e interdisciplinar composta pelas categorias profissionais necessárias ao atendimento. Esta equipe será integrada pelos seguintes serviços: medicina-clínica; pediátrica; ortopédica; odontológica; enfermagem; serviço social; nutrição; farmácia; e apoio diagnóstico.

A UPA será composta por seis consultórios médicos, um consultório odontológico, laboratório, central de material esterilizado, sala de classificação de risco, sala de reanimação, observação adulto (masculino e feminino) e pediátrica. Além disso, terá também recepção, salas de espera, áreas administrativas, vestiários, depósito de material de limpeza e almoxarifado.

Por se tratar de UPA tipo III, a unidade possuirá 26 leitos assim distribuídos: quatro de reanimação, 24 de observação (sendo cinco pediátricos) e três de isolamento. Haverá ainda duas salas de inaloterapia adulto e pediátrico, duas de administração de medicamentos adulto e pediátrico, além de espaços de RX, ECG, sala de pequenos procedimentos, serviço social, farmácia satélite, laboratório e almoxarifado.

Balanço – A UPA Cidade Baixa será a décima estrutura do tipo administrada pela Prefeitura – a nona construída pela gestão municipal desde 2013. Estão em funcionamento as Unidades de Pronto Atendimento de Periperi, Paripe, Brotas, San Martin, Santo Inácio/Pirajá, Parque São Cristóvão, Valéria, Barris e Itapuã (Hélio Machado).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura inicia nesta terça-feira (30), às 10h30, as obras de construção da nova Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Cidade Baixa, que será erguida na Avenida Dendezeiros, nº 9, Bonfim, em frente ao Hospital Irmã Dulce, onde há hoje um estacionamento. A ordem de serviço será assinada no local pelo prefeito ACM Neto, em evento que contará com a presença do secretário municipal de Saúde, Luiz Galvão, entre outras autoridades.

A unidade de saúde é um desejo dos moradores do Distrito Sanitário de Itapagipe, que atualmente não contam com um equipamento do tipo, e vai funcionar 24 horas por dia. O investimento será de R$4,9 milhões apenas na construção da UPA.

Os serviços oferecidos serão de urgência e emergência, com atuação de uma equipe multiprofissional e interdisciplinar composta pelas categorias profissionais necessárias ao atendimento. Esta equipe será integrada pelos seguintes serviços: medicina-clínica; pediátrica; ortopédica; odontológica; enfermagem; serviço social; nutrição; farmácia; e apoio diagnóstico.

A UPA contará com seis consultórios médicos, um consultório, laboratório, central de material esterilizado, sala de classificação de risco, sala de reanimação, observação adulto (masculino e feminino) e pediátrica, além de recepção, salas de espera, áreas administrativas, vestiários, depósito de material de limpeza e almoxarifado.

Por se tratar de UPA tipo III, a unidade possuirá 26 leitos assim distribuídos: quatro de reanimação, 24 de observação (sendo cinco pediátricos) e três de isolamento. Contará ainda com duas salas de inaloterapia adulto e pediátrico, duas de administração de medicamentos adulto e pediátrico, além de espaços de RX, ECG, sala de pequenos procedimentos, serviço social, farmácia satélite, laboratório e almoxarifado.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A campanha nacional de vacinação contra o influenza, que começou no dia 10 de abril, já imunizou 60 mil indivíduos em Salvador, cerca de 10% do grupo prioritário. A meta da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é vacinar pelo menos 570 mil pessoas - 90% da população elegível.

Desde a última segunda-feira (22), o Ministério da Saúde incluiu mais um grupo entre o público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe. A partir de agora, policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas podem buscar uma das 128 salas de vacinação da capital baiana para se imunizar.

Os grupos prioritários que mais têm buscado a vacinação são crianças (30 mil) seguido dos idosos (11 mil). Por outro lado, pessoas com doenças crônicas (2.356 mil), as puérperas (1 mil) e professores (841) registram a menor procura nas salas de vacinação.

