Geral

0
0
0
s2sdefault

As entidades que atuam em Salvador no atendimento de pessoas em situação de rua e que utilizam substâncias psicoativas poderão participar do chamamento público, com edital a ser publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de amanhã (2), visando a prestação desse serviço em convênio com a Prefeitura. O lançamento da iniciativa foi realizado nesta segunda-feira (1°), no Palácio Thomé de Souza, pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do vice-prefeito e secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis; do secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Léo Prates; da subsecretária da Saúde (SMS), Lucimar Rocha; demais autoridades, representantes de entidades sociais e imprensa.

A iniciativa visa selecionar seis instituições que farão o acolhimento de dependentes químicos que vivem nas ruas da cidade. Cada local deverá abrigar 35 pessoas, totalizando 210 beneficiados. Além disso, será feito um censo para identificar quantidade, perfil e situação dos moradores de rua na capital baiana, em parceria com o Projeto Axé. O presidente da instituição, Cesare de La Rocca, também estava presente.

O prefeito ressaltou que esta ação é uma sinalização muito clara do nível de prioridade que a Prefeitura quer dar a pessoas em situação de vulnerabilidade social que vivem na rua. Ele completou que a medida acontece em um período em que o país atravessa uma das mais graves crises econômicas da história, com reflexo direto na pobreza, com ampliação da massa de desempregados e subempregados e diminuição da renda da população.

“Sabemos que muitas das pessoas que hoje vivem na rua estão lá por falta de perspectivas de empregabilidade e apoio do poder público. Tudo isso, somado ao efeito danoso das substâncias psicoativas, faz com que a gente tenha, em geral, uma quantidade grande de pessoas vivendo nas ruas. Por isso, a gente precisa se cercar de boas instituições, que tenham experiência, conhecimento técnico e capacidade de prestar esse serviço com um custo menor e mais eficiência e resultados positivos para o objetivo que queremos alcançar”, afirmou ACM Neto.

O secretário Léo Prates ressaltou que este é o maior investimento já promovido pela Prefeitura nessa área: serão R$4,1 milhões anuais para a realização da iniciativa. “Logo quando assumimos a Semps, o prefeito determinou que a população em situação de rua seria prioridade na secretaria, como um grande legado a ser deixado na cidade. A gente está muito esperançoso desse trabalho e que, com certeza, vai se tornar referência para outros locais”, pontuou. Ele lembrou que a iniciativa também tem a parceria da SMS, que já atua com o projeto Consultório de Rua.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault
 
 

Há pelo menos 30 anos, os moradores da Rua José Marins Pinto, mais conhecido como Beco do Cirilo, na Estrada da Rainha, viviam angustiados a cada chuva que caía em Salvador. A realidade mudou a partir da contenção da encosta construída pela Prefeitura na localidade, e que foi entregue pelo prefeito ACM Neto neste sábado (30), dentro das comemorações pelo aniversário de 470 anos de Salvador.

O prefeito relembrou o longo processo para a realização da obra, desde erros no projeto provocado por antigas gestões, até a demora na liberação dos recursos pelo governo federal. "O momento de maior preocupação da Prefeitura é com o período chuvoso. Conhecemos de perto a realidade das pessoas que vivem perto de encostas e não conseguem dormir direito quando chove. Por isso, foi tomada a realização de fazer essa obra, tão importante para o moradores do Beco do Cirilo, que sofriam com os deslizamentos da encosta há anos", relatou ACM Neto.

De acordo com o vice-prefeito Bruno Reis, também secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), a obra teve investimento de cerca de R$1,3 milhão e foi dividida em três etapas e com utilização da técnica de solo grampeado em uma área total de 1.077 m². "É um grande presente para os moradores e para a cidade, que comemora os 470 anos", afirmou Reis.

O sentimento de alívio e agradecimento está presente em moradores como Romilson Almeida, 48 anos. Ele, que é presidente da Associação de Moradores do Beco do Cirilo e mora na localidade desde os de anos de idade, relatou a transformação promovida pela obra. "As pessoas não dormiam, os moradores tinham que ir à Codesal pegar lona, sair correndo da lama. Agora a gente vê a alegria do povo, que está dormindo até demais (risos), por estar mais tranquilo", salientou.

