Carnaval

0
0
0
s2sdefault

 

O Movimento Musical Mudei de Nome, formado pelos cantores Ricardo Chaves, Jonga Cunha, Ramon Cruz e Magary Lord, volta a animar a pipoca do tradicional Circuito Osmar (Centro) a bordo do Pranchão, nesta terça-feira (25). No repertório contagiante, canções que marcaram a história da música baiana, composições autorais e sucessos que fazem parte da trajetória de cada artista.

O Mudei de Nome promete levar até o fim do percurso muita alegria e diversão para que baianos e turistas possam relembrar os antigos carnavais. “Faremos o percurso completo, voltando pela Sulacap. O circuito raiz do Carnaval de Salvador”, disse Ricardo Chaves, referindo-se ao trajeto antigo do Osmar, que englobava também a Rua Carlos Gomes. 

“A expectativa para a pipoca é a melhor possível. Primeiro, porque foi onde começou a Pipoca do Mudei, no circuito do Campo Grande, há três anos, bem cedo. O público que nos acompanha é um público que tem uma memória afetiva muito grande com as músicas que a gente canta passeando pela história do Carnaval. Que a gente continue se divertindo e divertindo as pessoas", completou Chaves.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

 

O tradicional e conhecido confete deu espaço ao spray de espuma, usado por diversos foliões durante o Carnaval deste ano. O que parece ser uma brincadeira inofensiva pode se tornar um grave risco à saúde, adverte a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Apesar de ter fabricação e comercialização liberadas, o produto apresenta em sua composição substâncias que, em contato com a pele, podem causar reações alérgicas, além de irritações nos olhos e garganta.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a orientação é não usar o produto diretamente na pele, sobretudo da região da face. Caso haja contato do spray com alguma parte do corpo, a recomendação é lavar o local com água abundante. Surgindo sintomas de irritação, o folião deve procurar atendimento médico ao longo dos circuitos.

O cuidado deve ser redobrado no caso das crianças, pois o produto, além de causar alergia e irritação na pele e nos olhos, não deve ser inalado nem ingerido. Por isso, o uso do produto por menores de idade deve ser acompanhado e monitorado por um responsável.

Regulação - A Anvisa, responsável pela regulação e pelo estabelecimento de regras de controle e fiscalização da fabricação do spray de espuma, conhecido como “espuma de Carnaval”, informa que o produto contém, em sua composição, elementos como gás propelente, produto inflamável usado em aerossóis. 

Segundo a agência, a composição também contém dietanolamida de ácido graxo, que pode danificar o cabelo e o couro cabeludo, além de inibidores de corrosão, usados na indústria da construção civil para proteger estruturas metálicas.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

 

Os catadores de material reciclável que trabalham nos circuitos do Carnaval contam com ampliação da infraestrutura e assistência da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre). Os espaços, localizados na Baixa dos Sapateiros e na Barra (Avenida Centenário), oferecem local para descanso, higiene e alimentação.  

Nos dois espaços já foram realizados cerca de 4 mil atendimentos aos catadores. São ofertadas quatro refeições diárias: café da manhã, almoço e lanches da tarde e noite. Os pontos possuem ainda sanitários, toldos, mesas e cadeiras, onde é servida a alimentação e eles podem descansar.

O catador de material reciclável Daniel Santos avaliou o serviço ofertado e agradeceu a realização desse projeto. “Somos catadores de latinha e estamos sendo abraçados com alimentação e com esses espaços privilegiados, com sombra e estrutura para podermos descansar”, declarou.

Luiz Santos, que trabalha com reciclagem há cinco anos e utiliza o espaço pelo segundo ano, afirmou que o espaço está melhor do que em 2019. “Está tudo mais organizado, excelente. A gente percebe que houve todo um preparo e um cuidado. Antes, a gente sentia como se não olhassem para nós. Agora, sentimos que estamos sendo cuidados”.

A secretária da Sempre, Ana Paula Matos, destacou a importância de dar dignidade e estrutura aos catadores nos dias de folia. “Antes esses trabalhadores eram tidos como invisíveis. Nosso trabalho passar por dar visibilidade e respeito, oferecendo toda a estrutura para que eles possam ter o seu ganha-pão neste que está sendo o Carnaval mais democrático e inclusivo de todos os tempos”, avaliou.

Ela lembrou ainda do trabalho de acolhimento das crianças filhas de catadores e ambulantes que trabalham nos circuitos. Cerca de 700 menores já foram assistidos pela pasta. Os menores são acolhidos nos stands da pasta, alimentados e levados para companhia de algum familiar que esteja fora do circuito. “Priorizamos o acolhimento nos centros de convivência para aquelas crianças que não possuem familiares em Salvador”, comenta.

Nos dois Centros de Acolhimento, Aprendizagem e Convivência (CAACs) já foram assistidos 453 menores até o terça (25), 40% a mais que o registrado no mesmo período em 2019.