"A baixa procura pela vacina por esses grupos nos preocupa já que neste ano de janeiro a abril foram registrados 70 casos e 3 óbitos por causa da Síndrome Respiratória Aguda. A vacina pode reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias e até 75% a mortalidade global por complicações da influenza", alertou Doiane Lemos, subcoordenadora de Controle de Doenças Imunopreveniveis.

A vacina está disponível em todos os 128 postos de saúde municipais. Ela é a principal medida preventiva da enfermidade que apresenta maior incidência nos meses de junho e julho. Devem ser vacinados os idosos, crianças menores de 2 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), militares, policiais, bombeiros, trabalhadores de saúde, professores das redes públicas e privadas e pacientes com doenças crônicas.

Fake news - Uma pessoa morreu em Salvador por causa de contaminação pelo vírus influenza no dia 29 de março. A vítima do sexo masculino não teve o nome e idade revelados pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

A vacinação pode salvar vidas. Na era da informação, a campanha contra a gripe também se transforma em alvo das famosas "fake news", mentiras. Não caia em armadilhas como contrair o vírus com a vacina, ou a mentira que gestantes não devem se vacinar.

A imunização deve ser refeita a cada 12 meses, tempo de validade da proteção da vacina. Além disso, a cada ano surgem vírus novos, que causam diferentes tipos de gripe, e a produção da vacina é a partir dos vírus que estão mais propensos a circular nos meses do outono e inverno.

Há cuidados pessoais que podem colaborar para evitar a contaminação e transmissão do vírus. Higienize as mãos com água e sabão ou álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar, após o uso do banheiro e antes de comer; contaminados devem evitar contato direto com outras pessoas, atividades de trabalho, estudos sociais, bem como aglomerações e ambientes coletivos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Mais de 26 mil pessoas já foram vacinadas contra a influenza na capital baiana desde o início da campanha, na última quarta-feira (10), o que corresponde a 4,7% do público alvo. A meta da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é imunizar pelo menos 90% de 570 mil indivíduos que fazem parte dos grupos prioritários até o dia 31 de maio.

Apesar da procura razoável nos postos da rede municipal, pouco mais de 85% do público-alvo de Salvador ainda não se protegeu contra a doença. “Estamos tendo uma boa procura pela vacina. Mesmo Salvador tendo seguido a proposta estabelecida pelo Ministério da Saúde de vacinar crianças e gestantes até o dia 21, a procura desde o início foi de todos os grupos prioritários”, explicou Doiane Lemos, subcoordenadora de Controle de Doenças Imunopreveníveis
Entre os grupos prioritários que mais buscam a vacinação estão os idosos e as crianças. Por outro lado, as puérperas (gestantes de até 45 dias), pessoas com doenças crônicas e professores não têm buscado a imunização.

"A baixa procura pela vacina por esses grupos nos preocupa, já que de janeiro a abril deste ano foram registrados 70 casos e 3 óbitos por causa da Síndrome Respiratória Aguda. A vacina pode reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias e até 75% a mortalidade global por complicações da influenza", alertou Doiane.

Os postos de saúde de Salvador estarão fechados no feriadão da Semana Santa. Mas, a partir da próxima segunda-feira (22), as equipes operacionais retomarão a estratégia nas 126 unidades básicas da rede municipal, das 8h às 17h.

Devem ser vacinados os idosos, crianças menores de 2 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes públicas e privadas e pacientes com doenças crônicas. A vacina é a principal medida preventiva da enfermidade que apresenta maior incidência nos meses de junho e julho.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

As comidas e bebidas da Semana Santa aguçam os paladares. Peixe, frutos do mar, feijão de leite, caruru, vatapá, arroz de leite, feijão fradinho, frigideira de bacalhau, vinho e chocolate compõem as mesas soteropolitanas, simbolizando a morte e ressurreição de Cristo, entre a Sexta-feira da Paixão e o domingo de Páscoa. Consumi-los, no entanto, exige cuidado, diante do excesso de gordura e da possibilidade de mal-estar ou indigestão.

