Releases

0
0
0
s2sdefault

Mais um espaço dedicado ao atendimento de mulheres que enfrentam situação de violência foi entregue hoje pela Prefeitura, dentro das comemorações pelo aniversário de 469 anos de Salvador. Trata-se do Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce, localizado na Rua Lélis Piedade, na Ribeira, e inaugurado na tarde desta quarta-feira (4) pelo prefeito ACM Neto e pela titular da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Taissa Gama. A iniciativa também faz parte das ações do programa Mulher 360. O foco da unidade é o acolhimento, orientação, encaminhamento jurídico, atendimento psicológico e social à população feminina.

"Esse evento hoje é uma das ações integrantes do Mulher 360 e do planejamento estratégico da nossa Prefeitura, que tem dado prioridade ao atendimento às mulheres. Quando assumi a Prefeitura, acontecia o inverso. O Centro de Referência Loreta Valadares, por exemplo, estava abandonado. Nós requalificamos o equipamento e demos condições muito melhores para que o público feminino fosse atendido. E hoje estamos inaugurando um segundo centro, que vai englobar toda essa área da Cidade Baixa e do Subúrbio", discursou ACM Neto.  

Taissa Gama lembrou que a região do Subúrbio é aquela que mais apresenta registros de violência contra as mulheres. "Por isso esse centro era tão importante dentro dessa política da Prefeitura de criar uma rede de proteção e amparo psicossocial, inclusive para aquelas que são mães. Hoje Salvador é referência nesse tipo de atendimento em todo o país. E, por isso, as mulheres estão cada vez mais procurando a Prefeitura em busca de auxílio", declarou.  

Funcionamento - O novo centro é um espaço não sigiloso que pode acolher mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, como também aquelas egressas do tráfico de pessoas que não estejam em risco iminente de morte, acompanhadas ou não de filhos de 0 a 12 anos. O abrigo provisório deve garantir a integridade física e emocional dessas mulheres, bem como realizar diagnóstico da situação em que elas se encontram, a fim de encaminhamentos futuros.  

O imóvel possui 450 m² de área construída e conta com recepção, quatro salas de atendimento, quatro sanitários, três quartos, brinquedoteca, biblioteca, sala para grupo terapêutico, sala de TV, copa, cozinha, área de serviço, administrativo, dois almoxarifados, salão para oficinas, espaço para ginástica, parque infantil e horta. Serão ofertados no espaço serviços vinculados às atividades de Centro de Referência Loreta Valadares, que têm como objetivo atender à mulher em situação de violência doméstica, familiar e de gênero, sem discriminação, com trabalho orientado sob o princípio da escuta qualificada, além de acolhimento provisório de curta duração, de até 15 dias.  

A capacidade é de receber 200 mulheres por mês para os atendimentos do centro e 36 pessoas no acolhimento provisório de curta duração. Além disso, o Centro Irmã Dulce vai oferecer, a exemplo do Loreta Valadares, atendimento multidisciplinar com equipe de 25 profissionais envolvidos, entre psicólogas, assistentes sociais, psicopedagoga, advogada, recepcionista, supervisoras, coordenadora, serviços gerais, motorista, plantonistas, copeira e guardas civis. 

Loreta Valadares - No quesito de enfrentamento a violência contra a mulher, Salvador também dispõe de outro espaço voltado ao público feminino: o Centro de Referência Loreta Valadares, situado nos Barris. O espaço recebe mulheres por demanda espontânea, ou seja, qualquer vítima pode ter acesso aos serviços disponibilizados através do espaço comparecendo apenas no local. 

O Loreta Valadares oferece orientação jurídica e psicológica ao público feminino, além de apoio pedagógico para os filhos das vítimas com idade até 12 anos, enquanto as mães realizam atendimento no centro. Há ainda uma série de atividades, palestras e cursos que promovem a elevação da autoestima e o empoderamento feminino. São ofertadas, por exemplo, aulas de biodança e yoga.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

De janeiro a março deste ano, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) fiscalizou 2.460 estabelecimentos em Salvador, resultando na apreensão de 3.144 peças publicitárias – a maioria é de placas de publicidade, mas também há faixas, banners e cavaletes. A fiscalização é realizada diariamente, inclusive em horários extraordinários, por conta da necessidade de remoção dos artefatos irregulares.

