Geral

0
0
0
s2sdefault

Noções básicas de direitos do consumidor, quando acionar a justiça e o papel da Diretoria de Ações de Proteção de Defesa do Consumidor (Codecon) foram alguns dos assuntos nesta quarta-feira (10), por cerca de 20 alunos do 5º ano B da Escola Municipal Tiradentes, localizada no bairro do Caminho de Areia. A ação, denominada "Codecon vai às Escolas", levou os ensinamentos a crianças e adolescentes de 9 a 13 anos.

Para a diretora da instituição, Cristina Santos, essa atividade faz com que os alunos participem de uma forma mais lúdica da sua realidade. “Muitos deles já utilizam o mercado, mas não conhecem seus direitos. Esse momento ajuda a formar um cidadão consciente, tornando multiplicador desse conhecimento, que pode ser passado para pais, amigos e familiares”, conta Cristina.

Em um segundo momento da ação “Codecon vai às Escolas”, que faz parte da operação “Criança Segura”, os alunos foram levados até um mercado para poderem praticar um pouco do que foi discutido em sala. As crianças verificaram o condicionamento de alguns alimentos, a validade dos itens e conferiram se o preço nas etiquetas estavam compatíveis com os dos leitores de preço.

Gabriel Martins, de 13 anos, aluno do 5º ano, já conhecia o Código de Defesa do Consumidor de exaltou a importância desse momento. “Eu acho ótimo porque a gente aprende e pode esclarecer nossas dúvidas. Quando acontecer algum problema a gente já sabe o que fazer e quem procurar”, afirmou.

Já para Rebeca de Sousa, de 11 anos, que até então só havia ouvido sobre o código na televisão, a aula foi muito interessante. “Eu já tinha ouvido falar sobre essas coisas de direitos do consumidor, mas não sabia o que era, e hoje eu aprendi muita coisa. E isso é muito bom porque a gente não vai ser enganado pelas lojas”.

“Essas crianças são os consumidores do futuro e merecem desde já essa educação. Eles saem daqui conscientes e se tornarão propagadores dessas informações”, finaliza o diretor da Codecon, Alexandre Lopes. "Para além das operações que realizamos direcionadas aos pais e responsáveis sobre direitos dos consumidores, esta ação voltada para o público infantil na semana em que se comemora o Dia das Crianças tem como objetivo educar e despertar os pequenos para as boas práticas de consumo, com exemplos práticos do dia a dia”, diz o gestor da Semop, Marcus Passos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com subsídio da Diretoria de Geotecnologia da Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal), Salvador passou a contar com ferramentas tecnológicas que auxiliam na execução de obras em espaços públicos. Além dos drones, que ajudam no mapeamento e levantamento de alguns dados da topografia da cidade, um aplicativo que informa o status das obras em andamento em tempo real para a equipe da Desal está funcionando em fase de teste na requalificação da Praça dos Eucaliptos, no Caminho das Árvores. O objetivo é promover economia de tempo e dinheiro, mas também facilitar a elaboração de obras específicas para crianças, idosos e deficientes, por exemplo. 

O presidente da Desal, Marcilio Bastos, certifica que com os resultados serão positivos a partir dos dados coletados com o uso da tecnologia. “Com as ferramentas, teremos uma noção exata da dimensão da área que terá intervenção, analisando as camadas de informação, como: áreas de interesse, informações socioeconômicas, bases de dados e análises espaciais. Isso influencia diretamente na economia do tempo e do dinheiro público. A Desal já fazia esse trabalho ouvindo as pessoas e, agora, com a inteligência geográfica, temos dados estatísticos que nos certificam e nos dão confiança para a tomada de decisão”, acrescenta Marcílio Bastos. 

O investimento nessa área, de acordo com o diretor de geotecnologia da Desal, José Ricardo Negrão, é muito importante por facilitar a elaboração de projetos e a execução dessas ações. “O objetivo é realizar a topografia do terreno através de drones. Isso é um indicador de uma evolução tecnológica da ciência chamada fotogrametria convencional. Dentro das principais mudanças que ocorrerão na Desal com o uso de geotecnologias aliado ao uso de drones estão: diminuição de custos, facilidade de operação, logística e também aumento exponencial de produtividade”, disse. 

