Geral

0
0
0
s2sdefault

Salões de beleza e barbearias de Salvador retomaram as atividades hoje (10) com uma nova realidade. O funcionamento dos estabelecimentos está condicionado ao cumprimento de protocolos de segurança que envolvem, inclusive, o uso obrigatório de máscara por parte de clientes e trabalhadores o tempo inteiro dentro dos espaços. Ou seja, procedimentos que envolveriam a retirada do utensílio de proteção estão proibidos, a exemplo de maquiagem e barba. 

Com uma rotina diferente, os profissionais desses estabelecimentos passam a realizar atendimento individual e com hora marcada, sempre de segunda a sábado, das 10h às 19h, com 30% da capacidade total do ambiente e efetuando medição de temperatura em funcionários e clientes. Outra medida é que o intervalo entre um cliente e outro deve ser de, no mínimo, 15 minutos, para possibilitar a higienização do local.

Cabeleireira há mais de 15 anos, Rosy Canto comemorou a reabertura do seu salão e reforçou a importância de seguir os protocolos de segurança para a saúde de clientes e trabalhadores. “Estou muito feliz com esse recomeço, estamos nos adaptando a esse novo normal, prezando ainda mais pela vida e saúde das nossas clientes. No começo, foi um susto ter que fechar, mas a gente tinha contato com nossas clientes via Whatsapp e começamos a atender em domicílio. Agora, de volta ao nosso espaço, intensificamos todos os cuidados para realizar os atendimentos”, afirmou a proprietária.

Rosy estudou profundamente o protocolo setorial da Prefeitura, que prevê, ainda, a entrada de acompanhantes apenas para crianças, idosos e pessoas com deficiência. E mais: só é permitida a realização de até dois serviços simultâneos no mesmo cliente, como, por exemplo, cabelo e unha, mantendo o máximo distanciamento possível entre o cliente e os profissionais que estiverem realizando o atendimento.

Apoio a medidas - Cliente de longa data, Cláudia Oliveira foi umas das primeiras a fazer agendamento antecipado para atendimento ao saber da retomada das atividades do espaço de beleza. “Essas medidas que a Prefeitura tem realizado para evitar a contaminação são muito importantes para a população. São cuidados fundamentais para atravessar esse momento difícil que estamos vivendo, principalmente para os comerciantes. Voltar a ser atendida no salão me deixa muito tranquila, segura e feliz por ver que minha cabeleireira já pode fazer trabalho dela aqui no salão”, destacou.  

A maquiadora Milena Tavares lembrou a importância dos cuidados e falou sobre as alternativas que encontrou para mostrar o seu trabalho durante a pandemia. “Nesse primeiro momento, sei que ainda não vou poder retomar as minhas atividades no salão, mas é uma medida necessária para garantir a saúde de todos nós. Vou continuar divulgando o meu trabalho nas redes sociais, investir em aperfeiçoamento de técnicas e fazer vídeos para ensinar aos que acompanham o meu trabalho”, disse.

Outras regras - Nos salões de beleza, barbearias e similares, é recomendado também evitar o compartilhamento, entre os funcionários, de produtos como shampoos, condicionadores e cremes, sendo que, após cada uso, os recipientes devem ser higienizados com água e sabão.

Deve ser mantido o distanciamento de 1,5m entre bancadas, cadeiras e/ou macas de atendimento. Sempre que possível, devem ser utilizadas divisórias confeccionadas com produto de fácil desinfecção para separação das bancadas de trabalho. As portas e janelas abertas precisam ser abertas constantemente para melhorar a ventilação do local. E, havendo ambiente refrigerado, o sistema deve ser mantido em ventilação, não podendo ­ficar no modo de recirculação do ar.

Não é permitida a comercialização ou degustação de alimentos e bebidas no local, inclusive água, café, cappuccino, chá, biscoitos, sequilhos e similares. Só pode ser realizada a comercialização de produtos não alimentícios, desde que industrializados e na embalagem original do fabricante, devendo os mesmos ser devidamente higienizados com álcool 70% no momento da venda.

Os trabalhadores não devem usar adornos do tipo pulseiras, brincos, relógios e anéis, além de evitar unhas de gel e unhas compridas, que dificultam a higienização adequada das mãos. Nas bancadas, devem ser mantidos apenas instrumentos e produtos utilizados durante o atendimento. A roupa de trabalho, as toalhas e os penteadores não descartáveis, após terem sido usados por cada cliente, precisam ser lavados separadamente, a uma temperatura superior a 60º C.

