Saúde

0
0
0
s2sdefault

O pedreiro Valdinei da Silva, 39 anos, saiu cedo da onde mora, em Itapuã, para fazer endoscopia no Hospital Municipal de Salvador (HMS), em Boca da Mata, nesta segunda-feira (11). O trajeto durou apenas 15 minutos de carro, mas não foi só o tempo de deslocamento que chamou atenção dele. “Nunca tinha sido atendido aqui. Mas já vim uma vez acompanhar meu irmão e me impressionei com a estrutura do hospital. O atendimento é excelente”, conta.

Com suspeita de H.pylori, bactéria que geralmente se aloja na mucosa do estômago, provocando enjoos, diarreia, gastrites, entre outros sintomas, Valdinei aguardava o resultado do exame para dar início ao tratamento. Ele foi o paciente de número 100 mil atendido no HMS.

O volume de atendimentos prestados pelo equipamento de saúde, que possui apenas 10 meses de funcionamento, traduz o quanto o hospital se tornou importante referência para os usuários do SUS em toda a Bahia, e não apenas Salvador - do quantitativo total de atendidos, 10% das admissões foram de pacientes provenientes de municípios do interior e outros estados.

“Em menos de um ano, o Hospital Municipal contribuiu notoriamente para redução do tempo de espera na fila da regulação, consolidando a unidade como mais uma referência do SUS na Bahia. Para isso, tem reforçado o fluxo assistencial da rede hospitalar não apenas para os munícipes da capital, como também tem se tornado referência para pacientes dos municípios do interior, sobretudo da Região Metropolitana. A ampliação da oferta de serviços, desde os ambulatoriais aos cirúrgicos, tem extrema importância para nossa rede de saúde”, afirmou o secretário municipal de saúde, Luiz Galvão.

Balanço - O setor de emergência foi o responsável por pouco mais da metade das ocorrências assistidas pela unidade hospitalar, superando 50 mil admissões. Além disso, mais de 6 mil pacientes permaneceram internados no Hospital. A partir da aplicação econômica, foi possível alcançar a antecipação em um ano da implantação da capacidade total de acolhimento do Hospital Municipal de Salvador.

A unidade cirúrgica do HMS ultrapassou a marca de 2,5 mil procedimentos. No local, são feitas cirurgias de urgência, como as de trauma, apendicite, abdômen agudo, e também algumas eletivas, como a de vesícula e hérnia. Alguns dos exames realizados são tomografia computadorizada, ecocardiograma, ultrassonografias, raio-x, eletrocardiograma, eletroencefalograma e holter, além de hemograma e urina. No total, foram realizados 62 mil exames de imagem e 250 mil laboratoriais.

Mesmo com capacidade total ativada de 210 leitos, a Prefeitura analisa o projeto de ampliação do HMS com a implantação de mais 90 leitos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Quem reside nos conjuntos habitacionais Ceasa I e II e imediações, localizados na Estrada CIA/Aeroporto, fez questão de comparecer e comprovar a concretização de um sonho: a Unidade de Saúde da Família (USF) Ceasa I e II, entregue pela Prefeitura nesta quinta-feira (7). Na ocasião, estiveram presentes o prefeito ACM Neto e o vice, Bruno Reis, acompanhados do secretário da Saúde (SMS), Luiz Galvão, demais autoridades, lideranças comunitárias, moradores e imprensa.

O prefeito salientou que, por ser uma das regiões mais distantes do centro da cidade, os moradores da localidade tinham uma enorme dificuldade de acesso à atenção básica. “A Prefeitura traz aqui mais um posto de saúde, que vai poder atender a até 16 mil pessoas. São quatro equipes de saúde da família e quatro de saúde bucal, em uma unidade que vai estar completa para atender à comunidade. Isso mostra o nosso investimento na saúde – a gestão está inaugurando uma unidade por semana em Salvador, cidade com maior ritmo de expansão de atendimento à saúde dentre as capitais do país”, afirmou ACM Neto.