Tamanho incompatível, informações inadequadas, poluição visual e inconformidades com as regras do município. Juntos ou isolados, os itens citados podem ser o início de uma dor de cabeça para proprietários de estabelecimentos comerciais ou gestores de instituições, caso exibam nas fachadas de seus prédios publicidade que destoe das regras vigentes. 

A exibição de publicidade na capital baiana é regulamentada pelo decreto 29.318/2017, que visa preservar valores estéticos, paisagísticos e culturais, assegurar a compatibilidade entre os interesses individuais e os da coletividade, garantir condições de segurança e conforto de pedestres, veículos e edificações. 

Operações – As ações podem ser programadas por meio de mutirões realizados nas áreas de maior concentração comercial. Também são realizadas através de investidas eventuais ou provocadas por meio de denúncia do cidadão, que pode ser feita em qualquer uma das dez Prefeituras-Bairro ou por meio do Fala Salvador 156, sempre de forma gratuita.

O principal objetivo é orientar os estabelecimentos por meio de notificação, oferecendo prazo para regularização da publicidade ou remoção. Terminado esse prazo, o estabelecimento é autuado e a remoção é feita pela própria Sedur. Em caso de publicidade exibida em área pública ou em locais proibidos, a remoção poderá ser imediata.

Alvos – São fiscalizadas pela Sedur publicidades de quatro tipos. A Identificadora é quando identifica o nome do estabelecimento ou é referente ao mercado publicitário, a exemplo dos outdoors. A Extraordinária envolve os letreiros audiovisuais ou aqueles expostos em embarcações. A Provisória utiliza-se de balões, galhardetes e banners. E, por fim, as Dispensadas de licenciamento, como avisos de "aluga-se" e "vende-se", desde que obedeçam as dimensões estipuladas no decreto 29.318/2017. Tanto o licenciamento como o cancelamento de publicidades identificadoras e provisórias podem ser feitos pela internet, no site da Sedur. 

Além de observar as dimensões regulamentadas, a Sedur considera determinadas proibições para exibição de publicidade. As informações não podem ser aplicadas em marquises, coladas ou fixadas nas colunas, gradis e demais partes da edificação. Também não devem exibir conteúdo que prejudique a terceiros. Não devem ser coladas em postes, afixadas em árvores, estimular qualquer espécie de discriminação racial, social, sexual ou religiosa, entre outras proibições.

“A lei é aplicada toda vez que a publicidade instalada ferir direitos de terceiros, impedir a visibilidade do trânsito, a iluminação das edificações, causar poluição visual, for ofensiva, ou estiver em mau estado de conservação. Outra questão importante é o pagamento das taxas anuais e o estado de conservação das peças publicitárias. Dessa forma, é possível evitar a aplicação de penalidades e a remoção da publicidade, que é o cartão de visitas de qualquer empreendimento", destaca Ana Kelle Marques, subcoordenadora de Fiscalização da Sedur.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Pela primeira vez em 469 anos de existência, a capital baiana ganha o maior equipamento na área da saúde construído pela Prefeitura e instalado em uma das áreas mais populosas e carentes da cidade, com cerca de 250 mil habitantes. Com investimento de mais de R$120 milhões, o Hospital Municipal de Salvador (HMS) já é uma realidade para a população a partir desta quarta-feira (4), após inaugurado pelo prefeito ACM Neto com grande festa na Boca da Mata, na região de Cajazeiras. Além da população, estiveram presentes na solenidade secretários e gestores municipais, políticos, prefeitos de diversas cidades baianas, demais autoridades e convidados.

Bastante emocionado, o prefeito lembrou todo o processo realizado para que o HMS fosse transformado em realidade e agradeceu a todos os envolvidos neste processo. “A Prefeitura conseguiu superar todos os obstáculos para cumprir com esse compromisso firmado com a população. Que o Hospital Municipal de Salvador seja uma lição para os políticos de que, quando se aplica corretamente o dinheiro público e se trabalha com amor e dedicação, tudo é possível. Que seja também uma lição para o povo, com o desejo de que esta obra toque o coração de todos, porque há muitas pessoas que talvez fossem perder a esperança de viver e, agora, vão encontrar essa esperança aqui. A partir desta noite, o hospital passará a salvar a vida de milhares de pessoas desta cidade”, afirmou ACM Neto.