No caso dos utensílios perfurocortantes, como alicates de unha, espátula de metal, navalhas, curetas para podologia, devem ser descartáveis ou de uso pessoal de cada cliente. Caso sejam usados utensílios perfurocortantes reutilizáveis, estes devem ser obrigatoriamente lavados com água e sabão e, posteriormente, esterilizados em autoclave após cada uso. Não é permitido o compartilhamento desses utensílios entre clientes. Os materiais de uso múltiplo, como pentes, tesouras e máquinas de cortar, precisam ser desinfetados após cada uso, segundo as instruções do fabricante.

Para os procedimentos de depilação, os profissionais de estética devem utilizar espátulas e palitos descartáveis. A cera precisa ser acondicionada em outro recipiente próprio e descartada em seguida, juntamente com todos os itens que forem utilizados no atendimento. No caso do uso de pinças, se elas não forem de propriedade do cliente, devem ser esterilizadas em autoclave. Os lençóis precisam ser descartáveis em todos os procedimentos, sendo trocados a cada atendimento. O uso de luvas descartáveis é obrigatório e elas devem ser trocadas a cada atendimento.

Os estabelecimentos devem programar um plano de limpeza, higienização e desinfecção que preveja uma maior freqüência desses cuidados para todas as superfícies, principalmente naquelas em que o toque seja mais freqüente, como mesas de manicure, braços das cadeiras, interruptores e maçanetas.  

Todos os espaços de beleza devem disponibilizar tapetes higienizadores para limpeza dos pés nas entradas dos estabelecimentos. O ambiente deve ser higienizado com álcool a 70% antes da abertura do estabelecimento, incluindo bancadas, utensílios, lavatórios, cadeiras e instrumentos de trabalho. Os estabelecimentos localizados em shopping centers e centros comerciais seguirão o horário desses empreendimentos.   

 

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Começou nesta segunda-feira (10) a quinta etapa de distribuição de cestas básicas para famílias de alunos da rede municipal de ensino. A entrega, realizada pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), foi dividida em quatro semanas, atendendo todas as gerências regionais de educação da capital baiana. 

O cronograma da nova etapa terá cerca de 163 mil cestas entregues a alunos matriculados na rede municipal, em redes conveniadas e estudantes do programa Pé na Escola. O cronograma desta primeira semana, entre hoje e 14 de agosto, atende estudantes dos bairros do Centro, São Caetano, Liberdade, Cajazeiras e Subúrbio II. Entre os dias 17 e 22, complementam-se os bairros de Cajazeiras e as unidades integrantes do Subúrbio II, além das gerências de Pirajá, da Orla e de Itapuã. 

A terceira semana, entre os dias 24 e 29 deste mês, contemplará famílias de alunos das localidades de Itapuã, Subúrbio I e Cabula. A quinta etapa de distribuição será encerrada entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro, com atendimento voltado ainda ao bairro do Cabula, além dos matriculados na rede conveniada e estudantes do programa Pé na Escola. No início de cada nova etapa, os pais são informados previamente pela instituição de ensino acerca do dia, horário e local de entrega dos itens. 

Mãe de três crianças, sendo duas beneficiadas pela iniciativa, a dona de casa Caroline Menezes, 32, diz que as cestas representam um auxílio importante ao orçamento doméstico. “É uma ajuda importantíssima, pois estou desempregada e o que recebo de pensão não é suficiente para quitar as contas e garantir a alimentação necessária para os meninos. Dessa forma, recebendo a cesta básica, consigo manter as contas em dia, sem sacrificar esses itens tão importantes”, celebra a mãe dos pequenos Arthur e Miguel, de 4 e 5 anos, respectivamente. 

"A segurança alimentar dos nossos alunos é um cuidado que sempre tivemos na rede municipal, inclusive com a suspensão das aulas presenciais em razão da pandemia. Logo nos primeiros dias, iniciamos esse trabalho que garante uma cesta básica para cada aluno, mesmo aqueles que estão na rede conveniada e no Pé na Escola. É muito importante garantir que mesmo distante eles estejam recebendo a alimentação adequada”, afirma o titular da Smed, Bruno Barral. 

