Saúde

0
0
0
s2sdefault

Para garantir o suporte psicológico aos sobreviventes e pessoas que perderam familiares na tragédia ocorrida na Baía de Todos os Santos nesta quinta-feira (24), a Secretaria Municipal da Saúde disponibilizará equipes multidisciplinares habilitadas em socorro ao trauma psíquico para acompanhamento gratuito dos indivíduos envolvidos no acidente. Os atendimentos serão iniciados nesta sexta-feira (25), das 8:30 às 12 horas, no Pronto Atendimento Psiquiátrico dos Barris (localizado em anexo ao 5º Centro de Saúde) e seguirão às segundas, quartas e sextas sempre no mesmo local e horário.

As equipes serão compostas por médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros especializados nesse perfil de atendimento. "O intuito desse acompanhamento imediato a todas as vítimas envolvidas nessa tragédia é evitar que essas pessoas venham desencadear transtornos que acarretem em distúrbios psicológicos e emocionais mais graves, comprometendo o estado psicossocial desses indivíduos", explicou o médico psiquiatra, Ivan Araújo.

Para o atendimento, os interessados deverão portar apenas o cartão SUS e um documento de identificação com foto.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Órgão municipal também contabiliza seis admissões em unidades de emergência da rede

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) atendeu 34 vítimas do naufrágio que ocorreu nesta quinta-feira (24) na Baía de Todos os Santos, sendo que um bebê veio a óbito. Os atendimentos foram realizados por ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no Terminal Marítimo do Comércio.

O órgão municipal também contabilizou seis admissões em unidades de emergência da rede. Duas foram levadas para UPA Barris, uma para UPA San Martin e o 16º Centro de Saúde do Pau Miúdo recebeu três homens resgatados no naufrágio. Dois realizam exames complementares no postos e outro já foi regulado para o Hospital Geral do Estado (HGE). 

Médicos do Samu que foram até a ilha de Itaparica identificaram três vítimas com fraturas fechadas que já foram reguladas e estão vindo em ambulâncias para Salvador. As emergências da rede municipal estão de prontidão para receber os pacientes que necessitarem de encaminhamento para Salvador.

Social - Também está mobilizada a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). Uma equipe formada por assistentes sociais, psicólogos, pedagogos e técnicos de referência realiza atendimentos em Salvador e em Mar Grande. A equipe também transporta as vítimas liberadas após o atendimento médico, junto com suas famílias, para as residências.

Os técnicos da Semps já auxiliaram na identificação da criança Evelin Santana Monteiro, de 4 anos, que foi uma das vítimas resgatadas com vida. Ela já está na companhia de uma prima e aguarda a chegada dos outros familiares para retornar para a Ilha, onde reside.

Vinte e três pessoas morreram no acidente com a embarcação Cavalo Marinho I, que naufragou por volta das 7h, pouco depois de sair do terminal de Mar Grande, na Ilha de Itaparica, a caminho de Salvador. Uma equipe da Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar) segue no local, com cinco mergulhadores e o apoio de um bote, reforçando o trabalho das equipes de resgate.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Sobe para 23 o número de óbitos envolvidos na tragédia que aconteceu na manhã de hoje (24) na Baía de Todos os Santos, de acordo com a Capitania dos Portos. Para garantir a agilidade na assistência às vítimas, médicos reguladores do Samu de Salvador realizam no momento visitas a UPA de Mar Grande e ao Hospital de Itaparica com objetivo de identificar os pacientes mais graves e coordenar a transferência para unidades de saúde com suporte de alta complexidade na capital.

Até o momento, as unidades da Ilha já contabilizaram cerca de 100 admissões de pacientes provenientes do acidente. Já são 50 profissionais, 15 ambulâncias e uma lancha do Samu envolvidos na operação de resgate. Do total, oito ambulâncias do serviço soteropolitano encontram-se na ilha para realização da transferência de pacientes para Salvador.

A tragédia ocorreu pela manhã, com o naufrágio da lancha Cavalo Marinho I, na Baía de Todos os Santos. A lancha faria a travessia entre Mar Grande e Salvador. 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com 70% das obras concluídas, o primeiro Hospital Municipal de Salvador está prestes a ser entregue à população, com uma estrutura moderna que vai beneficiar cerca de 19 mil pessoas por mês em procedimentos como consultas, exames, cirurgias e internamento. A unidade está sendo construída em uma área de 18 mil metros quadrados, no final de linha de Boca da Mata (antigo Sítio União), em Cajazeiras, e deve ser inaugurada no primeiro semestre de 2018, conforme cronograma. O investimento na obra, projeto e equipamentos é de cerca de R$ 120 milhões, oriundos de recursos próprios da Prefeitura.