Outras encostas - No total, seis encostas serão entregues pela Prefeitura, dentro da programação dos 470 anos da capital baiana. Ontem (29), data da fundação de Salvador, foi entregue a encosta da Rua José Sales, na Fazenda Grande do Retiro.

Nos próximos dias, a Prefeitura entregará também as contenções das encostas localizadas nas ruas Henrique Marques e do Ocidente, ambas situadas na comunidade do Marotinho; na Rua Bom Juá, localizada às margens da BR-324; e na Rua Candinho Fernandes, na Fazenda Grande do Retiro.

Desde 2013, a gestão municipal realizou 59 obras de contenção em diferentes áreas da cidade, totalizando R$ 70.387 milhões em investimentos.

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O prefeito ACM Neto anunciou neste sábado (30) que, depois de diversas reuniões, os empresários do setor de transporte acataram a proposta do município para colocar em circulação mil novos ônibus, todos com ar-condicionado, até 2022. Desse total, 250 serão integrados à frota ainda este ano, na seguinte forma: 125 até 20 de julho e 125 até 20 de setembro. Em 2020, 2021 e 2022, a renovação deve ocorrer até 30 de junho (250 veículos por ano).

"Fechamos o acordo, que está assinado em documento elaborado com a participação do Ministério Público da Bahia (MP-BA), para garantir que, em 4 anos, a cidade terá mil novos ônibus circulando com ar-condicionado, representando quase metade da frota. Vamos fiscalizar o cumprimento desse acordo, que está assinado em documento. Caso o acordo não seja cumprido, vamos anular o aumento da passagem", avisou ACM Neto durante a inauguração da obra de contenção de encosta no Beco do Cirilo, na Estrada da Rainha, no final da manhã de hoje.

A renovação da primeira parte da frota era uma exigência do Executivo municipal para autorizar o reajuste no valor da passagem. As negociações entre Prefeitura e empresários, com a intermediação do MP-BA, começaram no início deste ano, com a sucessão de várias reuniões com as presenças, pelo município, de representantes da Casa Civil, Secretaria de Mobilidade (Semob) e Agência Reguladora e Fiscalizadora dos Serviços Públicos de Salvador (Arsal). Essas negociações resultaram na assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre as partes.

Com o acordo, o valor da passagem será de R$4 a partir desta terça-feira (02). Vale frisar que, apesar do reajuste, Salvador tem a quarta menor tarifa do transporte público entre as maiores cidades do país. Todo o entendimento foi fundamentado em duas consultorias contratadas pela Arsal, com acompanhamento do MP-BA, para a realização de estudos sobre quanto custa o transporte em Salvador e auditoria no sistema de bilhetagem.

Esses estudos apontavam que o valor da tarifa deveria subir para R$4,12. Porém, a Prefeitura viabilizou, com subsídio que será enviado, via projeto de lei, para a Câmara de Vereadores, um valor menor, de R$4. "O valor de R$4,12 seria pesado demais para o usuário e a gente não aceitava. Por isso, a Prefeitura abriu mão também do ISS para o setor, de taxa da Arsal e do pagamento do restante da outorga, garantindo assim, com esse subsídio, o valor de R$4, isso depois que houve o compromisso de renovação da frota", ressaltou ACM Neto.

Além disso, o aumento, que deveria ter começado a vigorar no dia 2 janeiro, só vai valer a partir desta terça-feira (02), em função das garantias solicitadas pelo município de renovação da frota, o que foi outra vantagem para a população. "Só autorizamos o aumento, depois de três meses, quando sentimos segurança por parte dos operadores de transporte de que eles iriam assegurar a renovação da frota, com a colocação de ônibus com ar-condicionado. Por isso, determinei a suspensão do aumento que, por contrato, deveria valer a partir de 2 de janeiro", lembrou o prefeito.