A partir das 19h de hoje até o dia 29 deste mês, o HMS vai atender apenas casos de urgência enviados pelo SAMU de Salvador e Central Municipal de Regulação. Nesse período para ajustes operacionais, a capacidade será de 30 atendimentos por dia. O atendimento ambulatorial será aberto no próximo dia 9. A partir do dia 30 de abril, com o funcionamento em 100%, o hospital estará aberto para todos os casos de urgência e emergência mediante classificação de risco.

A estrutura possui equipamentos semelhantes aos utilizado pela rede particular. Com funcionamento 24 horas por dia, o HMS está integrado à rede de urgência e emergência, servindo principalmente de retaguarda para os casos mais complexos das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e do SAMU de Salvador. O hospital tem ênfase em atendimentos de urgência e emergência, mas também contará com ambulatório de egressos da unidade hospitalar para suporte ao atendimento. A capacidade é de 500 atendimentos por dia apenas no setor de urgência e emergência.

São 210 leitos – 30 de UTI (adulto e pediátrico), 150 de clínica médica e cirúrgica e 30 de clínica pediátrica. A emergência tem ênfase em traumatologia, ortopedia e urgências clínicas. Para isso, há 26 leitos de observação para adultos, sete para crianças e 22 poltronas para aplicação de medicamentos. Esse mesmo setor conta ainda com salas de curativo, aplicação de gesso e estabilização, de reanimação de vida e leitos similares ao de terapia intensiva.

Estrutura - Com 100% em funcionamento, o hospital, que possui 800 funcionários e é gerido pela Santa Casa de Misericórdia, pode receber tanto pacientes regulados quanto por demanda aberta, após classificação de risco. O ambulatório de egressos da unidade hospitalar conta com consultórios de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia pediátrica, pediatria, generalista e ortopedia e traumatologia. Há ainda serviço Social, pré-consulta de enfermagem e agência de transfusão sanguínea. O Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico oferece vários exames com objetivo de esclarecer o diagnóstico ou realizar procedimentos específicos para os pacientes.

A lista de serviços engloba exames laboratoriais (capacidade de 100 mil por mês), ressonância magnética, radiologia digital, ultrassonografia, endoscopia, colonoscopia, tomografia, eletroneuromiografia, eletroencefalografia, ecocardiografia, eletrocardiografia, teste de esforço, Holter e MAPA. A concepção arquitetônica do equipamento de saúde foi planejada por acomodações de hotelaria em espaços de dois leitos. O hospital também possui um heliponto e base SAMU.

“A cidade está de parabéns pela entrega deste equipamento de primeira qualidade. A Santa Casa está muito satisfeita em ter vencido o processo licitatório para gerir este hospital. A instituição tem um longo trabalho na área da saúde, os equipamentos administrados são semelhantes ao de hospitais como o Santa Izabel. O nosso compromisso é administrar essa estrutura com muito carinho e sentimento de pertencimento também, assim como de todos da Prefeitura”, pontuou o presidente da instituição, Roberto Sá Menezes.

Atendimentos – A capacidade de internamento do HMS é de até 1,1 mil pacientes por mês. O Ambulatório de Egressos e o Hospital Dia está apto a realizar 3 mil consultas por mês. Já o Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico tem capacidade de realizar 13.150 exames mensalmente. Com seis salas, o bloco operatório pode realizar, mensalmente, até 500 intervenções cirúrgicas. Tudo isso com o HMS operando em 100%.

A programação assistencial é complementada por um Hospital Dia com um Centro de Vídeo-Endoscopias (com três salas de exames e oito poltronas de repouso) e uma Unidade de Atenção Domiciliar. Futuramente será associado ao Hospital Dia um bloco auxiliar que terá duas salas de cirurgia ambulatorial, 12 leitos de internação, um ambulatório cirúrgico, consultório de enfermagem e de anestesiologia, cujo objetivo é fazer o pré e pós-atendimento de pacientes cirúrgicos, além de mais 60 leitos de internamento e 20 leitos de UTI, totalizando 300 leitos e um centro de ensino e pesquisa no HMS.

