Geral

0
0
0
s2sdefault

As fontes luminosas embelezam Salvador e atraem visitantes. Algumas delas remetem à história do período imperial, como a do Terreiro de Jesus, que fez parte do audacioso sistema da Companhia do Queimado – primeiro sistema de abastecimento de água encanada do país. Para preservar e recuperar esses pontos de visitação e história, a Prefeitura investiu R$1,6 milhão.

A revitalização de seis fontes situadas na Praça da Piedade, duas no Campo Grande e nas praças Nossa Senhora da Luz, da Sé e do Terreiro de Jesus foi realizada pela Diretoria de Serviços de Iluminação Pública (Dsip), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop). O órgão utilizou o que há de melhor em tecnologia para a revitalização desses espaços.

Foram implantados 169 projetores em LED RGB, tecnologia que permite a alteração de cor simultânea, evita a penetração da água e é mais resistente a impactos e corrosão. As obras envolveram serviços de infraestrutura, iluminação, hidráulica, programação, circuito elétrico e de revitalização de pintura. Algumas dessas fontes, como a da Praça da Sé e Campo Grande, tiveram o material furtado. Portanto, foram instalados quadros novos, tanto de iluminação quanto de jato d’água.

As salas de equipamentos das fontes agora contam com alarme sonoro, que é acionado em caso de invasão. Além disso, a manutenção é feita diariamente com tratamento de água, lubrificação de equipamentos e bico. As fontes das praças da Sé e Nossa Senhora da Luz, além de luminosas, contam com trilha sonora a partir das 18h. A trilha se inicia com a Ave Maria e o movimento das águas é sincronizado com os ritmos musicais.

“Estamos recuperando as fontes luminosas da cidade que fazem parte do patrimônio histórico de Salvador e, também, o monumento Mário Cravo. A intenção é de que estes equipamentos possam abrilhantar ainda mais a cidade neste mês de aniversário”, destaca o diretor de Iluminação Pública, Júnior Magalhães.

História – Inaugurado em 8 de dezembro de 1856, o chafariz neoclássico do Terreiro de Jesus foi um dos cinco que integraram inicialmente o sistema de águas de Queimado. Os outros quatro chafarizes ficavam em Água de Meninos, Praça do Comércio, Largo do Theatro São João (hoje Praça Castro Alves) e Piedade.

A alegoria da fonte do Terreiro de Jesus representa riquezas da Bahia com a escultura de Ceres, deusa da fertilidade e abundância agrícola. Abaixo estão quatro meninas de mãos dadas e, na base, as esculturas de quatro entidades em representação aos quatro principais rios do Estado: Jequitinhonha, Paraguaçu, Pardo e São Francisco. Em breve, a fonte será entregue, juntamente com o largo, totalmente revitalizada.

Já a Praça da Sé é mais recente – foi inaugurada em 2002. Fabricada por uma empresa espanhola e movimentada por computador, a fonte tem focos de luz com 64 cores diferentes. É considerada uma das mais sofisticadas do gênero no país.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-obra (SIMM) oferece vagas de emprego para esta quinta-feira (14). Os interessados deverão ir a um dos postos do SIMM, no Comércio (Rua Miguel Calmon, 506, Edifício Ouro Preto); Boca do Rio (Rua Abelardo Andrade de Carvalho, 141, anexo ao Colégio Imeja), levando originais da carteira de trabalho, carteira de identidade, CPF, comprovantes de residência e histórico escolar, além do número do PIS, Pasep ou NIS.

O atendimento é feito das 7h às 17h, mediante distribuição de senhas, que são entregues a partir das 6h30. Os candidatos podem usufruir do atendimento por hora marcada, que funciona das 7h às 16h30, pelo telefone 3202-2016 ou 0800-2853111 para ligações gratuitas.

É possível também ter acesso ao atendimento do SIMM nas Prefeituras-Bairro Centro/Brotas Cabula, Cajazeiras, Cidade Baixa, Itapuã, Pau da Lima e Subúrbio/Ilhas, para realização de cadastro, busca por vagas e encaminhamento para entrevistas e seleções.

