Geral

0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura-Bairro Subúrbio/Ilhas é palco esta semana do “Registre-se”, campanha da 2ª Semana Nacional de Registro Civil. A ação acontece até a próxima sexta-feira (17), das 8h às 16h, na Rua Pará, 15, em Paripe.

A ação, promovida pelas Prefeituras-Bairro em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA), tem como objetivo combater o sub-registro e ampliar o acesso à documentação básica por pessoas vulneráveis. Entre os serviços gratuitos ofertados estão a emissão de 2ª via de certidão de nascimento, de óbito e de casamento, além de orientações gerais sobre procedimentos dos cartórios de registro civil, como paternidade, alteração de prenome e registro tardio.

O secretário de Articulação Comunitária e Prefeituras-Bairro (SACPB), Luciano Sandes, destacou a importância da descentralização de serviços para facilitar a vida dessas pessoas. “Nada mais nobre do que a pessoa ter o seu próprio documento, ter o seu próprio reconhecimento que está ali como cidadão. Estamos comprometidos em promover a inclusão e a cidadania em todos os cantos da nossa cidade”, pontuou.

O gestor da Prefeitura-Bairro Subúrbio/Ilhas, Afonso Celso, afirmou que a localidade escolhida é uma das que mais abriga pessoas em vulnerabilidade social. “Nossa população é bastante carente. Às vezes, alguém teve sua casa alagada devido a muita chuva e acabou perdendo sua documentação. Então é muito importante fazer essas ações para ajudar a nossa comunidade, acolhendo todas esses bairros aqui do Subúrbio', acrescentou.

Atendimento – O cidadão interessado deverá levar qualquer documento que indique os dados de registro, como a carteira de identidade, acompanhado de um comprovante de residência. O atendimento é por ordem de chegada. São distribuídas 100 senhas por dia na triagem.

Katia Menezes, moradora do bairro Rio Sena, estava precisando da segunda via da certidão de nascimento da filha e conseguiu resolver de forma tranquila e rápida. “Fiquei sabendo através de uma amiga minha da ação, aí eu vim e consegui evitar o cartório. Achei o atendimento muito bom e prestativo. Ficou ótimo, pertinho de casa, facilita”, disse.

Reportagem: Ana Virgínia Vilalva e Iann Jeliel/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Primeiro Centro de Inovação Público de Salvador, o Colabore celebrou os cinco anos de funcionamento na última sexta-feira (10), com uma programação especial e gratuita. Inaugurado em 2019, o espaço é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, através da Secretaria de Sustentabilidade e Resiliência (Secis), em colaboração com o Parque Social e o Sebrae Bahia, e já atraiu mais de 20 mil pessoas através das capacitações, eventos e painéis oferecidos na estrutura.

Localizado no Parque da Cidade, no Itaigara, o local é destinado a microempresas, microempreendedores individuais, startups e pessoas que possuem soluções de impacto social para a cidade. Durante o evento, o titular da Secis, Ivan Euler, mencionou a importância do espaço para o desenvolvimento da cidade e dos pequenos empreendedores.

"Este espaço foi um sonho. Na ocasião, havia o desejo de construir um coworking público, um espaço onde os cidadãos pudessem trazer suas ideias por meio de suas startups. Hoje, é um equipamento extremamente importante para Salvador. É um recurso que contribui significativamente para a cidade e para os pequenos empreendedores. Aqui, podemos apoiar de diversas formas esses pequenos empreendedores sociais que existem nas comunidades", pontuou.

Ao longo desses cinco anos, o Colabore tem sido uma área de capacitações, atendimentos, eventos, ações e programas, contribuindo para o desenvolvimento do empreendedorismo na capital. O ambiente ainda oferece espaços de inovação, salas multiuso, auditório e áreas verdes, proporcionando uma atmosfera propícia para a colaboração e a criatividade.

Roda de conversa – A celebração foi marcada por uma roda de conversa sobre economia circular e negócios, com a participação das empresárias Luciana Galeão, Rosemma Maluf e Isabela Suarez. Também foi realizado um bate-papo que reuniu investidores renomados e fundadores de startups bem-sucedidas para discutir investimentos para empresas.

Superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury ressaltou a importância do Colabore, citando o impacto positivo que o espaço tem tido no comportamento das micro e pequenas empresas. "Este é um equipamento de extrema importância. Na verdade, a Prefeitura tomou a iniciativa de implementá-lo em parceria conosco. Assim, o Sebrae passou a ser o gestor desse recurso, que se tornou um centro de grande interesse, oferecendo oportunidades para os pequenos negócios se destacarem e receberem apoio. O Colabore tem até servido de modelo para outros estados", revelou.

