Educação

0
0
0
s2sdefault

O Prêmio Jorge Amado de Literatura chega à terceira edição em 2018 e terá as inscrições realizadas entre o próximo dia 16 até 27 de agosto. Promovido pela Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal da Educação (Smed), o prêmio tem por objetivo incentivar e valorizar a produção literária dos alunos da rede pública de ensino de Salvador. 

As inscrições serão realizadas de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no horário de 9h às 17h, na escola onde o aluno estuda. O regulamento, com todas as informações detalhadas do prêmio, encontra-se à disposição dos interessados na página eletrônica da Smed.

“Trata-se de uma iniciativa implementada em 2014 que, além de revelar nossos talentos, estimula a criatividade e o gosto pela leitura e pela produção de textos", explica o secretário de Educação, Bruno Barral. "O resultado desse trabalho é incrível e emocionante", completa.

Premiação – O prêmio é voltado para os alunos do Ensino Fundamental I (1º a 5º ano), que concorrem nas categorias Poesia e Conto. Já os alunos do Ensino Fundamental II (6º a 9º ano) e da Educação para Jovens e Adultos (EJA) poderão participar nas categorias Romance, Histórias em Quadrinhos e Videoclipe. 

Os vencedores de cada categoria serão premiados da seguinte forma: R$ 4 mil para os primeiros colocados; R$ 3 mil para a segunda colocação e para o 3º lugar de cada categoria, R$ 2 mil. O valor do prêmio está sujeito à tributação de impostos.

A comissão julgadora para cada categoria será composta por três especialistas, sendo um deles, necessariamente, educador. Todos serão de reconhecido mérito e designados pela Comissão Organizadora do Prêmio Jorge Amado, cujos nomes serão publicados no Diário Oficial. O resultado do concurso será divulgado no dia 31 de outubro deste ano.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A merendeira da Escola Municipal de Ilha de Maré, Dejanira dos Santos, e a nutricionista da Secretaria Municipal de Educação (SMED), Emília Coelho, embarcam no início da tarde desta quarta-feira (04) para o Rio de Janeiro, onde serão as únicas a representar o Nordeste brasileiro no programa Super Merendeiras. O reality show vai ao ar na TV Escola e terá 13 episódios de 26 minutos cada. Participam da competição dez merendeiras de todas as regiões do país, selecionadas entre as 5 mil inscritas nas duas edições do Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar, promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

As dez merendeiras vão concorrer entre si utilizando diferentes tipos de receitas feitas na rede municipal de ensino das respectivas regiões. As gravações serão realizadas de 4 a 17 de julho e o objetivo do programa é promover a alimentação saudável com entretenimento e valorização de quem é diretamente responsável por preparar as refeições de 45 milhões de estudantes em todo o país. Duas delas vão para a grande final e uma será a grande vencedora.

As receitas serão avaliadas por três jurados especialistas em alimentação e educação. A merendeira Dejanira dos Santos, que venceu o Concurso “Melhores Receitas da Alimentação Escolar” no Nordeste, irá apresentar a receita do abará feito com aipim com carne moída, que já foi servida no início de 2017 ao presidente Michel Temer e ao ministro da Educação, Mendonça Filho, na cerimônia de anúncio de recursos para a merenda escolar de todo o País, no Palácio do Planalto.

“Nunca imaginei que essa versão do abará nutritivo fosse ser tão apreciada e fazer esse sucesso. Gosto de inventar, misturar temperos e fazer novas experiências na cozinha. Estou feliz por estar hoje sendo referência, e poder levar o nome da nossa Ilha, de nossa cidade para fora e ver essas crianças saboreando com muito gosto essa receita é maravilhoso. Eu fico feliz em estar representando todas as merendeiras da nossa cidade e também da região Nordeste”, afirmou Dejanira, conhecida na Ilha como Pióca e que está há 17 anos na Escola Municipal Ilha de Maré.

De acordo com a nutricionista Emília Coelho, da Secretaria Municipal de Educação (SMED), o cardápio feito na escola é diferenciado, pois consegue manter a parte cultural, a tradição do local e conseguir introduzir o novo de maneira a agradar as crianças. “O acarajé e o abará é muito tradicional e todo mundo sabe o que tem dentro dessas iguarias, então começamos a pensar como colocar isso dentro da merenda escolar. A Dejanira veio com essa preparação diferente transformando uma receita tradicional e cultural dentro da alimentação escolar de forma saborosa e agradável”.

