Geral

0
0
0
s2sdefault

Os candidatos ao concurso da Prefeitura de Salvador, com inscrições encerradas na última terça-feira (7), ganharam mais um prazo para pagamento do boleto. O documento pode ser reimpresso e pago até esta sexta-feira (10).

A inscrição só tem validade após a quitação do boleto gerado no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV), organizadora do certame. As taxas são de R$ 80 para os cargos de nível médio e técnico e de R$ 100 para os de nível superior. 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com o objetivo de promover reflexão sobre a importância das mulheres no fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários e comemorar o Dia das Mães com os usuários dos serviços socioassistenciais, a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) promove atividades lúdicas durante a semana que antecede o Dia das Mães.  

Nesta quinta-feira (9), na Unidade de Acolhimento Institucional de Amaralina, as mães participam de atividade recreativa com os filhos. A programação seguirá com almoço especial servido para as 9 famílias que estão acolhidas atualmente.  

Os idosos acolhidos no Abrigo D. Pedro II participarão de Café da Manhã comemorativo, nesta sexta-feira (10), a partir das 8h30, ação que ocorre em parceria com a Igreja Batista do Caminho das Árvores.   

Também nesta sexta-feira, às 9h, na Escola Municipal Deputado Cristóvão Ferreira, o Centro de Referência Especializado de Assistencial Social (Creas) de Itacaranha, em parceria com o Parque Social, vai realizar a palestra “O papel social da mulher na contemporânea”, para mulheres cuidadoras e mães dos alunos, com o objetivo de aproximá-las através da reflexão do seu lugar social e dos seus direitos.  

A oficina de sabonetes foi a atividade escolhida pelo Centro de Referência de Assistencial Social (Cras) do Parque São Bartolomeu para comemorar o Dia das Mães. A ação, que será realizada nesta sexta (10) e segunda (13), às 9h, visa ofertar oportunidade de trabalho e renda para as famílias usuárias do centro.    

As famílias assistidas pelo Restaurante Popular Cuidar, localizado na Rua Santa Filomena, em São Tomé de Paripe, participarão, nesta sexta (10), a partir de 9h30, da palestra “O papel da mãe na atualidade”, que será ministrada pela psicóloga e membro do grupo de trabalho de relação de gênero e psicologia do Conselho Regional de Psicologia Seção 3 Edna Abadia. A partir das 11h30, será servido o almoço festivo, com apresentação de música ao vivo do cantor João Gueto e distribuição de brindes doados pelo Instituto Embeleze.  

Outras Atividades - O Cras Águas Claras irá realizar no dia 14, das 9h às 12h, na Escola Municipal São Damião, atividades motivacionais com as mães dos alunos e famílias acompanhadas pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – PAIF. Além de palestras e dinâmicas serão ofertados serviços de embelezamento como massoterapia, esmaltação, oficina de maquiagem, entre outros.  

No dia 15, às 9h30, o Cras Fazenda Grande do Retiro vai promover a palestra “A diferença da conjugação dos verbos ser mãe e estar mãe”, para os usuários do serviço.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Perfumes, cosméticos, camisetas, roupas femininas, bolsas, sapatos, acessórios, sequilhos, artigos de cama, mesa e banho, cestas padronizadas para o Dia das Mães e até suplementos, shakes e vitaminas para as mamães fitness. Todas essas opções estão disponíveis nos 12 estandes da Iª Feira de Economia Criativa Feminina da Guarda Municipal, realizada hoje e amanhã (8 e 9), na sede do órgão, na Avenida San Martin. Com o tema “Mãe Sinônimo de Amor e Carinho”, a Guarda Civil Municipal (CGM), por meio da Gerência de Desenvolvimento Humano (GEDHU), promove o evento em homenagem a todas as mães que têm seu dia lembrado no próximo domingo (12).

Atualmente, a GCM conta com 130 mulheres. Além do ofício público, muitas delas são empreendedoras e possuem atividades complementares com vendas de produtos diversos. A ideia do evento foi concebida a partir de sugestão das próprias mulheres da corporação, com intuito de valorizar o empreendedorismo feminino. As expositoras são as próprias guardas, além das esposas e mães dos agentes. As inscrições para participar do evento encerraram no dia 3.

No primeiro estande, cosméticos e perfumes diversos despertam a atenção de quem chega. As mercadorias são vendidas pela guarda municipal Solange Freitas, 40 anos, onze deles dedicados à GCM, também uma das idealizadoras do evento. Mãe do pequeno Alexandre, de 3 anos, ela afirma que a ideia da feira, na semana do Dia das Mães, deixou a todos bem animados. “Além de homenagear a todas as mamães, estamos tendo a chance de propagar a nossa outra atividade e vender algumas mercadorias”, comentou.