A diretora-geral do Parque Social, Sandra Paranhos, falou sobre a incubadora In Pacto, instalada no Colabore, que tem proporcionado oportunidades para pequenos empresários. "Às vezes, as pessoas têm um projeto, mas não sabem como dar o pontapé inicial na ideia. Aqui, oferecemos estrutura para receber esses pequenos empreendedores, ou possíveis empreendedores. Muitas vezes, eles não sabem que têm potencial para ser grandes empreendedores, mas passam a reconhecer isso após participarem das mentorias, capacitações e orientações oferecidas", finalizou.

Reportagem: Mateus Soares/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria de Sustentabilidade, Resiliência, Bem-estar e Proteção Animal (Secis) segue com as ações de plantio de mudas de espécies da Mata Atlântica em Salvador, dentro da Operação Plantio Chuva. Na manhã desta segunda-feira (13), a Avenida 29 de Março recebeu 15 novas mudas de sibipirunas, ipês e paus-ferros. A iniciativa partiu da solicitação de moradores de Cajazeiras, com o objetivo de trazer mais verde para a localidade.

O secretário da Secis, Ivan Euler, afirma que essa ação é uma colaboração importante da gestão municipal com a população. “Estamos aqui dando continuidade à ação que iniciamos há umas duas semanas, chamando a população para chegar junto. Hoje, aqui em Cajazeiras, plantamos 15 mudas a pedido de um morador local que indicou, e ele também vai ser um dos responsáveis por cuidar, identificando qualquer problema com as mudas. Essa colaboração é fundamental”, diz o gestor.

O engenheiro mecatrônico Gabriel Cardoso, de 26 anos, é morador do bairro e foi quem teve a ideia de entrar em contato com a Secis. “Eu sempre ficava de olho nas áreas verdes aqui do bairro, só com grama, e tinha vontade de ter esse plantio. Quando vi a publicação nas redes da Secis, fiz a solicitação. Fiquei surpreso e muito feliz que tive o pedido respondido. Acho importante que os moradores participem deste plantio, que vão conviver com essas árvores, com as mudas, acaba trazendo maior cuidado”.

Ele estava presente no plantio com os pais, Rosalia e Roberto Sotero dos Santos. O pai de Gabriel, engenheiro de produção mecânica, conta que o filho sempre teve um cuidado com o meio ambiente. “Ele cuida das plantas em casa, nos transformou em recicladores, separando material que entregamos para uma cooperativa. Sempre falei que essa área daqui podia ter uma horta comunitária, mas o plantio veio para beneficiar. E foi uma surpresa para nós. Com certeza, vai embelezar muito o local”, avalia.

Graça – Na última sexta-feira (10), a Rua Humberto de Campos, na Graça, foi palco para o plantio de mudas de ipês roxo e amarelo, também após solicitação de moradores. Um deles foi o fiscal federal aposentado Humberto Neto, que reside na localidade há 23 anos. “Através do contato, conseguimos o pedido. Tem uma série de benefícios. A arborização fundamental em qualquer cidade, porque traz um ambiente de baixa temperatura, retorno dos pássaros, e a acústica também melhora, abranda com a arborização”, aponta.

O aposentado e vizinho Lourenço Mueller conta que o plantio é uma forma de integrar a rua a outras ações que acontecem em outras cidades do mundo, que estão reflorestando com espécies apropriadas. “A ideia é que essa rua se transforme em uma rua de bicicleta, numa rua verde, como modelo para o resto da cidade”, declara.

Proprietário de um restaurante na rua há 35 anos, o empresário João Telles não escondeu a alegria de ver a rua recebendo as novas mudas. “Agora estamos revigorando a rua, trazendo mais verde, deixando a rua mais alegre. Temos muito a agradecer à Prefeitura, que comprou a ideia e pôs em ação”, destaca.

Pedidos – Aqueles que quiserem solicitar plantio ou indicar área podem fazê-lo através do email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., enviando uma mensagem de WhatsApp para o número (71) 99676-7934, das 8h às 17h, ou via 156, número da ouvidoria da prefeitura. É necessário informar o nome completo, e-mail e telefone para contato, além de endereço com CEP.

