Saúde

0
0
0
s2sdefault

Garantir às pessoas que vivem em situação de rua o acesso aos serviços do Sistema Único de Saúde. Esse é o objetivo da Feira de Saúde Cuidados na Rua, que acontece nesta quarta-feira (28), a partir das 14h, no bairro das Sete Portas.

Durante a mobilização, serão oferecidas consultas médicas, atendimentos odontológicos, acompanhamento psicológico, testes rápidos para detecção de infecções sexualmente transmissíveis, além de vacinação, aferição da pressão arterial e glicemia, distribuição de medicamentos e palestras educativas.

Os participantes também terão acesso a materiais de higiene pessoal, cestas básicas e a tomar banho num veículo adaptado exclusivamente para o projeto. O local foi escolhido pela concentração de indivíduos em situação de rua.

“É preciso vencer o preconceito e disseminar na sociedade que saúde é um direito de todos. Entre os profissionais, há a necessidade da prestação do atendimento humanizado e com dignidade. É uma luta por direitos que tem como meta abrir o caminho para a inclusão dessas pessoas”, destacou o secretário municipal da Saúde, Luiz Galvão.

Um estudo capitaneado pelo Projeto Axé em parceria com a Universidade federal da Bahia (UFBa), Movimento Nacional da População Rua e Defensoria Pública da Bahia, em 2017, estimou que mais de 17 mil pessoas vivem em situação de rua em Salvador. Os dados apontaram que 58,2% se declararam negros/pretos, 34,6% pardos, 5,5% brancos, 0,8% amarelos e 1% indígenas.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Moradores de Tubarão ganharam, nesta terça-feira (27), uma Unidade de Saúde da Família (USF) novinha em folha, inaugurada pelo prefeito ACM Neto, na companhia do secretário municipal da Saúde (SMS), Luiz Galvão, equipe do posto, imprensa e população. Com 592 m², a unidade dispõe de nove consultórios, sendo seis de atendimento médico, três odontológicos e salas de vacina, curativo, coleta de exames laboratoriais e dispensação de medicamentos. Para ser construída, a USF Tubarão recebeu investimento de R$ 1,4 milhão e tem capacidade para atender 545 pessoas por dia.

“Esse posto significa muito para os moradores. Sabemos o que era isso aqui no passado e estamos felizes em realizar mais esse sonho, que vai atender a 12 mil pessoas da região com três equipes de Saúde da Família e mais três de Saúde Bucal. Com isso, está sendo ampliada a assistência básica no Subúrbio e o nosso desafio será de chegar a 90% da cobertura até o fim de 2020”, salientou o prefeito ACM Neto. A unidade, localizada na Rua Eduardo Dotto, também atenderá aos programas de hipertensão, diabetes, pré-natal, planejamento familiar, crescimento e desenvolvimento infantil, tuberculose e hanseníase.

A líder comunitária Valdízia Freitas, de 59 anos e há 15 deles como moradora da comunidade de Tubarão II, não parava de contemplar a nova unidade. “Esse posto representa um sonho que virou realidade. Isso aqui, antes, era uma área de desova”, afirmou. Vizinho de Valdízia, o assistente social Francisco Pereira, de 60 anos e morador de Tubarão II há uma década, afirmou que a USF vai permitir que as pessoas tenham atendimento mais próximo de casa. “A população cresceu bastante e a saúde era uma prioridade aqui. Antes, tínhamos que ir à UPA de Paripe ou o posto perto da linha férrea (USF Doutor Sérgio Arouca). Agora veio essa melhoria, muito bom mesmo”, pontuou.

Ampliação – Com intuito de aperfeiçoar ainda mais a prestação dos serviços de saúde na região do Subúrbio, a Prefeitura está construindo mais duas unidades: a USF Vila da Fraternidade e a Teotônio Vilela. Ambas deverão ser entregues em 2019.

“Esta é a quinta unidade nova entregue pela Prefeitura na região, o que vem resultado em uma verdadeira revolução na área da saúde por aqui. Em 2012, a localidade tinha apenas 26 equipes de Saúde da Família e 33% de cobertura da atenção básica. Vamos fechar o ano de 2018 com 70 equipes e 75,1% dessa cobertura. Em 2019, será alcançada 81% da cobertura da atenção básica, demonstrando a preocupação da gestão com as áreas mais carentes da cidade”, relatou o secretário Luiz Galvão.

