Educação

0
0
0
s2sdefault

Educação ambiental se aprende desde cedo e faz parte da formação cidadã das crianças. Com esse intuito, a Escola Municipal de Campinas de Pirajá realiza uma semana inteira de ações lúdicas e interativas para promover a conscientização dos alunos quanto à preservação da natureza. Na manhã desta quarta-feira (3), cerca de 70 estudantes do Ensino Fundamental assistiram a uma palestra temática com agentes do Grupo Especial de Proteção Ambiental (Gepa), da Guarda Civil.

A atividade ainda envolveu uma exibição de animais empalhados da fauna silvestre. Entre a garotada, a dupla Ruan Marcos dos Santos e Yago Rocha, ambos com 8 anos, ficou curiosa de poder ver e até tocar em bichos que geralmente estão disponíveis apenas nos zoológicos. “Muito legal, mas que bicho é esse?”, indagou um deles, enquanto apontava para uma cotia. “Não sei. Deve ser algum tipo de rato”, retrucou outro.

Além da cotia admirada pelos meninos, teve preguiça, jiboia, jacaré-de-papo-amarelo, tamanduá, tatu, iguana, papagaio, mico, raposa, jabuti, gavião carijó e sagui. Uma serpente viva, da espécie cobra-do-milho, também foi exibida, despertando curiosidade da criançada presente.

Durante a palestra, o supervisor do Gepa, Robson Pires, abordou conteúdos sobre práticas de sustentabilidade na relação do ser humano e meio-ambiente, coleta seletiva e importância em cuidar da fauna e da flora.

“Temos uma fauna muito rica em Salvador. Por isso que trouxemos esses animais silvestres aqui para escola, para que os alunos tenham esse contato e saberem que ainda existem muitos no município. Os animais não invadem nosso território. Somos nós que invadimos o habitat deles com o processo de urbanização”, disse o gestor.

Robson citou alguns exemplos de áreas preservadas da capital baiana, tal como os parques São Bartolomeu, um dos maiores remanescentes de Mata Atlântica do país, o da Cidade, de Pituaçu, do Costa Azul e o Zoobotânico.

Nos últimos quatro anos, mais de 80 espécies diferentes de animais silvestres já foram resgatados no município – a maioria é jiboias. A orla marítima, entre Barra e Praia do Flamengo, embora não conte com muitas áreas verdes, é a região cujo Gepa recebe mais solicitações de moradores para captura de espécimes.

Resiliente - Durante toda essa semana, a criançada da Escola Municipal de Campinas de Pirajá se envolverá com atividades voltadas para educação ambiental. “É um trabalho conjunto, denominado de projeto Escola Resiliente. É importante promover essa conscientização aos estudantes para que eles levem isso para seus lares e sejam multiplicadores de boas práticas às suas respectivas famílias”, disse a diretora Rita de Cássia Argolo. A programação da iniciativa envolve oficinas de reciclagem, de compostagem e de brinquedos.

Na sexta-feira (5), às 9h30, a unidade será contemplada com uma horta de 30 metros quadrados, na qual os alunos poderão ajudar no cuidado e na plantação de hortaliças, como salsa, alecrim, tomate, alface, pimenta. A ação acontece em parceria com a Secretaria da Cidade Sustentável, Inovação e Resiliência (Secis).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

“Eu não me comunicava com os deficientes auditivos. Era como se eles fossem pessoas invisíveis que ficavam tentando se expressar e eu não conseguia compreender”, conta Joel Gilvêncio, 39 anos, servidor da Guarda Civil Municipal. Ele foi um dos 42 servidores pertencentes à primeira turma do curso de Formação Básica da Língua Brasileira de Sinais (Libras), promovido pela Prefeitura por meio da Unidade de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência (UPCD).