Para evitar problemas com a saúde, a nutricionista Ana Kelly Amaral, responsável técnica pelo campo de alimentação e nutrição da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dá dicas para uma ingestão mais saudável. A primeira delas é em relação à escolha do peixe e ao modo de preparo. “O ideal é optar por aqueles que têm melhor composição de gorduras boas e menor contaminação por mercúrio, como sardinha, tilápia, merluza, pescada amarela e peixe-panga”, diz.

Segundo a nutricionista, os peixes brancos, atum e sardinha tem um bom teor de ômega 3, ácidos graxos benéficos à saúde cardiovascular e cerebral. Na hora de escolher, é bom observar se o local da compra é de confiança e a qualidade do peixe, por meio de detalhes como a cor, o cheiro e a textura.

Durante o preparo, o recomendável é evitar fritar o peixe, porque a fritura oxida o ômega 3 e anula os benefícios. O azeite de dendê pode ser utilizado em menor quantidade ou pode ser substituído pelo azeite de oliva, que contém menos gordura saturada.

Quando o assunto é chocolate, a dica é dar preferência aos que têm a partir de 70% de cacau na composição. O cacau possui flavonoides, substância com ação antioxidante, anti-inflamatória e que auxilia no controle da pressão arterial. A quantidade recomendada é de até 20 gramas por dia.

Riscos – Os alimentos gordurosos e com muito açúcar, além de provocar excesso de peso e as gordurinhas localizadas, deixam o metabolismo mais lento, provocando sintomas como fadiga, má digestão e enxaqueca. Aos alérgicos, é bom ficar atento aos frutos do mar, considerados vilões, por causa da composição proteica. E para aqueles que abusam do álcool, é bom tomar cuidado com o teor alcoólico do vinho que, em excesso, pode causar intoxicação e até coma alcoólico.

Em caso de urgência e emergência, o cidadão pode procurar uma das nove Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), nos bairros de Paripe, Valéria, Pirajá/Jardim Santo Inácio, Brotas, Barris, San Martin, Itapuã, Parque São Cristóvão e Periperi. Além disso, a SMS dispõe de cinco Pronto-Atendimentos (PAs) localizados em Pau Miúdo, Pernambués, Marback/Imbuí, São Marcos e Tancredo Neves. O SAMU 192 e a emergência do Hospital Municipal, em Boca da Mata, também estarão em pleno funcionamento durante o feriadão da Semana Santa.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Começa nesta quarta (10) em Salvador a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Todas as unidades de saúde da rede básica estarão ofertando as doses do imunobiológico de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h.

O lançamento oficial da campanha acontecerá nesta quarta no Centro de Saúde Ramiro de Azevedo, no Campo da Pólvora (em frente ao Fórum Ruy Barbosa), a partir das 9h30, com a presença do secretário municipal de Saúde, Luiz Galvão, e da subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis, Doiane Lemos.

Nessa primeira etapa da estratégia, a vacina estará disponível exclusivamente para crianças (de 6 meses a menores de 6 anos) e gestantes. A partir de 22 de abril, os demais grupos prioritários - cerca de 750 mil pessoas entre idosos (a partir de 60 anos), puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde do serviço público e privado, jovens de 12 a 21 anos de sob medidas socioeducativas, professores, além de portadores de doenças crônicas que não são transmissíveis e outras condições clínicas especiais - também serão contemplados.

A meta é imunizar pelo menos 90% do público alvo na estratégia que segue até 31 de maio. "Aconselhamos que os grupos que devem receber a vacina procurem o mais rápido possível um dos postos de saúde para evitar transtornos", aconselhou Luiz Galvão.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A coqueluche é uma doença transmissível que afeta o sistema respiratório dos indivíduos. O principal público atingido com a doença são os bebês e, por conta da fragilidade deles, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta quanto à importância do acompanhamento pré-natal das gestantes em uma unidade básica de saúde.  