Após a solicitação, o cidadão será convidado para participar do plantio com a equipe da Secis, que fará a reserva da muda escolhida. Uma vez por semana, serão realizados os plantios.

Reportagem: Ana Virgínia Vilalva/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com o total de 46 equipamentos sonoros apreendidos em 496 vistorias realizadas no último final de semana, a megaoperação Sílere, fruto de parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), percorreu 13 localidades da capital baiana entre os dias 10 e 12 de maio (de sexta-feira a domingo). Os bairros mais denunciados São Marcos, Boca do Rio, Canela, Costa Azul e Lobato.

Já as localidades de Cosme de Farias, Fazenda Grande do Retiro, Bairro da Paz, Boca do Rio, Itapuã, Pau Miúdo, Novo Horizonte, Nazaré, Engenho Velho de Brotas, Engenho Velho da Federação, Nova Brasília de Itapuã, Lobato, Mata Escura e Dom Avelar foram destaques negativos na quantidade de apreensões no período. De janeiro a abril, a Sedur recebeu cerca de 5 mil denúncias e apreendeu 293 equipamentos sonoros.

O diretor-geral de fiscalização da Sedur, Antonio Lins, lembra que a Operação Sílere, que ocorre de forma regular durante os finais de semana na capital baiana, aconteceu com o formato de megaoperação em virtude do dia 7 de maio, quando é celebrado o Dia Municipal do Combate à Poluição Sonora. "Em uma operação normal, fazemos uma zona por dia. Na megaoperação Silere a cobertura é para as três zonas da cidade durante todos os dias de ação, contando com a necessidade de triplicar o efetivo, atingindo o total de 90 fiscais, para atender a todos os pontos de visita”, explica.

O gestor ressalta que a ação tem um cunho essencialmente educativo. “Demos início a essa operação maior na terça-feira (7), culminando na destruição inicial de 2.500 equipamentos sonoros irregulares e inservíveis, assim como a doação a instituições carentes de materiais apreendidos que ainda eram operacionais. De sexta (10) até o domingo (12), retomamos a operação, com a ressalva de ser um dia festivo, pela ocorrência do Dia das Mães, além de comportar, no mesmo dia, a transmissão de jogos dos clubes baianos no campeonato brasileiro de futebol, que são eventos que reúnem situações graves de poluição sonora, gerando então um pico nas denúncias, autos de infrações e, consequentemente, mais apreensões".

Rondas – A iniciativa ocorre por meio de rondas realizadas em três grandes zonas urbanas da capital baiana, geralmente visitadas cada uma em um dia específico. Nesta megaoperação, as regiões foram trabalhadas em um só dia, com ações norteadas em dados obtidos a partir do volume de denúncias da população registradas no Fala Salvador 156 e pelo app Sonora Salvador, a partir dos quais é feito um levantamento para distribuição das equipes na operação.

"Ainda assim, vale ressaltar que, em comparação ao ano anterior, contabilizamos um número menor de apreensões, o que é bastante positivo. Isso mostra que as campanhas educativas junto à população e a fiscalização efetiva estão sendo eficazes para a diminuição dos casos de poluição sonora na cidade de Salvador, de pessoas pensando no próximo, nos vizinhos enfermos, em quem precisa descansar devido à carga semanal de trabalho, e que não quer passar o dia escutando o som extremamente alto sem que tenha solicitado esta situação”, salienta Lins.

“Por isso é importante continuar educando a população quanto ao uso do som, aferindo a quantidade de decibéis emitidos, bem como se determinada residência ou estabelecimento podem estar utilizando aquele tipo de equipamento sonoro ou não, se há alvará permitindo o uso. Caso contrário, essas pessoas estão sujeitas a receberem notificação, autos de infração e até mesmo ter o equipamento apreendido", completa.

O órgão ressalta ainda a necessidade, por parte dos proprietários de estabelecimentos ou promotores de eventos, solicitar junto ao órgão o alvará sonoro, que permitirá a utilização ou não de equipamentos de som em determinado local ou manifestação festiva. A medida visa evitar o incômodo no entono e garantir a continuidade do bem-estar social.

Reportagem: Eduardo Santos/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura de Salvador inaugurou nesta segunda-feira (13) a Unidade de Saúde da Família (USF) da Liberdade, para oferta de serviços de atenção integral à saúde, desde o recém-nascido ao idoso, através de atendimento médico e odontológico. Com investimento de R$671 mil, esta é a nona unidade inaugurada pela atual gestão.