O encerramento da primeira turma formada por servidores municipais de órgãos como Guarda, secretarias municipais de Saúde (SMS) e Manutenção (Seman), Defesa Civil de Salvador (Codesal) e Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) aconteceu na manhã desta terça-feira (2), no Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência (Comped), localizado na Avenida Joana Angelica. O objetivo da capacitação é garantir uma comunicação mais eficaz e um atendimento de qualidade, promovendo a inclusão dos surdos e deficientes auditivos.

“Já estou praticando o que aprendi no meu trabalho. Já atendi diversos deficientes auditivos. Poder estabelecer uma comunicação com essas pessoas é muito gratificante. É como se eu deixasse de ser impotente. Hoje me sinto um responsável por facilitar o acesso dessas pessoas com deficiência as informações, como lhe é de direito”, ressalta Joel.

Dinâmica – Através de apostilas, apresentações em Power Point, vídeos e simulações de atendimento, a capacitação foi dividida em três módulos e duração total de três meses, com direito a certificado ao final. Nesse período, os servidores puderam conhecer um pouco mais deste universo, com o intuito de melhorar o atendimento e promover a inclusão.

A professora de Libras Luana Alencar destaca a contribuição da capacitação e o papel dos servidores. “Essa capacitação propiciou conhecimentos básicos da Libras para que os servidores se tornassem aptos e preparados para atender a demanda de atendimento das pessoas surdas. É a garantia de um atendimento mais humanizado e uma melhor comunicação. Foi muito gratificante ver o esforço e desenvolvimento desses servidores durante o curso. Muitos deles serão multiplicadores dentro do órgão em que atua. A comunidade surda será muito beneficiada”, afirma.

“A comunicação é fundamental e poder proporcionar um melhor atendimento a essas pessoas, facilitando o fluxo de trabalho, traz um resultado muito significativo. Os servidores já estão praticando nos seus setores, ampliando a comunicação entre a Prefeitura e o público que precisa desse atendimento. A formação dessa turma é um avanço na política pública e no respeito à pessoa com deficiência. É uma vitória para nós”, declara a diretora-geral UPCD, Risalva Telles.

Importância - “Minha comunicação é toda visual. Saber que tem pessoas preparadas para me atender é muito importante. Isso é uma empatia, é um desenvolvimento comunicacional. A falta disso traz diversos prejuízos para a comunidade surda. A Prefeitura agiu muito bem em criar essa proposta”, declara o assistente administrativo Divanildo Pereira, 50 anos, que é deficiente auditivo.

“Por não saber interpretar os sinais, o atendimento se tornava muito mais demorado. Graças a essa capacitação conseguimos prestar um melhor serviço. Compreendemos o que eles querem falar e também somos compreendidos. Além de poder prestar mais esclarecimentos, os fazemos sentir mais acolhidos”, declara a assistente social da Seman, Cleidiane Araújo.

A capacitação faz parte do planejamento estratégico da Prefeitura. A meta da UPCD é capacitar 150 servidores até 2020 nas mais diversas áreas que atuam com atendimento ao público. Atualmente, mais de 250 servidores estão na fila de espera.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Cinco startups do Uruguai estarão presentes no Hub Salvador, no Comércio, para um intercâmbio na capital baiana a partir desta segunda (1º) e até sexta-feira (5). A intenção é promover a conexão do ecossistema uruguaio com o brasileiro, viabilizando uma interação entre startups, empresas e investidores, a fim de compartilhar experiências e estabelecer possíveis negócios.

O Intercâmbio Connecty foi desenvolvido a partir de uma parceria entre o Hub Salvador e a Agência Nacional de Pesquisa e Inovação (ANII). “Nesse primeiro momento, vamos receber essas empresas e mostrar o potencial de Salvador dentro do segmento e tudo o que podemos oferecer para o desenvolvimento dessas startups. O segundo passo é levar as nossas startups para o Uruguai e poder promover essa internacionalização”, explica o diretor de Parceria Público-Privada da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Gustavo Menezes

Dezesseis empresas se cadastraram para participar do intercâmbio e apenas cinco foram selecionadas por terem um perfil mais compatível com o Brasil. A BenTen Bitoech e Glocosee atuam na área de saúde. A Bidegaray&Asociados oferece serviços de engenharia e consultoria com foco nas áreas de eficiência energética e valorização de resíduos. Já a Rural Inmuebles aposta na tecnologia para alavancar os negócios agropecuários. Por fim, a TeLIoT opera com a solução de softwares para acelerar projetos voltados para a Internet das coisas.