De acordo com a subcoordenadora de Imunização de Salvador, Doiane Lemos, gestantes devem tomar a vacina DPTa a partir da vigésima semana de gravidez, a fim de obter proteção contra a coqueluche. A gestora explicou que quando a mulher se vacina o bebê também é protegido através da passagem de anticorpos pela placenta. Este recurso garante que, ao nascer, a criança esteja protegida até completar dois meses de vida, período em que estará apta a receber a vacina DPT.  

Os sintomas da coqueluche podem variar de acordo com o estágio da doença, que normalmente ocorre em três fases. Na fase mais grave pode haver desidratação, pneumonia, convulsões, lesão cerebral e morte, segundo informações do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, núcleo ligado a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).  

Todas as mães devem receber a dosagem da vacina, sem exceção. Apenas se elas apresentarem um quadro febril em curso ou algum outro tipo de doença é recomendado esperar a evolução da patologia e cura antes de receber a dose.  

É muito importante que a gestante além e se proteger contra a coqueluche esteja com o calendário de vacinação em dia, como a exemplo do esquema contra a hepatite B. O diálogo com o profissional médico e enfermeiro que acompanha essa paciente é essencial para que sejam evitadas diversas doenças e não apenas a coqueluche”, enfatizou Doiane.  

A partir da próxima quarta-feira será iniciado em Salvador a campanha contra influenza e que tem, entre os públicos prioritários, as gestante. A recomendação é que as mulheres compareçam em uma das 126 salas de vacina disponíveis através da Secretaria de Saúde, munidas do cartão de vacinação, e recebam sua dose. Caso o profissional identifique que elas já estão no período indicado para receber a proteção contra coqueluche, a paciente também será imunizada. 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Um dos mais importantes equipamentos já implantados pela Prefeitura na história da capital baiana, o Hospital Municipal de Salvador (HMS) comemora um ano, completado no último dia 4, com a implantação de classes hospitalares e de novos serviços pioneiros para a população.

As novidades foram apresentadas no próximo hospital, localizado na Boca da Mata, nesta segunda-feira (8), pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do vice e secretário municipal de Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis; dos secretários municipais de Saúde, Luiz Galvão, e de Educação, Bruno Barral; do provedor da Santa Casa de Misericórdia, Roberto Sá Menezes; demais autoridades, corpo técnico e imprensa.

Houve um esforço para que todas as etapas de funcionamento do HMS, previstas para serem concluídas em um ano e meio, fossem implantadas em apenas oito meses. Com isso, o equipamento alcançou números marcantes: em um ano, foram mais de 125 mil atendimentos, sendo 65 mil apenas na urgência, 80 mil exames de imagem e 315 mil laboratoriais.

“Mas, o mais importante é ouvir o depoimento das pessoas tiveram as vidas salvas nesses 12 meses do hospital, que chega à sua maturidade em pleno funcionamento e que, portanto, pode anunciar novos serviços em função do refino e capacidade técnica que adquiriu nesse tempo”, afirmou o prefeito.

O prefeito visitou as duas salas da Escola Municipal Hospitalar Irmã Dulce, que foram inauguradas e já atendem a 35 pacientes infantis, jovens e adultos do HMS. “A instalação da classe hospitalar aqui é muito importante, pois permite que todos os alunos da rede pública tenham a continuidade do aprendizado no hospital enquanto fazem o tratamento, o que facilita o processo de recuperação da saúde dessas crianças e adultos”, completou ACM Neto.

Projeto - Com uma sala para crianças e outra para adultos, a escola conta com uma rede de professores especializados que, acompanhados da equipe médica do hospital, atendem a estudantes que, por questões de saúde, não têm condições de frequentar uma unidade de ensino.

O projeto, coordenado pela Smed, já funciona em 11 hospitais, três clínicas, cinco instituições de apoio, além de 20 domicílios, com média de 900 atendimentos por mês. “Além do atendimento coletivo, em salas de aulas multiseriadas instaladas nas instituições hospitalares, também há atendimento individual no próprio leito, de acordo com as condições do paciente”, pontuou a diretora da escola hospitalar, Tainã Rodrigues.