Projetos de requalificação foram desenvolvidos em 25 unidades de saúde da região. Aliada à reforma, foram construídas quatro novas USFs nos bairros de Fazenda Coutos, Rio Sena, Colinas de Periperi e Plataforma.

Novidade e melhorias – Além da entrega da USF Tubarão, os moradores receberam mais uma boa notícia, anunciada pelo prefeito ACM Neto: a construção do conjunto habitacional na localidade, há anos reivindicada pelos moradores. Com projeto acompanhado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), já estão acertados os recursos pela Caixa Econômica e a empresa que fará a construção do empreendimento. Já autorizada, a obra está prevista para ser iniciada logo no começo de 2019.

Na ocasião, o prefeito também lembrou que, nas visitas realizadas ao bairro de Tubarão em 2013, viu a desesperança dos moradores com a falta de compromisso dos políticos com o local. Uma área pobre, que tinha muitas demandas e que foram sendo atendidas pela Prefeitura gradativamente nos últimos cinco anos. Dentre elas estão a nova orla do bairro, novas iluminação e pavimentação, construção de creche e pré-escola e, agora, a unidade de saúde.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura dará início, a partir de segunda-feira (26), à “Semana Nacional de Mobilização de combate ao Aedes aegypti”, que acontece até dia 30 de novembro, com dinâmicas educativas, panfletagem e visitas zoosanitárias nas áreas com maiores índices de infestação. A iniciativa faz parte do “Plano Verão Sem Mosquito” e terá a abertura na Praça de Irmã Dulce, na Cidade Baixa, às 9h.

Dentre as ações do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão vinculado à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), está a inspeção em bocas de lobo por toda a cidade com o objetivo de eliminar focos e criadouros do Aedes aegypti, durante o verão, estação que favorece a proliferação. “Estamos nos aproximando do maior período de risco, que é a estação do verão, nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril. A estratégia reforça a rotina de eliminação de criadouros para aumentar a cobertura do município”, afirma a subgerente das Arboviroses do CCZ, Isolina Miguez.

Na próxima segunda-feira (26), os agentes de endemia vão realizar uma inspeção vetorial, a partir das 8h, nas matrizes africanas e hotéis da cidade. Os agentes também vão orientar a população que estiver transitando nas Praças Municipal e Dois de Julho, no Centro, e na Estação de Trem da Calçada.

Durante a mobilização, os agentes de endemias da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizarão visitas casa a casa, além de trabalhos de manejo ambiental, limpeza, remoção e descarte de lixo ou quaisquer outros materiais que possam se tornar criadouros, palitação de material reciclável, vistoria de depósitos elevados (como caixas d'água e calhas) e distribuição de material educativo. Os moradores das localidades trabalhadas devem colaborar com a iniciativa descartando entulhos e materiais inservíveis que podem ser colocados em frente às casas para recolhimento.

“Não basta só a visita do agente de saúde. É uma oportunidade de cada cidadão contribuir para manter as boas práticas de combate ao Aedes ao longo do ano dentro de suas próprias casas, trabalho e espaços de lazer”, explicou o chefe do Setor de Educação e Mobilização Social em Zoonoses, Péricles Pires.

Na sexta-feira (30), uma grande ação simultânea nos Distritos Sanitários Cabula, Subúrbio e Barra vai marcar o dia D da estratégia.

LIRAa – Pela segunda vez consecutiva, o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) apresentou redução da infestação do mosquito em Salvador. O Índice de Infestação Predial (IIP) da cidade passou de 2,6% (julho/2018) para 2,1% agora em outubro, ou seja, a cada 100 imóveis visitados, pouco mais de dois deles apresentaram focos do vetor.

Apesar da redução do indicador, Salvador permanece em estado de alerta para ocorrência de uma epidemia de dengue, zika vírus e chikungunya. De janeiro a outubro, a capital baiana registrou 1.310 casos prováveis de dengue, sendo 41 confirmados. Foram notificados ainda, 82 casos de Chikungunya e 75 de Zika, com confirmação de 11 e 18 casos, respectivamente.