O Hospital Municipal de Salvador funcionará 24 horas por dia, com capacidade para atender urgências, integrando-se, assim, às Unidades de Pronto Atendimento Municipais (UPAs) e servindo de retaguarda para os casos mais complexos. A unidade terá ênfase em atendimentos de urgência e emergência, mas também contará com um ambulatório de egressos da unidade hospitalar para dar suporte ao atendimento. Ao todo, serão 210 leitos – 30 de UTI (adulto e pediátrico), 150 de clínica médica cirúrgica e 30 de clínica pediátrica.

A emergência terá ênfase em traumatologia, ortopedia e urgências clínicas. Para isso, haverá 26 leitos de observação para adultos, sete leitos de observação pediátrica e 22 poltronas para aplicação de medicamentos. A área também contará com salas de curativo, aplicação de gesso e estabilização; quatro boxes de reanimação de vida e oito leitos similares ao de terapia intensiva. O hospital receberá pacientes regulados e imediatos, seguindo o Protocolo de Manchester, que utiliza a classificação de risco por cor para o acolhimento. O ambulatório de egressos da unidade hospitalar terá consultórios de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia pediátrica, pediatria, generalista e ortopedia e traumatologia.

Além disso, haverá serviço social, pré-consulta de enfermagem, centro de apoio diagnóstico, agência de transfusão sanguínea, laboratórios de análises clínicas e serviços de Bio-Imagem, como ressonância magnética, tomografia, ultrassonografia com Doppler, eletroencefalograma, eco-cardiograma, eletroneuromiografia e radiologia digital. A concepção arquitetônica do equipamento de saúde foi planejada por acomodações de hotelaria em espaços de dois leitos, que podem ser adequados à necessidade da unidade. O hospital também contará com um heliporto no pavimento da cobertura e com uma base do Serviço de Atendimento Móvel (SAMU).

A programação assistencial será complementada pelo Hospital Dia, bloco auxiliar que terá duas salas de Cirurgia Ambulatorial, 12 leitos de internação, um Centro de Vídeo-Endoscopias (com três salas de exames e oito poltronas de repouso) e uma Unidade de Atenção Domiciliar. Serão associados ao Hospital Dia um Ambulatório Cirúrgico com dois consultórios de triagem, e mais um consultório de enfermagem e um de anestesiologia, cujo objetivo é fazer o pré e pós-atendimento de pacientes cirúrgicos.

Atendimentos – Apenas na unidade de emergência, a estimativa é que sejam atendidos 1,2 mil pacientes por mês. No ambulatorial de egressos e no Hospital Dia devem ser realizadas 63 mil consultas ao mês. Outros 750 procedimentos mensais devem ser realizados no Centro de Endoscopia; 2,4 mil exames mensais no serviço de apoio diagnóstico e terapêutico; 10 mil procedimentos de apoio-diagnóstico e média complexidade. Também estima-se a realização de cerca de 500 cirurgias mensais no bloco operatório, além de 1,1 mil internações mensais – levando em conta os 210 leitos hospitalares previstos para os dois primeiros anos de funcionamento do hospital.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O projeto do primeiro Hospital Municipal de Salvador será apresentado hoje (22), em São Paulo, às organizações sociais integrantes do Instituto Brasileiro das Organizações Sociais de Saúde (Ibross). Previsto para ser inaugurado em março de 2018, o equipamento será gerido por uma organização social de saúde.

 “Nosso objetivo é divulgar o hospital municipal e seu potencial de atendimento para que possamos ter, na licitação, o maior número possível de entidades interessadas em administrar este importante equipamento público que irá compor a rede de urgência e emergência da capital baiana”, destacou o secretário da Saúde de Salvador, José Antônio Rodrigues Alves que, durante a apresentação, irá detalhar a estrutura e serviços que serão oferecidos no novo equipamento.