Ao apresentar a estrutura do hospital, o secretário da Saúde relembrou a situação precária na qual estava a saúde municipal em 2013 e todo o esforço feito pela Prefeitura para requalificar e expandir o atendimento, incluindo a construção do HMS. “Hoje é um dia de festa, com a entrega deste hospital com alta qualidade na estrutura. Gostaria de agradecer a todos os servidores, colaboradores e colegas para transformar esse equipamnento em realidade. Essa é uma etapa vencida com sucesso”, salientou Rodrigues Alves.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura entregou na noite desta terça-feira (3) mais um trecho de orla requalificado, o de número 17 deste o início da atual gestão, em 2013. Dessa vez, a área contemplada, de 21,5 mil m², foi a do entorno do Farol de Itapuã,  entre as casas da Marinha e a curva da residência que pertenceu ao poeta Vinicius de Moraes. O prefeito ACM Neto comandou a solenidade, como parte das comemorações pelo aniversário de 469 anos de Salvador. O investimento na obra foi de aproximadamente R$4 milhões, fruto de contrapartida municipal dentro do Programa de Requalificação Urbana de Salvador (Proquali).

 "Temos aqui uma vida nova. Quem frequentava Itapuã se lembra como era esse trecho: às escuras, sem equipamentos de lazer, sem paisagismo, sem estacionamento organizado, sem condições de aproveitamento verdadeiro pelas pessoas. Era som alto e desordem que prevaleciam. É mais um exemplo para quem vê o antes e o depois e pode ver a transformação pela qual Salvador passou e vem passando", discursou o prefeito.  

ACM Neto anunciou que o trecho que vai do Farol de Itapuã até a Rua K também será requalificado, em mais uma etapa de obras na orla do bairro, o terceiro, já que as intervenções. Em 2015, a Prefeitura já havia inaugurado um trecho de aproximadamente 3 quilômetros, num investimento de R$12 milhões, abrangente diversas melhorias nas áreas de infraestrutura, esporte e lazer, incluindo a reconstrução da sede da Colônia de Pescadores, a criação da Praça do Dendê (onde estão as baianas de acarajé tradicionais do local), quiosques, sanitários públicos, mirante, quadra poliesportiva, parque infantil e espaço de eventos e de ginástica. 

"Já são 17 trechos de orla requalificados, com mais de R$200 milhões em investimentos. A gente tinha a cidade com a orla mais atrasada e abandonada do país. Hoje a realidade é outra. E estaremos dando ordem de serviço nesta quarta (04) para a requalificação da Ponta de Humaitá. O Cristo da Barra está em obras, assim como o trecho entre Ondina e Rio Vermelho. O Jardim dos Namorados também está em obras para a instalação de sua vila gastronômica, bem como a piscina olímpica está ali sendo instalada na Praça Wilson Lins, que será totalmente requalificada", anunciou o prefeito, que foi recebido pelas Galhadeiras de Itapuã. 

Projeto conjunto - O projeto de requalificação desse novo trecho de orla em Itapuã foi elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), em conjunto com a comunidade e com a participação da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), por se tratar de uma área de Marinha. As obras foram executadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), por meio da Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop). As melhorias envolveram a preservação da área de praia, com implantação de equipamentos e espaços de contemplação, deixando o local livre para circulação de pessoas.  

A praça existente passou por serviços de alvenaria de pedra no entorno da área da praia. Foi implantado piso intertravado com tela em concreto armado. Foram erguidos também quiosques de serviços, nos mesmos moldes das estruturas existentes em outros trechos de orla, num total de seis, sendo dois do mesmo tamanho dos existentes na Vila Caramuru, no Rio Vermelho. 

Também foram instalados parque infantil, Academia de Saúde, área para capoeira, ciclovia e uma quadra esportiva, além de um estacionamento para 44 veículos. Um pequeno muro foi construído para demarcar a área da praia e a pavimentada, e que pode ser utilizado como banco. As intervenções contemplaram ainda sanitários, módulo de apoio para salva-vidas e paraciclo para pessoas com deficiência.

 O paisagismo da área do Farol de Itapuã, conhecido pelo vasto coqueiral e por vegetações como a restinga, foi aproveitado pelo projeto. Através da Secretaria Municipal de Cidade Sustentável e Inovação (Secis), foram plantadas mudas e implantado sistema automatizado de irrigação da grama. Agora são 129 árvores, sendo 65 algodoeiros de praia e 64 aroeiras, todas com porte a partir de 2,5 metros, além de 38 coqueiros e 2 mil ficus de praia e mais arranjos ornamentais que compõem o paisagismo do local.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

As comemorações pelo aniversário de 469 anos de Salvador prosseguem com uma ação que fará com que as pessoas aproveitem ainda mais a cidade e suas belezas. O novo sistema de compartilhamento de bicicletas do Bike Salvador foi inaugurado nesta terça-feira (2), em cerimônia realizada no Porto da Barra – local de uma das dez estações espalhadas pela capital. Estiveram presentes na ação o prefeito ACM Neto e o vice, Bruno Reis, acompanhados do presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington; da gerente de Relações Institucionais e Governamentais do Itaú Unibanco, Simone Gallo; e do CEO da Tembici, Tomás Martins, além de outras autoridades e imprensa. 