A serviço do poder público – Pensando nos avanços que a Prefeitura está investindo por meio da Diretoria de Geotecnologia, a Desal desenvolveu um curso para os funcionários no próximo dia 15 de outubro, às 14h, com uma infraestrutura de dados atualizada e moderna, que possibilita a aplicação e o desenvolvimento de métodos de análise e favorece a disponibilização e o uso dos dados gerados, de forma integrada e inteligente. 

O curso tem como principal objetivo capacitar ou preparar seus colaboradores que estejam iniciando uso de softwares aplicados em geotecnologia, e também para aqueles que querem ampliar seus conhecimentos nos processos de criação de base de dados geográficos e edição de mapas temáticos. Faz parte do treinamento o detalhamento das ferramentas de criação e edição de dados, edição de feições compartilhadas, modelagem de atributos tabulares, criação de projetos com dados obtidos através do Sistema de Posicionamento Global, e etc. 

A primeira turma será formada por funcionários da Desal. Em seguida, o curso será aberto para outras entidades e secretarias do município.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com slogan #umgestodeamor, a Secretaria Municipal de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) lançou a campanha Outubro Rosa, no auditório do Parque Social, no Parque da Cidade, nesta quarta-feira (10). As 100 pessoas presentes puderem ouvir depoimentos de mulheres que venceram o câncer de mama. A iniciativa se soma a outras realizadas durante todo esse mês e que tem o intuito de alertar e conscientizar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. A ação contou ainda com a parceria do Núcleo de Oncologia da Bahia e do Instituto Vencendo o Câncer. 

Ao apresentar a campanha, a secretária da SPMJ, Cristina Argiles, fez questão de destacar que embora o mês simbólico seja o outubro, as mulheres devem estar atentas durante todo ano. “Muitas não fazem o autoexame, outras não sequer se submetem a mamografia anualmente. É preciso examinar o corpo e fazer dos procedimentos regularmente”, disse ela, lembrando que a rede municipal de saúde disponibiliza tanto a mamografia como a ultrassonografia, exames fundamentais para detecção da patologia. 

Graças à descoberta em fase inicial, a professora Dejanira Souza, 46 anos, conseguiu se curar da doença diagnosticada em 2011. Emocionada, fez questão de descrever o drama vivido por dois anos, período em que se submeteu uma cirurgia, 21 sessões de quimioterapia e 33 de radioterapia. “Foi sofrido, achei que morreria. Foram cinco anos tomando remédio e hoje posso dizer que existe vida após o câncer”, afirmou.   

Sofrimento semelhante passou a auxiliar de serviços gerais, Maria da Conceição, 49 anos. Há 10 anos foi surpreendida pela notícia da doença que resultou na retirada total da mama esquerda. “Vivi o pior momento da minha vida. Não precisei de rádio nem quimio, mas retirar o seio foi horrível. Nunca deixei de ter fé e acreditar”, relatou. O depoimento foi encerrado com o sorriso de quem há um ano conseguiu fazer a cirurgia de reconstituição total do seio. 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), na Bahia são esperados 27,4 mil casos de câncer neste ano. Desse total, o de mama é o segundo de maior prevalência, com a projeção de 2.870 casos. Além de pontuar a importância do autoexame e da realização da mamografia anual, após os 40 anos, a oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia, Renata Cangussu, fez questão de esclarecer que 90% dos casos podem ser evitados. Segundo ela, a prática de atividade física, adoção de uma alimentação saudável e o controle do peso são hábitos de vida importantes que podem afastar o aparecimento do câncer de mama.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Quem trabalha com turismo está vendendo lembranças. Com essas palavras, Fernando Amaral, professor da oficina “Como Ganhar Dinheiro e Deixar o Turista Feliz” conversou, na manhã desta quarta-feira (10), com os 34 ambulantes e comerciantes participantes da aula sobre a importância de atender bem aos clientes, principalmente aqueles que estão de passagem por Salvador.

Por meio de uma aula dialogada, que a cada instante contava com a sugestão e contribuição dos alunos, foram apresentados alguns indicadores em sites e aplicativos de pesquisa e de avaliação do turismo, ações de boas práticas de atendimento, importância da apresentação pessoal, cultura da cooperação, definição de preço e autoconfiança. O foco é aperfeiçoar o atendimento prestado aos visitantes e melhorar a imagem pessoal dos vendedores ambulantes.

