Educação

0
0
0
s2sdefault

Onze alunos de nove escolas da rede municipal de Salvador foram finalistas do projeto "Era uma vez... Brasil" e irão, em novembro, para um intercâmbio cultural de dez dias em Portugal. Além dos alunos de Salvador, quatro estudantes de escolas municipais de Mata de São João também foram selecionados.

Realizado pela Origem Produções em parceria com as prefeituras de Salvador e Mata de São João, o projeto está na quinta edição e coloca em pauta a influência dos indígenas, europeus e africanos na formação do povo brasileiro.

O professor de História Raul Coelho Barreto Neto, da Escola Municipal Alfredo Amorim, localizada na Ribeira, também foi premiado por sua atuação e acompanhará os alunos na viagem às terras lusitanas.

O anúncio foi recebido com alegria e emoção. "É a concretização de um sonho, que não é só viajar para Portugal, mas viajar levando alguns dos nossos alunos. Proporcionar a eles uma experiência como essas é algo maravilhoso", diz o professor, que atua no projeto há quatro anos.

"Foi uma caminhada árdua e trabalhosa, mas divertida e que traz grandes ganhos em conhecimento e aprendizado", conta. Dentre os orientandos do professor Raul, foram selecionados para o intercâmbio as alunas Beatriz Souza Aranha da Silva e Raquel Santana da Cruz.

O aluno Matheus Santos da Silva, da Escola Municipal Olga Figueiredo de Azevedo (Matatu), ficou exultante com a conquista. "Eu nem estou acreditando. Mas trabalhei muito para isso. Quero agradecer o apoio da minha mãe e do meu pai, também da minha professora Gabriela", diz.

Surpresa - Para Kailane Victoria Silva Santos, da Escola Municipal Amélia Rodrigues (Tororó), foi uma surpresa. "Eu nem acreditei quando falaram meu nome. Eu fiquei muito feliz. Meu irmão já foi finalista nesse projeto em 2017, eu me inspirei nele, dei o meu melhor e consegui", afirma. A expectativa é aproveitar bastante a viagem para conhecer lugares históricos e culturais.

Os outros estudantes de Salvador que participarão do intercâmbio são Cailane Menezes dos Santos, da Escola Municipal Manoel Henrique da Silva Barradas (Ilha Amarela); Kauã Gabriel Oliveira de Jesus, da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes (São Cristóvão); Willian Cunha Mascarenhas, da Escola Municipal Cidade de Jequié (Federação); Tainan da Conceição Oliveira, da Escola Municipal 2 de Julho (Trobogy); e Luis Fernando Silva Santos, da Escola Municipal Teodoro Sampaio (Santa Cruz).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Pé na Escola, um programa pioneiro no Brasil criado em 2018 para ampliar a oferta de vagas no ensino infantil através de parceria com instituições privadas, tornou-se o case nacional “Parceria Público-Privada na educação: o exemplo de Salvador”. Produzido pela Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), o estudo está publicado em e-book no site da entidade, contendo “a metodologia e as boas práticas da experiência de Salvador, com a proposta de inspirar e estimular outras localidades a adotarem ideias similares”.  

O e-book contém também depoimentos de gestores das escolas parceiras e de mães de crianças beneficiadas pelo programa. “Pretende-se, com esta publicação, inspirar para transformar. E, para isso, vamos à Bahia. É lá que acontece o programa Pé na Escola, ação da Prefeitura de Salvador, realizada por meio da Secretaria Municipal da Educação (Smed). A iniciativa se destaca por cumprir um importante papel na sociedade baiana: o de fomentar a educação de qualidade para populações mais carentes e vulneráveis, a partir de um grande feito. De um lado, ampliando o acesso de crianças de até 5 anos à escola e, por outro, preenchendo vagas ociosas em escolas particulares”, destaca o documento. 