ACM Neto reconheceu que toda notícia de aumento de tarifa gera alguma insatisfação, mas ressaltou que a Prefeitura buscou todas as medidas necessárias para promover avanços na área do transporte público. "Claro que aumento não é bom. Mas, em função do índice de inflação, havia a necessidade dessa decisão. Aproveitamos para avançar na área de transporte e vamos exigir o cumprimento do que foi assinado".

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Um dos mais representativos espaços de preservação da religiosidade afro-brasileira em Salvador, o Ilé Iyá Omi Àse Iyamasé, popularmente conhecido como Terreiro do Gantois, recebeu, nesta sexta-feira (29), o Centro Comunitário Mãe Carmen, dentro da programação de entregas da Prefeitura que marcam o aniversário de 470 anos de Salvador. A cerimônia de inauguração contou com as presenças do prefeito ACM Neto, do vice-prefeito e secretário de Infraestrutura Obras Públicas, Bruno Reis, além da ialorixá Mãe Carmen e lideranças do centro religioso.

"Temos aqui um grande desejo realizado. Fazemos o possível para a comunidade. Mas esse é o ponto alto, e me deixa felicíssima. Espero que funcione tão bem quanto a cidade, e que Olorum nos ilumine sempre. Quem trabalha para esta cidade só tem luz, sempre", abençoou Mãe Carmen. 

A estrutura dará suporte aos projetos sociais que já ocorrem na casa, ampliando o atendimento à população do bairro e localidades adjacentes. O centro comunitário leva o mesmo nome da líder do templo religioso e foi projetado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF). Para as obras, foram investidos R$ 886.308,16.

A unidade possui um salão com capacidade para 50 pessoas no primeiro andar, uma sala para cursos, uma sala para percussão e leitura e um consultório médico. Conta com divisórias que podem ser instaladas ou removidas conforme a necessidade de ampliação de espaço para eventos. Também foram implantados sistema elétrico, telefônico, de esgoto e águas pluviais, além de equipamentos de segurança contra incêndio e paisagismo.

"O Gantois é um dos terreiros mais importantes do Brasil, um espaço da fé, que conta com a liderança extraordinária de Mãe Carmen. A Prefeitura, enxergando também a importância turística e histórica do Gantois, decidiu construir este centro comunitário que vai servir à comunidade e ser um espaço atrativo para turistas do mundo inteiro, que vem atrás deste axé extraordinário deste local", destacou ACM Neto. 

História - Os terreiros de candomblé são lugares de transmissão de conhecimentos religiosos, de preservação de memórias ancestrais e das línguas africanas. Um dos mais importantes do país, o Terreiro do Gantois se constituiu ao longo do século como um espaço sagrado de longa expressão religiosa, mantendo os costumes e os legados milenares dos povos Iorubá (Abeokutá).

O santuário foi fundado em 1849 pela africana Maria Júlia da Conceição Nazareth e preserva o culto aos orixás, seguindo uma tradição matriarcal com base na estrutura familiar de manutenção dos laços parentais - ou seja, é comandado por uma Ialorixá (sacerdotisa), cargo máximo ocupado apenas por mulheres iniciadas e que tenham laços de parentesco com as fundadoras. A escolha da sucessora se dá, após a morte da mãe, por meio de um rito de consulta aos orixás, através do jogo de búzios.

Já assumiram as ialorixás Maria Júlia da Conceição Nazareth; Pulchéria Maria da Conceição Nazareth, ou Pulchéria de Oxóssi; Maria da Glória Nazareth; Maria Escolástica da Conceição Nazaré, conhecida como Mãe Menininha do Gantois, que presidiu a casa por 60 anos e ganhou reconhecimento e destaque como uma das lideranças religiosas mais importantes do paí;, e Cleusa Millet (filha de Mãe Menininha). A atual sacerdotisa é Carmen Oliveira, a Mãe Carmen do Gantois, que assumiu o trono desde 2002.

