Carnaval

0
0
0
s2sdefault

As limitações não impedem nem mesmo pessoas com necessidades especiais de curtirem o Carnaval de Salvador. Principalmente quando a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), viabiliza espaços seguros e confortáveis para este público., por meio dos Camarotes Acessíveis.

A foliã Nilza da Silva saiu da cidade de Irará (distante 135km de Salvador) junto com a amiga Rita Santos para aproveitar a folia. A distância percorrida não foi maior que a alegria de poder participar da festa no Camarote Acessível da Piedade. “Aqui está o maior prazer, uma maravilha, uma alegria sem igual, uma coisa gostosa", comentou.

Pelo quarto ano consecutivo, a cadeirante Maria Deusdeth Pereira, de 87 anos, participa da festa acompanhada pela filha, que tem o nome idêntico ao da mãe. Mas, além do nome, elas têm em comum a paixão pelo Carnaval de Salvador. “Nós fazemos questão de vir todos os anos, o Camarote Acessível é ótimo, a equipe nota mil, educados e atenciosos com todos. Além da localização, segurança, conforto, acontece aqui um misto de solidariedade, respeito e amor. Só temos a agradecer”.

A Prefeitura, por meio da Semps, implantou três Camarotes Acessíveis para pessoas com deficiência e idosos. As estruturas estão localizadas na Piedade (só pessoas com deficiência), Campo Grande (só idosos) e Ondina (pessoas com deficiência e idosos). Para o secretário da Semps, Leo Prates, os espaços asseguram inclusão na folia. "Beneficiamos tanto pessoas da capital quanto do interior. Estamos atingindo os objetivos que nos propusemos com o nível máximo de qualidade, atenção e respeito para os participantes”, comemorou.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault
Os chicleteiros vão poder matar a saudade dos carnavais inesquecíveis no Circuito Dodô. O Chiclete com Banana sai nesta segunda-feira (04), às 20h45, e o vocalista Khill aprova o processo de renovação da folia de Momo em Salvador. 
 
"Esse Carnaval está dando um upgrade na cultura da Bahia", disse o cantor, que ressaltou a variedade de ritmos que agradam a todos os gostos. No mesmo dia do Chiclete, também passam pela Barra Jau, Daniela Mercury, Jammil e a Banda Armandinho, Dodô e Osmar, entre outras atrações.
 
Khill ressalta o retorno de uma tradição, nesta terça-feira (5). "É o meu primeiro ano puxando o Chiclete no Campo Grande, revivendo uma outra grande tradição que é o Chiclete junto ao Bloco Inter", disse o vocalista. 
 
Já o cantor Jau deve levar para o público aqueles hits que marcaram sua carreira e a mais nova música de trabalho, Alegria odara. A folia na Barra/Ondina começa com Pituto Rex, às 15h30, seguido, logo depois pelo Camaleão, com Bell Marques, ex-vocalista do Chiclete. 
 
Em seguida, Filhos e as Filhas de Gandhy. Ivete Sangalo chega ao Circuito Dodô às 17h30, seguida por Harmonia do Samba, Durval Lelys, Armandinho e Daniela Mercury. A noite de segunda na Barra terá ainda os blocos afro Malê Debalê e Muzenza. Confira a programação em www. curtacarnaval. com. br.
0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

 

Umas das principais atrações desta segunda (4) no Circuito Osmar, a cantora Alinne Rosa destacou a "energia diferente" de tocar no Campo Grande. "A avenida é sempre especial. Tem uma energia diferente, é um percurso tradicional. Estou muito feliz de retornar ao circuito", disse ela, que afirmou sempre buscar "sentir a vibração" do público para ir definindo enquanto desfila quais músicas de seu repertório irá cantar.

Passam também pela avenida nesta segunda-feira as cantoras Cláudia Leitte e Márcia Castro, o infantil Algodão Doce, a banda La Fúria, Tatau, Tuca Fernandes e Igor Kannário, dentre outras atrações. A Prefeitura tem apoiado inúmeras atrações pipoca para fortalecer cada vez mais o circuito.