Para o secretário municipal da Educação, Bruno Barral, a publicação é o reconhecimento do pioneirismo de Salvador e da eficiência do programa Pé na Escola. “Esse projeto, associado a outras iniciativas, tem colocado nossa cidade numa posição de destaque em relação à universalização da pré-escola. É uma conquista que dá muito orgulho, porque nossas crianças estão matriculadas, estudando, alimentando-se com qualidade nas escolas”, afirma Barral. 

Dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que Salvador é a terceira capital brasileira com maior taxa de escolarização da pré-escola, alcançando 98,4%. Assim, o município está à frente de cidades maiores, como São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo Barral, que está completando dois anos à frente da gestão da Smed, esse avanço é resultado da soma de vários fatores, como políticas e programas voltados à educação, entre eles o Pé na Escola, o aumento substancial do investimento e a gestão mais eficiente e de resultados. 

"Todas essas ações, aliadas a um amplo aperfeiçoamento pedagógico do ensino, têm levado Salvador a ser a capital que mais avança na educação, seja na ampliação de oferta de vagas, seja nos indicadores da qualidade do aprendizado, a exemplo do Ideb", afirma o secretário.  

Bruno Barral explica que, através do Pé na Escola, mais de 3.000 crianças já estão matriculadas e estudando em escolas particulares do município, sem nenhum custo para as famílias. "Com esse programa, a Prefeitura compra vagas nas escolas privadas em localidades onde não há vagas na rede pública municipal. E as crianças estudam na escola credenciada nas mesmas condições de estudantes particulares". 

Atualmente o programa Pé na Escola está em fase de busca ativa das crianças e efetivação de matrículas nas 42 escolas parceiras credenciadas, que ofertam mais de 4.500 vagas. "A Prefeitura não apenas oferece a vaga como vai atrás das crianças para que elas sejam matriculadas. É isso que fazemos na busca ativa, ligamos para as famílias com crianças na idade de pré-escola atendidas por programas sociais ou que estejam em lista de espera e oferecemos a vaga. Também fazemos esse trabalho nos bairros, através de reuniões promovidas pelas Gerências Regionais de Educação (GREs)", diz o secretário. 

De acordo com ele, as escolas conveniadas têm que atender requisitos previstos no edital de credenciamento que permanece aberto o ano todo. Dentre as regras, estão a apresentação da autorização de funcionamento expedida pelo Conselho Municipal de Educação (CME), idoneidade e regularidade fiscal.  

"Entendo que esse programa marca a história da educação da nossa cidade, uma vez que se trata de uma iniciativa concreta e importante para o desenvolvimento das crianças, com todo o cuidado com a qualidade do ensino”, diz Bruno Barral. "Salvador, cada dia mais, desenvolve um grande know how em educação, que, com certeza, pode inspirar outras cidades e capitais na busca de um ensino público de qualidade”, conclui.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Termina em 8 de outubro o prazo para o cadastro da Educação Infantil que as famílias de crianças fora da escola devem fazer junto à Secretaria Municipal da Educação (Smed) com objetivo de pleitear vaga para o ano letivo de 2020. Podem ser cadastradas crianças de dois a cinco anos nascidas de 01/04/2014 a 31/03/2018. Alunos matriculados em unidades escolares municipais não precisam realizar o cadastro. 

Neste ano, a Smed inovou com o cadastro eletrônico, proporcionando agilidade em todo o processo que antes era feito apenas presencialmente. "Esse é mais um avanço que construímos na rede municipal de Salvador. O cadastramento pela internet é uma forma de facilitar a vida dos pais ou responsáveis, dando mais agilidade ao processo", afirma o titular da Smed, Bruno Barral. 

Ele explica que o cadastro eletrônico também tem o objetivo de nortear o estudo de demanda e de oferta das escolas da rede municipal, da rede privada conveniada e credenciada com o município. Com isso, é possível criar um panorama mais seguro para construção ou locação de imóvel para ampliação de vagas da Educação Infantil. 