A nutricionista pontua ainda que a receita tem alto teor nutritivo. “O aipim é uma massa magra com bastante carboidrato e fibras que ajudam na energia das crianças. A carne é a proteína que eles precisam para ter mais nutrição e crescimento, além disso, o azeite de dendê tem vitaminas A e K, importantes para fortalecer o sistema imunológico e agir no processo de coagulação sanguínea”, finaliza.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Finalistas farão intercâmbio de dez dias em Portugal, em companhia do escritor Laurentino Gomes

Cinquenta e quatro alunos de 13 escolas municipais de Salvador foram selecionados para a segunda fase do projeto "Era uma vez... Brasil", que, ao final, levará os alunos melhor avaliados para um intercâmbio de dez dias em Portugal, onde conhecerão os caminhos percorridos pela corte portuguesa até a vinda ao Brasil, em 1808. Em 2017, dez alunos da Rede Municipal foram finalistas e participaram do intercâmbio, que incluiu roteiros culturais com pontos relevantes para a história Portugal-Brasil, como Terreiro do Paço, Palácios Nacionais de Queluz e da Ajuda, além da visita a cerca de 23 museus, bibliotecas e escolas de Lisboa.

Neste ano, a segunda etapa do projeto, chamada de Campus, será realizada de 25 de junho a 1º de julho, na Escola Municipal Célia Goulart, em Mata de São João. Cem adolescentes de Salvador e Mata de São João participarão durante sete dias, em período integral, de oficinas culturais de audiovisual, além de duas vivências com povos das etnias indígenas e afro com o intuito de se apropriarem e conhecerem suas origens.

Criado pela Origem Produções, o ‘Era uma Vez... Brasil’ é um projeto de arte-educação voltado para adolescentes do 8º ano da rede pública de ensino. O foco dos trabalhos é a chegada da família real e da corte portuguesa ao Brasil, tendo como base o livro 1808, do escritor Laurentino Gomes, que viaja com os alunos no intercâmbio. Este é o terceiro ano consecutivo que o projeto é realizado.

Segundo Marici Vila, diretora executiva da Origem Produções, 2018 superou a expectativa, somando, na primeira etapa, 97 escolas públicas participantes, de dez cidades de três estados brasileiros. “O projeto vem se consolidando e criando uma rede extremamente importante para o desenvolvimento dos jovens, professores e comunidade. O resultado é o reconhecimento das nossas raízes, a valorização da nossa identidade e o respeito pela diversidade”, explica.

O escritor Laurentino Gomes destaca a importância da iniciativa. “É emocionante participar desse projeto e observar esses jovens, alunos de escolas públicas, tendo a oportunidade de conhecer diversos monumentos e ter aula enquanto fazem turismo. O ‘Era Uma Vez... Brasil’ tem um importante significado social e acredito que nenhum dos estudantes volta para casa da mesma forma. É importante que eles assumam a responsabilidade de mudar e transformar suas famílias, a comunidade onde vivem, o município. O Brasil precisa muito disso”, destaca.

Participantes - Além dos 54 alunos da Rede Municipal de Salvador, participam dessa segunda etapa oito alunos do Colégio Militar e 38 alunos de escolas públicas de Mata de São João.

Rede Municipal - Foram selecionados para a segunda etapa do projeto alunos das seguintes escolas municipais de Salvador: 2 de Julho (Trobogy); Alfredo Amorim (Ribeira); Almirante Ernesto de Mourão de Sá (Paripe); Amélia Rodrigues (Tororó); Brigadeiro Eduardo Gomes (São Cristóvão); Elysio Athayde (Cajazeiras); Hildete Lomanto (Garcia); Ivone Vieira Lima (São João do Cabrito); Maria José de Paula Moreira (Ribeira); Olga Figueiredo de Azevedo (Matatu); Pirajá da Silva (Liberdade); Professor Alexandre Leal Costa (Nazaré) e Professora Suzana Imbassahy (Barbalho).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Em clima das festas juninas e de Copa do Mundo, alunos da Escola Municipal São Francisco Xavier, localizada nas Granjas Rurais Presidente Vargas, aproveitaram o momento para celebrar os dois eventos com atividades lúdicas e comidas típicas do período, dentre elas bolo, amendoim e paçoca. As ações envolveram futebol de lençol, vôlei adaptado e outras modalidades que permitiram a adesão de alunos com deficiência, para proporcionar a inclusão social. 