 Vagas do SIMM para quinta-feira (14):

 Repositor de Mercadorias

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, imprescindível Habilitação B

Salário: a combinar + benefícios

1 vaga

 

Barman

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, vaga zoneada para o bairro do Imbuí, disponibilidade para trabalhar tarde/noite

Salário: a combinar + benefícios

1 vaga

 

Caixa de Loja

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, desejável inglês intermediário

Salário: R$1.639,00 + benefícios

1 vaga

 

Estoquista (vaga exclusiva para pessoas com deficiência)

Ensino médio completo, seis meses de experiência

Salário: R$998,00 + benefícios

1 vaga

 

Gerente de Vendas

Ensino médio completo, 1 ano de experiência na área, habilitação B

Salário: a combinar + benefícios

1 vaga

 

Mecânico de Refrigeração

Ensino médio completo, seis meses de experiência, desejável Habilitação A ou B, curso na área

Salário: R$1.500,00 + benefícios

2 vagas

 

Sushiman

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, vaga zoneada para o bairro do Imbuí, disponibilidade para trabalhar tarde/noite

Salário: R$1.200,00 + benefícios

1 vaga

 

Técnico em Refrigeração

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, imprescindível experiência com manutenção de ar-condicionado e vivência na área elétrica

Salário: R$1.505,00 + benefícios

1 vaga

 

Costureira de Máquina Reta

Ensino fundamental completo, seis meses de experiência

Salário a combinar + benefícios

1 vaga

 

Varredor de Rua (vaga para pessoas com deficiência)

Fundamental incompleto, seis meses de experiência

Salário: R$1.039,76+ benefícios

9 vagas

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Está ficando no passado o tempo em que soteropolitanos e turistas se deparavam com um Centro Antigo da cidade decadente e desvalorizado. A Prefeitura está promovendo uma verdadeira transformação nessa região, com inúmeras obras e projetos já em andamento e a serem iniciados. Entre as ações projetadas está a recuperação dos arcos da Ladeira da Montanha, da muralha do frontispício e do Elevador do Taboão. 

Os projetos foram elaborados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e doados para o Executivo municipal que, com recursos próprios, viabilizará as intervenções, a cargo da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra). A expectativa é que, dentro de três a quatro meses, as intervenções se iniciem, após processo licitatório. 

"Todos os 17 arcos da Montanha são acessados pela Ladeira da Conceição da Praia. As estruturas, que possuem relevância histórica e atualmente abrigam serralherias, marmorarias e artífices, estão completamente degradadas. Com isso, vamos estimular ainda mais o turismo no Centro Antigo, além de valorizar o nosso patrimônio histórico. Isso sem prejudicar as pessoas que já atuam na localidade", afirmou o vice-prefeito e titular da Seinfra, Bruno Reis.  

Valores artísticos - Construídas no século XIX, as edificações apresentam deficiências tanto na parte estrutural quanto nas instalações elétrica e hidrossanitária, resultando em ambientes insalubres aos ocupantes. A ideia é criar melhores condições de habitabilidade e salubridade nos espaços internos e consolidar as atividades comerciais tradicionais da área como referência para o restante da cidade. 

Além disso, o projeto busca destacar valores artísticos e suprimir elementos e volumes que atualmente descaracterizam o conjunto. “Há vários arcos ali que não têm nem sanitário. Vamos melhorar por completo as condições estruturais e alguns ganharão mezanino”, ressaltou Bruno Reis. 

As intervenções visam proporcionar melhor atendimento à comunidade, sem deixar de respeitar as características originais da área, e vão englobar tanto o interior quanto o exterior dos arcos. As obras serão divididas em duas etapas a fim de não prejudicar o dia a dia dos trabalhadores do local. Eles exercerão ofício em um novo anexo, que será construído no pé da Ladeira da Conceição, à medida que os imóveis estiverem em obras. 

“O processo de recuperação dos Arcos da Montanha foi dialogado com os trabalhadores locais, que só têm a ganhar com essa intervenção, e vai garantir maior conforto e segurança na função deles”, destacou o superintende do Iphan na Bahia, Bruno Tavares.  