Balanço - Desde o início a pandemia, a Prefeitura realiza a distribuição de cestas básicas para estudantes da rede e de instituições conveniadas. Entre março e julho, foram distribuídas cerca de 650 mil cestas básicas, contendo 12 itens: feijão, arroz, açúcar, biscoito, café, sal, farinha de mandioca, farinha de milho, leite em pó, macarrão, óleo e proteína de soja. Já são mais de 10 mil toneladas de alimentos entregues em quatro etapas. Somente na última entrega, foram distribuídas 162 mil cestas básicas em toda Salvador.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Novos respiradores irão reforçar o enfrentamento à pandemia de Covid-19 em Salvador, possibilitando a abertura de novos leitos de UTI para tratamento dos pacientes e, também, o prosseguimento das fases de retomada das atividades na cidade. Além disso, uma parte dos equipamentos será destinada pela Prefeitura da capital a municípios do interior.

Os 55 respiradores recebidos pela Prefeitura foram apresentados nesta segunda-feira (10), no Centro de Logística Municipal (CLM), na BR-324. Estiveram presentes na ocasião o prefeito ACM Neto e o vice Bruno Reis, além do secretário municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, corpo técnico e imprensa.

Os equipamentos foram fruto de parceria com a iniciativa privada, sendo 50 deles cedidos pela empresa Hapvida através de comodato, e os outros cinco foram doados pela empresa Suzano. “Vinte desses respiradores serão cedidos ao governo estadual, que vai colocá-los em cidades do interior. Isso também é importante para a capital, porque quanto menos pacientes vierem a Salvador, menor será a pressão nos hospitais da cidade”, explicou ACM Neto.

Outros 20 respiradores vão funcionar na segunda tenda do Hospital de Campanha Wet’n Wild, na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), passando assim a ter 40 leitos de UTI (atualmente possui 20).

Dez respiradores deverão ser encaminhados ao Hospital Salvador, dependendo apenas da questão judicial que envolve o funcionamento dos leitos. Os cinco equipamentos restantes ficarão de reserva para uma possível necessidade.

Fase dois – O prefeito também falou sobre o início, nesta segunda-feira, da segunda fase de retomada das atividades econômicas na cidade com índice melhor do que o esperado na ocupação dos leitos de UTI, com 55% registrado ontem (9). “Graças a Deus, a taxa dessa ocupação vem caindo e foi exatamente isso que permitiu que, a partir de hoje, pudesse ser autorizada a retomada de diversas atividades de Salvador”.

Com isso, mais de 30 mil estabelecimentos voltam a funcionar com atendimento presencial depois de quase cinco meses fechados. “A gente compreendeu a dificuldade dessas pessoas, que são donos de bares, restaurantes, salões de beleza, barbearias, academias de ginástica, centros culturais. Claro, quando chegou em um momento seguro, foi permitido que eles pudessem voltar às suas atividades”, declarou ACM Neto.

Ele ainda fez questão de ressaltar o esforço que a Prefeitura vem fazendo para manter equilibrada a taxa de ocupação dos leitos de UTI, e fez um apelo para que a população continue colaborando para a diminuição da transmissão da Covid-19. “O desafio está ainda maior, vamos fiscalizar a cidade toda e os cidadãos, através do 156 e do 160, também podem ajudar denunciando estabelecimentos que não estejam cumprindo os protocolos de segurança. Aos poucos, vamos superando esses desafios da pandemia e retomando a normalidade na nossa capital”, finalizou o prefeito.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Por ser uma mucosa, o olho também pode servir de porta de entrada para o coronavírus. Por isso, é preciso ficar atento às recomendações dos profissionais de saúde em relação aos cuidados para evitar a infecção. Segundo a infectologista Adielma Nizarala, que atua pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), é preciso que as pessoas se preocupem com a correta higienização das mãos.

“A mucosa do olho pode absorver vírus e bactérias pelo contato. Com a Covid-19, por exemplo, se você toca a mão de outra pessoa ou uma superfície contaminada e leva essa mão ao olho para coçar, assim como ocorre com a boca e o nariz, você poderá acarrear o vírus para o seu organismo”, explica.