Residente na região da Ceasa há quatro anos, Renato Santana, de 37 anos, expressou o sentimento de todos os moradores sobre conseguir um atendimento médico perto de casa. “O atendimento mais próximo que a gente conseguia aqui era na UPA de Simões Filho, que já fica em outro município. Pelo menos, com essa USF, as pessoas vão ter acesso a serviços como consulta básica e farmácia, já que nunca tivemos serviço de saúde aqui.”

Estrutura - Com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, a USF Ceasa I e II ofertará serviços de atenção integral à saúde, desde o recém-nascido ao idoso, através atendimento médico, enfermagem e odontológico. Atuarão na unidade quatro cirurgiões-dentista; quatro auxiliares de saúde bucal; quatro enfermeiras generalistas; quatro médicos generalistas; sete técnicos/auxiliares de enfermagem; três agentes comunitários de saúde; dois higienizadores e três assistentes administrativos. Os profissionais deverão cumprir jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Com intuito de garantir o princípio da equidade e integralidade da atenção à saúde, serão ofertados serviços de atenção integral, considerando as áreas prioritárias da Atenção Primária à Saúde nos programas de hipertensão, diabetes, controle da tuberculose, hanseníase e doença falciforme, nas áreas de saúde da criança, adolescente, mulher, homem, adulto, idoso e bucal.

A nova USF Ceasa I e II também disponibilizará serviços complementares, como curativo; coleta de material para exames laboratoriais; vacinação; realização de visita domiciliar; marcação de consulta para outras especialidades e outros exames ofertados no Distrito Sanitário; dispensação de medicamentos básicos; e confecção do Cartão SUS.

De acordo com o secretário Luiz Galvão, neste primeiro momento será feito o cadastramento das famílias da região para acompanhamento de saúde. De imediato, já estarão disponíveis os serviços de curativo, vacina e farmácia.

Cobertura - Em dezembro de 2012, a cobertura da Atenção Primária à Saúde no Distrito Sanitário de Itapuã, do qual a nova unidade faz parte, era de 15%. Em janeiro de 2019, o índice alcançou a marca de 49%, demonstrando um incremento de aproximadamente 226% na cobertura de Atenção Primária à Saúde desta região administrativa da cidade. O investimento aplicado até então supera o montante de R$ 19 milhões.

Ainda este ano, mais cinco USFs serão entregues no DS Itapuã: Itapuã, Jardim Campo Verde, KM 17, São Cristovão e Coração de Maria. Com isso, saltará para 76,6% o índice de cobertura da Atenção Básica na região.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A partir desta quarta-feira (30), os moradores do Subúrbio Ferroviário passarão a contar com um serviço de assistência para pessoas com deficiência inédito na região. Bastante comemorado pela população, o Centro Especializado em Reabilitação (CER), instalado pela Prefeitura no Subúrbio 360, em Coutos, foi inaugurado nesta terça-feira (29) pelo prefeito ACM Neto.

Também estiveram presentes no evento o vice-prefeito Bruno Reis; a presidente da ONG Parque Social, Rosário Magalhães; a presidente da Unidade de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência (UPCD), Risalva Telles; e a presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Juliana Badaró.

O CER é o primeiro centro de reabilitação ofertado pela administração municipal. O serviço será oferecido em parceria com a Apae, instituição que vai gerenciar o espaço. “Essa é uma demanda antiga do Subúrbio. Nas visitas pela região, as mães sempre abordavam a gente e diziam que, todos os dias, tinham pegar pelo menos dois transportes de ida e mais dois de volta porque todos os centros de reabilitação ficavam no centro da cidade, ou seja, muito distante de casa. Essa unidade é uma prova muito clara do compromisso da gestão com as pessoas com deficiência e de baixa renda”, afirmou ACM Neto.

A dificuldade no acesso ao atendimento fez com que a dona de casa Genivalda Conceição, de 34 anos e moradora de Vista Alegre, interrompesse o tratamento da filha Marta, de 13 anos, que possui paralisia cerebral. “Ela fazia tratamento em Ondina, mas é muito longe, chegava atrasada nas sessões e acabei desistindo. Há três anos ela não faz nada, os braços e pernas atrofiaram. Com esse centro agora vai ser ótimo, não vamos perder qualquer atividade. Gostei muito daqui (das instalações)”, disse.