A oficina foi realizada por uma parceria entre a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) e o Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com o objetivo de capacitar os vendedores do comércio informal do Centro Histórico da cidade, incentivando a melhoria de atendimento e o consequente crescimento do turismo e aumento do faturamento, com a oferta de orientações básicas para que possam gerir melhor o seu próprio negócio.

Quem abriu a oficina foi o titular da Semop, Marcus Passos, que falou sobre a sintonia entre a qualificação dos comerciantes e as obras de infraestrutura no Centro, que deve proporcionar aumento do fluxo do turismo na região. “Essa capacitação se insere em um contexto de novas perspectivas de valorização do Centro Histórico, área turística tão visitada em nossa cidade e que passa por intervenções urbanísticas de grande impacto”, disse.

Participação – Ao ouvir o questionamento do professor sobre o que não deve ser feito durante o atendimento, a artesã Licia Cunha, 52, que vende desde a infância na Praça da Sé, foi categórica: é preciso evitar a abordagem inconveniente ao cliente e trabalhar alcoolizado. Mesmo sem ter noção, ela acabou por citar algumas das queixas mais recorrentes em relação ao mau atendimento.

“É um desafio que nós temos porque sabemos que o vendedor ambulante é fundamental para o êxito do turismo em quaisquer destinos. Aqui abordamos temas como hospitalidade, conceitos básicos, mostrando que o turismo não é um ramo para quem quer seguir carreira independente, mostrando que ele precisa da cooperação entre o Poder Público, Privado e a sociedade para que seja bom para o turista”, disse o professor Fernando.

“A capacitação dos comerciantes informais que atuam no Centro Histórico de Salvador se insere em um contexto de novas perspectivas de valorização dessa área turística tão visitada em nossa cidade, uma vez que a Prefeitura vem promovendo intervenções urbanísticas de grande impacto na região. O foco é aperfeiçoar o atendimento prestado aos visitantes, melhorar a imagem pessoal dos vendedores ambulantes e oferecer orientações básicas para que possam gerir melhor o seu próprio negócio”, destaca Marcus Passos, gestor da Semop.

Turmas – Essa foi a primeira de 11 turmas de oficinas, que serão realizadas até o dia 31 de outubro, e deve qualificar 419 vendedores ambulantes. Além da aula de hoje dedicada ao artesão, haverá turmas voltadas às baianas de acarajé, artistas tribais, artistas plásticos, trançadeiras, souvenir, barracas e carrinhos de lanches diversos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura abre inscrições para o curso gratuito de Língua Brasileira de Sinais (Libras) destinado a servidores do município que atuam diretamente com atendimento ao público. O objetivo é assegurar aos surdos e deficientes auditivos o acesso à informação e à comunicação dentro das instituições públicas municipais. A iniciativa é coordenada pela Unidade de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência (UPCD).

O público-alvo são agentes públicos municipais que prestam serviços nos Centros de Referência de Assistência Social e de Referência Especializada de Assistência Social (Cras) e (Creas), Prefeituras-Bairro, postos de saúde, Guarda Civil Municipal, dentre outros órgãos. As inscrições podem ser feitas de 10 a 19, por meio do e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

"A UPCD, em consonância com o planejamento estratégico, está traçando políticas públicas e executando ações que atendam a pessoa com deficiência. A proposta é capacitar funcionários públicos para facilitar essa comunicação. Queremos melhorar atendimento e promover a inclusão, com respeito às diferenças, transformando Salvador numa referência nacional", afirma a diretora-geral da unidade, Risalva Telles.

As aulas da primeira turma começarão no dia 5 de novembro, com encontros às segundas e terças-feiras, das 8h às 17h, e uma hora de intervalo ao meio-dia. As aulas da segunda turma terão início no dia 7 de novembro, com encontros às quartas e quintas, no mesmo período. Ao todo, serão 180 horas, divididas em três módulos.