Antônio Rodrigues salientou o interesse da administração municipal de trazer para Salvador novos e modernos modelos de gestão para gerenciamento das Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) e Multicentros, cujos contratos serão relicitados no próximo ano. “Com certeza, temos neste grupo conceituadas organizações que poderão contribuir significativamente para qualificar nossos serviços”, completou o secretário.

Após a apresentação, o secretário José Antônio Rodrigues Alves conhecerá as instalações do Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini, administrado pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), anfitriã do encontro e que também integra o Ibross.

Entre as organizações sociais presentes no encontro estarão representantes da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês, Hospital Alemão Oswaldo Cruz e a Associação Congregação de Santa Catarina, as maiores do país.

Ibross - O Ibross já conta com 20 instituições associadas, responsáveis pelo gerenciamento de serviços de saúde do SUS em todo o país, em parceria com secretarias municipais e estaduais. Criado em 10 de abril de 2015, nasceu com a finalidade de disseminar o modelo de gestão de equipamentos de saúde – como hospitais, ambulatórios, postos de saúde, unidades de pronto atendimento, clínicas de especialidades e serviço de atendimento móvel de urgência -, entre outros, realizado por meio de parcerias firmadas entre as organizações sociais e o poder público.

Organizações Sociais - No início do mês, a Prefeitura de Salvador realizou a convocação de entidades sem fins lucrativos para a qualificação, como organizações sociais nas áreas de saúde, educação, cultura, pesquisa científica, meio ambiente, ação social e desenvolvimento tecnológico e institucional, com o objetivo de adotar um modelo de gestão mais moderno na administração municipal. A etapa de qualificação não tem prazo estabelecido, mas é obrigatório para concorrer a qualquer tipo de chamamento público, como no caso da administração do primeiro hospital municipal de Salvador.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Cerca de 70 crianças entre dois e cinco anos, alunas do Centro Municipal de Educação Infantil Virgem de La Almudena, participaram nesta quinta-feira (17) de uma Caminhada Saudável pelas ruas do Candeal - bairro onde a escola se localiza. O evento, que teve participação de pais, avós e moradores do bairro, marcou o encerramento de um projeto pedagógico que trabalhou em sala de aula hábitos saudáveis, cuidados com o meio ambiente, higiene e práticas esportivas. "É um projeto muito rico que desenvolvemos há três anos, e que leva esses temas aos nossos alunos a partir de uma metologia voltada ao lúdico", explicou a diretora do CMEI, Isa de Jesus Coutinho.

Segundo a diretora, o projeto acaba tendo resultado no bairro através das próprias crianças, que agem como multiplicadoras do que aprendem na escola, e também pela caminhada, que chama a atenção dos moradores para os temas trabalhados. Isa Coutinho explica que a caminhada foi dividida em alas: esporte, vacinação, combate ao aedes aegypti, alimentação saudável e meio ambiente, caracterizadas por faixas, cartazes, roupas e acessórios alusivos aos temas. A diretora destacou ainda a participação da banda Lactomia, da Associação Lactomia Ação Social (Alas), que trabalha arte e educação através da música com as crianças do Candeal. "São parceiros maravilhosos e que com sua arte dão mais beleza e movimento ao trabalho".

Para o percussionista Jair Rezende, diretor geral da Alas e maestro da Lactomia, a iniciativa da escola chama a atenção dos moradores para uma maior conscientização ambiental e humana e desperta para a responsabilidade de todos com o bairro e os espaços comuns, que precisam ser cuidados e preservados. "As atividades com esse foco, esse objetivo e esse olhar de construção e conscientização coletiva sempre são muito bem vindas. E temos o maior prazer em participar", afirmou Rezende. Nascido e criado no Candeal, o percussionista idealizou e implementou a Alas, uma ONG que atua, desde 2003, com crianças, adolescentes e jovens, tendo por base a música percussiva e como foco a consciência ambiental e o trabalho integrado com a comunidade.