Atendimento – Cerca de 400 pessoas de todas as idades com deficiência física ou mental serão atendidos mensalmente no CER – o centro é especializado em sequelas de traumas. Os danos físicos podem ser decorrentes de problemas como acidente vascular encefálico; lesão medular; amputações; traumatismo cranioencefálico; doenças neuromusculares; paralisia cerebral; síndromes genéticas que comprometam o aparelho locomotor; mielomeningocele; malformações congênitas; paralisia infantil; e neuropatias.

O atendimento da unidade será prioritariamente aos residentes no Subúrbio e adjacências. Para ter acesso ao CER, o paciente deve procurar uma unidade de saúde do bairro onde mora, que fará o devido encaminhamento de acordo com o perfil necessário para o atendimento. O centro não fará atendimento a pacientes que não tenham sido encaminhados pela unidade de saúde.

O espaço contará ainda com estrutura adaptada para receber pessoas com deficiência intelectual leve, moderada e Transtornos do Espectro Autista, ampliando, em qualidade e quantidade, os atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital baiana. Haverá ainda dispensação de órtese e prótese, cadeiras de rodas para crianças e adultos, cadeira de banho, bengalas, coletes, muletas, bolsa de colostomia (coletora de fezes). Além disso, um veículo adaptado modelo furgão para auxiliar o trabalho realizado com os pacientes.

A presidente da Apae agradeceu pela confiança da Prefeitura na instituição e pela sensibilidade em ver a necessidade de atender as pessoas com deficiência em uma região distante do centro da cidade. “Completamos 50 anos e o nosso sonho, nesse período, era a instalação de uma unidade como essa para descentralizar o atendimento à população carente. É algo que vai encher a gente de alegria para os próximos 50 anos”, afirmou Juliana Badaró.

Funcionamento – O Centro Especializado em Reabilitação funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, proporcionando atendimento especializado gratuito em reabilitação intelectual e física, incluindo pacientes ostomizados. A equipe possui cerca de 50 profissionais nas áreas de fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, fonoaudiologia, serviço social, enfermagem, neurologia, ortopedia, psiquiatria e gastroenterologia.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

 

Os dias ensolarados na capital baiana, com temperaturas acima da média, provocando calor e pancadas de chuva, são bem favoráveis para a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Por conta dos fatores climáticos propícios, grande fluxo de turistas e a frequência de festas populares, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), pertencente à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), tem reforçado o Plano Verão, ampliando o calendário de atividades de prevenção e controle.

Durante toda a semana, foram realizadas ações em condomínios nos bairros de Amaralina, Caminho das Árvores, Itaigara, Pituba e Rio Vermelho, localidades que tiveram Índice de Infestação Predial (IIP) de 5,3%, percentual considerado elevado segundo o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) de outubro de 2018. Com o crescimento do número de turistas em Salvador, as equipes do CCZ fazem vistorias em diversos pontos da cidade, a exemplo de hotéis, trajetos de eventos populares, parques, pontos turísticos, hotéis e rodoviária.

De acordo com a gerente do CCZ, Andréa Salvador, as atividades do centro se intensificam nesse período para proteger e alertar turistas e baianos sobre os cuidados necessários para combater o Aedes. “O CCZ vem executando o Plano Verão com a realização de inspeções zoossanitárias vetoriais pelos agentes de combate às endemias em áreas estratégicas como pontos turísticos, portos, aeroportos, estações de transbordo, além dos locais onde estão sendo realizadas festas populares de largo”, explica. Já foram realizadas inspeções e ações educativas nas estações do Metrô, Rodoviária, hotéis com grande circulação de turistas e também na Lavagem do Bonfim.

Em 2018, os agentes de endemia visitaram mais de 1 milhão de imóveis em todos os bairros da cidade. Além disso, recolheram mais de 200 toneladas de entulho e material inservível. Diariamente, os grupos de agentes do CCZ visitam domicílios na capital baiana e convocam os moradores a se tornarem “agentes sanitários” de suas próprias residências, promovendo atividades de mobilização social durante todo o Verão.