Aplicativo – Além da Escola Municipal Hospitalar Irmã Dulce, mais outros cinco serviços passam a ser ofertados pelo Hospital Municipal. Um deles é o Meu HMS App, aplicativo gratuito para smartphones disponível nos próximos dias nas plataformas iOS e Android.

A ferramenta – pioneira em todos os hospitais públicos da Bahia – possibilitará aos pacientes o acesso ao resumo do prontuário e às especialidades oferecidas no hospital, além de participar da pesquisa de opinião e ter contato com a instituição, através do Fale Conosco. Com isso, estima-se as reduções do tempo de retirada e do custo de impressão de laudos, assim como a diminuição do impacto ambiental causado pelo uso de papel.

Autismo - O segundo serviço será o Acolhimento ao Autista, que visa atendimento individualizado a pacientes adultos ou pediátricos portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA). O projeto terá início no próximo dia 15 na unidade de emergência, e em 90 dias em todas as outras áreas do hospital.

A iniciativa também engloba a criação do selo Autista Frendly, com identificação das unidades do HMS que estão preparadas para o acolhimento individualizado. A ação garantirá a qualificação e capacitação de equipes e processos para atendimento à população autista, de forma pioneira na Bahia.

O terceiro serviço é a Lean nas Emergências, programa do Ministério da Saúde voltada para a redução da superlotação de emergências adulto. Desenvolvida pelo programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi), a iniciativa é executada em parceria com o Hospital Sírio-Libanês e o HMS foi selecionado na segunda fase do programa, dentre 150 hospitais inscritos em todo o país.

Isso porque o HMS é pioneiro no Brasil na automatização dos controles, indicadores de performance e dos registros das sessões de Huddle (reunião de ideias). Em um ano, 62 mil pacientes já foram beneficiados com a agilidade nos atendimentos.

Residência - O outro serviço ofertado é o Programa de Residência Médica em Medicina de Emergência, pioneiro no estado nessa área de atuação e com a primeira turma de residentes atuando desde março último. Por fim, o Projeto Telestroke é uma solução que garante a ampliação do acesso no diagnóstico e tratamento do acidente vascular cerebral (AVC), de forma remota e contínua, por neurologistas.

Com isso, as equipes médicas terão, em tempo real, acesso às informações clínicas dos pacientes, inclusive imagem diagnóstica e interação, reduzindo óbitos e sequelas do AVC. O hospital receberá smartphones e tablets com conexão 4G, sem custo, para envio e discussão de casos, além da realização de videochamadas.

Leitos – Construído pela Prefeitura e administrado pela Santa Casa de Misericórdia, o HMS possui 210 leitos ao todo, sendo 30 para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 150 para clínica médico-cirúrgica e 30 para pediatria. No local, são feitas cirurgias de urgência, como as de trauma, abdômen agudo e neurocirurgia, e também algumas eletivas, como a de vesícula, hérnia e apendicite. Alguns dos exames realizados são tomografia computadorizada, doppler, holter, ecocardiograma, ultrassonografia, raio-x, eletrocardiograma, eletroencefalograma e ressonâncias.

Os pacientes são atendidos dentro do tempo estipulado de acordo com suas classificações de risco, tendo como base o Protocolo de Manchester. Pacientes que necessitam de algum tratamento que não está disponível na unidade são transferidos para centros especializados via regulação. Outro benefício do Hospital Municipal é que o tratamento pode ter continuidade na residência do paciente. Mensalmente, são realizados quase 200 atendimentos em domicílio.

“Hoje temos metas atingidas tanto na questão quantitativa quanto qualitativa do Hospital Municipal. São mais de 1.500 colaboradores e oferta de atendimento em pediatria, clínica médica, ortopedia e cirurgia geral para dar resolutividade aos pacientes. O hospital tem emergência com demanda 100% porta aberta - em março, chegamos a 8 mil atendimentos. Também há demanda ambulatorial através do Sistema Vida com consultas eletivas nas especialidades e agendamento de exames complementares e do parque de imagem”, ressaltou a diretora médica do HMS, Thayse Barreto.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...