Elevador - Na esteira dessas obras voltadas para áreas degradadas do Centro Antigo, o Elevador do Taboão, construído em 1896, vai ser completamente requalificado e reativado. Com isso, o ascensor se juntará a outras opções de transporte disponíveis a moradores e turistas que se deslocam entre as cidades Baixa e Alta, como Elevador Lacerda e planos inclinados Liberdade/Calçada, Gonçalves e Pilar. 

“A estrutura do elevador (do Taboão) foi analisada e, mesmo com o passar do tempo, ela está em bom estado de conservação. O equipamento vai voltar a funcionar, beneficiando toda a população do Pelourinho, Baixa dos Sapateiros e Comércio. O Taboão tem uma dinâmica muito boa por causa do comércio local”, pontuou Tânia Scofield, presidente da Fundação Mário Leal Ferreira, que recebeu os projetos do Iphan. 

O projeto contempla a restauração integral do elevador e das duas estações de acesso nos níveis inferior e superior, além de intervenções de modernização das instalações, buscando adequar a edificação às normas técnicas vigentes, inclusive de acessibilidade universal. Haverá áreas com mesas, sanitários e café. Já as cabines terão um aspecto completamente moderno com materiais e coloração que não desvirtuará a estética da estrutura original, se integrando perfeitamente ao resgate do uso original do monumento. 

“O Elevador do Taboão está fechado há 60 anos. E ainda há um fluxo grande de pessoas naquela região. Para além do uso corrente do equipamento, que será possível com as obras, há a peculiaridade de que ali será ponto turístico. Ao contrário do Elevador Lacerda, que foi modificado em relação ao projeto inicial, o do Taboão ainda é o mesmo elevador desde quando foi inaugurado. É um dos primeiros da América do Sul e tem o diferencial de ser panorâmico, proporcionando uma vista incrível da Baía de Todos-os-Santos”, observou Bruno Tavares. 

Muralha – Já as ações de recuperação e requalificação das muralhas da encosta do Centro Histórico de Salvador consistirão em intervenções estruturais, cênicas e paisagísticas num trecho que se estende da Praça Castro Alves à Ladeira da Misericórdia. O projeto contempla a consolidação e estabilização estrutural das muralhas existentes; a recuperação urbana das ladeiras com intervenções de iluminação, reduzindo a insegurança da área; a restauração paisagística do frontispício voltada para a valorização dos monumentos do entorno; e a inserção de sistema de iluminação cênica voltado para a valorização de toda a estrutura. 

Centro revive – Nos últimos anos, o Centro Antigo da cidade tem sido alvo de um conjunto de iniciativas da Prefeitura. Medidas que vieram para proporcionar a dinamização e reocupação dos espaços públicos, como as requalificações do Terreiro de Jesus, Avenida Sete de Setembro e das praças Castro Alves e Cairu, bem como a revitalização da Rua Miguel Calmon, no Comércio.  

No Comércio, inclusive, já foram entregues a Praça da Inglaterra e o Hub Salvador, equipamento que veio com propósito de estimular a ocupação e a geração de empregos. Também estão programadas obras na Praça Marechal Deodoro (ou Praça das Mãozinhas). 

Além de intervenções urbanísticas, a gestão municipal investiu em equipamentos e atrações culturais para fomentar o movimento de pessoas no Centro Antigo o ano inteiro, a exemplo da Casa do Carnaval e do projeto Pelourinho Dia e Noite. Na mesma região, no início da gestão, foram entregues o Espaço Cultural da Barroquinha e o Teatro Gregório de Mattos. Estão previstas, em breve, as implantações do Arquivo Público Municipal e do Museu da Música Brasileira, ambos no Comércio.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O evento reuniu diversas autoridades a exemplo da titular da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA), Julieta Palmeira, da Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça da Bahia e desembargadora, Nágila Sales Brito, da Defensora Pública Amabel Crysthina Mesquita Mota, e das representantes do Senac Carla Alessandra e Carine Gama.  