"Esse Carnaval é muito especial, pois completo cinco anos em carreira solo. Estamos levando muita felicidade pra rua e não será diferente nesta segunda. Quero muita alegria, muito amor durante todo o Carnaval", ressaltou Alinne Rosa, que chega à avenida às 16h30.

"Balancinho" - Já Claudia Leitte aposta no sucesso "Balancinho" e traz "Coração da Amazônia" como tema do Carnaval. Claudinha também vive emoção especial nessa folia, pois sobe no trio grávida de quatro meses de sua terceira filha, "Bela". Sua apresentação está prevista para começar às 13h30.

Quebradeira - Com o sucesso "Fábio Assunção", a banda La Fúria também chega ao circuito agitando, por volta das 13h. Já Tuca Fernandes, que celebra 25 anos de carreira, tem focado nas releituras de antigos sucessos e também em novos trabalhos que vem apresentado em suas plataformas digitais.

“Eu tenho feito um trabalho de canções acústicas, releituras e tenho lançado a cada 15 dias nas minhas plataformas digitais. Em 2019 sigo com esse projeto e com muitas outras coisas, porque a cabeça não para”, explicou Tuca, que chega antes de Alinne Rosa ao Campo Grande, às 16h15.

Criançada - A criançada também tem diversão garantida com a pipoca do Algodão Doce, sob o comando de Carla Perez e convidados. As crianças entram na avenida após a passagem da banda Didá, que abre a programação do dia, às 10h30. O Algodão Doce traz músicas infantis ao circuito, mas também toca sucessos atuais do Carnaval.

Ex-cantor do Araketu, Tatau é mais uma grande atração que deve levar antigos sucessos ao Osmar. A programação segue até a meia noite, com os grupos Viola de Doze e Samba Junino, e pode ser acessada no site www. curtacarnaval. com. br.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

É chegada a hora de brilhar! Glitter, purpurinas, lantejoulas, criatividade e originalidade farão a diferença em um dos momentos carnavalescos mais esperados pelo público gay: o tradicional Concurso Nacional de Fantasia LGBT. A disputa acontece nesta segunda-feira (4 ), a partir das 15h, na Praça Municipal, no Centro Histórico de Salvador.

O desfile, que chega a 22ª edição, tem previsão de término às 21h. A programação também contempla shows artísticos e performances de atores transformistas. O evento, apoiado pela Prefeitura, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur), é uma realização do Grupo Gay da Bahia (GGB), Quimbanda Dudu e Centro Baiano Anti-Aids.

Campeã - A vencedora da edição 2018, a transsexual pernambucana Sandra Farias, que é pentacampeã, garante que vai subir ao pódio novamente este ano. Ano passado, encantou os jurados com a fantasia de Colombina em alusão aos antigos carnavais.

Sobre o personagem desta edição, revela que estará fantasiada de Nossa Senhora do Carmo, também conhecida como Nossa Senhora do Monte Carmelo, título dado à Maria, mãe de Jesus, em honra de sua função como padroeira da Ordem Carmelita.

"Minha fantasia tem a predominância do amarelo e muito requinte. Não é fácil ganhar, porque meus concorrentes também são maravilhosos. Mas fico feliz em ter um evento como esse em Salvador, na Bahia, que premia fantasias e dá visibilidade ao povo LGBT", destacou.

Categorias - As categorias se dividem em "luxo" e "originalidade". Serão premiadas as três primeiras fantasias nas duas categorias. Quem vencer na categoria luxo em primeiro lugar leva o cheque de R$ 8 mil. Já em "originalidade", leva R$ 4 mil.

“A premiação é uma forma de incentivo à produção cultural e artística individual,”, disse o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira. Para ele, o evento tem melhorado a cada ano.

"É uma honra ter esse apoio do poder publico que tem sido sensível a esse tipo de arte. A Prefeitura é nossa maior parceira. A cada edição temos um evento melhor do que outro. A diversidade é a marca do nosso Carnaval e a Prefeitura está cada vez mais atenta a isso", disse.

Critérios - O critério de eleição das melhores fantasias será por julgamento. Os itens levados em consideração são beleza, elegância, simpatia, desenvoltura na passarela, pedraria, penas, postura e o valor gasto pelo candidato na produção da roupa, especialmente na categoria luxo, a mais esperada do evento. “Tanto em luxo quanto originalidade, é importante avaliar o grau de dificuldade para a realização da roupa”, finalizou Cerqueira.