Durante a entrega, o prefeito Bruno Reis afirmou que a USF da Liberdade vai ampliar a oferta de saúde na região, contribuindo para a cidade se aproximar dos 70% de cobertura da atenção básica, atingindo assim a universalização, conforme preconiza o Ministério da Saúde.

Em alguns distritos da capital baiana, a cobertura já ultrapassa os 80%, informou o gestor. “Com a abertura dessa nova unidade, vamos atender à população da Liberdade, esse bairro marcado por lutas e resistência, com a maior população negra da cidade e que precisava ter uma oferta melhor de saúde”, disse o chefe do Executivo municipal.

A unidade inaugurada terá capacidade para atender aproximadamente 460 pessoas por dia. Serão três equipes de Saúde da Família e três equipes de Saúde Bucal. A USF prestará assistência prioritária à população da área adstrita da Liberdade, onde há cerca de 12 mil pessoas cadastradas na Estratégia de Saúde da Família.

“Ainda há previsão de mais uma unidade no distrito da Liberdade, na sede da OAF [Organização de Auxílio Fraterno]. E de mais outras duas unidades em distritos próximos, no Areal e no Uruguai”, acrescentou o prefeito.

Segundo o gestor, a cidade já teria alcançado os 70% de cobertura da atenção básica se considerasse os números mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística referentes à população. “Se eu fosse seguir os dados do IBGE, já tinha passado dos 70%. Mas quem anda nessa cidade todos os dias, como eu ando, sabe o quanto ela cresceu e quais são as suas reais necessidades, independentemente dos números”, pontuou.

Bruno destacou ainda os avanços de Salvador na área da saúde, entre eles a ampliação na cobertura da atenção básica nos últimos anos. “Éramos a última colocada em oferta da atenção básica. Tínhamos apenas 18% de cobertura e, com essas unidades que estamos inaugurando, vamos ser a capital que mais avançou”, disse.

Além disso, o prefeito lembrou o aumento do número de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) – de uma para 11 – e a criação de três hospitais. Além do Hospital Municipal, o primeiro da história da cidade, serão inaugurados este ano a primeira Maternidade Municipal, com Hospital da Criança, e o Hospital do Homem, cuja entrega está prevista para junho.

A vice-prefeita e secretária municipal de Saúde, Ana Paula Matos, explicou que a criação de novas unidades de saúde na Liberdade e Cidade Baixa é estratégica. “O prefeito, de imediato, determinou que construíssemos mais unidades nesses locais”, disse. Ela ainda adiantou que, no Areal, a estrutura será um complexo de saúde, com CAPS Infantil (Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil) e Unidade de Saúde da Família (USF).

A secretária destacou ainda a marca de 1 milhão de atendimentos alcançados pelo programa Saúde nos Bairros e o papel das Upinhas para auxiliar Salvador a ser uma das primeiras cidades a superar a epidemia de dengue. “Em nenhum momento nós agravamos e temos dados que comprovam. No ano passado, até esse período, havia 1.772 casos confirmados de dengue. Esse ano, caiu mais do que a metade, com 825 casos”, comparou.

Reportagem: Vitor Villar e Rodrigo Aguiar Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O prefeito Bruno Reis acompanhou neste sábado (11) as ações do segundo encontro de 2024 do projeto Aprender +, uma iniciativa da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Educação (Smed), para recompor e fortalecer o aprendizado. Acompanhado do secretário municipal da Educação, Thiago Dantas, ele visitou as escolas municipais Santo Antônio das Malvinas, em Fazenda Coutos, e de Paripe.

“Estamos aqui aos sábados para garantir a alfabetização das crianças, que elas efetivamente aprendam a ler e escrever, fazendo um trabalho pontual específico para que elas possam ter o aprendizado de forma efetiva. O foco é em matemática e português. Ensinar a criança a ler, escrever, interpretar textos, e que ela possa dominar os conceitos de matemática. São as duas disciplinas cruciais para o desenvolvimento da criança”, afirmou o prefeito.

Bruno Reis também destacou que a Prefeitura está concluindo a cobertura de 80 quadras das escolas municipais. “Todos os prédios públicos que tinham quadras poliesportivas que não eram cobertas, nós cobrimos. Estamos transformando algumas em um verdadeiro ginásio de esportes, o que vai permitir que as crianças, tanto no período de chuva como agora, possam realizar atividades esportivas, assim como também no verão, com a intensidade do Sol, elas estarão protegidas”, pontuou.