Dentre as novidades do novo sistema está a aquisição de planos pelo site e aplicativo Bike Itaú, cartão do usuário ou mesmo pelo SalvadorCard. A Estação Bike Ribeira funcionará também para empréstimo das laranjinhas por até 12 horas inclusas nos planos. Nessa primeira etapa, serão disponibilizadas 90 bicicletas. Após a implantação total, a população passará a contar com 50 estações e 400 bikes. Com coordenação da Prefeitura por meio do Movimento Salvador Vai de Bike, vinculada à Saltur, o Bike Salvador conta com patrocínio do Itaú Unibanco e gerenciamento dos equipamentos pela Tembici.

O prefeito lembrou que o Movimento Salvador Vai de Bike e o sistema de compartilhamento de bicicletas foram adotados em Salvador em 2013 e ajudaram a introduzir uma nova cultura da cidade. “Há cinco anos, as praças e a orla estavam abandonadas, não haviam lugares para andar de bicicleta, então não tinha como as pessoas andarem de bike aqui. Enxergando que a primeira capital do brasil não poderia ficar de fora desse movimento, a Prefeitura buscou parcerias e a cidade acabou sendo uma das primeiras a receber o sistema.”

Com isso, foi multiplicado o número de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas em diversos pontos. A intenção da Prefeitura, de acordo com ACM Neto, é ampliar ainda mais o sistema cicloviário da capital, considerando também que as pessoas passaram a utilizar ainda mais as bicicletas não apenas para o lazer, mas também para o dia a dia.

De acordo com o CEO da Tembici, os equipamentos implantados em Salvador seguem o modelo canadense – considerada a melhor solução dentre as demais adotadas em outras cidades do mundo, com a utilização de cartões para retirada das bicicletas. “A gente sempre defende a integração modal para deslocamento único utilizando vários modais. Estamos satisfeitos em fortalecer ainda mais essa parceria na cidade”, afirmou Tomás Martins.

“As pessoas vão sentir aqui como se estivesse andando de bicicleta em qualquer outra grande cidade do mundo. Essa é uma parceria que a gente entende a força da Prefeitura nesse processo no qual as pessoas consigam viver melhor na cidade onde moram. É uma alegria muito grande estar em Salvador, que é muito mais do que a Cidade da Música e da bike, é uma cidade das causas e pessoas muito guerreiras”, salientou Simone Gallo, do Itaú Unibanco.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Oitenta e oito mudas das espécies sibipuruna, pau-brasil, pau-ferro e ipê já foram plantadas ao longo do primeiro quilômetro da Avenida Afrânio Peixoto, onde o projeto Suburbana Verde transformará a via em um corredor verde com 1,4 mil novas árvores. O trecho 1 da ação, iniciado a partir da Rua Luiz Maria, na Baixa do Fiscal, no dia 23 de março, foi finalizado esta semana.

As obras do trecho 2 já estão em andamento, com a abertura dos berços que receberão as novas árvores. A previsão é que os plantios comecem ainda nesta quinta-feira (05). Nesta fase, 100 mudas serão plantadas, sendo todas espécies nativas da Mata Atlântica. Com a segunda parte da ação, a operação avançará até o viaduto do Lobato. A expectativa é que todo o projeto de arborização dos 14km de extensão da via tenha duração de 8 meses.

Educação – Em toda a extensão da Avenida Suburbana existem comércios e casas. No local, os moradores já plantaram algumas árvores, mas, sem o devido conhecimento, optaram por árvores que não se adequam ao local, podendo prejudicar as calçadas, fios elétricos e tubulação de água, como é o caso das amendoeiras, por exemplo.