A titular da SPMJ, Rogéria Santos, reforçou que, apesar de ser importante debater temáticas femininas no mês de março, quando as mulheres são homenageadas pelo reconhecimento marcado no dia 8 de março, a secretaria atua o ano inteiro com foco na garantia de direitos do público feminino.  

"A gente se propõe a discutir e falar de mulher durante todo o ano. Durante todo o tempo nós pensamos e buscamos desenvolver politicas para as mulheres. A secretaria é a casa da mulher soteropolitana que busca por empoderamento, solução ou fugir da violência", destacou a gestora. 

Para a desembargadora Nágila Brito, a atuação em conjunto para o enfrentamento a violência contra a mulher é o caminho para ajudar as mulheres. "É uma labuta constante e o que me traz conforto é a rede de proteção", frisou.  

O projeto Mulher 360 busca desenvolver a cultura universal dos direitos humanos do sexo feminino. O projeto terá ainda diversas atividades ao longo do mês, a exemplo da roda de conversa sobre o enfrentamento ao feminicídio, prevista para o dia 23 de março, das 15h às 21h, no Shopping da Bahia. 

 

Programação: 

13/03 - 09h

Palestra sobre o Enfrentamento ao Feminicídio

Local: Clínica Única de Reabilitação - CURE, Bonfim

 

21/03 - 14h

Palestra sobre o Enfrentamento ao Feminicídio

Local: CRAS - São Cristóvão

 

21/03 - 15h

Quinta Temática em Pernambués

Local: Escolinha Pequeno Sonho

 

23/03 - 15 às 21h

Roda de Conversa: Enfrentamento ao Feminicídio

Local: Shopping da Bahia

 

27/03 - 14h

Grande Inauguração da Nova Sede da SPMJ

Local: Condomínio Edifício Cidade do Salvador

 

27/03 - 14h 

Palestra sobre o Enfrentamento ao Feminicídio

Local: Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Bom Jesus dos Passos

 

28/03 - 15h

Quinta Temática em Fazenda Coutos

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Ao som dos atabaques, o terreiro Ile Aşé Kalè Bokùn, na Rua Antônio Balbino, em Plataforma, no Subúrbio Ferroviário, foi tombado pela Prefeitura nesta terça-feira (12). Fundada nos primeiros anos do século passado e referência na tradição Ijexá, a casa vincula-se à história do bairro de Plataforma, um dos mais antigos de Salvador, local de grande expressão da população afrodescendente e de concentração de casas de candomblé.  

A cerimônia de tombamento contou com a presença do vice-prefeito Bruno Reis, que também é secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, do presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, além de autoridades religiosas ligadas à religião de matriz africana, comunidade da região e imprensa.  

"Em 2013 a FGM criou o projeto que hoje reconhece os templos de matriz africana. Vamos avançar ainda mais e a Prefeitura  jamais irá permitir intolerância religiosa", frisou Bruno Reis. O vice-prefeito também destacou outras ações da Prefeitura para reverenciar o povo de santo, a exemplo das obras de implantação do Centro Comunitário do Terreiro de Gantois, que estão fase final. 

Bruno Reis leu, durante a solenidade, uma carta de um dos membros do terreiro Ile Aşé Kalè Bokùn destinada ao prefeito ACM Neto. No teor do texto um pedido de restauro ao muro da casa, que está danificado. De pronto, o vice-prefeito se comprometeu a realizar a obra. 

Visivelmente emocionada, a ialorixá Vânia Amaral, responsável pelo terreiro, fez questão de pontuar a importância em tombar a casa. Com a voz trêmula, ela destacou o quanto foi duro o trabalho para alcançar a conquista. "Nem sei se sou merecedora de ter sido escolhida para está aqui neste momento. O orixá nos abençoou. Só nós sabemos o quanto batalhamos para hoje estarmos aqui garantindo que esse santuário seja salvaguardado", disse ela, enquanto discretamente enxugava as lágrimas. 