O prefeito também visitou as obras do Restaurante Popular Vida Nova de Coutos, que deve ser entregue no mês de junho. Hoje, a Prefeitura conta com quatro restaurantes populares, em Pau da Lima, São Tomé de Paripe, Águas Claras e Periperi, este último inaugurado no mês passado. A meta é implantar mais seis equipamentos.

Lançado em 2023, o Aprender + é direcionado a estudantes do 3º ao 6º ano e envolve cerca de 56 mil alunos de 242 unidades de ensino da Rede Municipal de Salvador. Os trabalhos são desenvolvidos com base nos dados de avaliações diagnósticas, que permitem um recorte preciso dos descritores críticos.

Neste ano, o projeto terá quatro encontros construídos com base no princípio da ludicidade. Assim, o planejamento e as práticas pedagógicas compreendem atividades prazerosas, criativas, interdisciplinares e que contribuem para as aprendizagens esperadas a partir de uma análise individualizada dos resultados dos alunos, turmas e escolas da rede.

O secretário Thiago Dantas ressaltou que a primeira edição do projeto, no ano passado, foi um grande sucesso. “Diante das lacunas de aprendizagem que a gente identificou em avaliações de rede, a gente percebeu a necessidade de fazer um programa de reforço, e aí surgiu a ideia de fazer essas aulas aos sábados, com o Aprender +. E ano passado foi um grande sucesso, com uma grande adesão da rede, dos professores, dos diretores escolares, das famílias e dos alunos”, contou.

“Hoje a gente estima que entre 30 e 35 mil alunos estejam nas escolas que fazem parte do Aprender + na edição aqui do primeiro semestre de 2024. Vamos ter uma segunda edição no segundo semestre, com um outro foco. Então, nesse primeiro momento, a gente está trabalhando o terceiro, o quarto, o quinto e o sexto ano, para consolidar aprendizagens importantes para que eles possam ter, ao longo do ano, condições de seguir toda a parte de habilidades que se espera que eles desenvolvam”, acrescentou o secretário.

Ele ressaltou que, neste primeiro semestre, serão quatro sábados letivos com atividades do Aprender +. “A gente está planejando o segundo semestre, possivelmente teremos mais sábados letivos”, ressaltou.

A diretora da Escola Municipal Santo Antônio das Malvinas, Sheila Matias, afirmou que a adesão da unidade de ensino tem sido superior a 70% dos alunos. “As crianças adoram porque as aulas de sábado são diferenciadas, tem muita ludicidade, o novo uso da quadra alavancou. Eu já estava falando com o prefeito, com o secretário, que essas iniciativas triplicam a inteligência emocional da criança, melhoram o desenvolvimento, o desempenho e a aprendizagem”, contou.

Reportagem: Joice Pinho/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O prefeito Bruno Reis destacou nesta sexta-feira (10) as ações da gestão municipal e as conquistas do projeto ‘Caminho Legal’ durante um mutirão de pintura promovido pela iniciativa para crianças e moradores no Centro Municipal de Ensino Infantil (CMEI) Olga Benário, no bairro do Doron. A ação contou com a presença de alunos da unidade de ensino e também de pessoas que moram na região.

O Caminho Legal é liderado pelo Núcleo Especial de Apoio à Primeira Infância (Neapi), da Secretaria de Governo, em parceria com a Global Designing Cities Initiative (GDCI), integrante da Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global, com o propósito de tornar os caminhos para creches e pré-escolas mais seguros, lúdicos e envolventes para as crianças e seus cuidadores. Após um amplo engajamento comunitário, envolvendo reuniões com líderes locais, professores, crianças de 4 e 5 anos e outros membros da comunidade, o projeto foi desenvolvido em colaboração com os residentes e partes interessadas da área.

O prefeito afirmou que o Neapi tem a missão de proporcionar desenvolvimento integral das crianças a partir das suas famílias e do meio onde elas vivem, nas suas comunidades e nas suas escolas. “Esse núcleo sugeriu, ao longo desse tempo, uma série de políticas públicas que nós estamos executando. Por exemplo, as praças municipais contam com equipamentos específicos para as crianças que estão na primeira infância. A partir daí, todas as praças que nós inauguramos, já são mais de 500 em Salvador, passaram a ter áreas específicas para a primeira infância”, salientou.

Ele ressaltou ainda a entrega de kits para estudantes, com tênis, mochila e material pedagógico, além do Hospital Maternidade e da Criança, que está em fase de implantação. O prefeito disse que o projeto Caminho Legal tem justamente esse objetivo de proporcionar um futuro melhor para as crianças.