Para obtenção do certificado, o participante deverá ter 80% de aproveitamento. O conteúdo do curso será passado com o auxílio de apostilas gratuitas, apresentações em Power Point, vídeos e simulação de atendimento. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (71) 3202-6136. As inscrições estão limitadas a 20 vagas por turma. Ao todo, são duas turmas.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Pais, tios, avós, primos, muitos são os familiares que já correram para comprar presentes que serão entregues durante o Dia das Crianças, comemorado nesta sexta-feira (12). Mas para além da empolgação com a data, é preciso também que haja atenção redobrada no momento da compra de brinquedos, tipo favorito de presente para a criançada. É o que explica a pediatra Maria Conceição Bacelar, médica do Multicentro de Saúde Carlos Gomes, da Prefeitura. 

A especialista orienta que, no momento da compra do brinquedo, os responsáveis fiquem atentos à presença do selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que garante a qualidade e segurança do produto; a legislação obriga a apresentação do selo de certificação do instituto. "A compra deve ser sempre feita no mercado formal, porque, no informal, não terá segurança. O produto pode estar sem o selo de Inmetro, ou ter o selo falsificado. Isso, inclusive, traz segurança legal para a família, caso o brinquedo cause algum problema", diz. 

Conferir a faixa etária indicada para o uso do brinquedo também é outra atenção que os responsáveis por essas crianças devem ter. "Nos preocupamos muito com as crianças abaixo de três anos, porque elas não tem noção de risco. Se não houver cuidados, essa criança pode pôr qualquer coisa pequena na boca, nariz, ouvido...", afirma a pediatra. Segundo Maria da Conceição, colocar pequenos brinquedos na boca é uma das principais causas de acidente com esse público-alvo. 

"A criança toma um susto e aspira [o brinquedo]. Esse é o grande risco. Tem que estar sempre atento para as manobras necessárias. Os pais devem ter noção disso. Piscou, a criança coloca o brinquedo na boca e engasga", orienta a profissional. 

Engoliu. E agora? - A pediatra Maria da Conceição explica que, caso os responsáveis percebam algum sinal de engasgamento com um brinquedo nas crianças abaixo de um ano, acidente comum entre as crianças, é necessário que sejam feitas manobras urgentes para a retirada do produto. "Desconfiou, a criança começou a ficar 'inchadinha': coloca a criança no seu colo, de cabeça pra baixo - a cabeça um pouco abaixo dos pés, dá cinco tapas fortes, com a mão fechada, na região do tórax. Caso não funcione, comprima o abdômen, abaixo do tórax, um pouco acima do umbigo e dê contração fortes na região", explica. 

No caso de crianças maiores, a recomendação da especialista é tentar a retirada do brinquedo da forma mais popular, como também é utilizada em adultos. "Pegar pela pelas costas, abraça o tronco, segura uma mão na outra, pelo pulso, e dá cinco compressões na mesma região. Isso irá aumentar a pressão do abdômen e tórax, e a pessoa cospe o brinquedo fora", orienta. 

Outro tipo de acidente muito recorrente entre as crianças, segundo Maria da Conceição, é a ingestão de pequenas baterias dos brinquedos elétricos. "Nesse caso, ela tem que ser tirada o mais rápido possível, porque ela [bateria] tem corrosivos. Se você demora algumas horas, a bateria rompe e as substâncias correm o trato digestivo e podem causar uma série de problemas", explica. 

Operação Brinquedo Seguro - A Prefeitura prossegue, até a quinta-feira (11), com a Operação Brinquedo Seguro em diversas lojas de brinquedos do grande comércio popular do centro de Salvador. A ação é realizada pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), por meio da Diretoria de Ações de Proteção de Defesa do Consumidor (Codecon), e faz parte da segunda etapa da Operação Criança Segura.  

Durante as vistorias, foram verificados se os brinquedos apresentavam as informações em português com as instruções, recomendações de riscos e cuidados, além da faixa etária e a presença do selo do Inmetro. Pela legislação, é obrigatório o produto apresentar o selo de certificação do instituto. 

 Somente na segunda-feira (8), primeiro dia da operação, 17 lojas de brinquedos na Avenida Sete foram fiscalizadas. Do total, três foram autuadas pela falta do selo do Inmetro. Além disso, cerca de 151 brinquedos como espada plástica, bonecas, revólveres, cavalinhos e bolas sonoras foram apreendidos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Começam nesta quarta-feira (10), às 8h, as oficinas de capacitação dos comerciantes informais que atuam no Centro Histórico de Salvador. A atividade é promovida pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), em parceria com a Diretoria de Gestão do Centro Histórico e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), dentro das ações que a pasta vem desenvolvendo para o reordenamento da atividade informal nesta região.