Conforme dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), em 2018 foram notificados 1.790 casos de dengue, 134 casos de chikungunya e 120 casos de zika. Destes, foram confirmados 53 casos de dengue, 18 casos de chikungunya e 28 casos de zika. Em 2019, do dia 1 a 23 de janeiro, foram notificados pelo SINAN 84 casos de dengue, 13 casos de chikungunya e 2 casos de zika. Destes, foram confirmados dois casos de dengue, um caso de chikungunya e nenhum de zika.

Redução - Pela segunda vez consecutiva, o LIRAa apresentou redução da infestação do mosquito em Salvador. O último cálculo do Índice de Infestação Predial (IIP) da cidade apresentou redução de 2,6% (julho/2018) para 2,1% em outubro de 2018. Ou seja, a cada 100 imóveis visitados, pouco mais de dois deles apresentaram focos do vetor. Apesar da diminuição do indicador, Salvador permanece em estado de alerta para ocorrência de uma epidemia de dengue, zika vírus e chikungunya.

Os maiores índices foram encontrados nos bairros de Amaralina, Caminho das Árvores, Itaigara, Pituba, Rio Vermelho, com média de 5,3%. Já os menores ficam na região de Brotas: os bairros de Cosme de Farias e Luiz Anselmo apresentaram 0,4%. De acordo com o levantamento, os depósitos preferenciais estão dentro dos domicílios ao nível do solo como vasos e pratos de plantas e bebedouros de animais. "No período do verão, as elevadas temperaturas e as frequentes pancadas de chuva são fatores propícios à proliferação do vetor Aedes aegypti. Portanto, todo cidadão deve estar atento e colaborar com a eliminação de depósitos com potencial para acumular água da chuva contribuindo na prevenção e controle do vetor", alerta a gerente do CCZ.

Dicas básicas para manter o mosquito afastado:

1. Deixe tudo tampado (ventos tiram as tampas das caixas d'águas do lugar);
2. Lembre-se de colocar areia nos vasos;
3. Verifique o quintal e tenha atenção com o lixo;
4. Retire a água dos pneus velhos;
5. Deixe latas e garrafas bem guardadas;
6. Cuide das piscinas, caixas d’águas;
7. Utilize telas de proteção;
8. Coloque desinfetante nos ralos;
9. Atenção com potes de água dos animais e aquários;
10. Use repelentes e inseticidas.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Moradores da comunidade de Novo Marotinho celebraram, nesta terça-feira (22), a entrega da Unidade de Saúde da Família (USF) João Inácio Roma Filho, construída pela Prefeitura na Avenida Aliomar Baleeiro. O prefeito ACM Neto e o vice, Bruno Reis, acompanhados do secretário municipal da Saúde (SMS), Luiz Galvão, e do filho do homenageado, o deputado federal João Roma Neto, estiveram na unidade para a solenidade de inauguração, junto aos moradores da região.

O prefeito ressaltou que, nos últimos seis anos, Salvador foi a cidade que mais avançou na cobertura da Atenção Básica em Saúde no país. Um exemplo disso é que, desde novembro, está sendo inaugurada uma unidade de saúde municipal por semana e outras sete ainda deverão ser entregues nos próximos dois meses. De acordo com ACM Neto, o investimento no setor é considerado essencial, por ser a porta de entrada para o atendimento médico e que ajuda a reduzir procedimentos de média e alta complexidade a serem realizados no futuro.

“Aqui nesta USF, serão 16 mil pessoas atendidas por mês. Saímos de 8% em 2012 para 72% de cobertura na Atenção Básica em 2019, o que mostra o compromisso da gestão em priorizar a saúde na capital. A pretensão é, ao final de 2020, alcançar cobertura superior a 60% em toda a cidade”, completou ACM Neto. Na ocasião, foi anunciada a requalificação completa da Estrada Velha do Aeroporto.

Acompanhada da filha Débora de Souza, de 30 anos, a aposentada Maria de Souza, de 69 anos, fez questão de ressaltar que o posto chegou na hora certa. “Estávamos precisando muito de atendimento perto de casa. Tínhamos que ir para outros bairros como Cajazeiras, Nova Brasília e Pau da Lima para conseguir uma consulta.” “E a gente ainda tinha de sair de madrugada de casa. Agora, graças a Deus, vai melhorar bastante a vida da gente”, completou Débora.