“Se tem uma coisa que eu aprendi é que tudo que começa bem, termina bem. Eu não tenho dúvidas que o mais importante para a gente priorizar é o início, a formação das nossas crianças para que elas possam ser no futuro, no futuro homens e mulheres de bem, possam ajudar a gente a construir uma sociedade mais justa, menos desigual e melhor para todo mundo”, afirmou.

O Caminho Legal envolve várias medidas, desde intervenções artísticas até melhorias na sinalização viária. Mais de 1500 metros quadrados foram reconquistados para os pedestres com a ampliação e reforma das calçadas, sinalização de faixas de pedestres, plantio de árvores, requalificação da escadaria, drenagem de água pluvial e criação de espaços de convivência e lazer. Essas ações visam melhorar a segurança e acessibilidade para os pedestres, transformando o ambiente urbano em uma área mais acolhedora e agradável para crianças e suas famílias.

“O programa permite um caminho seguro para as crianças, mas também lúdico, simbólico e encantado. Os primeiros mil dias dos pequenos são os mais importantes, por isso nossa gestão tem um comprometimento com essa fase da primeira infância, construindo em conjunto ações que possibilitam mais qualidade de vida, produzindo no coletivo, e no trabalho do dia a dia, políticas públicas concretas”, frisou a vice-prefeita e secretária da Saúde, Ana Paula Matos.

Ações - Beatriz Rodrigues, da Global Designing Cities Initiative, parceira da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, parabenizou a Prefeitura pela iniciativa de priorizar as crianças. “Foi essencial esse engajamento para entender que as pessoas estavam querendo mais espaço de lazer, mais espaço de brincadeira, mais iluminação e arborização e muito mais segurança para as crianças”, afirmou. Ela entregou ao prefeito o Guia de Ruas Para Crianças, desenvolvido pela GDCI. “É um orgulho muito grande para a gente trabalhar com cidades como Salvador e pessoas tão comprometidas”, pontuou.

A coordenadora do Neapi, Simone Café, afirmou que o Caminho Legal representa um marco na promoção de ruas seguras, inclusivas e acessíveis para todos, especialmente para as crianças na primeira infância. “Ao envolver ativamente a comunidade, desde crianças e cuidadores até moradores, garantimos que as intervenções urbanísticas atendam verdadeiramente às necessidades e desejos de quem utiliza esses espaços. Escutar, reconhecer e incluir as vozes das crianças pequenas como cidadãos ativos na construção de nosso ambiente urbano é essencial para criar um senso de pertencimento e garantir a preservação e sustentabilidade desses espaços no longo prazo”, disse.

A diretora do Cmei Olga Benário, Viviane Vilas Boas, destacou o carinho que a Prefeitura Municipal tem tido com a primeira infância. A unidade de ensino atende a 275 crianças de 2 a 5 anos. “Então, tudo que está aqui é fruto da escuta do que as nossas crianças desejaram e hoje um sonho infantil está sendo realizado. Então, assim, muito obrigado. A gente está falando da revitalização do entorno do Cmei, a gente está falando de quais memórias estão sendo construídas a partir de agora com as nossas crianças. Isso que está aqui é o que elas levarão nas memórias ao longo da vida”, disse.

Reportagem: Joice Pinho/ Secom

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Mais 100 famílias da comunidade da Palestina tiveram suas vidas transformadas pelo programa Morar Melhor com a reforma de suas casas. A entrega foi realizada pelo prefeito Bruno Reis na noite desta sexta-feira (10), com a presença de autoridades municipais e de moradores da localidade.

Esta é a segunda vez do programa na Palestina, totalizando mais de 300 imóveis requalificados pela Prefeitura na região. O Morar Melhor permite que os próprios moradores escolham quais serviços serão realizados, a exemplo de instalações sanitárias, pintura, reboco, recuperação ou troca de telhado e de esquadrias (portas e janelas).

“A casa é o que a gente considera que é um local sagrado, que é onde está a família, que é algo mais importante que nós temos. De todas essas intervenções que nós fizemos, melhorando os bairros, trazendo mais saúde, mais educação, precisava ter um programa que chegasse nas casas, e o Morar Melhor tem essa capacidade de mudar a vida da pessoa sem mudar de endereço, de mudar para melhor, de trazer qualidade de vida”, afirmou o prefeito.