Para efetuar o cadastro, o responsável pela criança deverá entrar no site www. educacaoinfantil. salvador. ba. gov. br e seguir o passo-a-passo. A inscrição também pode ser feita presencialmente em qualquer unidade escolar da rede municipal ou nas Prefeituras-Bairro. É necessário o CPF do responsável e a certidão de nascimento da criança, que deverá residir em Salvador ou ilhas de Maré, de Bom Jesus e dos Frades. Durante o período de cadastro, os pais ou responsáveis poderão alterar as informações prestadas, caso necessário. 

Nos casos de prioridade, que são o público alvo da educação especial (pessoa com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e com altas habilidades) e crianças beneficiárias do programa Bolsa Família ou que recebem Benefício de Prestação Continuada (BPC), os documentos comprobatórios de prioridade deverão ser entregues em alguma escola da rede municipal. 

Distribuição eletrônica - A Smed realizará em 29 de novembro a distribuição eletrônica das vagas para o ano letivo de 2020. As crianças contempladas terão os nomes publicados no site da instituição na mesma data. A confirmação da matrícula deverá ser efetuada entre o período de 02 a 06/12/2019 na escola de contemplação. 

Dúvidas sobre a utilização do sistema podem ser esclarecidas através do Fala Salvador (156) ou em um posto de atendimento presencial.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Parceria entre a Prefeitura e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-BA) vai ofertar cursos de capacitação profissional para 1,4 mil estudantes da Educação de Jovens e Adultos II (EJA II) da rede municipal de ensino. Os alunos serão distribuídos em 47 turmas de 24 escolas da rede municipal e as aulas terão início a partir desta segunda-feira (9), dentro das próprias unidades escolares, dispensando o deslocamento dos participantes.

As oportunidades de qualificação para as funções de Operador de Supermercado, Assistente Administrativo, Assistente de Recursos Humanos, Promotor de Vendas, Recepcionista e Assistente de Logística são voltadas aos alunos com 15 anos ou mais. A iniciativa é uma parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Educação (Smed), e o Senac. O investimento neste projeto de capacitação profissional é de R$ 1,235 milhão.

As aulas serão ministradas por profissionais do Senac. O projeto contempla a distribuição de materiais didáticos necessários para participação no curso, bem como a merenda escolar. A carga horária total é de 160 horas, sendo 12 horas semanais de aula, distribuídas em quatro horas no turno regular e oito no contraturno. As atividades serão concluídas em 20 de dezembro. A intenção é de que, após o curso, os estudantes estejam preparados para o mercado de trabalho.

Neste ano, os beneficiados estudam nas escolas Enresto de Morão Sá. (Paripe), Comunitária da Histarte (Brotas), Palestina (Palestina), Manoel Henrique Barradas (Ilha Amarela), Maria Constança (Mata Escura), Nova Sussuarana (Sussuarana), Professor Antônio Carvalho Guedes (Capelinha), Professor Cláudio Veiga (São Cristóvão), Professor Manoel de Almeida Cruz (Cajazeiras XI), Professora Marai José de Paula Moreira (Ribeira), Alfredo Amorim (Ribeira)), Brigadeiro Eduardo Gomes (São Cristóvão), Cleriston Andrade (São Marcos), Arlete Magalhães (Castelo Branco), Fazenda Coutos (Fazenda Coutos), Ilha de Maré (Praia Grande), Hilberto Silva (Calçada), Jardim das Margaridas (Jardim das Margaridas), Jorge Amado (Itapuã), Padre Norberto (Alto do Cabrito), Professor Alexandre Leal da Costa (Nazaré), Santa Rita (Santa Teresa), Sebastião Dias (Daniel Lisboa) e Professor José Arapiraca (Boca do Rio).

Mais oportunidades - Em 2020, a iniciativa terá um número maior de beneficiados: 1.712 vagas, além de mais um curso a ser acrescentado à lista, o de Almoxarife. O certificado será concedido para quem tiver, no mínimo, 75% de frequência no curso. O termo de cooperação para implantação do projeto foi assinado pelo prefeito ACM Neto e pelo presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA), Carlos de Souza Andrade, no final de agosto, em cerimônia realizada na Casa do Comércio.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A comunidade de Cassange ganhou um novo estímulo para adotar um estilo de vida mais saudável e praticar esportes, com a revitalização da quadra da Escola Municipal Raymundo Lemos de Santana. Inaugurado pelo vice-prefeito Bruno Reis nesta quarta-feira (4), o equipamento servirá tanto aos alunos da unidade de ensino quanto aos demais jovens da região, que poderão utilizar o espaço para jogar futebol, vôlei, basquete ou handebol.