Em um discurso emocionado, o deputado João Roma Neto agradeceu a homenagem em nome da família e relembrou a figura de João Roma Filho, conhecido pela generosidade e atenção com as pessoas, principalmente as mais carentes. “Meu pai ensinou os valores de amizade, humildade e gratidão, e estou bastante grato por esse reconhecimento, principalmente em uma unidade de saúde da família que vai cuidar da vida dos cidadãos.”

Estrutura – A unidade ofertará serviços de atenção integral, desde o recém-nascido ao idoso, através do atendimento médico, enfermagem e odontológico. A capacidade de atendimento é de cerca de 650 pessoas por dia, inclusive com saúde bucal. O atendimento poderá ser prestado na própria unidade de saúde, no domicílio, na escola ou em outros equipamentos sociais da comunidade, com demandas que podem e devem ser resolvidas pela Atenção Primária, conforme critérios de classificação de risco.

Mais serviços – A unidade de saúde prestará assistência, prioritariamente, à população da área ligada a Novo Marotinho. Os profissionais deverão cumprir jornada de trabalho de 40 horas semanais. Com intuito de garantir o princípio da equidade e integralidade da atenção, serão ofertados serviços considerando as áreas prioritárias da Atenção Primária à Saúde nos programas de pré-natal, hipertensão, diabetes, controle da tuberculose, hanseníase e doença falciforme.

A unidade de saúde também disponibilizará serviços complementares, como curativo; coleta de material para exames laboratoriais; vacinação; realização de visita domiciliar; marcação de consulta para outras especialidades e outros exames ofertados no município; dispensação de medicamentos básicos; confecção do Cartão SUS; acompanhamento das condicionalidades do programa Bolsa Família; e acolhimento com classificação de risco.

De acordo com o secretário Luiz Galvão, o Distrito Sanitário de Pau da Lima, do qual a USF João Roma Filho é pertencente, teve 100% da rede requalificada pela Prefeitura. Além disso, foram construídas quatro novas Unidades de Saúde da Família e investidos mais de R$16 milhões na área de saúde na região.

Requalificação da EVA – Em discurso, o prefeito também fez questão de anunciar aos moradores que a Estrada Velha do Aeroporto (Avenida Aliomar Baleeiro), deverá ter as obras de requalificação iniciadas ainda no primeiro semestre deste ano. “Essa será a maior obra viária dos próximos dois anos a ser realizada na cidade, será uma das ligações mais bonitas de Salvador para atender a todas as pessoas que vivem e trabalham na região”, afirmou ACM Neto.

Com investimento de cerca de mais de R$50 milhões, a requalificação da Estrada Velha do Aeroporto está com o projeto concluído, faltando apenas a licitação para contratação da empresa responsável. Sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop), a intervenção atingirá os 16,6km da avenida, que faz a ligação entre os bairros de Pirajá e São Cristóvão.

A intenção é melhorar o traçado da pista em trechos críticos e nos acessos aos bairros da poligonal da via. A lista de ações inclui o alargamento da via, instalação de passeios com piso tátil, melhoria de curvas verticais e horizontais, melhoria nos acessos aos bairros e implantação de rótulas em pontos críticos de tráfego.

Além disso, deverá ser feita a implantação da rede de drenagem e melhoria nas já existentes, implantação de rampas de acessibilidade e de passagem de pedestres. Paisagismo, ciclovia, passeios e iluminação em LED completam o projeto.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Férias escolares, muito sol em Salvador, água do mar gelada para relaxar ou até viajar para outros estados ou país. No entanto, mesmo com esse cenário bonito, as doenças surgem e é preciso se proteger. "A população precisa entender que todo mundo deve ter o calendário vacinal atualizado, independente do grupo de risco ou época do ano", afirma a técnica de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Ana Cláudia Pinto.

Entre as vacinas que devem ser prioridade para quem deseja viajar na alta estação, a especialista alerta para a proteção contra a febre amarela, que acometeu centenas de pessoas em 2018. "Ela é um agravo que ainda ocorre no Brasil. As pessoas devem manter seus calendários vacinais atualizados", ressalta. Ela lembra ainda que alguns países exigem, para a entrada do viajante, o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

Perigo das notícias falsas – No ano passado, uma das principais pautas em discussão na sociedade foi o compartilhamento desenfreado das fake news, como ficaram conhecidos os conteúdos mentirosos divulgados nas redes sociais. Ana Cláudia faz um apelo para que a população não acredite nesse tipo de material enganoso, principalmente quando se trata de imunização.