Bruno Reis destacou outras ações da Prefeitura na região, como a implantação da UPA de Valéria, de uma unidade de ensino, além de campos, praças, escadarias, nova pavimentação e iluminação em LED. Ele ainda anunciou que a comunidade da Palestina ganhará mais uma etapa do Morar Melhor, com a reforma de mais casas.

Ele ressaltou ainda a implantação do Polo de Logística em Valéria, que vai impulsionar a geração de emprego e renda para toda a região. O prefeito contou que já há uma Manifestação de Interesse Privado (MIP) em curso, com estudo já em andamento, para o setor de logística. “A empresa já entrou com esse pedido na Prefeitura, nós já autorizamos, já está sendo feito o estudo”, acrescentou o prefeito.

Salvador, inclusive, lidera a geração de emprego no Norte e Nordeste e está entre os primeiros lugares também no país no primeiro trimestre de 2024. A capital baiana já acumula 17.979 novas vagas de emprego nos três primeiros meses do ano. Em relação o mesmo período de 2023, Salvador teve um aumento de mais de 300% em relação à criação de novos postos de trabalho.

Vida nova - A família de Ademir de Araújo Batista e Lorraine Batista foi uma das beneficiadas pelo programa. Eles moram com os filhos Laryssa e Benjamin numa casa que tinha diversos problemas de infraestrutura. “A casa ficou ótima, agora é outro ambiente. Fez a reforma do banheiro, que era fora de casa e agora é dentro. Colocou portas nos quartos e trocou o telhado. Ficou uma mega casa”, comemorou Ademir, que mora na comunidade desde a infância.

Ademir, inclusive, atua como ajudante de pedreiro em uma empresa que executa as obras do Morar Melhor. Lorraine também celebrou a reforma do imóvel. “Tinha infiltrações e agora não tem mais. A equipe está de parabéns, foi tudo feito de forma muito cuidadosa”, disse ela.

O programa - Desde que iniciou suas atividades, em 2015, o Morar Melhor entregou mais de 50 mil unidades habitacionais reformadas em cerca de 300 localidades da capital baiana. Por meio do programa, são executados serviços que vão desde pintura e reboco à colocação de novo telhado, portas, janelas, pia e vaso sanitário.

Os critérios adotados para contemplar programa são a precariedade dos bairros, baseado em dados do IBGE 2010; maior predominância de domicílios com alvenaria sem revestimento; maior predominância de pessoas abaixo da linha da pobreza; maior predominância de mulheres chefe de família; maior densidade habitacional e precariedade habitacional obtida pela observação de campo. Não são contemplados imóveis em situação de risco, de aluguel ou famílias que apresentem renda superior a três salários mínimos.

Reportagem: Joice Pinho/ Secom

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura de Salvador enviou na manhã deste sábado (11) o primeiro carregamento de donativos arrecadados pela ação Salvador Solidária para ajudar as vítimas das chuvas e das enchentes no Rio Grande do Sul. No total, foram 103 mil litros de água destinados ao estado do Sul, além de materiais de limpeza e outros itens doados pelas pessoas à iniciativa, que segue até a próxima quarta-feira (15) com o objetivo de ampliar ainda mais os donativos para a população gaúcha.

O prefeito Bruno Reis, a vice-prefeita e secretária municipal da Saúde, Ana Paula Matos, e o diretor da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macedo, dentre outras autoridades municipais, acompanharam a saída dos caminhões que vão levar as doações.

A logística conta com o apoio dos Correios, da empresa Vinhedos Transportes, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira (FAB), que auxiliam no transporte dos materiais arrecadados. Uma parte dos materiais vai por via terrestre, com o apoio da Vinhedos, e a outra vai pelo ar, por meio da FAB. A carga será recebida pela Prefeitura de Porto Alegre, que irá redistribuir o material com outros municípios.

O prefeito ressaltou que a meta era arrecadar 50 mil litros de água, mas o objetivo foi ultrapassado em mais que o dobro, e conclamou as pessoas para que continuem fazendo doações. “Eu quero aproveitar este momento para agradecer o espírito de solidariedade do soteropolitano. Essa corrente de mobilização, de solidariedade, não para. Então continuem doando, nós estamos recebendo esses donativos aqui na Codesal e na sede das Prefeituras-Bairro. Cada participação é muito importante para todos que estão passando por essa imensa dificuldade”, afirmou.