Ao todo, serão 10 pessoas, sendo dois representantes de cada startups, que vão poder trocar experiências e entender como esse ecossistema funciona em Salvador. Na programação está prevista uma verdadeira imersão na comunidade com treinamento jurídico e contábil, visita ao Senai Cimatec e à Prefeitura, além de uma vivência completa com postos de trabalho no primeiro centro de inovação e tecnologia público-privado do Brasil.

O CEO do Hub Salvador, Moacy Veiga, afirma que esse é apenas o primeiro resultado dessa parceria e comemora a ação. “Essa troca de experiência fortalece o Hub como um ambiente que permite a inovação, conexão, empreendedorismo e crescimento de startups da Bahia e de todo o mundo”.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Uma das mais tradicionais instituições de ensino do bairro de São Caetano, a Escola Municipal Francisco Mangabeira, localizada na Avenida Nestor Duarte, ganhará uma nova estrutura – mais ampla e confortável – em 2020. A demolição da antiga estrutura foi autorizada no local nesta quarta-feira (27) pelo prefeito ACM Neto, que também assinou ordem de serviço para reconstrução imediata da unidade de ensino.

A iniciativa faz parte da programação comemorativa do aniversário de 470 anos de Salvador e teve um toque especial com a apresentação do grupo de fanfarra da vizinha Escola Municipal Helena Magalhães, marcando também o Dia Nacional da Fanfarra. Ao lado do secretário municipal da Educação (Smed), Bruno Barral, demais autoridades, comunidade escolar e população, o prefeito ressaltou que o novo imóvel será construído com padrão de excelência.

“Será uma escola moderna, bem equipada, confortável, segura e que não vai deixar a dever a qualquer escola particular de Salvador. Todas as salas de aula serão climatizadas com ar-condicionado e terá até mesmo uma bela novidade: uma quadra para as crianças e para a comunidade, a ser instalada na cobertura da instituição. É uma unidade que vai atender a todas as demandas de matrícula da região”, pontuou o prefeito.

A diretora da instituição, Ana Mônica Lima, relembrou os 14 anos de atuação na Francisco Mangabeira e agradeceu pela reconstrução do imóvel. “É um momento de celebrar a realização desse sonho. Obrigada à Prefeitura pela oportunidade de fazer essa ação aqui e, assim, darmos uma educação de qualidade às crianças”, salientou.

Nova estrutura – A nova escola vai atender a crianças do grupo 5, Ensino Fundamental I e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Com uma área de 1.170,33 m², a unidade terá oito salas de aula, uma sala multiuso, sala de leitura, sala de professores, sala de Atendimento Educacional Especializado, diretoria, secretaria, coordenação, área de recreio, guarita, subestação, depósitos, cozinha, refeitório, elevador, quadra poliesportiva, área para triagem de alimentos, estacionamento e banheiros.

A unidade de ensino é adaptada para pessoas com deficiência, por isso conta com elevador e banheiros apropriados. O investimento foi de aproximadamente R$ 3,5 milhões de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com contrapartida do município.