História - O terreiro Ile Aşé Kalè Bokùn foi implantado pelo babalorixá Severiano Santana Porto, no Subúrbio Ferroviário, há mais de 100 anos. Após sua morte, os trabalhos da casa tiveram o comando de Claudionor dos Santos Pereira, Estelita Lima Calmon e hoje está sob a batuta da ialorixá Vânia Amaral.  

Para a responsável pelo templo na atualidade, o terreiro de destaca por ser o único de nação Ijexá da capital baiana. A ialorixá ressaltou que o espaço religioso possui rituais específicos que exaltam o poder ancestral feminino, por meio do culto Geledé. Além disso, possui importante patrimônio ambiental envolvendo fonte, centenárias árvores como a frondosa gameleira que chama a atenção no local, além de outras plantas sagradas.  

O pedido de tombamento foi oficializado junto à FGM em fevereiro de 2016 pela Associação Brasileira de Preservação da Cultura Afro Ameríndia (AFA). O Laudo Etnohistórico do Kalè Bokùn, fruto de rica pesquisa do professor Vilson Caetano que revela elementos importantes acerca da presença dos africanos ijexá em Salvador, embasou a solicitação de tombamento.  

Em seguida, para instrução técnica do processo com vistas a atender a regulamentação da Lei Municipal nº 8550/14, foi feito um levantamento topográfico pela Superintendência de Obras Públicas de Salvador (Sucop) e georreferenciamento do terreno pela Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz).  

As informações resultaram em um parecer com avaliação preliminar, encaminhado para apreciação do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, vinculado à FGM. Após aprovação do conselho, em setembro de 2018, foi aprovada a inscrição no livro de tombamento e o título ao Ile Aşé Kalè Bokùn de Patrimônio Cultural do Município de Salvador.  

Lei municipal de preservação –A Lei Municipal 8.550/2014, que institui normas de proteção e estímulo à preservação do patrimônio cultural do município, e dá outras providências, prevê o tombamento municipal de elementos culturais em Salvador, por meio do Salvador Memória Viva, programa de atividades de proteção e estímulo à preservação dos bens materiais e imateriais do município desenvolvido pela Prefeitura, através da FGM.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-obra (SIMM) oferece vagas de emprego para esta quarta-feira (13). Os interessados deverão ir a um dos postos do SIMM, no Comércio (Rua Miguel Calmon, 506, Edifício Ouro Preto); Boca do Rio (Rua Abelardo Andrade de Carvalho, 141, anexo ao Colégio Imeja), levando originais da carteira de trabalho, carteira de identidade, CPF, comprovantes de residência e histórico escolar, além do número do PIS, Pasep ou NIS.

O atendimento é feito das 7h às 17h, mediante distribuição de senhas, que são entregues a partir das 6h30. Os candidatos podem usufruir do atendimento por hora marcada, que funciona das 7h às 16h30, pelo telefone 3202-2016 ou 0800-2853111 para ligações gratuitas.

É possível também ter acesso ao atendimento do SIMM nas Prefeituras-Bairro Centro/Brotas Cabula, Cajazeiras, Cidade Baixa, Itapuã, Pau da Lima e Subúrbio/Ilhas, para realização de cadastro, busca por vagas e encaminhamento para entrevistas e seleções.

 

Vagas do SIMM para quarta-feira (13): 

Recepcionista de Restaurante

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, imprescindível experiência exclusivamente com restaurante, ter conhecimento de informática

Salário da categoria + benefícios

1 vaga

 

Auxiliar de Pessoal

Ensino médio completo, seis meses de experiência, imprescindível conhecimento no E-Social

Salário: R$1.800,00 + benefícios

1 vaga

 

Costureira

Ensino fundamental completo, 2 anos de experiência, imprescindível experiência em costura de fardamento profissional

Salário: R$1.050,00 + benefícios

1 vaga

 

Auxiliar Administrativo (vaga exclusiva para pessoas com deficiência)

Ensino médio completo, seis meses de experiência, imprescindível informática avançada

Salário: R$998,00 + benefícios

1 vaga

 

Estoquista (vaga exclusiva para pessoas com deficiência)

Ensino médio completo, seis meses de experiência

Salário: R$998,00 + benefícios

1 vaga

 

Gerente de Vendas

Ensino médio completo, 1 ano de experiência na área, habilitação B

Salário: a combinar + benefícios

1 vaga

 

Técnico em Edificações

Ensino médio completo, 6 meses de experiência, curso na área.