Acompanhado do secretário de Educação, Bruno Barral, o vice-prefeito disse que a escola também recebeu outras intervenções, como a implantação da cobertura da quadra e serviços de pintura, pavimentação e paisagismo. Com investimento de R$ 500 mil, a Prefeitura ainda fez melhorias na iluminação e instalou novos equipamentos para a recreação infantil. “Não há como falar em educação de qualidade sem oferecer uma boa infraestrutura para os jovens nas escolas”, afirmou Bruno Reis.

No evento, o secretário Bruno Barral falou sobre os resultados conquistados pela atual gestão na área educacional. “Nossos projetos fizeram de Salvador a capital que mais avançou no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em 2017, assim como na ampliação do número de vagas na Educação Infantil. Estamos todas as semanas visitando de 10 a 15 unidades de ensino, para fazer ainda mais pela nossa população e pela nossa comunidade escolar”, assinalou Barral.

Sete Tons de Verde – A solenidade também marcou o lançamento do programa Sete Tons de Verde, coordenado pela Secretaria de Educação (Smed). A iniciativa pretende divulgar conhecimentos técnicos e promover hábitos sustentáveis, por meio de oficinas e vivências na área de educação ambiental, integrando estratégias e diversos instrumentos de aprendizagem. A ideia é possibilitar uma mudança cultural na comunidade, através da conscientização de alunos e funcionários das escolas da rede municipal.

Prefeitura-Bairro Itinerante – Na Escola Municipal Raymundo Lemos de Santana, a gestão municipal também realizou mais uma edição do programa Prefeitura-Bairro Itinerante. Na unidade educacional, os moradores da região de Cassange puderam se cadastrar em programas sociais, como Bolsa Família, Primeiro Passo e Minha Casa, Minha Vida, além de receber a orientação de órgãos municipais. A iniciativa contabilizou quase mil atendimentos, incluindo serviços médicos, nutricionais e de saúde bucal.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura abriu, nesta quarta-feira (28), as inscrições para o Prêmio Capoeira Viva nas Escolas, que tem como intuito promover a salvaguarda e o incentivo à prática artística-esportiva-cultural na rede municipal de ensino de Salvador. Fruto de parceria entre a Fundação Gregório de Mattos (FGM) e a Secretaria Municipal de Educação (Smed), o edital receberá propostas até o dia 11 de outubro deste ano, através do site www. capoeiravivanasescolas. salvador. ba. gov. br .

As propostas devem ser voltadas ao ensino da Capoeira, de acordo à legislação vigente e às diretrizes da política cultural e de educação do município; ao Plano de Salvaguarda do Ofício de Mestre e da Roda de Capoeira na Bahia; à Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais; e à Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, aprovadas pela Unesco e ratificadas pelo governo brasileiro.

Serão selecionadas dez propostas, uma por Gerência Regional de Educação (GRE) em cada território de Salvador, através de um financiamento no valor de R$ 40 mil por projeto. Elas devem ser executadas entre os meses de fevereiro e julho de 2020. As dúvidas sobre o processo podem ser encaminhadas para o e-mail capoeiravivanasescolas@ salvador. ba. gov. br .

Perfil – As propostas devem ser apresentadas por mestres, contramestres, professores e instrutores de Capoeira. Eles devem estar representados como Micro Empreendedores Individuais (MEI), certificados para atividades na área da Cultura e atuantes no segmento da Capoeira, ou como instituições de Direito Privado, sem fins lucrativos e com finalidade cultural declarada em Estatuto Social, dentre outras exigências previstas no edital.