Em 2018, os agentes de endemia visitaram mais de 1 milhão de imóveis em todos os bairros da cidade. Além disso, recolheram mais de 200 toneladas de entulho e material inservível.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal da Educação (Smed), através da Gerência Regional da Educação (GRE) Liberdade/Cidade Baixa, realiza nesta sexta-feira (22), a partir das 9h, a II Caminhada das Escolas Municipais do Polo Liberdade. A estimativa é de 350 participantes, que farão o percurso do Plano Inclinado Liberdade até o Largo da Soledade.

De acordo com Ivone Portela, gerente regional, o evento marca a culminância das atividades desenvolvidas nas escolas sob a temática étnico-racial. “Esse trabalho teve como objetivo implementar uma educação para as relações, pautada no combate ao racismo, ao preconceito, resgate da cultura afro-brasileira e indígena, no reconhecimento e valorização da diversidade, bem como, a celebração das conquistas do povo negro”, explica.
Participam da caminhada alunos, professores, gestores e funcionários das escolas municipais, além da presença da Fanfarra da Escola Municipal Helena Magalhães, da GRE São Caetano, do Bloco Muzenza, do Grupo Trilevada e toda a equipe do Programa Agente da Educação.

Os alunos da Escola Municipal Cardeal da Silva homenagearão atletas negros que se destacam na nossa história, dentre eles Pelé, João do Pulo, Adhemar Ferreira da Silva, a ginasta Daiane dos Santos, as judocas Rafaela Silva e Ketleyn Quadros. Também representarão inventores e cientistas negros, além de homenagearem o legado artístico-musical do Bloco Ilê Aiyê, oriundo do bairro do Curuzu, e dos cantores baianos Dorival Caymmi e Edson Gomes.

A Escola Municipal Zacarias Boa Morte fará apresentação de movimentos corporais, lembrando manifestações de resistência marcantes do povo negro. A Escola Municipal Josafá Carlos Borges homenageará várias personalidades negras ancestrais e contemporâneas, que são exemplo de vida e luta do povo negro e que nos servem de inspiração.

O Projeto Afrovila, da Escola Municipal Vila Vicentina, também estará presente. Este projeto tem por objetivo trabalhar a identidade dos alunos visando valorizar as origens afrodescendentes e indígenas dos mesmos. Participam também as escolas Adalgisa Sousa Pinto, Escola Municipal Nossa Senhora de Nazaré, Gisélia Palma, Pirajá da Silva,

“A energia e envolvimento dos nossos alunos vão proporcionar uma encontro cheio de harmonia, alegria, musicalidade e cultura por todo o percurso dos bairros da Liberdade, Lapinha e Soledade”, diz Portela. Ela destaca que o evento conta com o apoio da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar, Conselho Tutelar IV, CREAS, CRAS, Prefeitura Bairro da Liberdade São Caetano, Guarda Municipal, Transalvador e do Conselho Municipal das Comunidades Negras, Semur.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A partir da próxima segunda-feira (26), as Unidades de Referência de Aplicação da Vacina contra Febre Amarela passam de 41 para 89 em Salvador. Para evitar a circulação do vírus no município, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) convoca as pessoas que ainda não tomaram a dose do imunobiológico a buscarem os postos da rede municipal.

A medida foi tomada devido à chegada do verão, período em que se registra aumento do fluxo de turistas de todo mundo na capital baiana. O alerta também serve para quem vai viajar para as áreas com recomendação no país, como Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Nestes casos, é necessário se imunizar 10 dias antes de embarcar.

“Tivemos episódios de macacos identificados com febre amarela no perímetro urbano e essa informação gerou uma grande procura pela vacina nos postos de saúde em 2017. No entanto, passado esse período, as pessoas deixaram de buscar os serviços para imunização. Sabemos que essa é uma época do ano que pessoas de todas as regiões do planeta procuram nossa cidade como destino turístico, inclusive, indivíduos de São Paulo, estado que vive uma situação aguda da patologia com casos confirmados da doença em humanos e um avanço da epizootias [ocorrência da doença em animais] do interior para capital. Por isso, estamos convocando todas as pessoas que ainda não se vacinaram a realizarem a imunização”, alertou subcoordenadora de Controle de Doenças Imunopreveníveis, Doiane Lemos.