Salário: R$1.800,00 + benefícios

1 vaga

 

Mecânico de Refrigeração

Ensino médio completo, seis meses de experiência, desejável CNH A ou B, curso na área

Salário: R$1.500,00 + benefícios

2 vagas

 

Auxiliar de Depósito

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, imprescindível experiência em depósito do gênero alimentício

Salário: R$998,00 + benefícios

2 vagas

 

Cozinheiro de Restaurante

Ensino médio completo, 1 ano de experiência.

Salário: a combinar

1 vaga

 

Sushiman

Ensino médio completo, 1 ano de experiência.

Salário: R$1.200,00 + benefícios

1 vaga

 

Técnico em Refrigeração

Ensino médio completo, 1 ano de experiência, imprescindível experiência com manutenção de ar-condicionado e vivência na área elétrica

Salário: R$1.505,00 + benefícios

1 vaga

 

Costureira de Máquina Reta

Ensino fundamental completo, seis meses de experiência

Salário a combinar + benefícios

1 vaga

 

Artífice de Manutenção

Ensino médio completo, seis meses de experiência, experiência com serviços de soldagem, instalação elétrica e hidráulica

Salário: R$1.500,00 + benefícios

1 vaga

 

Auxiliar de Limpeza (vaga exclusiva para pessoas com deficiência)

Ensino médio completo, três meses de experiência

Salário: R$1.009,00 + benefícios

1 vaga

 

Cozinheiro Geral

Ensino médio completo, seis meses de experiência

Salário a combinar + benefícios

1 vaga

 

Varredor de Rua (vaga para pessoas com deficiência)

Fundamental Incompleto, seis meses de experiência

Salário: R$1.039,76 + benefícios

9 vagas

 

Polidor de Veículos

Ensino médio completo, seis meses de experiência

Salário: R$1.100,00 + benefícios

1 vaga

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) autuou o Bompreço pelo lançamento de esgoto no riacho da Fonte do Boi, no Rio Vermelho. O estabelecimento também foi notificado para suspender o descarte imediatamente.

A ação fiscal do órgão que constatou o crime ambiental foi motivada por um ofício da Embasa que assegurava que o Bompreço estava realizando o despejo irregular. A empresa precisou realizar um procedimento para evitar que os efluentes desaguassem na praia.

“Nessa ação somamos esforços para garantir a preservação do meio ambiente e o cumprimento da legislação. Seguiremos com uma fiscalização sempre atenta e uma punição dura para evitar esse tipo de descaso de grandes empresas com o meio ambiente”, afirma o diretor de fiscalização da Sedur, Átila Brandão.

O dano ao meio ambiente foi considerado gravíssimo e a multa poderá chegar a até R$ 5 milhões. O valor será definido pela Comissão de Julgamento de Autos da Sedur.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Em celebração pelo Dia do Consumidor, a Diretoria de Ações de Proteção à Defesa do Consumidor (Codecon), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), promove uma programação especial até a sexta-feira (15).

No estande montado no 3º piso do Shopping Center Lapa, das 9h às 21h, está sendo ofertada uma série de atendimentos gratuitos, que engloba orientações sobre questões financeiras, débitos com cartão de crédito, empréstimos e planos de saúde, além da abertura de reclamações contra empresas abusivas. O atendimento conta com a parceria do Serasa/CDL e da Anatel, que também prestam serviços no local.

Formado por um ranking de 68 instituições, um cadastro composto por empresas denunciadas por consumidores em Salvador durante o ano de 2018 será divulgado nesta sexta-feira (15). O evento, que contará com palestras sobre relações de consumo e é gratuito, começa às 9h, no auditório da Defesa Civil de Salvador (Codesal), localizado na Avenida Mário Leal Ferreira (Bonocô), número 80.