Legislação – Além de dar continuidade à política de Salvaguarda da Capoeira, conforme a Lei 8.550/2014 – Normas de Proteção e Estímulo do Patrimônio Cultural do Município de Salvador, o Prêmio Capoeira Viva nas Escolas visa também investir no trabalho com a cultura da capoeira nas escolas públicas municipais de Salvador.

A medida pretende incentivar a difusão e transmissão da capoeira como expressão cultural mundialmente conhecida entre as crianças e os adolescentes, como prevê a Lei 9.072/2016 – que reconhece a capoeira como expressão cultural e esportiva, de caráter educacional e formativo, e permite o estabelecimento de parcerias para o ensino nos estabelecimentos educacionais municipais, públicos ou privados.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Os aprovados no Processo Seletivo para Estágio de Nível Superior que atuarão no programa Agente da Educação têm até esta quarta-feira (28) para comparecer à Secretaria Municipal da Educação (Smed), localizada na Avenida Anita Garibaldi, 2981. A convocação para contratação foi publicada no Diário Oficial de sexta-feira (23) e teve início na segunda-feira (26).

O candidato deve comparecer na data e horário determinados no edital, portando documento de identificação com foto; CPF; comprovante de residência com CEP, emitido no máximo há três meses; comprovante de matrícula do semestre em curso, assinado e carimbado pela instituição de ensino superior; histórico escolar atualizado, constando o total da carga horária exigida para conclusão do curso e o total da carga horária já cursada ou declaração da instituição com esse mesmo objetivo.

Neste primeiro momento, são oferecidas 161 vagas, mas será mantido um cadastro de reserva. Com essas contratações, o programa Agente da Educação - uma parceria da Prefeitura com o Parque Social - passará a contar com 398 agentes. Criado em 2015, o programa tem como objetivo contribuir para a redução do abandono escolar através do fortalecimento do vínculo entre unidade de ensino, família e comunidade. Em parceria com os gestores, com a equipe pedagógica e com os demais integrantes da escola, o Agente da Educação realiza uma série de atividades focadas nos alunos, na aproximação das famílias na rotina estudantil e no engajamento da comunidade através de parcerias.

Resultados - Dados do Parque Social mostram que a adoção do programa Agente da Educação tem transformado o ambiente escolar e beneficiado alunos, profissionais, familiares e toda a comunidade envolvida no processo educativo. De setembro de 2015 a dezembro de 2018, o Parque Social registrou 135.635 casos de infrequência nas escolas atendidas pelo programa, dos quais 67.723 foram regularizados (49,93% dos casos). No mesmo período, foram registrados 13.693 abandonos, entre os quais 4.622 foram regularizados e 6.995 evadidos com 1.451 regularizações.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

As manifestações culturais brasileiras e nordestinas como o samba de roda, frevo, forró, bumba meu boi, capoeira e carnaval foram os temas da Mostra de Cultura realizada na manhã desta terça-feira (27), na Escola Municipal Martagão Gesteira, no Engenho Velho de Brotas. Com a participação dos alunos das turmas do 1° ao 5° ano e do Acelera e Se Liga, a atividade promovida em alusão ao Mês do Folclore teve o intuito de dinamizar o processo de ensino e aprendizagem, construir conhecimentos sobre a cultura popular brasileira, provocar a reflexão acerca das diferentes culturas e contribuir para o combate de evasão escolar.

“Essa atividade é resultado de um trabalho que é feito durante todo o ano letivo. É uma forma de apresentar a cultura da Bahia e do Brasil para os alunos. A rua é muito atrativa e trabalhamos para tornar as aulas mais atrativas para que os alunos se encantem e tenham cada vez mais vontade de frequentar a escola”, afirmou a diretora da instituição, Judith Carolina.

A preparação para mostra contou não só com a participação da direção, professores e alunos, como também familiares dos estudantes. “Nosso intuito é proporcionar uma atividade mais dinâmica para que os alunos criem mais gosto em frequentar as aulas. Estamos o tempo todo pensando em formas de como tornar o aprendizado mais atrativo e essa mostra é uma das formas que encontramos. Tivemos o apoio dos familiares, que foi algo sensacional e ajuda a aproximar cada vez mais a família da instituição”, reforçou o coordenador Amarildo Calabrez.