Estima-se que 1,1 milhão de indivíduos ainda precisam se proteger contra a doença na cidade. Somando-se à população imunizada nos anos anteriores, a marca da cobertura vacinal é de 59% do público alvo – pessoas de nove meses a 59 anos de idade. Para ter acesso à vacina, basta buscar uma das 89 salas de vacinação da rede municipal de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h.

Contra indicação – O Ministério da Saúde afirma que a vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Para estes grupos, a orientação é que a pessoa busque ajuda médica, cujo profissional de saúde avaliará o benefício e o risco da vacinação, levando em conta eventos adversos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

No mês que se comemora o Novembro Negro, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) promove atividades para debater a formalização e aplicação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra. No Brasil, das mulheres gestantes diagnosticadas com sífilis, 59,8% eram negras e 30,6% brancas, de acordo com o Ministério da Saúde. Outra doença que acomete os negros é a anemia falciforme - na capital baiana a rede municipal atende cerca de mil pessoas com doença falciforme. Só no ano passado, 467 casos foram identificados na capital baiana.

No intuito de fomentar o campo de discussão e propostas sobre os agravos que acometem principalmente as mulheres negras, a SMS vai desenvolver entre os dias 21 e 23 de novembro, no auditório da Universidade Maurício de Nassau (Campus Magalhães Neto), um seminário cujo tema será “Saúde da Mulher Negra em Situação de Vulnerabilidades: Caminhos para Equidade no Ciclo Gravídico”.

“Salvador é a cidade que tem mais negros fora da África e possui mais mulheres que homens, portanto, a necessidade de implementar as políticas públicas de saúde dentro e fora dos consultórios para elas é garantir uma saúde com equidade, que atenda suas especificidades, sobretudo na gravidez e puerpério”, afirmou a técnica do Campo Temático Saúde da População Negra, Dra. Elenilda Farias.

Programação

21/11/2018 – Quarta-feira
8:30 – 9:15 – Café da manhã
9:15 – 10:00 – Mesa de abertura (SEMUR, CMCN, CMS, SMS, UNINASSAU)
10:00 – 10:30 – Pré-natal da gestante negra (Drª Jussara Gomes dos Santos e Chastinet- Diretora Médica da Albert Sabin)
10:30 – 11:00 – Racismo institucional e a atenção à saúde da mulher – Msc. Altair Lira
11:00 – 11:40 – Teatro Maternidade Climério de Oliveira
11:40 – 12:00 – Discussão
12:00 – 13:30 – Intervalo para almoço
14:00 – 14:45 – Vulnerabilidades de mulheres envolvidas com drogas no período gravídico puerperal (Drª Andreia Rodrigues - Enfermeira)
14:45 – 15:30 – Direitos Sexuais e Reprodutivos de Mulheres Negras (Belle Damasceno – Cientista Social)
15:30 – 16:30 – Discussão

22/11/2018 – Quinta-feira
8:30 – 9:15 – Café da manhã
9:15 – 10:00 – Mulheres negras e vulnerabilidades (Msc. Tamiz Oliveira - Assistente Social)
10:00 – 10:45 – Maternidade no cárcere: um olhar sobre as questões raça/cor (Msc. Denise Santana Silva dos Santos – Enfermeira)
10:45 – 11:15 – Retirada compulsória de bebês e crianças de mulheres que vivem em situação de rua e/ou fazem uso de crack (Msc. Emanuele Santos Silva)
11:15 – 11:45 – Discussão

23/11/2018 – Sexta-feira
8:30 – 9:00 – Café da manhã
9:00 – 9:30 – Projeto Pré-natal em Salvador – Drª Sandra Renata
9:30 – 9:45 – Preparação para as atividades do dia
9:45 – 10:30 – Oficina em grupos para definição de estratégias (4 grupos)
10:30 – 12:00 – Socialização das atividades

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A dona de casa Iraci Souza Santos, de 42 anos, era só ansiedade para o início dos atendimentos da Unidade de Saúde da Família (USF) Vila Verde, construída pela Prefeitura na localidade de mesmo nome, na Avenida Aliomar Baleeiro, também conhecida como Estrada Velha do Aeroporto. Ela era um dos moradores presentes na inauguração do equipamento, ocorrida nesta terça-feira (20) e que contou com a participação do prefeito ACM Neto e do secretário municipal de Saúde (SMS), Luiz Galvão, demais autoridades e imprensa.