Reconstruções – Ao todo, 16 unidades escolares estão sendo demolidas e reconstruídas pela Prefeitura, ação que soma investimentos da ordem de R$ 96 milhões. Até o momento, a intervenção é realizada nas escolas de Plataforma, Bom Juá, Fazenda Grande do Retiro, Boa Vista do Lobato, Engenho Velho da Federação, Nova Sussuarana, Pau Miúdo, São Cristóvão, Fazenda Coutos, Calabar, Ribeira, Palestina e Lobato.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Uma ação coletiva e de impacto social inundará as regionais do Centro, Orla, Cidade Baixa, Liberdade, Subúrbio I, Subúrbio II, Cabula, Itapuã, Cajazeiras, Pirajá e São Caetano nesta quinta-feira (28), a partir das 9h. Trata-se da divulgação do programa Agente de Empreendedorismo e o compartilhamento de resultados do Agente da Educação, ambos desenvolvidos pelo Parque Social em parceria com a Prefeitura.

“Serão 90 agentes de empreendedorismo nas ruas. A expectativa é conversar com mais de 1.500 empreendedores ou potenciais empreendedores para que eles saibam que agora podem contar com um programa que irá apoiar o desenvolvimento do seu negócio. E, para aqueles que apenas tem uma ideia, e que não sabem por onde começar, vamos explicar como eles também podem ser beneficiados”, explica a coordenadora do programa Agente de Empreendedorismo, Maiana Brandão.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), em 2015, 42% da população ativa soteropolitana está ocupada na economia informal. “Essas pessoas são exatamente aquelas que tem pouquíssimas oportunidades de se desenvolver por falta de apoio, e o programa vem exatamente para suprir essa lacuna e apresentar novas oportunidades, levando o crescimento socioeconômico para as comunidades participantes”, esclarece Maiana.

O programa Agente de Empreendedorismo está presente em 79 escolas, 10 Prefeituras-Bairro e na sede do SIMM e tem como propósito fomentar o desenvolvimento socioeconômico por meio de estímulo ao empreendedorismo, apoiando os empreendedores no acesso ao crédito e na aquisição de conhecimentos específicos para que possam desempenhar com maior profissionalismo e autonomia.

O programa contará com a capacitação "Aprendendo a Empreender", promovida pelo Parque Social, e com o suporte do Sebrae, que disponibilizará oficinas e palestras para o público beneficiado, que também terá oportunidade de acesso ao Crediamigo do Banco do Nordeste.

Resultados - Já os Agentes da Educação, que atuam nas 424 escolas da rede municipal, participarão da ação coletiva realizando a prospecção de novos parceiros, além da divulgação dos resultados alcançados desde o início do programa. De agosto de 2015 a fevereiro de 2019, foram realizados 165 mil acompanhamentos da vida escolar dos alunos, 77 mil regularizações da frequência, 51 mil atendimentos aos pais/alunos e visitas domiciliares, 3 mil parceiros da comunidade e 15 mil ações de integração escola/família/comunidade.

“O programa vem gerando resultados muito significativos para o cenário da educação municipal de Salvador, que vem crescendo muito em termos de reconhecimento pelos investimentos. Prova disso é que conseguimos superar a meta estabelecida pelo Ideb e o programa Agente da Educação só vem contribuindo nesse sentido, de fazer com que Salvador seja reconhecida como a capital da educação”, destaca a coordenadora do Agente da Educação, Paula Alves.

Com o propósito contribuir de forma efetiva para uma educação transformadora, inclusiva e de qualidade fortalecendo a escola enquanto espaço de aprendizagem e interatividade, o programa Agente da Educação também auxilia na promoção da melhoria do desempenho escolar, na redução do índice de evasão e a valorização da escola como patrimônio da comunidade.

O estagiário cumpre uma carga horária de 30 horas semanais, distribuídas entre o turno matutino e vespertino, e deve ser residente na comunidade onde vai atuar, para o qual recebe, mensalmente, a bolsa auxílio no valor de R$ 928,00 mais transporte. Para ser um agente da educação é preciso ter idade igual ou superior a 18 anos, estar matriculado em instituição de ensino superior do curso de pedagogia – presencial noturno ou à distância –, cursando entre o segundo e sexto semestre.