Na categoria originalidade, o critério mais importante é a semelhança com a ideia principal. Entretanto, nessa categoria é proibido a utilização de materiais preciosos, pedrarias caras, penas raras, entre outros assessórios que possam dá conotação de luxo. De acordo com a produção, as apresentações que envolvam “protesto” e “irreverência”, pautadas em situações da atualidade, terão um olhar especial dos jurados.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Setor comemora média de 96,3% de leitos preenchidos até a Quarta-feira de Cinzas

Quatro dias oficiais de folia, o que representa movimentação financeira e geração de emprego e renda para Salvador. A festa está quase acabando e vários setores celebram os resultados positivos já alcançados, a exemplo da hotelaria. O trade turístico comemora a média de 96,3% de ocupação nos hotéis da capital. Os maiores índices foram registrados nos estabelecimentos localizados nos circuitos do Carnaval, como Barra, Ondina, Campo Grande e Vitória, onde muitos hotéis têm 100% dos leitos preenchidos até a Quarta-feira de Cinzas.

Para o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHA), Silvio Pessoa, Salvador está colhendo os frutos de um trabalho feito com esmero e antecedência pela Prefeitura, em referência à divulgação antecipada do calendário de eventos da cidade, feita pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), nos principais mercados emissores de turistas para a capital baiana.

"Este é o melhor índice de ocupação hoteleira registrado em uma década; A cidade está completamente abarrotada de turistas desde o dia 20 de dezembro - início oficial do Cerão -, e vem registrando números altos desde então, sendo o melhor mês de fevereiro desde 2012. Salvador está na moda, no imaginário do público, conta com três meses de sol ininterrupto", afirma Silvio Pessoa.

De acordo com a Secult, durante o Carnaval, Salvador deve receber 800 mil visitantes que injetarão cerca de R$ 1,8 bilhão com gastos envolvendo hospedagem, alimentação, compra de abadás e camarotes, entre outros. "Esse Carnaval tem sido sensacional sob vários aspectos, e um deles é o econômico, fundamental para a cidade. Afinal, é um momento em que Salvador cresce, gera emprego e renda e movimenta toda a cadeia produtiva", avalia o titular da Secult, Cláudio Tinoco.

Cruzeiros – Além dos meios tradicionais de abastecimento da cidade – rodovias e aeroporto –, o mar será responsável pela chegada de 12.942 visitantes através de cruzeiros, com chegadas previstas até esta segunda-feira (4). Para recepcionar este público, a Secult terá prepostos prontos para informar e divertir os foliões vindos do mar.

Um posto de informações será instalado no Terminal Náutico de Salvador, no Comércio, distribuindo folhetos com a programação do Carnaval, mapas da folia e dicas de outras fontes de diversão e cultura. Para completar a receita, um nanotrio ficará a postos para recepcionar os visitantes, apresentando o melhor do Carnaval de Salvador.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Pensando mais uma vez na garantia de direitos das mulheres, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), lançou na noite deste domingo (3), quarto dia oficial do Carnaval, a campanha "Respeita as meninas, as minas, as monas, moças, migas, menines e o bloco todo". O objetivo é combater assédio e importunação de mulheres durante a folia.

O evento de lançamento, que foi realizado no Camarote Oficial da Prefeitura, no Campo Grande, contou com a presença da titular da SPMJ, Rogéria Santos, além da diretora de Políticas para Mulheres da pasta, Eurênia Sena, e representantes da Defensoria Pública do Estado e Ronda Maria da Penha, da Polícia Militar. "Campanhas como essa são de suma importância, necessárias em momentos como o Carnaval, de grande repercussão", afirmou a secretária.

Rogéria explicou que ações de combate ao assédio e importunação sexual contra mulheres devem ser realizadas durante todo o ano também. "Mas no Carnaval se justifica pela grande aglomeração de pessoas, a quantidade de gente que conseguimos atingir. E neste ano é ainda mais importante, porque já está valendo a nova Lei de Importunação", completou.