"Nosso sistema de vacinação é seguro. Existe um processo de identificação e investigação do paciente, caso ocorra algum problema inesperado. Antigamente, tínhamos um número muito alto de doenças e que, hoje, foi reduzido com a vacinação", orientou.

Qualquer pessoa pode procurar uma das mais de 126 unidades de saúde do município para completarem o calendário vacinal; não precisa aguardar pelo início de uma campanha oficial. Os postos funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A festa com a participação de grupos culturais locais demonstraram a satisfação dos moradores de Mata Escura, que viram uma antiga demanda ser realizada pela Prefeitura nesta segunda-feira (14). Com capacidade para atender 16 mil pessoas, a Unidade de Saúde da Família (USF) que leva o nome do bairro foi inaugurada pelo prefeito ACM Neto e pelo vice, Bruno Reis, acompanhados do secretário municipal da Saúde (SMS), Luiz Galvão, demais gestores e autoridades, população e imprensa. Esta é a 12ª unidade de saúde de uma série de entregas deste tipo – uma por semana – realizadas pela administração municipal desde novembro passado.

O prefeito salientou que Salvador vem investindo muito na expansão da Atenção Básica, que passou a ser a prioridade absoluta da gestão no quesito saúde pública da cidade. Ele lembrou que, em 2013, Salvador era a capital que possuía a pior cobertura de Atenção Básica no país e, hoje, é a que mais avançou nessa área dentre todas as capitais. “A USF Mata Escura é uma demanda antiga da comunidade. A gente percebia a desassistência do bairro na saúde básica. Muitas pessoas estavam sem essa atenção direta à saúde básica, que é a porta de entrada e o melhor investimento que a gente pode fazer para evitar problemas muito mais sérios de saúde no futuro”, afirmou ACM Neto.

A necessidade de conseguir atendimento médico no bairro foi destacada pela pensionista Maria Lúcia Barreto, 64 anos, moradora da localidade há 24 anos. Ela relatou que o único posto de saúde até então – o Centro de Saúde Mata Escura – não conseguir atender à intensa demanda. “Era difícil conseguir uma consulta lá, eu mesma não conseguia entrar de tanta gente. Agora vai ser muito bom, vai atender mais pessoas, está tudo mais perto, facilitado, não precisa ir pra longe, pegar ônibus. Minha família toda mora aqui e necessita muito desse posto. Foi ótimo!”

Estrutura e avanços - Localizada na Avenida Cardeal Avelar Brandão Vilela (mais conhecida como Rua Direta da Mata Escura), a USF Mata Escura teve investimento de aproximadamente R$1,5 milhão em 670m² de área construída. São quatro equipes de Saúde da Família e outras quatro de Saúde Bucal, atendendo em 12 consultórios. Com intuito de garantir o princípio da equidade e integralidade da atenção, serão ofertados serviços de atenção integral, considerando as áreas prioritárias nos programas de hipertensão, diabetes, controle da tuberculose, hanseníase e doença falciforme, além de saúde bucal.

A unidade de saúde também vai disponibilizar os serviços de curativo; coleta de material para exames laboratoriais; vacinação; realização de visita domiciliar; marcação de consulta para outras especialidades e outros exames ofertados no Distrito Sanitário. Além disso, haverá também dispensação de medicamentos básicos e confecção do Cartão SUS (2ª via).

De acordo com o secretário Luiz Galvão, o Distrito Sanitário Cabula/Beiru recebeu uma série de investimentos municipais nos últimos seis anos, a exemplo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Pirajá/Santo Inácio e das reformas do Centro de Saúde e do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) do bairro. Do início de 2013 até o momento, a cobertura na área de Atenção Básica na região saltou de nove para 34 equipes de Saúde da Família. A previsão é de que sejam entregues mais 20 unidades de saúde em Salvador durante este ano de 2019.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com a proximidade de festas populares e Carnaval, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) ampliará, no período de janeiro a março, uma série de atividades de prevenção e controle da infestação de roedores nos principais pontos de circulação pública de Salvador. A leptospirose, doença transmitida pela urina do rato, foi responsável por registrar 38 casos no município no ano passado.