O Terreiro do Gantois ocupa uma área de cerca de 3.600 m², entre a parte cumeada do morro e o vale, e sempre esteve aberta para receber gente de todas as origens e classes sociais. O nome africano da casa (Ilê Axé Iyá Omin Iyamassê) faz alusão a uma divindade feminina, senhora das águas. Já o nome popular refere-se ao antigo proprietário do terreno onde está estabelecido o terreiro, o traficante de escravos belga Édouard Gantois.

Na parte alta, o templo principal é formado por salão de festas públicas, clausura, cozinha sagrada, sala-refeitório, vestuário e cômodos residenciais. Como anexo ao templo, há o Memorial Mãe Menininha do Gantois, além de santuários de Omolu, Ogum e Exu. Há ainda uma gameleira sagrada associada a Iroko e uma jaqueira sagrada dedicada a Ogum. Na encosta há uma vegetação densa onde há plantas utilizadas nos rituais, um santuário para Oxum, uma fonte e residências de membros da comunidade de culto. 

O terreiro foi reconhecido como Área de Proteção Cultural e Paisagística pela Prefeitura Municipal de Salvador, através da lei nº 3.590 de 16/12/1985, e tombado pelo Iphan como Patrimônio Histórico e Etnográfico do Brasil, via portaria nº 683 de 17/12/2002.

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Toda vez que Salvador era atingida pelas chuvas, Cátia Santos Freitas, 37 anos, ficava apavorada pelo medo de ver seu lar desmoronar. Há três anos, ela, que mora desde criança em uma casa localizada na parte alta da encosta da Rua José Sales, na Fazenda Grande do Retiro, presenciou um deslizamento de terra quase arrastar um dos cômodos de seu imóvel. 

Agora, Cátia não tem mais motivos para se preocupar. Nesta sexta-feira (29), o prefeito ACM Neto inaugurou a nova obra de contenção e estabilização da encosta da comunidade, em um evento que integra as comemorações de 470 anos da fundação de Salvador. 

A estrutura possui 1.246 metros quadrados e beneficiará aproximadamente 200 famílias que possuem casas próximas ao local, em região que era de alto risco, proporcionando mais tranquilidade e segurança em dias de chuva. 

"Quero aproveitar este momento em que Salvador completa 470 anos para dar minha singela contribuição. Há seis anos, no período das chuvas, esta região ficava intransitável, oferecendo risco aos moradores que viviam nas áreas de encostas. Tivemos que conviver com o drama das vítimas e demais moradores que perderam suas casas, porque essa encosta deslizou. Então, é muito importante poder retornar hoje, quando Salvador completa 470 anos, para inaugurar mais esta obra de contenção. os investimentos feitos apenas com as cinco encostas do Bom Juá somam R$ 30 milhões. Isso é mais que o dobro do que foi investido na requalificação da orla da cidade", afirmou o prefeito. 

A encosta ganhou contenção de concreto e solo grampeado, técnica para evitar deslizamentos de terra. A intervenção foi realizada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), com recursos provenientes do Ministério da Integração Nacional. O investimento foi de R$ 1.748.385,47.

A contenção de encosta da Rua José Sales também ganhou escadaria. Antes os moradores tinham que se arriscar em subir um declive precário, com degraus improvisados pelos moradores. "Meu neto e meu filho chegaram a cair. Agora tá mais seguro para subir e descer", disse Verinalva dos Santos, de 62 anos, moradora do local há 42 anos. 

Durante o evento, o prefeito recebeu um troféu da Central de Lideres Comunitários, em reconhecimento aos trabalhos realizados nas comunidades carentes.

 

 

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Como parte das comemorações do aniversário de 470 anos de fundação, celebrado nesta sexta-feira (29), Salvador ganhou mais um Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), instalado na Rua Pacifico Pereira, 34, no Garcia. A cerimônia teve as presenças do prefeito ACM Neto, do vice-prefeito e secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis, e do secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Léo Prates, dentre outras autoridades, corpo técnico e populares.