As aulas serão ministradas por um técnico do Sebrae, no auditório do Montepio dos Artistas, Largo do Cruzeiro de São Francisco, N°15, 1° andar, sempre das 8h às 12h. Serão 11 oficinas ao longo do mês, com 39 inscritos em cada. Todos os participantes receberão certificado de participação, além de um kit educativo de boas vendas, composto por vídeo e material impresso, que orienta o empreendedor a planejar, organizar e gerenciar o seu negócio com sucesso.

A capacitação dos profissionais estará voltada para o cuidado com a imagem pessoal, tendo em vista uma melhoria na recepção e na qualidade do atendimento prestado a baianos e turistas. A participação nos cursos será condição necessária para o recadastramento de quem já atua no Centro Histórico, nas áreas das praças Cairu, Municipal e da Sé, bem como no Terreiro e Largo de São Francisco, além do Largo do Pelourinho.

O titular da Semop, Marcus Passos, ressalta que a ação com os vendedores e ambulantes se associa às requalificações em infraestrutura realizadas pela Prefeitura na capital baiana nos últimos anos. “Precisamos qualificar o atendimento pela demanda que vem surgindo em função da revitalização dos espaços públicos. O objetivo é aperfeiçoá-los, promovendo o crescimento pessoal e profissional para que possam gerir seu próprio negócio", afirmou Passos.

No último dia 18, a Semop fez a apresentação do projeto de reordenamento aos vendedores ambulantes, ocasião em que eles participaram da palestra Empreendendo com $ucesso, no auditório do Centro de Cultura da Câmara Municipal, ministrada pelo técnico de Orientação de Negócios do Sebrae, Pedro de Santana.

Fardamentos – Após as oficinas, a Semop fará a distribuição de novos fardamentos aos ambulantes devidamente recadastrados, que terão um número de identificação vinculado à licença. A vestimenta também terá cores variadas para identificar a área onde cada um atua. No caso dos artistas de rua, como as trançadeiras, será desenvolvido um avental específico para facilitar a atuação dos mesmos no manuseio dos cabelos e na pintura dos clientes.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura prossegue, até a quinta-feira (11), com a Operação Brinquedo Seguro em diversas lojas de brinquedos do grande comércio popular do centro de Salvador. A ação é realizada pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), por meio da Diretoria de Ações de Proteção de Defesa do Consumidor (Codecon), e faz parte da segunda etapa da Operação Criança Segura. 

Durante as vistorias foram verificados se os brinquedos apresentavam as informações em português com as instruções, recomendações de riscos e cuidados, além da faixa etária e a presença do selo do Inmetro. Pela legislação, é obrigatório o produto apresentar o selo de certificação do instituto. 

Somente na segunda-feira (8), primeiro dia da operação, 17 lojas de brinquedos na Avenida Sete foram fiscalizadas. Do total, três foram autuadas pela falta do selo do Inmetro. Além disso, cerca de 151 brinquedos como espada plástica, bonecas, revólveres, cavalinhos e bolas sonoras foram apreendidos. 

“A falta desse selo e das informações necessárias representam uma ameaça, já que não é possível identificar a composição nem os riscos presentes no produto. É importante lembrar que a criança é um público hipervulnerável. Tivemos que apreender e retirar do mercado esses produtos para proteção desses menores”, afirma o chefe de Fiscalização da Codecon, Gustavo Mercês. 

Cantina Segura – Como primeira parte da operação Criança Segura, realizada na semana passada, os fiscais da Codecon vistoriaram 35 cantinas de escolas. Foram observados itens como as condições dos produtos comercializados, como data de validade e acondicionamento, bem como tabela de preço e exposição do exemplar do CDC. 

Os fiscais autuaram uma escola por uso de produto com data de validade vencida, por oferecer ameaça real ao consumidor. Outras 25 notificações foram emitidas em outras instituições de ensino, sendo uma por ausência de informação de preço, três por ausência de exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC), 14 por ausência de informação de validade, quatro por lixeira inadequada, duas por prazo de validade vencido e uma por higiene inadequada. O estabelecimento autuado terá prazo de 10 dias para apresentar a defesa.