A nova lei estabelece que qualquer ação de cunho sexual não consentida pode ser considerada crime, com pena de até cinco anos de prisão. Adesivos e ventarolas referente à campanha de conscientização serão distribuídos para os foliões a partir da manhã desta segunda-feira (4).

"Essa campanha é muito importante pra gente conseguir atingir, de forma educativa, o combate à violência contra mulher. Incluindo aí até mesmo as crianças, indefesas", disse Eurênia.

Evolução - A sociedade continua machista e assediadora, mas isso tem melhorado nos últimos anos. Ao menos é o que acredita foliões ouvidas pela reportagem curtindo o quarto dia de Carnaval, como a secretária Cristiane Oliveira, de 40 anos. Ela contou que já foi assediada em outros carnavais. "Acho essa campanha muito válida, porque os homens têm que reaprender a paquerar uma mulher. Eles têm que 'chegar' de uma forma mais educada, gentil".

A professora Dandara Matos, 29, também percebeu uma melhora na abordagem dos homens. Porém, ela acredita que motivação para isso seja o medo da punição, e não o respeito merecido pelas mulheres. "Essas campanhas são positivas nos grandes eventos, mas também é importante manter durante todo o ano. Desejamos que evolua do medo, para o respeito", afirmou.

Observatórios e atendimento - A Prefeitura também implantou observatórios para registrar e encaminhar casos de violência contra mulheres, com o intuito de reduzir ocorrências na festa. Coordenado pela Secretaria Municipal da Reparação (Semur), em parceria com a SPMJ, os observatórios estão distribuídos pelos circuitos e funcionando das 13h a 0h. Caso o folião presencie algum tipo de violência contra mulheres, também pode fazer a denúncia por meio do WhatsApp de número (71) 98622-5494.

O Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce, localizado na Ribeira, também oferece assistência jurídica, psicológica e social para as vítimas que forem encaminhadas pelas Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher durante os festejos. O funcionamento é 24 horas e o centro tem capacidade para abrigar até 29 cidadãs.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O toque do berimbau e o repique do pandeiro embalou o Hino Nacional, na abertura da última noite do Palco das Orquestras, no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho. A Orquestra Paulo Primo foi a primeira a se apresentar com os convidados Gerônimo, Matilde Charles e Cida Martinez. Vestidos de verde, os músicos tocaram canções que exaltam Salvador e o Brasil, seguidas pelo samba e ijexá, como "São Salvador", "Aquarela do Brasil", "Não deixe o samba morrer" e "É D’oxum".

Na plateia, moradores, pais acompanhados de crianças e apreciadores da MPB curtiam cada momento com samba no pé e sorriso no rosto. A técnica de enfermagem aposentada Maria das Graças Carvalho, de 69 anos, não parava de dançar. “Isso está maravilhoso. Eu moro há 65 anos no bairro e só agora estou tendo a oportunidade de apreciar esses shows tão bons no Carnaval”, afirmou.

Na festa houve espaço também para pessoas com deficiência, que aproveitaram a tranquilidade do espaço para apreciar canções que fizeram história. Foi o caso da cadeirante Maria Eliza, de 65, que pôde relembrar os antigos carnavais. “Esse Carnaval do Rio Vermelho é um presente. São músicas bonitas, gostosas e aqui as pessoas brincam sem violência”, disse.

Primeira convidada a subir ao palco, Matilde Charles fez questão de ressaltar o quão importante é dar espaço também para os clássicos da MPB no Carnaval. “A orquestra traz essas músicas da MPB que fazem parte da nossa cultura e que casam perfeitamente, porque o Carnaval é a festa da diversidade. É a primeira vez que faço um trabalho com orquestra e estou apaixonada”, contou.

Troca de emoções - Para Gerônimo Santana, poder cantar com a Orquestra Paulo Primo em um bairro tão simbólico como o Rio Vermelho é uma troca de emoções: “O público daqui sempre espera por algo que o faça feliz. O Rio Vermelho é o umbigo da civilização e é muito bom se apresentar para essas pessoas”.

A noite ainda contou com as apresentações das orquestras Fred Dantas e Zeca Freitas. Também já passaram pelo palco, desde a última sexta, as orquestras Sérgio Benutti e Afro-Sinfônica.