Criada há 30 anos, a Codecon é um núcleo municipal responsável por fiscalizar as relações de consumo e o cumprimento das normativas previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC). O órgão tem a sede localizada na Rua Chile, 3, Centro, e oferece atendimento gratuito de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, por ordem de chegada. Não há limite de pessoas. Além disso, dispõe de profissionais que atuam nas Prefeituras-Bairro do Cabula/Tancredo Neves, Cidade Baixa, Itapuã/Ipitanga, Cajazeiras e Subúrbio/Ilhas.

Os principais problemas registrados pela Codecon são referentes a reclamações financeiras, na maioria por cobranças excessivas e/ou indevidas de instituições bancárias e de financiamento. O cidadão que se sentir lesado em alguma relação de consumo ou quiser registrar alguma denúncia, além da opção de se dirigir à sede do órgão, pode usar os canais de atendimento como o aplicativo Codecon Mobile, disponível no App Store e no Google Play, e o Fala Salvador, no telefone 156.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Um dos mais tradicionais espaços de comércio e cultura de Salvador, o Mercado de São Miguel, na Baixa dos Sapateiros, começa a passar por profunda transformação promovida pela Prefeitura. A ordem de serviço para início imediato das obras de reconstrução foi assinada no local nesta terça-feira (12) pelo prefeito ACM Neto, na presença dos permissionários, moradores e lideranças da região. Também participaram da cerimônia o vice-prefeito e secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis; e a presidente da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Tânia Scofield, dentre outras autoridades.

Vítima de um incêndio em setembro de 2017, o espaço está com a estrutura deteriorada e sem condições de funcionamento. As obras terão duração de 12 meses, sob a responsabilidade da Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop), vinculada à Seinfra. Com investimento total de R$5,1 milhões, dentro do programa Salvador 360, eixo Centro Histórico, a ação resgata um sonho antigo não apenas da Baixa dos Sapateiros, mas também de toda a cidade, como afirmou o prefeito.

“Este é um mercado que, ao longo do tempo, passou por um processo de degradação e de abandono. Um mercado que, no passado, já teve muita tradição, que tinha a expressão da força do comércio da Baixa dos Sapateiros e o que essa região representou para a capital baiana no passado”, declarou ACM Neto.

Ele lembrou ainda que a demora para a reforma ocorreu porque, há seis anos, o governo da Bahia havia solicitado a transferência de alguns equipamentos para a esfera estadual, incluindo o Mercado São Miguel. No entanto, ao perceber que a estrutura não seria reformada, foi enviado um comunicado oficial informando que a Prefeitura assumiria de volta o mercado, cumprindo assim o compromisso inicial firmado com a comunidade.

Estrutura – Na cerimônia, foi feita uma apresentação em vídeo na qual a população pode conferir, em linhas gerais, como ficará o Mercado São Miguel após as obras. Concebido para manter a diversidade de atividades do equipamento, o projeto, elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira, conserva a tradição do centro de compras sem abrir mão de necessidades arquitetônicas atuais, como elementos de acessibilidade e paisagismo.

O novo Mercado São Miguel abrigará, numa área de 4.460 m² - sendo 1.671 m² de espaço construído -, 28 boxes para comercialização de produtos hortifrutigranjeiros, 31 para itens diversos, nove espaços para oferta de serviços, seis bares/restaurantes, sanitários masculino, feminino e para pessoas com deficiência, elementos de acessibilidade, ambiente para roda de capoeira e estacionamento com vagas para até 30 veículos, além de um santuário dedicado ao culto do santo que empresta o nome ao equipamento.

O projeto contempla a reforma total do mercado, especialmente da ala esquerda da estrutura, completamente destruída no incêndio, inclusive o telhado. A parte frontal da estrutura contará com um recuo para a criação de uma área verde, que será ladeada pelo setor de serviços do equipamento, abrigando vendedores, chaveiros e outros prestadores tradicionais do espaço.