Mais adiante, blusas com dizeres homenageando as mães, além de bonés e viseiras padronizadas. A dona do negócio é a guarda municipal Alessandra Dias, que tem as vendas da grife como uma atividade extra. “Foi incrível a ideia de montar essa feira. Sabemos que muitos colegas não têm tempo de sair para comprar os presentes, então podem garantir as lembrancinhas do Dia das Mães dentro do próprio trabalho. Tem muita coisa boa e bacana. Vale a pena”, comenta.

Valorização - O chefe do Centro de Valorização da GCM, Tiago Santos, parabenizou as envolvidas na iniciativa e destacou que a GCM sempre busca incentivar o efetivo. “Sabíamos que muitas vendem produtos, divulgam nas redes, então pensamos numa forma de valorizar mais esse ofício”, frisou. As palavras foram endossadas pelo inspetor-geral, Alysson Carvalho, destacando que a iniciativa é mais uma ação de valorização das colaboradoras da instituição.

"Atendemos a um pedido das nossas guardas. Sabemos que muitas delas têm uma atividade complementar e, por isso, promovemos um evento que traz essa outra atividade para as nossas instalações. Uma forma de promovê-las e também de fazer uma homenagem já que muitas das participantes são mães", disse. Ainda segundo o inspetor, além de fomentar o empreendedorismo feminino, a feira é uma opção a mais para os GCM que estão em serviço. "Nosso dia a dia é bem corrido. Com a feira que tem uma diversidade tão grande de presentes, podemos comprar o presente para as mamães de nossas vidas por aqui mesmo", comentou o inspetor.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), através da Diretoria de Serviços Públicos (DSEP), realizou nesta terça feira (7) a operação "Cidade Dez, Sucata Zero", em algumas localidades de Salvador. A ação, que aconteceu nos bairros de Castelo Branco, Santa Mônica, Lobato, Santa Luzia e na Avenida Suburbana, resultou na retirada de 20 sucatas dos logradores públicos, sendo 8 apreendidas e 12 retiradas pelos proprietários.

De janeiro a maio de 2019, a Semop já retirou 340 sucatas das ruas de Salvador e foram emitidas 406 notificações. A operação que contou com o apoio de 15 fiscais tem como objetivo recolher sucatas e bens inservíveis, contribuindo com a mobilidade, a segurança e a saúde pública e bem estar social. A ação acontece de segunda a sexta-feira, com equipes espalhadas por toda a cidade, mas nas terças e quintas-feiras, as rondas são reforçadas com uma maior quantidade de caminhão guincho.

A meta para este ano é retirar mil sucatas das ruas da capital baiana. Parte do material recolhido segue para o Setor de Guarda de Bens Apreendidos (Segub), localizado na Avenida San Martin (ao lado do Colégio Luiz Eduardo Magalhães), e os objetos inservíveis são descartados pela Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb).

Quem tiver objetos apreendidos pode retirá-los mediante a apresentação de documentos de identificação do proprietário e do bem. O prazo para a reivindicação é de até 60 dias, e o valor da multa varia entre R$ 855,77 e R$ 1,1 mil.

Critérios - Para o objeto ser considerado sucata tem que ser bem inservível, ou seja, que não está servindo ao objetivo para o qual foi fabricado. Se for um veículo, precisa estar em condições de abandono, com vidros quebrados, pneus arriados ou em falta, geralmente acumulando sujeira, água ou mato, sem motor, chaparia incompleta ou enferrujada e sem bancos. A população pode solicitar a retirada de sucatas, através do Fala Salvador, pelo telefone 156.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Ações de sensibilização e mobilização do combate ao trabalho infantil foram realizadas na manhã desta quarta-feira (8), na Estação de Trem da Calçada. Promovida pela Diretoria de Proteção Social Especial (DPSE) por intermédio da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), a iniciativa teve a atuação de quatro agentes para abordagem aos cidadãos.

O objetivo é orientar e esclarecer sobre os agravos físicos, morais e psicológicos de crianças e adolescentes, de 0 a 16 anos, que estejam realizando trabalho não condizente com o desenvolvimento biopsicossocial. Na ocasião, foi entregue material informativo com o tema “Criança não é mão de obra”, que traz alguns motivos pelo qual crianças e adolescentes não deve trabalhar.

Atuando há 13 anos como técnica de referência do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), a assistente social Adriana Vieira, 44 anos, explicou a escolha do local para realização da ação. “O Subúrbio e a Cidade Baixa são áreas de grande índice do trabalho infantil”, disse.