O esporte permitiu que Kaique Santana, 11 anos e cadeirante, também participasse das competições. “Sou apaixonado por futebol. Em minha casa fico brincando sozinho e, agora, tenho a oportunidade de me juntar com meus amigos e professores para poder brincar e comemorar a chegada da Copa”, disse.

A mãe de Kaique, a dona de casa Márcia Santana, 38 anos, afirmou que esta é mais uma oportunidade de ver a criança realizar um sonho. “Meu filho é apaixonado por futebol. Sempre quando ele pode, está brincando com a bola dentro de casa. Me sinto muito orgulhosa ao ver o meu filho participando junto com as outras crianças. Mostra que, apesar das limitações, somos todos iguais”, comemorou.

Integração – Para promover a integração entre os alunos, além de incentivar a torcida pelo hexa da seleção brasileira, a professora de Educação Física, Viviane Caribé, propôs um desafio aos alunos: pesquisar na Internet o nome de todas as mascotes da Copa do Mundo desde a edição de 1966, disputada na Inglaterra, e citar fatos importantes ocorridos nas diversas edições do torneio, por meio de uma linha do tempo. Para comemorar a confecção do material, a docente propôs uma competição de futebol de lençol, com direito a torcida organizada.

“O pensamento foi trazer o conhecimento e oportunizar para meus alunos que eles vivam na prática tudo aquilo que aprenderam. Como tenho alunos cadeirantes, tenho a missão de incluir esses alunos porque, nessas brincadeiras, eles vão se sentir mais vivos e incluídos”, contou Viviane. 

Para a gestora da unidade escolar, Elinalva Silva, o sentimento é de gratidão. “Eu fico muito grata por esse projeto. É visível que todos os colegas estão aceitando as diferenças e é com esse intuito que a atividade está sendo desenvolvida”, finalizou.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Os alunos da Escola Municipal Comunitária de Canabrava não escondiam o entusiasmo com as ações ambientais promovidas nesta quarta-feira (13) pelo Movimento Limpa Brasil e apoiado pela Prefeitura, através das Secretarias de Cidade Sustentável e Inovação (Secis), Educação (SMED) e de Saúde (SMS). As ações incluíram palestras, mutirão de limpeza e o plantio de 64 mudas, realizadas na unidade escolar e por todo o bairro. O objetivo foi conscientizar a população sobre o uso correto dos resíduos sólidos, incentivando a reciclagem e o reaproveitamento.

Para Tião Santos, co-fundador do Movimento Limpa Brasil, ex-presidente da Associação dos Catadores do Jardim Gramacho e personagem principal do documentário que concorreu ao Oscar, Lixo Extraordinário, o apoio dos poderes públicos é fundamental para a construção de uma cidade limpa e sustentável. “O apoio da Prefeitura, por exemplo, é fundamental porque conscientiza a população de que podemos ter uma cidade mais limpa, justa e humana. É com muita satisfação que encaro esse projeto”, conta.

Além do mutirão de limpeza com direito ao plantio das mudas distribuídas pela Secis, o evento contou com diversas ações. Entre as atividades estiveram a distribuição de 64 mudas de plantas de espécies como pingo de ouro e biri, e palestra com integrantes da SMS sobre a Horta Suspensa, uma forma diversificada para o cultivo de algumas hortaliças. “Trabalhar com essas crianças é muito importante porque elas são a esperança de um futuro melhor, mais limpo. Com certeza, elas passarão todo o aprendizado de hoje para os pais e coleguinhas”, celebra a gestora da unidade escolar, Ednalva dos Santos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Censo Escolar da Educação Básica 2018 é o tema de uma reunião voltada às escolas privadas de Salvador, que será realizada pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) na quarta-feira (13), das 14h às 17h, no auditório do Colégio Sacramentinas (Avenida Leovigildo Filgueiras, 211 - Campo Grande). O objetivo do encontro é prestar orientações técnicas aos representantes das escolas para uso do sistema Educacenso, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), através do qual devem ser feitas as declarações no prazo de 30 de maio a 31 de julho.