A estrutura tradicional será preservada, bem como a ideia de manter o uso diversificado do equipamento. O mercado seguirá concentrando o comércio de ingredientes para as comidas tradicionais da Bahia, como camarão e azeite de dendê, além de utensílios e ervas indispensáveis à liturgia do candomblé. A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) ficará responsável pelo levantamento dos atuais comerciantes e identificação de novos permissionários que possam ter o perfil do mercado.

História e expectativa – Inaugurado em 1965, o Mercado São Miguel teve seu auge durante as décadas de 1970 e 1980, sendo um dos principais pontos de comercialização de artesanato regional, produtos religiosos e ingredientes para comidas típicas afro-baianas. Atualmente, o mercado, bem como toda a região do Centro Antigo de Salvador, encontra-se tombado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) como Patrimônio da Humanidade.

O comerciante Antônio de Jesus, de 75 anos e há 48 deles atuando no Mercado São Miguel, era só felicidade com o anúncio da reforma. “Já esperava há muito tempo essa ação e, graças a Deus, chegou agora. Aqui já teve muitos boxes, carregava mercadorias da Ceasa para cá, tinha muita gente, mas o movimento caiu com o tempo. A expectativa é de que tudo seja bem melhor pra gente. Vai ser beleza, mesmo”, finalizou, sorridente.

Próximas intervenções – Na solenidade de hoje, o vice-prefeito e secretário da Seinfra, Bruno Reis, relembrou os demais investimentos promovidos ou a serem iniciados pela administração tanto na área de mercados municipais, quanto na revitalização do Centro Histórico. Em sete anos, e contando com as obras dos próximos mercados de Jardim Cruzeiro (a ser entregue no próximo dia 10 de abril), São Cristóvão e Mercado Modelo (ambas intervenções a serem iniciadas), o investimento em mercados municipais chegará a R$30 milhões.

Além disso, no Centro Histórico, dois terminais também serão requalificados: o da Barroquinha, com projeto a ser finalizado ainda neste mês de março, e o do Aquidabã, com elaboração do projeto a ser concluído em maio. Já está em obras a requalificação da Rua Cônego Pereira, que liga o Largo Dois Leões ao Aquidabã, com investimento de R$16 milhões. “Isso significa que, no próximo ano, vamos ter essa região da cidade amplamente requalificada e que compõe esse amplo conjunto de investimentos da Prefeitura no Centro Histórico”, elencou Reis.

“Com esse conjunto de obras, a perspectiva será outra. Comerciantes que passaram anos e anos sofrendo por atenção do poder público terão os pontos comerciais valorizados e retomada do fluxo de pessoas a esta parte da cidade. Além de um centro de comercialização, o Mercado São Miguel também será um ponto turístico, algo atrativo para quem passa por aqui ou realiza atividades na Baixa dos Sapateiros”, salientou ACM Neto.

Demais investimentos – Desde 2013, a Prefeitura tem promovido uma série de investimentos, que devem totalizar algo em torno de R$300 milhões, para recuperar a infraestrutura e valorizar a importância do Centro Histórico da cidade.

Integram a lista de ações a recuperação das transversais da Avenida Sete de Setembro e das praças Dois de Julho (Campo Grande), Piedade, da Inglaterra e da Sé; a reativação dos planos inclinados Pilar e Gonçalves; a implantação do Hub Salvador, no Comércio; a requalificação do Camelódromo da Baixa dos Sapateiros; a implantação da Casa do Carnaval e a recuperação dos mercados Dois de Julho e das Flores, além do Espaço Cultural da Barroquinha, Teatro Gregório de Mattos e acesso a estes equipamentos.

Estão em andamento as requalificações da Avenida Sete e Praça Castro Alves, da Rua Miguel Calmon, do Terreiro de Jesus e da Praça Cairu. As próximas intervenções envolverão a implantação do Pólo Criativo de Salvador e dos museus da Música Brasileira e da História de Salvador; a recuperação do Elevador do Taboão, do frontispício da Sé e dos arcos da Ladeira da Montanha; da requalificação da Praça Deodoro; e a nova sede da Fundação Gregório de Mattos.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...