Conscientização – Para a dona de casa, Ana Cristina Santos, 42 anos, a atividade chama a atenção dos pais sobre o assunto. “Tem tanta criança que trabalha sem necessidade, que os pais pegam o dinheiro, gastam com outras coisas e não ajudam os filhos em nada. A minha filha mesmo não trabalha, ela faz o curso dela, eu dou o dinheiro do transporte de ida e volta, mas tem muitos pais que não fazem isso,” comentou.

O advogado Vagner Silva, 34 anos, diz que a ação consegue cumprir o papel social de identificar os problemas que ocorrem na população. “É bom acontecer esse tipo de ação para identificar os problemas que estão ocorrendo na sociedade e ajudar a manter a população informada. O trabalho infantil, realmente, desvirtua a criança, evocando ela para assumir uma responsabilidade inadequada. A criança deveria estar na sala de aula, fazendo atividades de criança,” pontuou.

Tabu – Adriana avalia que o tema ainda é um tabu para a sociedade. “Ainda há alguns mitos com relação ao trabalho infantil. Costumam dizer que ‘é melhor trabalhar do que roubar’ e, com isso, a criança é levada, em tenra idade, para o trabalho infantil. Infelizmente, a população ainda tem muito essa cultura, que era comum antigamente e que julgam ainda ser pertinente na atualidade”, destacou a técnica do Peti.

O dia 12 de Junho é conhecido como o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Em alusão à data, a Sempre pretende realizar, nas escolas, oficinas relacionadas ao tema que envolverão alunos e educadores.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Grupamento Especial de Proteção Ambiental da Guarda Civil Municipal capturou, na manhã de hoje (08), uma serpente da espécie jiboia. O animal de cerca de dois metros estava escondido em uma residência, no bairro de Cosme de Farias. Somente este ano, a Guarda já resgatou 370 animais silvestres nas ruas de Salvador. 

“Recebemos o chamado informando que uma cobra havia sido vista em uma casa. Enviamos nossa equipe, que capturou o animal, mantendo sua integridade, e o encaminhou para o Ibama”, explicou Maurício Lima, diretor de Segurança Urbana da Prefeitura. 

Para as solicitações de resgate de animais silvestres, o cidadão pode entrar em contato com a Guarda Civil Municipal através do telefone (71) 3202-5312.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Filme mostra superação de mulheres e famílias que viviam em condições desumanas naquela que já foi a Cidade de Plástico

Periperi, Salvador, Bahia. De 1826 a 2019. A vida da Guerreira Zeferina, contada em imagens e relatos, se mistura à história de superação de quatro mulheres que viveram na antiga Cidade de Plástico, hoje moradoras do conjunto habitacional que leva o nome da líder quilombola que lutou pela liberdade no Subúrbio Ferroviário no século XIX. Esse é o enredo do documentário “Zeferinas – Guerreiras da Vida”, que será lançado na segunda-feira (13) na internet, no site zeferinas.com.br, e também em uma sessão especial para convidados no Espaço Glauber Rocha, na Praça Castro Alves, às 18h. 

O filme, que é uma realização da Prefeitura com produção da agência Propeg, foi dirigido por Márcio Cavalcanti ("Sou Carnaval" e "Bahia, Minha Vida"). Com quase 25 minutos de duração, a obra faz um paralelo entre as guerreiras do tempo presente, que têm uma história de superação, com a heroína do passado, que é a inspiração para o nome da comunidade que teve a face transformada pela construção do conjunto habitacional pelo município, a partir de 2018. 

Com entrevistas emocionantes e reveladoras, além de imagens fortes da antiga Cidade de Plástico e da paisagem que compõe a realidade atual das "zeferinas", o documentário resgata esse elo, mostrando os maiores conflitos da trajetória de cada “guerreira” que habita o local, que fica às margens da linha férrea.  

“Quando pintou a ideia de fazer um documentário sobre aquela história tão forte, eu parei para pensar sobre aquele lugar que já conhecia. Então, busquei entender mais e achar um recorte para contar aquela história de superação que ocorreu graças à intervenção da Prefeitura”, conta Márcio Cavalcante. 

Trajetória - O pontapé inicial da obra foi fazer o resgate da trajetória da guerreira Zeferina de 1826, intercalando com a história das mulheres lutadoras da atualidade. “Nossas atrizes são quatro mulheres que fizeram parte daquela ocupação, que sobreviveram a todas as dificuldades daquele lugar e têm uma vida de superação. Fizemos esse paralelo histórico com a guerreira lutadora do passado. Disso, surgiu o nome do filme”, explica o diretor. 