A Caminhada Saudável chamou a atenção dos moradores, que acompanharam das calçadas, quintais ou janelas, ou mesmo integrando-se ao grupo. A lojista Miralva Batista, que mora no Candeal há 20 anos, assistiu ao desfile em frente à sua loja. Muito animada, elogiou a iniciativa da escola. "Está linda a caminhada. É muito importante ensinar às crianças porque elas são multiplicadoras. E o desfile destaca vários pontos que precisam da conscientização de todos. É um trabalho fundamental", disse sobre o evento, que contou com o apoio da Guarda Municipal e da Transalvador.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Distrito Sanitário de São Caetano/Valéria tem sido uma das regiões mais beneficiadas com a ampla reestruturação no setor da saúde deflagrada pala Prefeitura nos últimos quatro anos. Na manhã desta quarta-feira (16), o prefeito ACM Neto e o titular da pasta municipal, José Antônio Rodrigues Alves, entregaram mais uma unidade de saúde da família totalmente ampliada, aparelhada e com equipes completas para oferta de serviços integrais da atenção primária, desta vez à comunidade de Bom Juá.

A entrega do equipamento possibilitará um incremento de aproximadamente 300% na cobertura de atenção básica na região, saltando de 13% para cerca de 57% da população da localidade assistida pelos serviços. "Logo que chegamos na Prefeitura, em 2013, a construção dessa unidade foi um dos principais pedidos feitos pelos moradores do bairro. Na verdade, não tínhamos um posto de saúde aqui. Era apenas uma associação que funcionava numa área extremamente depreciada, onde não havia condição alguma para manutenção de qualquer atividade de saúde. Hoje me sinto realizado por poder estalarmos serviços de uma forma mais definitiva e qualificada para a população de Bom Juá", comemorou José Antônio Rodrigues.

O novo posto, localizado na Praça Eunápolis de Queiroz, fim de linha do bairro, tem capacidade de atender a cerca de 650 pessoas da comunidade e adjacências através de equipes multidisciplinares da área de clínica-geral, enfermagem, odontologia, além de visitas domiciliares realizadas diariamente pelos agentes comunitários de saúde.

Na solenidade, o prefeito ACM Neto reafirmou o compromisso da gestão com o setor da saúde e garantiu manter em ritmo acelerado as ações na área em toda a cidade. "No início do meu mandato, estive na comunidade e garanti que construiria o posto de saúde. Hoje estamos aqui inaugurando a obra e resgatando mais um compromisso com a localidade de Bom Juá. Enquanto o governo do Estado fecha o posto em São Caetano, a UPA de Escada, UPA de Roma e a emergência em Plataforma, a Prefeitura abre serviços e segue o passo", enfatizou o gestor.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Conselho Regional de Odontologia da Bahia já pretende realizar uma segunda edição do projeto em 2018

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), em parceria como o Conselho Regional de Odontologia da Bahia (CROBA), realiza até esta sexta-feira (28) a ação de assistência odontológica #PraFicarBemNaSelfie, que acontece na Praça Municipal, das 8h às 16h. Uma equipe de 20 profissionais composta por dentistas e auxiliares realizam os serviços, tendo como meta avaliar e orientar cerca de 1,5 mil pessoas durante os dois dias do evento. Cerca de 500 atendimentos já foram realizados nesta quinta (27), primeiro dia da ação.

Serviços de avaliação odontológica, escovação supervisionada, aplicação de flúor, orientações prevenção e outras doenças que acometem a boca estão sendo ofertados durante a ação. A escovação dental supervisionada é considerada o principal indicador das ações preventivas em saúde bucal. "O objetivo é orientar e estimular o cidadão a incorporar hábitos de higiene oral, além de disponibilizar o flúor na cavidade bucal, por meio do creme dental", pontuou a coordenadora da Saúde Bucal do município, Ticiane Mendonça.

De acordo com Silvia Viana, dentista do município e membro do Conselho Regional de Odontologia da Bahia, os pacientes que necessitarem de acompanhamento de média ou alta complexidade serão encaminhados para as unidades de saúde para realização do diagnóstico e continuação do tratamento. “A população demonstrou interesse em participar. Fomos até pegos de surpresa porque há muitos grupos escolares visitando a região, então acabamos recebendo um volume maior do que esperávamos, mas a equipe está bem preparada”.

O projeto #PraFicarBemNaSelfie, que acontece pela primeira vez em Salvador, tem como objetivo promover a ação de saúde bucal fazendo escovação, passando orientações e divulgando as unidades de saúde do município. No stand, as pessoas recebem orientações sobre higiene bucal e, em seguida, são convidadas para uma escovação sob a orientação dos profissionais de saúde bucal. Em 2018, o Conselho Regional de Odontologia da Bahia pretende rever o projeto e fazer uma segunda edição do projeto, estendendo para outras cidades do interior da Bahia. 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com o objetivo de ampliar a imunização dos moradores de Salvador contra a febre amarela, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizará o Dia D de vacinação neste sábado (29). O objetivo da estratégia é fortalecer o bloqueio contra a doença, já que o município não registrou nenhum caso suspeito em humanos. Este ano, cerca de 381 mil pessoas foram imunizadas contra a febre amarela na capital baiana. Estima-se que outros 1,4 milhão de indivíduos ainda precisem se proteger contra a doença em Salvador.