A programação especial de três dias de Carnaval no Rio Vermelho, sempre abrindo com um bailinho infantil, foi preparada pela Prefeitura, por meio da Empresa Salvador Turismo (Saltur), e agradou o público que prefere um Carnaval mais tradicional e tranqüilo, principalmente famílias com crianças e idosos.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Pelo quinto ano consecutivo, a campanha “Eu Promovo o Carnaval Sustentável”, uma ação da Secretaria da Cidade Sustentável, Inovação e Resiliência (Secis), aporta na folia momesca focando nos espaços para quem gosta de curtir a festa de cima. Em 2019, os camarotes Salvador, Club, Nana, Camarote.Com, Via Folia, Pier 345, Maré Alta, Premier e Expresso 2222 aderiram à iniciativa, que visa promover práticas sustentáveis durante o reinado de Momo.

Entre as ações previstas estão o uso de lâmpadas ecoeficientes (LED), materiais recicláveis para a decoração de espaços, rampas para acesso a cadeirantes, promoção de campanhas sociais, oferta de alimentos mais saudáveis e reuso de água, dentre outras ações benéficas ao meio ambiente.

De acordo com Uelber Reis, diretor-geral da Secis, algumas organizações do Carnaval já faziam ações voltadas para a sustentabilidade. Então, surgiu essa proposta de um projeto que induzisse os outros a seguir o exemplo.

“Hoje temos até uma competição saudável entre os camarotes, sobre quem promove mais ações de sustentabilidade, tanto que antes da festa os camarotes já entram em contato com a Secis para que eles já façam todo o planejamento”, destaca o gestor.

Multicampeões - O Camarote do Nana, em Ondina, já foi premiado três vezes com o prêmio de "Melhor Camarote que Promove o Carnaval Sustentável". Em 2019, o estabelecimento aderiu às iniciativas sustentáveis, abolindo o uso de talheres descartáveis, usando utensílios reutilizáveis de metal e louça, lâmpadas ecoeficientes em LED e doando, através de acondicionamento adequado, os alimentos não consumidos no Carnaval.

Já no Camarote Club, desde os contratos implementados há uma preocupação com os materiais utilizados. Segundo Annuska Araújo, uma das produtoras do espaço, a vigilância é constante das ações, desde a exigência de documentação do maquinário de gerador, informando as datas e os procedimentos de manutenção com o objetivo de findar a emissão de gases nocivos, até o uso de material biodegradável na confecção das camisas..

Ademais, o espaço reforça também a campanha contra o racismo, consumo de álcool combinado com direção, acessibilidade e uso de copos reutilizáveis, por exemplo. A produtora geral do espaço, Liane Baqueiro, diz ter sido a primeira a implementar coleta seletiva no Carnaval de Calvador, reaproveitando também a água usada no camarote para limpeza no dia seguinte.

Os camarotes que estiverem com as melhores práticas e alcançarem a pontuação devida através de regras definidas pela Secis serão premiados nas categorias Ouro, Prata, ou Bronze. O melhor pontuado receberá o certificado Ouro na terça-feira (5).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limpurb) retirou 811 toneladas de resíduos sólidos dos circuitos nos dois primeiros dias de Carnaval. Na sexta-feira (1), foram coletadas 297,35 toneladas, enquanto no sábado o número chegou a 286,46. Neste domingo (3), até o momento, foram recolhidas 227,3 mil quilos de lixo.

Para garantir a limpeza dos espaços da folia, a Limpurb já utilizou 1.800.000 litros de água e mais 1.330 litros de detergente. Os serviços são prestados nos circuitos principais, Dodô (Barra-Ondina) e Osmar (Campo Grande), além do Batatinha (Centro Histórico) e nos bairros que recebem atrações carnavalescas. A empresa trabalha com coleta, lavagem de vias e logradouros, instalações, limpeza e manutenção de sanitários públicos.

Operação – A Limpurb conta com 1.451 agentes de limpeza, 1.580 colaboradores trabalhando com os sanitários químicos, 225 equipamentos, 14 cooperativas e uma associação de catadores em esquema de parceria com o órgão. Além disso, foram distribuídos em locais estratégicos 2.998 sanitários químicos e 72 sanitários-contêineres climatizados, com 555 posições.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...