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Crepe, palavra originada do francês crêpe, derivada do latim crispus, que significa crespo. É um tipo de panqueca feita de farinha de trigo, leite e ovos, com recheio de algum ingrediente que pode ser doce ou salgado. Esses e outros ensinamentos sobre como preparar tal iguaria foram repassados a 30 mulheres acolhidas no Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (CAMSID), durante a Oficina de Gastronomia realizada, nesta segunda-feira (8), na sede do órgão, na Ribeira. Como parte da programação do Outubro Rosa, a atividade é organizada pela a Secretaria Municipal de Política para as Mulheres Infância e Juventude (SPMJ) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e Sebrae. 

As oficinas começaram no dia 3 deste mês e seguem até o dia 31. Entre as alunas do curso estava *Maria das Dores Silva, 58 anos. Sem o primeiro grau completo, Maria das Dores afirma que nunca imaginou que pudesse fazer um curso e ainda receber certificado de conclusão. “Eu não tenho muito estudo, nunca achei que conseguiria fazer uma aula como essa. Estou tão feliz, realizada”, disse ela, que é uma das vítimas de violência atendidas na unidade do município. 

Na cozinha experimental da CAMSID, ouvia atentamente as dicas do chef de gastronomia do Senac, Reinaldo Mariano. Maria das Dores fez questão de se voluntariar assim que ele solicitou ajuda para separar as raspas de limão que seriam usadas no recheio do crepe doce. “Estou amando, gosto de cozinha. Em casa já faço com meu filho de 12 anos e tudo fica uma delícia. Hoje estou aprendendo receitas sofisticadas e de forma profissional”, disse. 

E nesse clima de resgate da autoestima, a coordenadora do Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (CAMSID), Maria Auxiliadora Alves, pontua que esse é um dos propósitos da unidade. “Percebemos aqui duas dependências, a emocional e a financeira. Quando ofertamos curso queremos empoderar essa mulher, ensinar a ela algo que possa lhe trazer um retorno financeiro”, explica. Pioneira no Brasil, a Casa, que tem formato diferenciado por oferecer assistência psicossocial, jurídica, cursos de capacitação e acolhimento, já atendeu 1 mil mulheres, desde abril deste ano quando foi fundada. 

Quem também participou das aulas foi a secretária da SPMJ, Cristina Argiles. Segundo ela, a CAMSID e o Centro de Referência de Atenção à Mulher Loreta Valadares (Cram), nos Barris, têm papel fundamental na sociedade baiana pelo trabalho diferenciado nas questões de violência contra a mulher. “Vamos muito além do que determina a lei, que é oferecer atendimento com psicólogas, assistentes sociais e advogados (as). As nossas unidades acolhem, cuidam e abrigam essas mulheres em condição tão vulnerável. Prova disso é que estamos aqui profissionalizando, dando a elas a chance de aprender um ofício e se libertar da dependência financeira”, frisou a secretária. 

Mais cursos - Ainda na unidade da Ribeira está prevista uma oficina de sequilhos, no dia 25, e aulas dobre salada fitness, no dia 30. As oficinas também serão realizadas no turno vespertino, das 14h às 17h. O Cram fica localizado na Praça Almirante Coelho Neto, nº 1, e o Camsid, na Rua Lélis Piedade, nº 63. Para se matricular, é necessário preencher uma ficha de inscrição a ser disponibilizada no local e anexar cópia de RG e CPF. Os alunos receberão certificado ao final das oficinas. 

O curso gastronômico também está sendo ofertado a mulheres acolhidas pelo Centro de Referência de Atenção à Mulher Loreta Valadares (Cram), nos Barris. Receitas de sequilhos serão repassadas, nesta quarta-feira (10). A programação segue com ensinamentos sobre tortas salgadas, no dia 24; salada fitness, no dia 29; e salgados comerciais, no dia 31. Todas elas ocorrerão no turno vespertino, em apenas, entre 14h e 17h.

 

*Com intuito de preservar a segurança das vítimas atendidas nas unidades de proteção a mulher, o nome da personagem citado na matéria é fictício.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...