Diante desse risco, a principal orientação da especialista é não coçar ou passar a mão suja no olho. E, para quem usa lente de contato, a atenção deve ser ainda maior, pois as mãos devem estar corretamente higienizadas ao tirar e colocar o utensílio. “Se, ao usar a lente, a pessoa perceber que houve alguma inflamação, ela deve retirará-la e procurar um oftalmologista”, afirma Adielma.

Além dessas recomendações, a infectologista lembra que nenhuma substância deve ser utilizada nos olhos ou na lente de contato sem a devida recomendação de um especialista.

Óculos – A infecção por meio dos óculos não ocorre de forma direta, mas novamente pela manipulação do objeto com as mãos. Os óculos, então, devem ser higienizados com água e sabão neutro e, em seguida, é preciso secá-los com um lenço de papel macio. Oftalmologistas recomendam não esfregar o papel ao secar, apenas apertar suavemente na superfície molhada até enxugar e, se o lenço usado for de tecido, ele precisa ser lavado também após o uso.

É comum também que as lentes dos óculos fiquem embaçadas com o uso da máscara. Isso ocorre, segundo a Adielma, devido ao contato do ar quente que sai da boca com o ar frio que está na região dos olhos. A dica para evitar esse processo é prender a ponta da máscara ao nariz com uma fita micropore ou com um arame embutido na máscara. Para prender, as mãos precisam estar limpas para evitar a infecção.

Lavagem correta das mãos – O hábito de lavar as mãos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), pode reduzir em até 40% a contaminação por vírus e bactérias que causam doenças como gripes, resfriados, conjuntivites e demais viroses. Para lavar as mãos corretamente, é preciso primeiro umedecê-las, e em seguida passar uma quantidade de sabão na palma que seja suficiente para cobrir toda a superfície. Quem usa anel, deve retirá-lo antes. Após ensaboar toda a palma da mão, esfregando uma na outra com movimentos de vai e vem, é preciso atenção também às costas das mãos, os punhos, o espaço entre os dedos e o polegar.

A região das unhas também deve ser lavada, esfregando as pontas dos dedos na palma da outra mão com movimentos circulares. O procedimento total da lavagem, incluindo o ato de esfregar e de enxágue, deve durar cerca de 50 segundos. Se a torneira não for automática, é recomendado usar uma toalha de papel para fechá-la ou lavar também a torneira. O álcool em gel pode ser uma alternativa para a limpeza quando não houver outros meios à disposição.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Cerca de 4,2 mil bares e restaurantes deverão abrir as portas em Salvador, nesta segunda-feira (10), primeiro dia de retomada do segmento após quase cinco meses de atividades presenciais suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus. De acordo com Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SHRBS), o quantitativo corresponde a 70% dos seis mil estabelecimentos filiados à entidade.

O sindicato calcula que 30% dos bares e restaurantes da cidade não reabram hoje em função da falta de capital de giro. Segundo o presidente do SHRBS, Sílvio Pessoa, os empresários têm enfrentado dificuldades para conseguir disponibilidade de linha de crédito junto aos bancos, recursos que serviriam para arcar com aluguéis e contas de consumo.

“O segmento bares e restaurantes está muito mal visto (pelas instituições financeiras), sendo tido como grupo de risco para pagamento. Além disso, acreditamos que, no primeiro e segundo mês de retomada, o consumo vai ser pequeno por parte da população, pois as pessoas estão temerosas em sair de casa para comer e beber, mesmo os bares e restaurantes sendo um dos setores mais fiscalizados, principalmente pela Vigilância Sanitária”, ressalta Sílvio Pessoa.

“Posso afirmar categoricamente que somos um dos setores mais seguros. A maioria dos bares e restaurantes já está preparada para atender aos protocolos geral e setorial determinados pela Prefeitura. Vamos só nos adaptar com algumas medidas, como redução de salão, cardápio com QR-code ou plastificado, higienização imediata de mesas e cadeiras após troca de cliente, disponibilização de temperos em sachês etc. Boa parte das ações já eram feitas”, acrescenta o presidente do presidente do SHRBS.

Fiscalização – Além de bares e restaurantes, estão autorizados a reabrir hoje academias de ginástica, barbearias, salões de beleza, centros culturais, bibliotecas, museus, galerias de arte e lanchonete.

Todos os estabelecimentos precisam cumprir os protocolos amplamente divulgados pela Prefeitura. Para garantir o cumprimento das normas, a Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) realiza, a partir de hoje, uma fiscalização rigorosa por toda a cidade.