A iniciativa marca também uma série de inaugurações de unidades municipais de saúde, a serem realizadas a partir de hoje pela Prefeitura. “Este é o primeiro de uma série de 11 postos a serem entregues, um por semana, nos próximos dois meses. Ou seja, mais de 40 equipes de USF que, a partir de 2019, vão dar assistência à população de Salvador. Será dado o maior salto quantitativo em ampliação da atenção básica dos últimos tempos na capital. Esse trabalho começou em 2013 e não para, sobretudo focando em áreas como essa, que havia uma demanda reprimida e, portanto, um déficit de assistência que será resolvido agora com essa nova unidade”, salientou o prefeito.

Esse déficit pode ser exemplificado com o relato de dona Iraci, que contou que costumava ir a postos em localidades próximas, como a USF Professor Eduardo Mamede, em Mussurunga, para ter atendimento médico. “Lá era bastante difícil conseguir ficha, pois o posto fica sempre cheio. Esse posto aqui um sonho nosso. Agora, vamos poder ter consulta e fazer exame perto de casa”, afirmou.

Estrutura – Com investimento municipal de R$ 1,7 milhão, a USF Vila Verde conta com dois pavimentos, distribuídos em 630m² de área, com total acessibilidade. A capacidade de atendimento é de 650 pessoas por dia, através da atuação das quatro equipes de saúde da família e outras quatro de saúde bucal. A nova instalação prestará assistência, prioritariamente, à população da das comunidades de Jaguaripe e Vila Verde. Aproximadamente 14 mil pessoas estão cadastradas na Estratégia de Saúde da Família dessas localidades e devem ser beneficiadas pelas novas instalações.

A unidade também vai cuidar da saúde da criança (acompanhamento de crescimento e desenvolvimento), do adolescente e saúde da mulher (planejamento sexual e reprodutivo, atenção ao pré-natal, rastreamento de câncer de colo de útero e de mama e outros). O público masculino também está contemplado pela unidade, que abrirá aos sábados só para esse atendimento.

Haverá também serviços de saúde do idoso (realização de ações de assistência e grupo de convivência) e atendimento bucal. A unidade disporá ainda de serviços complementares como curativo, coleta de material para exames laboratoriais, vacinação; realização de visita domiciliar, marcação de consulta para outras especialidades e exames ofertados no Distrito Sanitário, dispensação de medicamentos básicos e confecção do Cartão SUS. Serão ofertados, ainda, serviços de atenção integral, focando nos programas de hipertensão, diabetes, controle da tuberculose, hanseníase e doença falciforme.

Ampliação – De acordo com o secretário Luiz Galvão, a região do Distrito Sanitário Itapuã, em 2012, tinha apenas 20% da cobertura em Atenção Básica de Saúde. Até o fim de 2018, o número saltará para 54%. Com as novas inaugurações previstas para os próximos dois anos, a intenção é encerrar o ano de 2020 com mais de 76% de cobertura da região.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Moradores de Vila Verde serão beneficiados com a nova Unidade de Saúde da Família (USF) Vila Verde. Atendendo a uma antiga reivindicação da comunidade, o prefeito ACM Neto entrega, nesta terça-feira (20), às 9h, a unidade localizada na Avenida Aliomar Baleeiro, nº 12044, Km 12 da antiga Estrada Velha do Aeroporto. O equipamento recebeu investimentos municipais de R$ 1,7 milhão e conta com dois pavimentos, distribuídos em 630 metros quadrados de área, com total acessibilidade.

A USF terá capacidade para atender cerca de 650 pessoas por dia, através da atuação das quatro equipes de saúde da família e quatro equipes de saúde bucal. A nova instalação prestará assistência, prioritariamente, à população da das comunidades Jaguaripe e Vila Verde. Aproximadamente 14 mil pessoas estão cadastradas na Estratégia de Saúde da Família dessas localidades e devem ser beneficiadas pelas novas instalações.

A USF também cuidará da saúde da criança (acompanhamento de crescimento e desenvolvimento), do adolescente e saúde da Mulher (planejamento sexual e reprodutivo, atenção ao pré-natal, rastreamento de câncer de colo de útero e de mama e outros). O público masculino também será contemplado pela unidade, que abrirá aos sábados só para esse atendimento.