Bruno Reis contou que tem mantido contato com o prefeito de Porto Alegre (RS), Sebastião Melo. “Ele tem me atualizado. Já são mais de 10 mil pessoas desabrigadas. Realmente a grande necessidade é água e material de limpeza. Já tinham recebido doações de alimentos, de agasalhos, então ele pediu que nós mobilizássemos a nossa cidade para viabilizar água, porque já começa a ter desabastecimento. E com isso a gente vai dando a nossa contribuição”, relatou.

Ana Paula Matos, que integra a Coordenação de Desastres da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), agradeceu ao empenho da Defesa Civil, dos voluntários e da população de Salvador. “De forma integrada, com apoio do Exército, Correios, Codesal e diversos órgãos parceiros, estamos arrecadando água e material de limpeza, mas, sobretudo, passando uma mensagem de amor, esperança e solidariedade. Já fizemos isso em outros momentos, como na própria pandemia e nas chuvas aqui na Bahia, e foi de extrema valia, os soteropolitanos estão abraçando essa causa, pois o trabalho de reconstrução do Rio Grande do Sul necessita do apoio de todo povo brasileiro”, disse.

Sosthenes Macedo também destacou a solidariedade do povo soteropolitano. “A ação começou na última quarta (8) e já conseguimos passar de 100 mil litros de água em pouco tempo. Neste momento difícil para nossos irmãos e irmãs no Rio Grande do Sul, que foram duramente afetados pelas chuvas históricas, nossa cidade se uniu em um gesto de amor e compaixão. Essa demonstração de solidariedade reflete o espírito de união e fraternidade que caracteriza o povo de Salvador”, afirmou.

O diretor da Codesal destacou ainda a participação de diversas entidades e secretarias municipais, que se mobilizaram para fazer doações. Os tribunais de Contas dos Municípios (TCM) e do Estado (TCE), por exemplo, promoveram uma campanha com servidores e doaram 10 mil litros de água para a ação Salvador Solidária.

O sistema Fecomércio arrecadou e enviou à iniciativa outros 10 mil litros, enquanto o Sindicato de Habitação na Bahia (Secovi) doou 5 mil litros. Sosthenes contou ainda que outras empresas, a exemplo de supermercados, também fizeram doações. “Já recebi mensagens de diversas pessoas e representantes de entidades informando que farão doações até a próxima quarta-feira. Cada gesto de ajuda faz a diferença e mostra que juntos somos mais fortes”, pontuou.

A superintendente regional dos Correios na Bahia, Evelyn Negrão, afirmou que a instituição está com toda a sua estrutura mobilizada para poder apoiar o Rio Grande do Sul. “Superou muito as nossas expectativas, as pessoas realmente estão doando. A gente está com uma doação muito significativa”, contou ela, ressaltando ainda que os Correios prontamente aceitaram a parceria com a Prefeitura para encaminhar os materiais.

As doações podem ser feitas até a próxima quarta-feira na sede da Codesal, na Av. Mário Leal Ferreira, e também nas Prefeituras-Bairro da capital baiana, das 8h às 16h. As chuvas históricas no Rio Grande do Sul já deixaram mais de 100 mortos e mais de 300 mil pessoas desalojadas.

Emoção - O motorista Vandio César é gaúcho de Garibaldi, cidade também atingida pelas fortes chuvas, e é um dos profissionais que vão conduzir caminhões para levar os donativos ao Rio Grande do Sul. Ele tomou a decisão de pedir demissão da empresa Vinhedos Transportes para voltar ao estado e ficar ao lado da família.

“Tomei essa decisão e vou dizer uma coisa: eu amo a estrada, amo o caminhão, amo a vida da estrada, tudo, mas que eu quero é ir pra casa abraçar minha família, ver minha mãe, meus filhos, minhas netinhas, e mais nada. Porque não precisa você ter muita coisa para ser gente hoje e para viver. O que vale na vida da gente é o amor das famílias. Eu estou um felizardo, eu tô um bilionário porque eu vou pra casa”, contou, emocionado.

Vandio relatou o cenário de destruição deixado pelas chuvas e agradeceu a solidariedade das pessoas que estão fazendo doações para ajudar as vítimas das enchentes em seu estado natal. “Lá é um cenário de guerra total. Essa solidariedade que tem se formado em todo o país é uma pontinha de esperança. E eu agora vou voltar graças ao povo baiano, é água mineral, mas isso para as pessoas lá é ouro. Eu estou indo carregado de ouro”, disse.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...