Para a professora de Artes, Maria Luiza Cirne, a atividade é um trabalho de resgate cultural. “É uma forma de mostrar e conscientizar os alunos de que temos muitas riquezas culturais que são nossas, do nosso país e estado. Alguns já conhecem, mas não valorizam. São culturas que estão próximas da gente e é de grande importância, enquanto cidadãos em formação, ter essa consciência”, declarou.

Conhecimento – Enquanto se preparava para apresentação do bumba meu boi, Isabella Santos, 9 anos, aluna do 4°ano B, falou da experiência em participar da mostra. "Ter atividades como essa é muito legal porque a gente se interessa em conhecer mais as histórias de Salvador e do Brasil e pode passar o que aprendemos para outras pessoas. É muito divertido. Espero que tenha mais vezes", disse.

Responsável por representar o bumba meu boi, o aluno do 4° ano - B, Caio de Jesus, demonstrou empolgação com a apresentação. “É um personagem que sempre gostei. Foi muito legal porque eu pude reviver e conhecer mais sobre algumas histórias que eu ouvia quando era pequeno. É bom ter aulas assim porque a gente aprende e se diverte ao mesmo tempo”, pontuou.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Cerca de 500 pessoas participaram da Feira Regional Cultural, que aconteceu nesta sexta-feira (23), na Escola Municipal Pedro Veloso Gordilho, localizada na avenida Aliomar Baleeiro, no bairro de São Cristóvão. "Um só mundo, diferentes culturas", esse foi o tema escolhido, com a proposta de explorar as diferentes culturas existentes no estado da Bahia.

Participaram do evento alunos do 1° ao 5° ano e a comunidade. O objetivo foi mostrar a diversidade cultural dentro do contexto escolar, trazendo o recorte forte da cultura e da historicidade do povo baiano. A ação teve o apoio do Programa de Saúde nas Escolas (PSE), dos agentes de empreendedorismo do Parque Social, agentes da educação e representantes da empresa Mary Kay.

Gestora da escola há 10 anos, Zuleide Borges diz que a unidade de ensino cresceu muito devido a todo trabalho articulado em conjunto com a comunidade, pais e alunos. "Hoje temos o segundo maior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) da rede municipal de Salvador. Isso se dá por conta de um trabalho articulado e que conta com a participação do cidadão consciente dos seus deveres e direitos", avaliou.

Cada turma trabalhou com uma região do estado. Nas salas foram feitas exposições de maquetes, pinturas, quadros, entres outros. Foram apresentados aspectos das diferentes regiões direcionados à cultura, riquezas, questões sociais e pontos turísticos da cidade de Salvador, Praia do Forte, Recôncavo, Baixo Sul e centro-oeste.

"Para o estudante não é uma novidade, porque não é um momento, ele faz parte do processo de aprendizagem e de construção do conhecimento. Eles entendem que estão aprendendo e que a feira é o fruto dessa construção. Isso surge como um processo natural", afirma a coordenadora da escola, Elizabete Menezes, de 52 anos.

Para a ocasião, toda a escola foi ornamentada com as características de cada região representada. Exposições, bazar, brincadeiras, sorteios, entre outros corroboraram para o clima de animação que emanava de toda a escola. Lampião e Maria bonita foram protagonistas no estudo da região do sertão. Nos stands, os alunos explicavam todo o processo de construção e a história da região que representavam.

De acordo com a coordenadora, toda a escola se envolveu no processo de desenvolvimento da feira, desde gestores e professores até a comunidade do entorno. "Por se tratar de um projeto pedagógico, ele é interdisciplinar e pode envolver todos os professores regentes responsáveis pelas salas e toda a comunidade escolar se envolveu trazendo os pais para escola e para o movimento de pesquisa".

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...