Espaço público - Entre as medidas da Prefeitura para estimular a reabertura de bares e restaurantes na cidade está a liberação do uso do espaço público para colocação de mesas e cadeiras. Desde o último dia 24 de julho até hoje (10), a Sedur recebeu 73 solicitações, sendo que 30 processos foram autorizados.

Marcelo Reis Lauriano, proprietário da pizzaria Acqua & Farina e do restaurante La Pasta Gialla, na Pituba, foi um dos comerciantes que tiveram o pedido deferido. O empresário conta que está concluindo a implantação de um parklet, que receberá três mesas e quatro cadeiras.

Além disso, a calçada defronte aos estabelecimentos terão mais duas mesas, com dois assentos. Segundo ele, tudo está pronto para o “novo normal” no retorno à clientela. “Implantamos um sistema em que o cliente poderá fazer pedido pelo celular com leitura de QR-Code. Também compramos tapetes sanitizantes e totem para dispensação de álcool em gel. Quem sentar na mesa ganhará lencinho umedecido para higienização. Além disso, nossos funcionários tomaram treinamentos para atender com precauções. Todos eles farão uso de EPIs”, explica.

Confira abaixo as regras de funcionamento dos bares e restaurantes nesse momento:

- O horário de funcionamento de restaurantes, bares, pizzarias, temakerias, sorveterias, doçarias, cafeterias e similares será de segunda-feira a domingo, das 12h às 23h;

- O horário de funcionamento de lanchonetes e similares será de segunda-feira a domingo, das 7h às 16h;

- Os estabelecimentos localizados em shoppings e centros comerciais seguirão o horário destes empreendimentos;

- Na chegada aos estabelecimentos, a temperatura dos colaboradores, prestadores de serviço e clientes deve ser aferida, e aqueles com resultado igual ou superior a 37,5°C devem ser direcionados para acompanhamento de saúde adequado;

- O uso de máscaras é obrigatório, exceto durante as refeições;

- Não poderão ser realizados eventos de reabertura;

- Não poderão ser oferecidos alimentos e bebidas como cortesia ou demonstrações que estejam em mesas, balcões ou assemelhados de uso comum ou compartilhado;

- É obrigatório afixar, em locais visíveis e próximos às entradas, os protocolos geral e setorial, como também a capacidade máxima de pessoas permitidas simultaneamente no estabelecimento;

- Os restaurantes com serviço de buffet terão que disponibilizar funcionários, utilizando os EPIs adequados, como máscara de tecido e face shield, avental e touca, para servir os clientes;

- Para restaurantes que atuam com sistema de rodízio, é obrigatória a adoção de serviço por pedido específico (à la carte) ou por buffet (com uma pessoa servindo), com as adequações estruturais necessárias;

- A distância entre as mesas deve ser de, no mínimo, 2m. E a distância entre as cadeiras de mesas diferentes deve ser de, no mínimo, 1m;

- Cada mesa está limitada à quantidade máxima de 6 pessoas;

- Os sanitários deverão dispor de pias, preferencialmente sem acionamento manual, com água, sabão, papel toalha e lixeira com tampa e acionamento por pedal, não sendo permitido o uso de secadores de mãos automáticos;

- Deve ser priorizado o funcionamento com reservas para organizar a disposição dos clientes no espaço e evitar filas;

- Os estabelecimentos serão responsáveis pelo ordenamento das filas nas áreas internas e externas, inclusive com uso de monitores, se necessário, garantindo o afastamento mínimo de 1,5m entre as pessoas e a obrigatoriedade do uso de máscaras;

- Os elevadores de uso exclusivo dos estabelecimentos de alimentação serão restritos a idosos, pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção, limitado a pessoas de uma mesma unidade familiar a cada uso;

- Em restaurantes, fica proibido o consumo de alimentos e bebidas no balcão. Nos bares e lanchonetes, os clientes sentados nos balcões deverão respeitar o afastamento mínimo de 2m;

- Devem ser adotados cardápios digitais utilizando, por exemplo, um QR-Code que pode ser lido através de telefone celular, ou escrever os itens em uma lousa ou similar e, em não sendo possível abolir o menu físico, deverá ser disponibilizado um modelo plastificado, que deve ser desinfetado com álcool a 70% ou similares após cada uso. Em caso de uso de tablet, realizar desinfecção a cada cliente com álcool isopropílico;