“ Essa ação casada representa a força da educação e do trabalho como mola propulsora de desenvolvimento”, afirma a presidente de honra do Parque Social, Rosário Magalhães.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) começou a assinar os primeiros contratos com escolas particulares de Salvador que se credenciaram para integrar o projeto Pé na Escola. O programa foi lançado em outubro de 2018 pela Prefeitura com o objetivo de ofertar, inicialmente, 10 mil vagas para crianças em idade pré-escolar (4 e 5 anos), em parceria com instituições privadas de ensino.

A primeira escola particular a assinar o contrato com a rede municipal foi a Sonho de Criança, localizada no bairro de Alto do Peru, e que está disponibilizando, inicialmente, 117 vagas. A gestora da unidade de ensino Tâmara Conceição destacou que a iniciativa trará benefícios para todas as partes envolvidas.

“É um privilégio passar a integrar o Pé na Escola, pois nós das unidades privadas estávamos carentes desse tipo de parceria. Agora, com essa iniciativa da Prefeitura, teremos ocupação de vagas ociosas, o que é interessante para a vida financeira da escola, e ao mesmo tempo famílias do nosso bairro terão essa opção para que seus filhos tenham acesso garantido ao ensino sem pagar por isso. Estamos imensamente felizes com essa parceria”, comemorou.

O secretário municipal da Educação, Bruno Barral, reiterou que a assinatura dos contratos evidencia a capacidade da atual gestão municipal se planejar e avançar na área. “Quando entrei na secretaria, há um ano e meio, o prefeito ACM Neto pediu para que construíssemos esse projeto com vistas à universalização da pré-escola. Assim, chegamos ao Pé na Escola", lembrou.

"Entendo que a assinatura desses contratos marca a história da educação da nossa cidade, uma vez que se trata de uma iniciativa concreta e importante para o desenvolvimento das crianças, com todo o cuidado com a qualidade do ensino”, acrescentou Bruno Barral.

Credenciamento - Até o momento, 28 escolas já foram credenciadas e deverão assinar os contratos nos próximos dias. Outras estão em fase de análise de documentos. No entanto, o edital permanece aberto durante todo o ano. Qualquer escola que tenha interesse em participar da Educação Infantil junto ao município pode se habilitar, desde que atenda as regras estabelecidas no edital, como a apresentação da autorização de funcionamento expedida pelo Conselho Municipal de Educação (CME), idoneidade e regularidade fiscal.

A expectativa é que os alunos já comecem a frequentar essas escolas a partir do inicio de abril. O número de vagas atendidas pelo Pé na Escola será sempre definido antes do início de cada ano letivo e tem o intuito de zerar, inicialmente, toda a fila por demanda de vagas na pré-escola em Salvador em 2019, com prioridade para as famílias beneficiárias do programa municipal Primeiro Passo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Os alunos e professores da Escola Municipal Maria da Conceição Santiago Imbassahy, em Tancredo Neves, passarão o ano letivo em um ambiente mais confortável e adequado ao aprendizado. Isso porque a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Smed), reformou a unidade de ensino, que foi reinaugurada nesta quinta-feira (21) pelo vice-prefeito Bruno Reis, na companhia do secretário de Educação, Bruno Barral.

Em conversa com as crianças, Bruno Reis destacou a importância dos estudos para a realização dos sonhos, especialmente na vida adulta. “É a educação que nos dá independência, assim como o conhecimento necessário para enfrentarmos as dificuldades e lutarmos pela conquista dos nossos sonhos”, assinalou. Ele ainda elogiou o trabalho da equipe da rede pública de ensino da capital baiana.

De acordo com o vice-prefeito, a administração municipal investiu R$ 362 mil para reformar a Escola Maria da Conceição Santiago Imbassahy, que recebeu serviços de pintura, impermeabilização de lajes e instalação de forros e telhados. “Agora, vocês estudam em uma escola que não deve nada a qualquer colégio particular de Salvador”, afirmou.