As gravações duraram dez dias, sendo nove na comunidade e um para filmagens de reconstituição histórica no Parque São Bartolomeu. Além dos depoimentos, o filme relembra os 14 anos de existência da Cidade de Plástico – referência à lona que servia de teto para os barracos feitos de madeirite.  

O passado que não é esquecido por muitos moradores é relembrado em algumas passagens do documentário. Segundo Márcio Cavalcanti, conhecer de perto a comunidade foi fundamental para o resultado. “Nossa produção passou 15 dias no local. Conhecemos todo mundo, conversamos com as pessoas e escolhemos quatro guerreiras com histórias bem marcantes”, disse. 

Inspiração – Quem narra essa história são as moradoras Cassileide, Vanda, Tâmara e Miriam. Dona de casa e mãe solteira de um casal, Cassileide Bonfim, 42 anos, chegou à Cidade de Plástico em 2010. “Passamos muita coisa aqui, foi muito sofrido. Mas nunca duvidamos que teríamos uma moradia digna e esse dia chegou. Estou ansiosa para ver a história da minha comunidade transformada em filme”, declara. O documentário, conta como ela, uma mãe solteira, acabou lutando muito para criar os filhos em um local tão desprovido de tudo. 

Além de Cassileide, “Zeferinas – Guerreiras da Vida” traz a história de Vanda, a mais velha das quatro mulheres e que ganhou o título de personagem da alegria. A professora Tâmara, chamada de Mara, que está grávida e cheia de perspectiva de futuro, também narra a história de amor vivida com o marido e a família na comunidade. 

O documentário tem ainda um pouco da vida de Miriam, uma batalhadora que, além de ter sido agraciada com o sonho da moradia digna, trabalha na cozinha da Creche Escola Guerreira Zeferina, outra iniciativa da Prefeitura. A unidade de ensino funciona dentro do conjunto habitacional e atende 130 crianças da comunidade.  

Contexto histórico – O média-metragem busca sempre o elo dessas mulheres com a Zeferina guerreira do passado. “Fazemos um contexto histórico tanto com a Cidade de Plástico como com a guerreira das lutas de 1826, os capitães do mato, os quilombolas e o batalhão Pirajá voltando para dizimar e prender Zeferina. Tudo isso é mostrado no filme”, afirma o diretor. 

O documentário culmina com a mudança total da realidade dos moradores da comunidade. É quando a Cidade de Plástico, com quase 300 famílias, considerada a área mais pobre da capital baiana durante anos, é transformada em 2018. “A gente utiliza todos os conflitos de cada uma dessas mulheres – conflitos esses estabelecidos pela Cidade de Plástico – e a grande virada na vida por conta da intervenção da Prefeitura”. 

Hoje, a vida dessas quatro famílias e de mais outras 253 têm um outro sentido. O conjunto habitacional, composto por 10 prédios espalhados em uma área com mais de 20 mil m², abriga moradores com toda a infraestrutura, incluindo 20 moradias adaptadas para pessoas com deficiência. E aquele passado de dor e privações, marcado nas lembranças dessas famílias, só será reavivado nas telas do filme.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault
A Prefeitura, através da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult) e do Consórcio Cria Rumo Arandas, realizou, nesta terça-feira (7), um encontro para a elaboração do Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo Étnico-Afro de Salvador. O encontro de líderes que aconteceu no Teatro Gregório de Mattos, e teve como objetivo a coleta opiniões de pessoas do segmento cultural para saber o entendimento deles sobre o projeto, como ele deve se desenvolver e como pode ser fortalecido. A iniciativa, que teve caráter participativo, visa fomentar o turismo étnico na cidade, gerando oportunidades de emprego e renda para a população afrodescendente.
 
O evento reuniu líderes de referência em diversas atividades turísticas e étnico-afro para apresentar a metodologia e coletar informações que serão agregadas ao projeto. Os próximos passos consistem na realização de entrevistas individuais com as lideranças e oficinas nos bairros.
 
“O Plano de Ação Étnico-Afro visa fomentar a incorporação da população afrodescendente nas atividades associadas ao turismo, atuando nos diversos aspectos já reconhecidos, como a música, a gastronomia e as artes, que já funcionam como ativo e atrai a atenção de turistas nacionais e internacionais. A iniciativa busca legitimar e valorizar esse setor dentro da sociedade e, junto com as lideranças, comprometê-los com os resultados e colocá-los ao nosso lado para acompanhar a execução das ações que irão ser definidas no plano e buscar também participação no resultado econômico que o turismo oferece a Salvador”, afirmou Cláudio Tinoco, titular da Secult.
 