Realizado anualmente, o Censo Escolar é um levantamento de dados obrigatório de todas as escolas do país, públicas e privadas, com responsabilidade jurídica atribuída ao gestor da unidade de ensino, conforme determina o Decreto Federal 6425/2008 e portarias MEC e Inep 264/2007 e 316/2007. Apesar da obrigatoriedade definida pela lei, muitas escolas não têm feito a declaração anual. Das 1662 escolas privadas ativas localizadas em Salvador com cadastro no Inep, apenas 748 participaram da 1ª etapa do Censo em 2017 - o que corresponde a cerca de 45%. É um índice considerado baixo, que acaba comprometendo a elaboração de estratégias públicas nacionais, estaduais e municipais para a área.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Passar em um concurso público, cursar uma faculdade ou simplesmente dar um futuro melhor aos filhos. Esses são apenas alguns dos sonhos dos educandos que tentam concluir os estudos através da Educação de Jovens e Adultos (EJA), da Rede Municipal de Educação de Salvador. Para dar maior apoio e incentivo aos estudos desses alunos, a Secretaria Municipal de Educação (Smed), através de iniciativa da Gerência Regional de Educação (GRE) de Cajazeiras, implementou o projeto Pulo do Gato, um curso preparatório para as provas do Exame Nacional para Certificação de Competência de Jovens e Adultos - Encceja 2018, prova gratuita realizada pelo Ministério da Educação (MEC) para quem busca uma certificação de conclusão do Ensino Médio ou do Ensino Fundamental.

De acordo com Marcelo Borges, coordenador pedagógico da GRE Cajazeiras e idealizador do projeto, a iniciativa surgiu na tentativa de incentivar os alunos a buscarem a devida certificação. “Em 2015, quando ainda estava na Escola Municipal Adauto Pereira de Souza como coordenador pedagógico à noite, percebi muitos alunos com desejo grande de fazer cursos e concursos, mesmo ainda sem concluir os estudos. Por isso, pensamos em orientar os alunos, mostrando que existe a possibilidade de adiantar as séries atrasadas através do bom desempenho no Encceja. E foi pensando nesse desempenho, criamos o Pulo do Gato, esse curso preparatório, como um suporte aliado às rotinas da EJA regular”, explica.

Este é o segundo ano do Pulo do Gato e, desta vez, qualquer pessoa pode participar, desde que estejam inscritos no Encceja. Além disso, na primeira edição, as aulas foram realizadas apenas em uma escola da GRE Cajazeiras. No entanto, pensando em facilitar o deslocamento dos alunos, este ano, as aulas foram distribuídas em três polos base: Valéria, Cajazeiras e Estrada Velha, nas escolas municipais da Palestina, Elysio Athaide e Novo Marotinho, respectivamente. É isso o que explica a gerente regional Adenildes Lima. “No primeiro ano, as aulas eram apenas aos sábados pela manhã, em apenas uma das escolas da região. Com essa mudança, sabemos que vamos facilitar ainda mais a vida desses alunos, já damos o material didático, mas sabemos que muitas vezes a falta de dinheiro para pegar um transporte pode ser determinante para esse aluno seguir em frente ou não”.

Além de um módulo com questões de língua portuguesa, redação, ciências, geografia, matemática e história, os estudantes também receberam na aula inaugural um DVD produzido pela coordenação pedagógica da GRE, com videos relacionados aos assuntos da prova. A dona de casa Joane Lucia Teles, de 57 anos, aponta que, com o Pulo do Gato, pretende acelerar os estudos para concluir logo o segundo grau. “Tenho oito netos, quatro filhos e uma bisneta. Como sou viúva, fico boa parte do meu tempo em casa. Então estou unindo o útil ao agradável, ocupando a mente, ao mesmo tempo concluindo meus estudos para dar um bom exemplo para minha família, principalmente aos que estão chegando agora”, salienta a aluna que cursa o 6º ano da EJA e que está entre os mais de 100 inscritos no projeto Pulo do Gato.

Gilmar Aguiar, de 35 anos, também está cursando o 6º ano da EJA. Ele precisou trabalhar cedo, já que constituiu família aos 18 anos de idade. Agora, pretende concluir o ensino médio para tentar aprovação em um concurso público. “Meu sonho é fazer um concurso e trabalhar em alguma área da Prefeitura ou do Governo. Tive que parar muito cedo de estudar porque precisava trabalhar e a correria era esta: de dar o de melhor para meus filhos e minha esposa”. Segundo ele, essa é uma grande oportunidade de chegar onde almeja. “Essa é uma grande chance de adiantar meu lado e eu vou mergulhar de cabeça no projeto Pulo do Gato, para eu conseguir chegar onde quero”, comemora.