Haverá também serviços de saúde do idoso (realização de ações de assistência e grupo de convivência) e atendimento bucal. A unidade de saúde disporá ainda de serviços complementares como curativo, coleta de material para exames laboratoriais, vacinação; realização de visita domiciliar, marcação de consulta para outras especialidades e exames ofertados no Distrito Sanitário, dispensação de medicamentos básicos e confecção do Cartão SUS.

Em dezembro de 2012, a cobertura da atenção primária à saúde no Distrito Sanitário de Itapuã era de 15% e, em novembro de 2018, alcançou 44%, demonstrando um incremento de aproximadamente 194% na cobertura. A unidade pretende ofertar serviços de atenção integral, focando nos programas de hipertensão, diabetes, controle da tuberculose, hanseníase e doença falciforme.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Considerada a segunda área com maior infestação de mosquitos Aedes Aegypti, segundo o último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) do mês de outubro, o Largo São Domingos, na Liberdade, recebeu, na manhã desta quarta-feira (14), uma ação intensificada de combate ao mosquito. Na ocasião, foi aplicado o inseticida Bendiocarb nas bocas de lobo e o Ultra Volume Baixo (UBV) na localidade, além da realização de ações educativas e visitas domiciliares feitas pelos agentes de combate a endemias.

A subcoordenadora de arboviroses do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Isolina Miguez, explica que o verão é a estação ideal para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, e que ações como essa trazem uma maior segurança para a população. “Nosso objetivo é diminuir o índice de proliferação desses mosquitos e evitar a cadeia de transmissão, além de conscientizar a população. Essa é uma ação intensificada, mas a prática de combate é rotineira, segue durante todo o ano”.

Isolina ainda destaca a necessidade da colaboração da população para o combate do mosquito. “Esse é um trabalho conjunto, que depende da participação da população. Os moradores devem permitir a entrada dos agentes nas suas casas, além de observar as ações educativas passadas pelos profissionais para que o morador possa ser o próprio agente e dê continuidade ao nosso trabalho. Se não tivermos o apoio da população, não vamos para lugar algum”, finaliza.

Moradora do bairro há 22 anos, a aposentada Adailza Ramos, de 69 anos, conta que nos últimos anos a presença dos mosquitos tem crescido e tirado o sossego dos moradores. “Todos os dias, quando chega 16h30, tenho que fechar minha casa, borrifar o inseticida e ligar o ventilador porque ninguém aguenta. Até para sair de casa ou ficar na porta é complicado porque os mosquitos nos atacam. Tenho que passar repelente o tempo todo”, afirma.

A aposentada reforça a importância de ações como essa, mas faz uma ressalva: “não é só a prefeitura que tem que fazer. Os moradores também precisam ajudar. Se cada um fizer sua parte, vai trazer benefícios para toda a comunidade. A gente pode viver melhor, sem correr risco de ser picado por mosquitos, é só um ajudar o outro”, declara.

Entre novembro próximo e abril de 2019, mais 1,5 mil agentes de combate às endemias vão promover uma série de medidas nas áreas mais afetadas por focos de mosquitos na capital baiana. Na próxima semana, essa ação acontecerá nos bairros do Cabula e Vale dos Lagos. Entre os dias 26 e 30 deste mês, acontecerá a “Semana de Mobilização contra o mosquito Aedes”, sendo que nesta última data será o “Dia D” contra as arboviroses.

LIRAa – Pela segunda vez consecutiva, o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) apresentou redução da infestação do mosquito em Salvador. O Índice de Infestação Predial (IIP) da cidade passou de 2,6% (julho/2018) para 2,1% agora em outubro. Ou seja, a cada 100 imóveis visitados, pouco mais de dois deles apresentaram focos do vetor.

Apesar da redução do indicador, Salvador permanece em estado de alerta para ocorrência de uma epidemia de dengue, zika vírus e chikungunya. De janeiro a outubro, a capital baiana registrou 1.310 casos prováveis de dengue, sendo 41 confirmados. Foram notificados, ainda, 82 casos de chikungunya e 75 de zika, com confirmação de 11 e 18 casos, respectivamente.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...