O prefeito ressaltou a importância do equipamento como apoio para famílias, principalmente as mais pobres, que passam por dificuldades. “Por exemplo, há casos em que o pai e a mãe, com filhos, estão desempregados e em uma situação de muita necessidade de sobrevivência. Então, é claro que, nesse conjunto de políticas públicas, cabe à Prefeitura dar essa assistência e também dar um suporte a essas famílias para superar essa condição e ter uma perspectiva diferente para o futuro. Essa é a razão da Prefeitura: cuidar da vida das pessoas mais pobres”, afirmou ACM Neto.

A unidade terá capacidade de atendimento mensal a 103 famílias em situação de violação de direitos. O centro de referência contará com equipe multidisciplinar composta por gerente, psicólogo, assistente social, advogado e educador social. O público-alvo abarca desde crianças e adolescentes, vítimas de exploração sexual, até mulheres em situação de violência, bem como adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, dentre outros.

As ações desenvolvidas no local envolverão acompanhamento, entrevistas, visitas domiciliares e institucionais, encaminhamentos à rede socioassistencial, reuniões e ações comunitárias, palestras voltadas às famílias e à comunidade, oficina de convivência e de trabalho socioeducativos e campanhas socioeducativas.

Administrado pela Semps, o Creas no Garcia funcionará de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 12h e das 13h às 17h. O custo anual para o funcionamento do equipamento será de R$ 1 milhão.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Toda vez que Salvador era atingida pelas chuvas, Cátia Santos Freitas, 37 anos, ficava apavorada pelo medo de ver seu lar desmoronar. Há três anos, ela, que mora desde criança em uma casa localizada na parte alta da encosta da Rua José Sales, na Fazenda Grande do Retiro, presenciou um deslizamento de terra quase arrastar um dos cômodos de seu imóvel.

Agora, Cátia não tem mais motivos para se preocupar. Nesta sexta-feira (29), o prefeito ACM Neto inaugurou a nova obra de contenção e estabilização da encosta da comunidade, em um evento que integra as comemorações de 470 anos da fundação de Salvador.

A estrutura possui 1.246 metros quadrados e beneficiará aproximadamente 200 famílias que possuem casas próximas ao local, em região que era de alto risco, proporcionando mais tranquilidade e segurança em dias de chuva.

"Quero aproveitar este momento em que Salvador completa 470 anos para dar minha singela contribuição. Há seis anos, no período das chuvas, esta região ficava intransitável, oferecendo risco aos moradores que viviam nas áreas de encostas. Tivemos que conviver com o drama das vítimas e demais moradores que perderam suas casas, porque essa encosta deslizou. Então, é muito importante poder retornar hoje, quando Salvador completa 470 anos, para inaugurar mais esta obra de contenção. os investimentos feitos apenas com as cinco encostas do Bom Juá somam R$ 30 milhões. Isso é mais que o dobro do que foi investido na requalificação da orla da cidade", afirmou o prefeito.

A encosta ganhou contenção de concreto e solo grampeado, técnica para evitar deslizamentos de terra. A intervenção foi realizada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), com recursos provenientes do Ministério da Integração Nacional. O investimento foi de R$ 1.748.385,47.

A contenção de encosta da Rua José Sales também ganhou escadaria. Antes os moradores tinham que se arriscar em subir um declive precário, com degraus improvisados pelos moradores. "Meu neto e meu filho chegaram a cair. Agora tá mais seguro para subir e descer", disse Verinalva dos Santos, de 62 anos, moradora do local há 42 anos.

Durante o evento, o prefeito recebeu um troféu da Central de Lideres Comunitários, em reconhecimento aos trabalhos realizados nas comunidades carentes.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Plano Verão Sem Mosquito, promovido pela Prefeitura por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), teve o resultado divulgado na manhã desta sexta-feira (29), no Centro Integrado Familiar (Ceifar), localizada no bairro de Tancredo Neves. As atividades de combate ao mosquito Aedes aegypti, realizadas de novembro do ano passado até este mês de março, resultaram na redução de 57,7% dos casos confirmados de dengue em Salvador.