O produtor cultural e líder comunitário do Curuzu Paulo Cambuí contou que a expectativa para o desenvolvimento do projeto é grande. “A proposta desse encontro é muito importante, há anos buscamos implantar e qualificar alguns destinos na nossa comunidade para que as pessoas possam conhecer a nossa cultura. Estar aqui hoje é muito importante porque poderemos expor nossas ideias. E organizando tudo, tenho certeza que os resultados virão, porque já tivemos a oportunidade de receber turistas no Curuzu e eles ficaram bastante encantados”, afirmou.
 
Já o líder religioso e representante comunitário do bairro de Matatu de Brotas conhecido como "Pai Iôiô" destacou a importância que a prefeitura vem dando ao turismo na cidade. “É muito importante essa iniciativa da Prefeitura, porque vai valorizar o turismo cultural, étnico, religioso e vai desmistificar preconceitos. Além de valorizar os líderes religiosos e projetos sociais comunitários”.
 
Projeto - O Plano de Ação Étnico-Afro teve a ordem de serviço para início da ação assinada e apresentada pelo prefeito ACM Neto, na última quinta-feira (2), ao lado dos secretários municipais de Cultura e Turismo (Secult), Cláudio Tinoco, e da Reparação (Semur), Ivete Sacramento, demais autoridades, convidados e imprensa. O consórcio selecionado via processo licitatório para conduzir o plano foi o Cria Rumos Arandas, que contará com investimento de cerca de R$ 728 mil, dentro do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).
0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Na manhã desta terça-feira (7), os agentes da Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) participaram da roda de discussão sobre a campanha Maio Amarelo. A palestra, ministrada pela especialista em Gestão de Trânsito, Miriam Bastos, teve como objetivo reforçar o entendimento dos profissionais sobre a importância da campanha para os agentes e condutores de veículos.

Dos assuntos abordados durante a palestra, a redução dos índices de acidentes no trânsito em Salvador foi o que mais chamou a atenção do agente de trânsito Antônio Alves Neco, 48 anos. Há 24 anos na função, o agente ressaltou a importância de perceber que as ações efetivas trazem melhoria na vida do cidadão. “Iniciativas como estas servem para que o ente público observe que o agente de trânsito precisa de investimentos para que, assim, possamos realizar nosso trabalho cada vez melhor”, pontuou.

O gerente de trânsito da pasta, Antônio Nery, chamou a atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito, que é uma tendência mundial. O gestor salientou o papel dos agentes nas campanhas. “Eles são as primeiras pessoas que o cidadão encontra na rua. Por isso, têm tem que estar orientados e saber como lidar com as pessoas no trânsito. Não basta apenas conhecer a legislação e cobrar – eles também são agentes de mudança, que podem multiplicar essas informações e, com isso, trazer uma melhor educação para que as pessoas compreendam a necessidade de transitar com segurança”, completou.

Campanha – Idealizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que decretou em maio de 2011 a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito”, a campanha Maio Amarelo é coordenada em conjunto entre o poder público e a sociedade civil. Tem como principal objetivo conscientizar a população para a importância da atenção nas vias, além de mobilizar os cidadãos a engajar e praticar ações para que os índices de mortes e acidentes sejam reduzidos. O movimento conta com o apoio de diversos órgãos públicos e privados, entre eles o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA).

Aumento - O número de veículos em Salvador vem crescendo nos últimos anos. De janeiro de 2018 a abril de 2019, houve um aumento de 7.310 veículos na capital baiana. Os automóveis compõem a maioria da frota da cidade, com 66,5%, seguidos de motos (14,11%), utilitários (11.73%), caminhões (2,27%) e ônibus (1.44%).

Vivo na Moto - No dia 25 deste mês, a Transalvador irá realizar uma ação educativa voltada para motociclistas. Em parceria com o órgão, clubes de motos e empresas que trabalham com entregas serão alvo da ação. O evento, que levará o nome sugestivo de “VIVO na Moto”, será divido em sete partes, sendo realizada uma ação por mês até novembro. A primeira edição será na sede da Prefeitura-Bairro do Subúrbio/Ilhas, em Paripe.

Próximos eventos:

Prefeitura-Bairro Cajazeiras – 29 de junho

Prefeitura-Bairro Pau da Lima – 27 de julho

Prefeitura-Bairro Liberdade/São Caetano – 31 de agosto

Prefeitura-Bairro Itapuã/Ipitanga – 28 de setembro

Prefeitura-Bairro Cidade Baixa – 26 de outubro

Prefeitura-Bairro Cabula/Tancredo Neves – 30 de novembro

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...