- Deve ser evitada a utilização de comandas individuais em cartões e, caso necessário, estes deverão ser higienizados a cada uso;

- Só é permitida a disponibilização de temperos, molhos, condimentos e similares de forma individualizada, em sachês e apenas no momento de cada refeição;

- As mesas e cadeiras devem ser higienizadas, após cada cliente, com sanitizante (álcool 70%, água sanitária ou solução de efeito similar, seguindo as recomendações do fabricante) sempre após o término de cada atendimento ou refeição, podendo ser cobertas com plástico para facilitar a higienização;

- Fica proibida a execução de música ao vivo e, havendo música ambiente, manter a intensidade máxima do som em 35 decibéis (dB);

- Fica proibido o uso de áreas de entretenimento, como espaço kids, parques, brinquedotecas, salão de jogos e similares.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Em poucos dias, os estudantes soteropolitanos viram as suas rotinas de estudo mudar por conta da pandemia do novo coronavírus. A sala de aula foi substituída pelos cômodos da casa, e o professor passou a ser visto pela tela do computador, do celular ou da televisão. Alguns passaram a responder exercícios e entregar uma vez por semana nas escolas. Vale tudo para continuar aprendendo. O importante é não interromper o processo contínuo do aprendizado.

É nesse cenário que crianças, adolescentes e adultos vão comemorar o Dia do Estudante, nesta terça-feira (11). No Brasil, a data foi sugerida em 1927, em homenagem aos cem anos de fundação dos dois primeiros cursos de ciência jurídica no país por Dom Pedro I.

Para Graziane do Nascimento, de 14 anos, a nova rotina tem sido um desafio que ela está encarando e superando a cada dia. Ela conta que acorda diariamente às 9h, se alimenta e se organiza para assistir as aulas da Escola Mais, disponibilizadas pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) nos canais de TV 4.2 e 4.3. Além disso, sempre que pode ela confere os livros que estão disponíveis na plataforma Árvore de Livros, outra ação da Smed.

“As aulas são diferentes porque a gente tem que acompanhar o ritmo do professor. Às vezes, eu fico com alguma dúvida. Aí, guardo para perguntar depois. As aulas que eu mais gostei até o momento foram as de matemática, sobre equação do segundo grau e raiz quadrada”, conta.

Graziane cursa o 9º ano na Escola Municipal Dona Arlete Magalhães, no bairro de Castelo Branco. A adolescente resume a educação em uma palavra: tudo. “Para mim, a educação é tudo, porque para qualquer lugar que a gente queira chegar, a gente precisa dela. Eu tenho saudade da minha escola. Estou ansiosa para o recomeço”.

Oportunidade – No TAP III da Educação de Jovens e Adultos, o auxiliar de serviços gerais José Airton dos Santos, de 50 anos, define o estudante como alguém que busca por conhecimento e boas oportunidades. “Para mim, a escola representa a recuperação do que eu perdi no passado”.

Ele conta que teve que parar de estudar na 3ª série, quando ainda era criança, para trabalhar na roça no estado do Ceará, onde nasceu. “Eu tive oportunidade, acesso a escolas boas e joguei fora. Hoje, estou abraçando a escola com vontade. No mercado de trabalho tudo hoje é informatizado e você precisa ter conhecimento para manusear essas tecnologias”, opina.

Morando há mais de 20 anos em Salvador, José Airton está resolvendo as atividades semanalmente e levando para a escola respondidas. “Os assuntos são interessantes. Houve um texto e exercício sobre a pandemia, houve outro sobre o feminicídio. São informações que eu não tinha e passei a ter. É uma troca, porque, às vezes, eu ajudo com informações novas e em outras vezes sou eu que aprendo. Nós temos um grupo no Whatsapp e sempre que temos dúvidas, perguntamos e debatemos”, revela.

O titular da Smed, Bruno Barral, aconselha todos os estudantes da capital que persistam e continuem buscando conhecer mais e mais. “Eu aconselho não desistir e entender que a chance de permear coisas boas na vida tem que vir por meio da educação. Por mais que os caminhos sejam tortuosos, por mais que a pandemia tenha distanciado os alunos da escola, nesse momento o ideal é manter a esperança e a chama da aprendizagem, da curiosidade e do conhecimento acesa.