"Nos meses de março e abril, tivemos episódios de macacos identificados com febre amarela no perímetro urbano e essa informação gerou uma grande procura pela vacina nos postos de saúde. No entanto, passado esse período, as pessoas deixaram de buscar os serviços para imunização. Por esse motivo, vamos promover um Dia D para ampliar o acesso às doses e, consequentemente, aumentar a cobertura vacinal", justificou Geruza Morais, diretora geral de Vigilância à Saúde.

O imunobiológico é administrado em dose única para o público entre 9 meses e 59 anos. O Ministério da Saúde afirma que a vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Para estes grupos, a orientação é que a pessoa busque ajuda médica, cujo profissional de saúde avaliará o benefício e o risco da vacinação, levando em conta o risco de eventos adversos.
A vacinação também acontece de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h, em todas 126 salas de vacina da rede municipal.  

Captura de macacos - Nessa semana, equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) capturaram três macacos (dois mortos e um vivo) na região de Sussuarana. As amostras recolhidas foram encaminhadas para análiselaboratorial para realização de exames de detecção da febre amarela. Após a identificação dos macacos com suspeita do agravo, equipes do CCZ são destacadas de imediato para os locais onde os bichos foram encontrados. Assim, realizam o bloqueio espacial com borrifação de inseticida com o
intuito de eliminar possíveis mosquitos infectados.

"Ficamos praticamente dois meses sem novas identificações de primatas mortos ou aparentemente doentes em perímetro urbano. Nesta segunda (17) e terça-feira (18) identificamos mais três animais na área de Sussuarana. Independentemente do resultado laboratorial, já enviamos agentes de endemias para aplicação de inseticida no entorno da  localidade onde os animais foram achados. A estratégia visa reduzir as chances de vetores
infectados circular, acabando assim com a cadeia cíclica da doença", afirmou Geruza Morais.
Desde o início de março, 169 macacos foram capturados mortos ou aparentemente doentes na capital. Desse total, 10 foram confirmados com infecção pelo agravo. Os casos positivos foram identificados em Ilha Amarela, São Tomé de Paripe, Vila Laura, Boca do Rio, Cajazeiras III, Nova Brasília, Itapuã e Itaigara (03).

Mosquito haemagogus - Após a confirmação da presença do mosquito haemagogus - vetor responsável pela transmissão da febre amarela em região de mata - no entorno do bairro de Cassange, equipes de Vigilância à Saúde da SMS iniciaram na segunda-feira (17) ações de controle vetorial e vacinação na localidade.

Durante a mobilização, enquanto os agentes de endemias realizam a inspeção das residências para identificação e eliminação com aplicação de larvicida dos focos do mosquito, técnicos de saúde realizam a imunização dos moradores através de visitação casa a casa. "Até o final dessa semana, finalizaremos a inspeção de todos os domicílios e   imunização dos moradores da comunidade do Cassange. É uma localidade com grande quantitativo de Mata Atlântica e com identificação positiva para o vetor que realiza a transmissão silvestre da doença. O nosso intuito é finalizar o mais rápido possível a vacinação dos moradores e o bloqueio focal em todas as casas para evitar a transmissão em humanos", explicou Morais.

Apesar dos casos de macacos com febre amarela e a identificação do mosquito haemagogus em Cassange, a gestora também tranquilizou a população, pois não foram registradas ocorrências da patologia em humanos no município. "Vale destacar que não há registro de febre amarela em humanos em Salvador. Um dos transmissores da doença é o mosquito Aedes aegypti, um velho conhecido nosso que também é causador da dengue, zika e chikungunya, e a melhor forma de evitar o avanço das arboviroses é combatê-lo", finalizou.

O cidadão que encontrar um macaco morto ou com comportamento estranho pode entrar em contato com o CCZ através do telefone 3611-7330 ou 3611-7331.

 

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...