Renovação - O vice-prefeito também garantiu a manutenção do serviço especializado para estudantes com deficiência da rede municipal de ensino. Acompanhado do secretário de Educação, Bruno Reis assinou o documento de renovação do termo de fomento ao Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC), em solenidade na sede da instituição, no Alto de Ondina, na manhã desta quinta-feira.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A educação como peça-chave para a compreensão e gestão da diversidade, os desafios para as empresas globais e os negócios que decorrem da diversidade e da inclusão foram alguns dos temas discutidos durante o 11º Fórum Internacional RedEAmérica, realizado na manhã desta quinta-feira (21), no Wish Hotel da Bahia, no Campo Grande. Promovido pela segunda vez no Brasil e com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), o fórum reuniu cerca de 200 participantes de 14 países que, juntos, trabalharam o diálogo e empatia como ferramentas para a inclusão.

O encontro teve como tema central “A importância da diversidade na construção do desenvolvimento sustentável” e trouxe diversos investidores sociais da América Latina. A intenção foi de estimular a reflexão sobre as oportunidades e desafios que a diversidade representa para que as empresas e fundações construam o desenvolvimento sustentável. O evento também é apoiado pela Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF), pelo Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social (Ciags/Ufba) e pela Federação de Indústrias do Estado da Bahia (Fieb).

“Receber um encontro como esse, que reúne pessoas de diversos países, é de grande importância. Isso porque, além de ajudar a discutir esses temas que contribuem para a cidade, é uma oportunidade de apresentar Salvador para as pessoas de fora, mostrando o trabalho que vem sendo desenvolvido e que resultam na evolução e recuperação de nossa terra”, afirmou o secretário da Secis, André Fraga.

Necessidade de avanços – A diretora executiva da RedEAmérica, Margareth Flórez, ressaltou que a América Latina é a região mais desigual do mundo, sendo o Brasil o segundo na região e o nono em nível mundial. “A diversidade está associada à desigualdade. O nosso intuito é buscar soluções para reverter esse processo e converter a diversidade em uma alavanca de desenvolvimento sustentável. Precisamos avançar rumo à plena garantia dos direitos das minorias e incluí-las nas estratégias de desenvolvimento”, declarou.

Professora da Escola de Administração da Ufba e coordenadora do Ciags, Tânia Fischer reforçou a necessidade de aproveitar a troca de experiências. “Esse é um momento totalmente oportuno para diálogo entre países, coletivos, instituições, associativas e empresariais que caminham com um mesmo objetivo. A nossa sustentabilidade social depende de uma convergência mínima sob aquilo que queremos integrar. É uma oportunidade de desenvolvermos novas formas de pensar e agir diante dessa realidade”, completou.

Para a representante do Nodo Brasileiro da RedEAmérica, Cecília Galvani, a cultura é um elemento social fundamental. “A diversidade cultural representa uma fonte inesgotável de novos sentidos, permitindo a inovação, criação e evolução. Quanto mais fortalecido, maior será o protagonismo. A segregação gera o estranhamento e o não reconhecimento do outro. Precisamos promover o fortalecimento de vínculos, descontruindo narrativas dominantes. Precisamos aprender a sentir, aceitar, tolerar e incluir.”

Responsabilidade - O Fórum adotou a prática do Carbono Zero, ou seja, foi neutralizada a emissão de gás carbônico de todas as fases envolvidas, desde as atividades de preparação (transporte de palestrantes e participantes), durante a realização (energia elétrica e alimentação), bem como após o evento. Como parte da programação a Secis, na última terça-feira (19) realizou um plantio de 15 mudas de ipês amarelos, roxos e rosas, árvores nativas da Mata Atlântica, na Escola Municipal Anita Barbuda, em Santa Cruz, atrás do Parque da Cidade. Após o evento, outras 685 mudas serão plantadas na cidade.