Por isso, antes do plantio, uma equipe da Secis liderada por um engenheiro ambiental está passando de casa em casa para conscientizar as pessoas que vivem ao longo da avenida. O objetivo é informar à população sobre a importância da requalificação paisagística, evitando vandalismo e roubo de espécies, recorrentes em grandes plantios.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Depois do sucesso da primeira edição, realizada em dezembro do ano passado, a Prefeitura de Salvador promoveu o 2º Encontro de Desenvolvimento de Lideranças durante toda a manhã desta terça-feira (3), no Othon Palace Hotel, em Ondina. Coordenada pela Secretaria Municipal de Gestão (Semge), dentro do Programa de Valorização do Servidor, a iniciativa contou com a presença do prefeito ACM Neto e reuniu cerca de 700 gestores da administração municipal.

A palestra inicial ficou a cargo do empresário, consultor e escritor Max Gehringer, que tratou do tema “Gerenciamento de Mudanças” e abordou, com diversos exemplos, as constantes transformações que os líderes precisam enfrentar no ambiente de trabalho. Em seguida, foi a vez do ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais do Rio de Janeiro (Bope), Paulo Storani, dar instruções através do tema “Construindo uma Tropa de Elite: Liderança de Time de Alta Performance”.

A iniciativa faz parte das comemorações do aniversário de 469 anos de Salvador e, além da população, os próprios servidores e funcionários também ganham presente pelo empenho em ajudar no processo de transformação da cidade, iniciado em 2013. “Esse é um dos maiores eventos realizados para o servidor nos últimos anos e tem uma mensagem de motivação e de reconhecimento. Salvador tem mudado de patamar e as entregas de ações complexas ocorridas recentemente mostram que a cidade tem capacidade para encarar os desafios. Isso só ocorre porque a turma veste a camisa e também se sente um pouco o prefeito da cidade. De coração, obrigado a todos pela dedicação”, ressaltou ACM Neto, emocionado.

O secretário da Semge, Thiago Dantas, salientou que o evento é voltado para as pessoas que contribuem para que as inúmeras ações municipais se tornassem realidade. “Temos três objetivos aqui: que os lideres possam aprender e evoluir; que possa ser estimulado e melhorado o entrosamento entre gestores de diversas áreas; e fazer o reconhecimento e agradecimento ao trabalho de todos”, pontuo

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A capital baiana já conta com uma estrutura para abrigar empresas emergentes na área da tecnologia digital (startups), que irão, entre outros objetivos, elaborar soluções para novos e velhos problemas no serviço público. Trata-se do Hub Salvador, instalado no Terminal Marítimo, no Comércio, e que foi inaugurado hoje (02) pelo prefeito ACM Neto e pelo secretário municipal de Desenvolvimento e Urbanismo, Sérgio Guanabara. A solenidade contou ainda com as presenças do vice-prefeito Bruno Reis, do presidente da Federação das Indústrias da Bahia (Fieb), Antonio Ricardo Alban, de secretário e dirigentes municipais, parlamentares, empresários e empreendedores e imprensa.

“Não há no Brasil nenhum Hub digital equivalente a este. Temos aqui até 300 pontos de trabalho, onde deverão funcionar concomitantemente 100 empresas da área de tecnologia. Startups que serão aceleradas aqui e que contarão com uma estrutura e todo apoio para que possam se desenvolver”, afirmou ACM Neto, que aproveitou para conhecer todas as instalações da estrutura instalada no segundo pavimento do terminal.

O Hub Salvador é uma das ações do programa municipal Salvador 360, eixo Cidade Inteligente, e a inauguração faz parte da programação comemorativa pelos 469 anos da capital baiana. A estrutura será gerida por um consórcio formado pelas empresas Bossa Nova Investimentos e DP Participações, cujos representantes, Pierre Schurmaan e Christian Dunce, respectivamente, marcaram presença na solenidade de hoje. A capacidade total do Hub é de receber até 100 startups em espaço colaborativo, número que deve ser alcançado em 2019, com rodízio de 30 empresas por ano.

Essas empresas deverão desenvolver projetos que envolvam os setores financeiro, jurídico, social e de serviços, dentre outros. A previsão é de que sejam gerados 1,5 mil empregos diretos e indiretos, além de atrair talentos, empreendedores e profissionais qualificados que não tinham oportunidades de trabalho na capital baiana e acabavam migrando para outras cidades. O investimento da Prefeitura no projeto é de R$5,2 milhões.