“A ideia é agir de maneira preventiva buscando reduzir o número de infestações, principalmente nos distritos do Subúrbio Ferroviário, Cabula/Beiru, Liberdade e Itapuã. Essas localidades concentraram o maior número de casos confirmados no ano passado”, explicou Ana Virgínia Rocha, bióloga do CCZ.

A expectativa é realizar atividades em toda a extensão de praias, além de feiras, Mercados Municipais, parques, praças e orlas pesqueira e estações do metrô e transbordo. A ação vai utilizar raticidas, cujas aplicações são realizadas em intervalos de sete a 15 dias, totalizando três rodadas de tratamento.

Para o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikugunya, as equipes do CCZ convocam os moradores a se tornarem “agentes sanitários” de suas próprias residências, promovendo atividades de mobilização social durante todo mês. Em diversos pontos da cidade (hotéis, trajetos de eventos populares, hotéis, rodoviárias, etc) também serão realizadas inspeções zoossanitárias vetoriais e aplicações de inseticidas.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Durante o ano de 2018, as unidades de urgência e emergência do município – o Hospital Municipal de Salvador (HMS) e as nove Unidades de Pronto Atendimento (UPA) – realizaram juntas quase 600 mil atendimentos. Desse total, pouco mais de 80 mil atendimentos foram prestados pelo HMS a usuários do SUS de toda a Bahia em oito meses de atividade. Desse total, 10% das admissões foram de pacientes provenientes de municípios do interior e de outros estados. Somam-se a isso as mais de 510 mil pessoas atendidas e 480 mil exames realizados nas UPAs administradas pela Prefeitura.

O volume de admissões do Hospital Municipal deve-se, principalmente, à antecipação em um ano da capacidade total de acolhimento. Para este ano de 2019, a Prefeitura analisa o projeto de implantação de mais 90 leitos, que serão acrescentados aos 210 já em funcionamento.

Do total de atendimentos realizados no hospital, situado em Boca da Mata, o setor de emergência foi o responsável pelo maior número de ocorrências, com 41 mil admissões, seguido pelas internações, com 5.204. De abril a dezembro, foram registrados mais de 12 mil atendimentos ambulatoriais e cerca de 1.800 procedimentos cirúrgicos.

“A implantação da unidade tem reforçado o fluxo assistencial da rede hospitalar, não apenas para quem vive na capital, como também tem se tornado referência para pacientes do interior, sobretudo, da Região Metropolitana. A ampliação da oferta de serviços tem extrema importância, pois ajuda a reduzir o tempo de espera na fila da regulação”, afirma o coordenador médico hospitalar e de emergência de Salvador, Ivan Paiva.

No local, são feitas cirurgias de urgência, como as de trauma, apendicite, abdômen agudo, e também algumas eletivas, como a de vesícula e hérnia. Alguns dos exames realizados são tomografia computadorizada, ecocardiograma, ultrassonografias, raio-X, eletrocardiograma, eletroencefalograma e holter além de hemograma e urina.

Resolutividade – Com funcionamento ininterrupto em regime 24 horas, as Unidades de Pronto Atendimento chamam atenção pelo alto índice de resolutividade. Em média, 88% dos casos são solucionados nas próprias unidades, o que contribui significativamente para a diminuição de pacientes na fila da Central Estadual de Regulação.

A eficiência dos serviços das UPAs de Salvador também tem atraído pacientes de outros municípios. Do total de atendimentos registrados, mais de 6 mil foram de usuários de cidades do interior do Estado, número que pode ser superior, uma vez que cerca de 200 mil atendimentos realizados foram de pacientes cujas cidades de origens são ignoradas ou eram de fora do Brasil.

No início de 2013, a capital baiana contava apenas com uma UPA. Desde então, um plano de expansão da rede de urgência e emergência teve início, com a construção de mais oito UPAs, otimizando o socorro à vida dos baianos.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...