O plano envolveu ações educativas e inspeções por diversos bairros de Salvador. Além das residências e bocas de lobo, a iniciativa também passou pelos postos de saúde, hotéis, praças e escolas. As festas populares também não ficaram de fora. Antes e após os festejos, inclusive no Carnaval, as bocas de lobo dos circuitos onde aconteciam as apresentações receberam a aplicação de inseticida utilizando a borrifação com UBV (Ultrabaixo Volume). A intenção foi de diminuir a infestação do vetor na fase adulta. Ao todo, 2.500 locais foram inspecionados.

A subgerente de Arboviroses do CCZ, Isolina Miguez, destaca o trabalho realizado pelos agentes e a importância da contribuição da população. “O nosso trabalho é em prol da saúde da comunidade. É um trabalho preventivo, onde orientamos a população a não descuidar da sua residência nem do seu entorno, para evitar um possível surto das arboviroses. Se cada morador fizer a sua parte, a soma dos esforços será muito mais significativa para a diminuição do foco do mosquito transmissor das doenças”, declarou.

Foram mais de 1.500 agentes trabalhando durante o Verão - a estação é a ideal para proliferação intensa dos mosquitos e conta com a grande circulação de turistas na cidade. Os esforços que resultaram na diminuição de casos confirmados de dengue são motivo de grande satisfação para a subgerente, que já está planejando o plano de ação para o próximo Verão.

“O balanço é muito positivo. É o resultado de todo trabalho que vem sendo feito tanto pelo CCZ quanto pelos moradores – muitas vezes, quando chegamos em suas residências, já nos mostram os vasos de plantas com areias e os tanques e caixas d’águas vedados, por exemplo. Continuaremos com as nossas ações para que possamos cada vez mais reduzir esse número, nos tornando referência para a Bahia”, completou.

Dados – Em 2019, foram notificadas em Salvador 87 ocorrências de dengue, quatro para zika vírus e 16 para chikungunya. Os dados correspondem ao período de 30 de dezembro de 2018 a 2 de fevereiro de 2019. No mesmo período do ano passado, a Vigilância Epidemiológica da SMS notificou 235 ocorrências suspeitas para dengue, cinco para chikungunya e 13 de zika.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A capital baiana ganhou a disputa e vai sediar a terceira edição do Ecriativa, o Encontro das Cidades Criativas da Unesco. A vitória foi anunciada durante o evento que, este ano, aconteceu em Florianópolis e reuniu os representantes das oito cidades brasileiras com o selo de cidades criativas, concedido pela organização. O evento tem o objetivo de promover a conexão entre as cidades que têm a criatividade como estratégia para o desenvolvimento.

“Salvador é uma cidade reconhecida internacionalmente pelo seu potencial criativo e temos trabalhado muito para fomentar o desenvolvimento de novos projetos e a estruturação da economia criativa na cidade. Essa conquista revela todo o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Prefeitura, através do eixo Cidade Criativa, do programa Salvador 360”, celebra o secretário municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Sérgio Guanabara.

Durante o encontro, as oito cidades participantes, Salvador (música), Florianópolis, Belém e Paraty (gastronômico), Brasília e Curitiba (design), João Pessoa (artesanato) e Santos (Cinema), tiveram a oportunidade de discutir estratégias e políticas públicas para o setor. Além disso, puderam trocar experiências e apresentar instrumentos de fomentação da economia criativa.

O diretor de Parceria Público-Privada da Sedur, Gustavo Menezes, apresentou o projeto que visa tornar a capital baiana o polo de criatividade brasileira. “A criatividade do soteropolitano é pulsante e precisa de um espaço que possa estruturar e fomentar isso. Pensando nisso, Salvador vai ganhar um novo Hub, mas dessa vez com foco na economia criativa que vai contemplar ações voltadas para música, fotografia, design, gastronomia”, explica. “A estrutura, que vai funcionar no Comércio será entregue em 2020”, completa Menezes.

Atualmente, 180 cidades de 72 países fazem parte da Rede Mundial de Cidades Criativas da Unesco. Durante o evento, os representantes das oito cidades criaram a Rede Brasileira e Salvador foi eleita também a coordenadora geral do grupo.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...