Alan Muniz, subprefeito de Cajazeiras, ressalta que acompanha o projeto desde o início e que vê na iniciativa a possibilidade de fortalecimento do cidadão dentro da sua comunidade. “O Pulo do Gato é maior do que o conteúdo pedagógico. Existe uma questão social envolvida, e por isso se torna algo atrativo para o cidadão. Essas pessoas não querem ser vistas como semianalfabetas ou analfabetas entre os seus. É uma questão de valor, de cidadania, do pertencimento, já que muitas delas tiveram grandes dificuldades para se manter nos estudos”, pontua.

Irene Sobral tem 25 anos e dois filhos. Ela parou de estudar aos 14 anos, na 4ª série e agora cursa o 5º ano do ensino fundamental na EJA. “Meu objetivo é concluir meu ensino médio, fazer meu curso de direito e dar um futuro melhor para os meus filhos. Vou me dedicar a esse projeto, porque preciso acelerar meus estudos, já que precisei parar de trabalhar porque não tenho quem tome conta dos meninos. Então, estou estudando à noite justamente pensando no nosso futuro, para tentar melhorar a nossa vida”.

A aplicação de provas do Encceja Nacional será em 5 de agosto (domingo); no dia 3 (sexta-feira), a GRE Cajazeiras já organiza um aulão para preparar os estudantes para a avaliação. A divulgação dos resultados está prevista para o último trimestre de 2018. Mais informações estão disponíveis no portal.mec.gov.br.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A professora Lorena Bárbara Santos Costa, da Escola Municipal Deputado Gersino Coelho, ganhadora da etapa regional do 10º Prêmio Professores do Brasil e finalista da etapa nacional, está na Irlanda - um dos prêmios do concurso organizado pelo Ministério da Educação (MEC). Ela e outros 29 professores brasileiros foram em missão de estudos na Irlanda, para conhecer a cultura local e realizar uma capacitação do sistema educacional Irlandês.

Foram sete dias de palestras, troca de experiências, visitações a espaços culturais e unidades educacionais do ensino fundamental, médio e de nível superior, como a Mary Immaculate College e a St Mary's University College. O encerramento das atividades ocorreu com a entrega de certificados pela embaixadora brasileira na Irlanda, Eliana Zugaib.

Lorena Costa, que faz parte da rede municipal desde 2007, é autora do projeto “Vem Sambar e Aprender - O Samba como Instrumento de Resistência e Representação da Cultura Afro-Brasileira”, vencedor da etapa regional, na categoria Ensino Fundamental: Anos Iniciais (4º e 5º anos).

Desenvolvido na Escola Municipal Gersino Coelho, no bairro de Narandiba, em Salvador, o trabalho teve como protagonistas as turmas do 5º ano e visou garantir no ambiente escolar o debate e a troca de conhecimentos sobre a cultura negra no Brasil, em especial a cultura da Bahia, através do samba de roda.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura estendeu o prazo das inscrições para o IngreSSAr, curso preparatório gratuito com foco no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), para até o proximo dia 4. O programa é promovido através da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e deve beneficiar 400 jovens com idade entre 15 a 29 anos, em instituições de ensino credenciadas para os cursos intensivos. As aulas terão início no segundo semestre deste ano e prosseguem até as provas, em novembro. 

As inscrições devem ser efetuadas via internet no endereço www.spmjeneminscricao.salvador.ba.gov.br. Quem preferir, pode efetuar a inscrição presencialmente no Infocentro da Juventude, localizado na Avenida Sete de Setembro, 202, Edifício Adolpho Basbaum, 4º andar. Neste caso,  o atendimento só poderá ser realizado na próxima quarta (2), quinta (3) e sexta-feiras (4).  

Para participar, os jovens devem residir em Salvador; serem egressos do 3º ano do Ensino Médio da rede pública, bolsistas integrais em escolas particulares ou concluintes da Educação de Jovens e Adultos (EJA); e integrantes de famílias cadastradas no Programa Bolsa Família. Esta última não é uma prerrogativa obrigatória. É necessário também que os selecionados estejam inscritos no ENEM 2018 e apresentem, após esta primeira etapa, o comprovante de matrícula do Exame Nacional. 

Conforme previsto em lei, 5% das vagas serão destinadas às pessoas com deficiência e 30% reservadas para pessoas que se autodeclaram negros. O cadastro de reserva será composto por até duas vezes o número de vagas e o resultado provisório, contendo a relação dos alunos aprovados, será promulgado no Diário Oficial do Município (DOM) e amplamente divulgado pelas redes sociais e pelos meios de comunicação.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...