Primeira no país – Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD-2019), divulgados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que Salvador está em primeiro lugar, entre as capitais do país, no acesso à pré-escola. De acordo com o estudo, a taxa de escolarização de crianças em Salvador nesta etapa, que atende a faixa etária de 4 a 5 anos, aumentou de 96,2%, em 2016, para 98,8%, em 2019.

“Isso mostra mais uma vez a que a educação se faz com vontade política e gestão de qualidade. Há pouco mais de três anos à frente da pasta, a gente começa a revelar Salvador para o cenário nacional em termos de qualidade e referência. A educação em nossa cidade é uma das que mais avançam no Brasil em qualidade e em infraestrutura e os números começam a comprovar isso”, diz Barral.

O secretário lembra que, nesse momento de pandemia, a capital mostrou a capacidade que tem de se reinventar. “Desde o começo do isolamento social, estamos fazendo a distribuição de cestas básicas, criamos um canal no Youtube para fazer a interação com as crianças da Educação Infantil, trabalhamos com as atividades impressas, estabelecemos a parceria com a plataforma digital Escola Mais, referência no país, e criamos a plataforma Árvore de Livros com mais de 30 mil exemplares disponíveis, incentivando a leitura a distância”.

Além dessas iniciativas, a Prefeitura se preocupou em incluir os alunos que não têm acesso à internet, com a distribuição de chips com dados, e em divulgar as aulas nos canais de TV aberta 4.2 e 4.3 para aqueles alunos que não têm celular, tablet ou computador.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Semob reforça ações de limpeza tanto nos veículos quanto nas estações

A frota de ônibus de Salvador foi reforçada desde o início da manhã de hoje (10) em função do começo da fase dois da retomada das atividades econômicas. No total, são 1.770 veículos circulando nos horários de pico: das 5h às 8h, das 8h às 12h e das 15h às 21h. Para garantir a segurança e a saúde dos usuários, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) intensificou as ações de higienização.

Os 1.770 veículos representam 80% da frota da cidade, um aumento de 10% em relação à circulação dos coletivos na fase um da retomada das atividades. A última viagem do bairro para o Centro será às 22h, enquanto no sentido oposto acontecerá às 23h. Estão mantidas as programações atuais nas estações de transbordo, ou seja, das 4h à meia-noite.

A ampliação da frota vem ocorrendo de maneira gradativa, de acordo com a evolução do novo coronavírus e também as fases de reabertura do comércio e demais atividades, passando inicialmente de 30% para 55%, depois alcançando 70% e agora 80%. Quando a cidade entrar na fase três da retomada, o percentual será de 90% (1.991 veículos).

Aliado ao aumento da frota, as estações de transbordo da Lapa, Pirajá, Acesso Norte e Mussurunga contam com profissionais distribuindo máscaras e borrifando álcool em gel nas mãos dos passageiros das linhas de maior demanda. A borrifação e distribuição de máscara vai continuar enquanto durar a pandemia.

“É uma ação que estamos fazendo para contribuir para a diminuição da circulação do vírus na cidade. Quando a frota chegar em 100%, vamos passar também a medir a temperatura das pessoas com o termômetro digital de testa”, afirmou o titular da Semob, Fábio Mota.

Cerca de 500 mil pessoas estavam utilizando o serviço de transporte coletivo por ônibus na capital diariamente. O número representa 42% dos 1,3 milhão de passageiros que utilizavam o ônibus diariamente para se deslocar antes da pandemia. Esse número deve aumentar com o início da fase dois da retomada.

Outras ações – Fábio Mota disse que outras medidas adotadas pela pasta para a contenção da proliferação do coronavírus, a exemplo da higienização diária das estações de transbordo, escadas rolantes e dos veículos, com a parceria da Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb), serão intensificadas. A limpeza dos ônibus é feita nas garagens e nos finais de linha com a utilização de uma solução composta por água e hipoclorito de sódio.

Os passageiros ainda podem fazer a higienização das mãos em lavatórios e dispensers de álcool em gel instalados na Estação da Lapa. Na mesma estação, câmeras foram instaladas para medir a temperatura e detectar se as pessoas estão utilizando a máscara e, ainda, utilizando corretamente o objeto de proteção.