“Esperamos que a gente tenha condições de oferecer uma alternativa para a criatividade dos baianos, para os diversos projetos que não teriam condições de estruturar uma operação em função das dificuldade de ter onde funcionar ou de ter acesso a recursos e financiamentos. Aqui no Hub haverá tudo isso, inclusive o consórcio que vai gerir essa estrutura também vai atuar nessa área de busca de financiamento. Utilizar tecnologia para soluções significa ganhar produtividade, desburocratizar e ampliar o acesso do cidadão aos serviços públicos”, declarou ACM Neto.

Gestão – O Hub Salvador será gerenciado por um consórcio firmado pelas empresas Bossa Nova Investimentos e DP Participações, que irão fazer a operação e captação de fundo de investimentos na ordem de R$100 milhões para as startups nos próximos cinco anos. Com atuação no Brasil e em outros cinco países, a Bossa Nova é especializada e reconhecida no setor e, atualmente, é a maior investidora em projetos de startups no país. No Hub Salvador, será responsável pela análise e seleção dos projetos e empresas, gestão do espaço e captação de recursos para investimento e lançamento das startups para o mercado.

“Iremos atuar com três pilares: o primeiro visa operar, estruturar, ajudar e criar um ambiente que permita a inovação e crescimento de startups não só da Bahia como do mundo inteiro. O segundo pilar é ter um espaço onde a comunidade, ou seja, os soteropolitanos, possa vir para interagir com as startups. O outro foco é investir e apoiar empreendedores a criarem grandes negócios”, destacou Pierre Churmann, sócio da Bossa Nova.

Seleção e funcionamento – Para participar da iniciativa e se instalarem no Hub Salvador, as startups devem apresentar os projetos nos editais ou concursos de ideias, também chamados de “pitchs”. A estimativa é de que os editais e “pitchs” devem ser lançados em parceria com outras empresas, a partir de maio próximo, por meio do site www.hubsalvador.com.br, com ampla divulgação pelas redes sociais e imprensa.

Podem participar propostas nos mais diversos segmentos do setor público ou privado, desde que atendam aos requisitos exigidos. Do total de projetos a serem selecionados, 10% das startups devem ser voltadas para soluções de melhoria da gestão ou serviços públicos do município, ou direcionadas para a área social. Dentre os critérios considerados estão os impactos sócio-econômico-ambiental, tecnologia a ser utilizada, aderência ao mercado e ao público-alvo e a capacidade de replicar ou desdobrar o projeto para outras cidades ou países.

Caso o projeto seja aprovado após análises técnica e de viabilidade de implantação, a serem realizadas pelo consórcio, a startup vai se instalar por um prazo mínimo de seis meses no Hub Salvador. Nesse período, passará pelo processo conhecido como aceleração, composto por uma série de treinamentos e orientação com os especialistas e que visa preparar as startups para transformar as ideias ou projetos em uma solução real, aplicável ao mercado e autossustentável. Essa etapa contará com a participação de instituições especializadas, como o Sebrae e o Senai/Cimatec.

Após o período de aceleração e confirmada a viabilidade do projeto, as empresas devem receber recursos de fundos de investimentos especializados em startups. Ao atingirem o estágio de maturidade para alcançar os mercados dos setores públicos ou privados, as empresas devem deixar o espaço do Hub Salvador e ceder terreno para novos projetos.

Impactos – O Hub Salvador deverá ativar um segmento da economia que vai gerar novas oportunidades de trabalho, atrair empresas de outras localidades e contribuir para a capital baiana ter um grande número de empregos qualificados para o setor de tecnologia. A estrutura deverá permitir que os talentos, tanto locais quanto de outros pontos do país, tenham a cidade como a principal rota. O vetor econômico da tecnologia digital costuma abranger muitos jovens em fase de formação e desperta a vocação empreendedora na cidade. "O Hub é um grande passo para tornar Salvador líder na área de investimentos tecnológicos no Brasil, além de contribuir fortemente para o desenvolvimento da capital baiana", afirmou o secretário Sérgio Guanabara.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Desde 2013, a iluminação em Salvador tem avançado bastante e possibilitado, cada vez mais, melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. Além da implantação de novos postes e lâmpadas e luminárias em LED, a Prefeitura também desenvolve outras ações que estarão disponíveis para a população em breve, a exemplo do aplicativo Ilumina Salvador e a implantação de um novo parque de iluminação com o que há de mais moderno no país nessa área, através de Parceria Público-Privada (PPP) e cujo edital deverá ser lançado este ano.