Trajetória – Criada em 2002, a RedEAmérica congrega 80 empresas e fundações de origem empresarial de 14 países da América Latina e Caribe. A instituição atua na cocriação de conhecimento e articulação de práticas com o propósito de qualificar e expandir as ações empresariais para a promoção de comunidades sustentáveis na América Latina. No Brasil, o bloco é composto por organizações que são referência, como a Fundação Alphaville, Fundação Otacílio Coser, Instituto Arcor Brasil, Instituto BRF, Instituto Camargo Corrêa, Instituto LafargeHolcim, Instituto InterCement, Instituto Lina Galvani, Instituto Votorantim e Natura Cosméticos.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Foi realizada nesta quarta-feira (20) mais uma avaliação do programa Salvador Avalia (Prosa), voltada aos alunos do Ensino Fundamental, com o objetivo de aferir o conhecimento, realizar um diagnóstico do aprendizado e colher subsídios para o aprimoramento do ensino. Ao todo, 48.026 estudantes do 2º, 3º, 5º e 9º ano fizeram uma prova de Língua Portuguesa e outra de Matemática.

Cada prova trouxe 21 questões, nos mesmos moldes da Prova Brasil, cujas médias de desempenho são utilizadas, juntamente com a taxa de aprovação, para obtenção do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Os resultados do Prosa vão servir como base para o planejamento de políticas públicas municipais, no sentido de avaliar as dificuldades do processo de ensino/aprendizagem e investir em ações para saná-las.

Além desta quarta (20), as provas também serão aplicadas em outubro deste ano. A diretora pedagógica da Secretaria Municipal da Educação (Smed), Joelice Braga, explica a importância da avaliação, criada pela Secretaria em 2013.

“Neste momento de entrada, a prova nos mostra como os alunos estão começando o ano letivo e, ao trazer essa avaliação para o segundo e terceiro ano, evidenciamos a nossa preocupação com o nível de alfabetização dessas crianças. A partir dessa prova, temos um diagnóstico e podemos traçar as estratégias necessárias para a intervenção ao longo do ano e com a avaliação no final do ano, podemos ter a certeza do crescimento e do avanço da aprendizagem”, detalha.

As avaliações do 2º e do 3º ano têm objetivo de conhecer o nível de alfabetização dos alunos. A aplicação das provas no 5º ano permite saber como os alunos estão fechando os anos iniciais do Ensino Fundamental. No 9º ano, é possível ter uma noção de como os alunos estão saindo do Fundamental para ingressar no Ensino Médio. Para os alunos do 5º e do 9º ano, a avaliação serve como um preparo para a Prova Brasil, que será realizada no segundo semestre deste ano.

Depois da aplicação das provas, apuração e análise dos resultados, há a devolutiva aos professores, coordenadores pedagógicos das escolas e das regionais, bem como a realização de oficinas de aprimoramento. “A rede municipal vem crescendo muito no que diz respeito a instituição dessa cultura de avaliação, não apenas da perspectiva de verificar um resultado mas, ao conhecer uma realidade, intervir e melhorar os resultados tendo uma produtividade maior e cuidando do nosso fluxo escolar”, explica Joelice Braga.

Avanços – As ações da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Smed), têm refletido no constante crescimento do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A rede municipal superou a meta do Ideb de 2021 estabelecida pelo MEC para o Ensino Fundamental, nos anos iniciais (do 1º ao 5º ano), saltando de 4.7 em 2015 para 5.3 em 2017. A nota é superior aos 5.1 previstos para 2021. Se for comparado aos anos de 2011 e 2013, quando o resultado era de 4.0 em ambos, houve um aumento de 32,5%.

Nos anos finais (6º ao 9º ano), Salvador foi a capital que mais cresceu, saltando da posição de número 24 para 18 no ranking das capitais. Ou seja, a cidade subiu seis posições, com um crescimento de 3.4 (em 2015) para 3.9 em 2017. Com isso, Salvador foi também a capital do país que mais avançou nos anos finais do ensino fundamental.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...