Quem apresenta temperatura superior a 37,5ºC é encaminhado para a realização de teste PCR-RT. Em caso de resultado positivo, a orientação é ficar em casa, e a Prefeitura monitora a cada 48 horas através do Salvador Protege.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Força-tarefa da Sedur inicia ações na segunda (10) pela manhã com atenção especial a bares e restaurantes

Agora é oficial. Já poderão reabrir na segunda-feira (10) as atividades incluídas na fase dois da retomada, que são: academias de ginástica, barbearias, salões de beleza, centros culturais, bibliotecas, museus, galerias de arte, lanchonete, restaurantes e bares. Todos esses estabelecimentos, no entanto, precisam cumprir os protocolos amplamente divulgados pela Prefeitura. A fiscalização da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) será rigorosa.

A força-tarefa da Sedur, que tem o apoio de outros órgãos, a exemplo da Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar da Bahia (PM-BA), já entra em campo nesta segunda-feira, a partir das 11h. Um dos focos iniciais da ação serão os bares e restaurantes situados em locais onde o descumprimento às normas contra a pandemia têm sido mais frequentes.

Esses estabelecimentos poderão reabrir somente a partir das 12h, fechando obrigatoriamente às 23h, de segunda a domingo. É preciso haver afastamento de dois metros entre as mesas e um metro entre cadeiras de mesas diferentes. O máximo de pessoas permitido será de seis por mesa. O uso de máscaras será obrigatório, sendo liberado apenas no momento da refeição.

Além disso, fica proibida a realização de eventos. O cardápio deverá ser digital ou plastificado e higienizado a cada uso. O serviço de buffet, se houver, deverá contar obrigatoriamente com um funcionário servindo. Rodízios estarão proibidos. O atendimento via delivery e com retirada do balcão poderá seguir sem restrição de horário.

"A Sedur vai atuar com mais de 120 agentes para fiscalizar cada atividade econômica. Vamos agir em determinadas regiões da cidade com maiores probabilidades de descumprimento. Estaremos com a equipe a postos para atuar do início da manhã até a noite. Não havendo obediência aos protocolos, iremos interditar imediatamente o estabelecimento”, avisa o secretário da pasta, Sérgio Guanabara.

"Se chegamos à fase dois da retomada é porque, além de todas as outras ações e medidas da Prefeitura, a fiscalização da força-tarefa tem funcionado e conseguimos alcançar essa marca. Mas avisamos a todos os estabelecimentos que irão reabrir que cumpram rigorosamente os protocolos que foram acordados para evitar sanções", completa o diretor de fiscalização da Sedur, Átila Brandão Júnior.

Balanço - Desde o início da fase um da retomada, com a reabertura de shoppings, centros comerciais e grandes lojas de rua, a Sedur realizou mais de nove mil vistorias. A ação resultou na notificação de 28 estabelecimentos para adequação aos protocolos de funcionamento, incluindo os que foram interditados por realizarem serviços estéticos, atividade que só tem autorização para funcionar a partir de segunda (10).

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) segue no combate ao mosquito Aedes aegypti, buscando evitar o aumento no número de casos de dengue, zika e chikungunya em Salvador. As ações promovidas pelo órgão são conhecidas como Quinta Especial e Sexta Especial, onde os focos de combate são localidades com alto número de denúncias através da central 156.

Na última quinta (06), o foco foi no bairro de São Caetano. Na sexta, a ação ocorreu em Itacaranha, no Subúrbio Ferroviário. Os mutirões ocorrem em parceria com a Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb). Os agentes de endemia fazem aplicação de inseticida, borrifação ultra baixo volume (UBV Costal), além de ações educativas com a população.

Os mutirões já apresentam resultados. No mês de julho, foi estimada uma redução de 55% no número de notificações. A subgerente de Arboviroses do CCZ, Isolina Miguez, explica as ações realizadas. “Estamos intensificando os mutirões e os bloqueiros, fazendo primeiro o bloqueio focal, com ação educativa, já que não se pode entrar nas casas nesse momento inicial. Também estamos fazendo aplicação espacial do inseticida sempre que é necessário”.

Denúncias – A colaboração dos cidadãos denunciando imóveis em situação de abandono e focos do Aedes aegypti é essencial. Os mutirões são programadas após balanço das denúncias sobre focos nas localidades, através do Fala Salvador, no número 156.

 

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...