O balanço dos investimentos no setor e as próximas ações foram o foco do 1º Seminário de Iluminação Pública: Avanços e Desafios da Iluminação Pública em Salvador, realizado nesta segunda-feira (2), no Real Classic Bahia Hotel, na Pituba. Promovido pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), por meio da Diretoria de Iluminação Pública (DSIP), o evento contou com as presenças do prefeito ACM Neto e do vice, Bruno Reis, além do secretário Marcus Passos (Semop), do diretor da DSIP, Júnior Magalhães, demais gestores municipais e representantes de empresas prestadoras de serviços, da Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba), do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM) e da Controladoria Geral do Município (CGM).

O prefeito salientou que será investido cerca de R$1,5 bilhão na PPP, a primeira do tipo em toda a história da capital baiana. “A lógica desta PPP é antecipar os investimentos que levariam muito tempo para serem realizados apenas pela administração municipal. A intenção é fazer, em cinco anos, o que seria feito em 15 anos. Todos os cuidados legais estão sendo tomados na construção dessa parceria, com um processo totalmente transparente – mais de 60% dos questionamentos feitos pela população foram acolhidos. Espera-se que, com o lançamento do edital, surja o maior número de interessados em participar do processo para que, assim, consiga-se a melhor proposta”, completou ACM Neto.

Junior Magalhães também anunciou a entrega de mais de 70 vias modernizadas em LED, englobando grandes avenidas e ruas indicadas pelos cidadãos através do programa Ouvindo Nosso Bairro. Foi implantado, ainda, o sistema de rondas diárias na capital, que percorrerá até 500 quilômetros por dia para monitoramento da iluminação. A frota do serviço contará ainda com rastreamento, plotagem e nova marca. “Com a PPP, vamos atender a uma das principais necessidades dos cidadãos, já que a iluminação também oferece uma maior sensação de segurança. A intenção é dar uma resposta cada vez mais rápida à população”, pontuou o diretor de Iluminação Pública.

Aplicativo – Na ocasião, foi apresentado o aplicativo Ilumina Salvador, ferramenta inovadora com georeferenciamento de locais como praças, quadras, campos e passarelas, para utilização interna e encaminhamento de solicitações para as empresas prestadoras de serviço do município. A ferramenta é integrada a órgãos como a DSIP, Ouvidoria Geral do Município, Prefeituras-bairro e Diretoria do Centro Histórico da Cidade. Futuramente, a ferramenta deverá ser disponibilizada aos cidadãos.

PPP – Em fase final do processo para o lançamento do edital, a Parceria Público-Privada para Modernização do Parque Tecnológico de Iluminação de Salvador deverá trazer diversos benefícios para a população. Uma delas é a economia em 50% dos gastos com energia elétrica, assim como o aumento da luminosidade em 30% e vida longa dos equipamentos – até 20 anos. Também será criada a Telegestão da Iluminação, que vai monitorar todo o sistema através de uma central. Dentre as capitais, apenas Belo Horizonte possui PPP em iluminação.

Números atuais – Com cerca de 170 mil pontos, o parque de iluminação em Salvador hoje é composto da seguinte maneira: 78% das lâmpadas são de vapor de sódio, 26% são metálicas e 2% em LED. Nos últimos cinco anos, foram investidos R$100 milhões na modernização. Nesse período, a cidade passou a contar com aumento de 10% no número de novas luminárias e pontos de iluminação, representando mais de 50 mil pontos modernizados.

Nos últimos anos, a gestão da iluminação pública na cidade também recebeu outros avanços, como o estabelecimento de rondas diárias em toda a capital; o Código de Conduta e Postura para realização de melhores práticas de gestão e fiscalização; e o Olho Vivo – videomonitoramento realizado a partir do Centro de Operações Especiais, da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e do Núcleo de Operação Assistida (NOA), da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador).

Dentre os principais desafios do setor estão a redução do consumo de energia, que hoje chega a 38% do orçamento para a área; a agilização do atendimento das demandas registradas por meio do Fala Salvador – apenas nestes primeiros meses de 2018 foram 18 mil atendimentos; e combate ao furto de cabos, que chega a R$500 mil reais de prejuízo aos cofres municipais.

0
0
0
s2sdefault

Sub-categorias

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...