Renda extra – Uma parceria entre a Prefeitura, através da Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), e a Ambev tem destinado um montante de R$600 mil para quem coletar plásticos durante a folia. A bonificação é paga na hora, em uma das dez centrais de apoio, e depende do tipo de material entregue. Participam da ação cerca de 2,1 mil catadores, mesmo aqueles que não são cooperados. Até esta terça-feira (25), já haviam sido pagos R$510 mil só de bonificação.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) já apreendeu 10.965 bebidas comercializadas de forma irregular durante esses cinco dias de Carnaval. Somente em uma operação realizada ontem (24), 2.976 latas de cerveja foram apreendidas em um carro clandestino na Barra.

O órgão também já apreendeu 180 garrafas de água de marcas diferentes dos patrocinadores da festa nesse período de festa. A ação foi feita dentro da poligonal do Carnaval, em pontos onde só é permitida a comercialização de bebidas das marcas patrocinadoras do evento (Skol).

A ação está respaldada no Decreto 29.485/18, que regulamenta, desde 2018, as normas de exploração de atividades durante o Carnaval, incluindo a proteção de marcas patrocinadoras nos circuitos da folia. Ou seja, quem estiver durante os circuitos vendendo outra marca pode ter o material apreendido e ainda pagar multa.

Recursos - O Carnaval deste ano já é recorde de público, até mesmo em função da democratização da festa - são 200 atrações pipoca – e da descentralização com atrações de peso nos tradicionais circuitos e em sete bairros.

A maior parte dos recursos empregados para a realização da maior festa popular do planeta é proveniente dos patrocinadores, que encontram na folia da cidade terreno fértil para exposição de suas marcas para o mundo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), das 18h da quinta (20) até às 6h desta terça-feira (25), foram contabilizadas 478 ocorrências de intoxicação alcoólica nos módulos dos circuitos oficiais – um aumento de 7,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Do total de atendimentos por alcoolemia, as mulheres foram responsáveis por 52,3% das ocorrências, contra 47,% dos homens. Os casos foram registrados nos módulos de saúde instalados nos circuitos.

Para o médico Ivan Paiva, coordenador de Urgências e Emergências de Salvador, não há nenhum estudo que comprove a resistência menor ao álcool do organismo das mulheres em comparação ao dos homens. "Não há diferença no que diz respeito à recepção do álcool. A diferença está nos hábitos adotados por cada um, como a escolha da bebida”.

Paiva ainda explicou que o fígado da pessoa que bebe com mais frequência, seja homem ou mulher, acaba por desenvolver uma capacidade maior de metabolizar o álcool ingerido. “Claro que as bebidas mais fortes vão acelerar o processo de embriaguez se utilizadas com excessos”, complementou.  

Os registros de intoxicação alcoólica mais frequentes foram nos módulos do Circuito Dodô (Barra/Ondina), sendo o do Farol da Barra com 115 casos; Sabino Silva, com 113 casos; Ademar de Barros, com 100 ocorrências; e Shopping Barra, com 67. A faixa etária de 20 a 29 anos respondeu por 46% dos atendimentos por intoxicação alcoólica.

Dicas – O médico Ivan Paiva deu dicas para minimizar os efeitos do álcool no corpo, como manter uma boa alimentação e hidratação, não consumir bebidas artesanais e nem exceder o uso de bebidas alcoólicas. “Intercalar o uso das bebidas com a ingestão de bastante água evita a desidratação, que pode potencializar o efeito do álcool. Também é importantíssimo estar bem alimentado e evitar o jejum antes de ir à festa", finaliza o médico.  

Artesanais – A foliã Maiana Sales estava curtindo com a família no Circuito Osmar (Centro) e afirmou que bebe por apreciar o gosto da cerveja. “Fico só na cerveja mesmo, pois já tenho o costume. Daquelas outras bebidas artesanais eu não bebo”, disse Maiana.

Obedecendo a exigência da Anvisa, todas as bebidas artesanais são proibidas para comercialização. Desde a quinta (20), 167 bebidas artesanais foram apreendidas nos circuitos da folia de Salvador.

A ambulante Andreia dos Santos estava curtindo a folia e afirmou não ter problemas com qualquer tipo de bebida. “Eu bebo de tudo. Me dá calor, eu bebo”. Já o folião Sérgio Neves disse consumir um tipo de bebida. “O Carnaval é como um fim de semana prolongado pra mim, eu bebo, mas só cerveja”, declarou.

Olha o volante – 
Segundo a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), desde a quarta-feira (19) até o momento as blitze de Lei Seca registraram 3.158 abordagens, com 209 autuações, 178 habilitações recolhidas, 81 remoções e nenhum crime de trânsito. Foram registradas também 157 outras infrações de trânsito.

 

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Mais de 80% dos atendimentos realizados nos módulos assistenciais de saúde do Carnaval entre a noite de ontem (24) e a madrugada de hoje (25) foram de causas clínicas (dores, tonturas e intoxicação alcoólica), segundo balanço divulgado hoje (25) pela Prefeitura. No total, 4.541 ocorrências foram registradas nos circuitos, com predominância de casos na Barra/Ondina.

O módulo Farol da Barra liderou em número de admissões (916), seguido dos da Ademar de Barros (778) e Sabino Silva (586). O Circuito Batatinha, onde a Prefeitura colocou uma programação diversificada em espaços temáticos, como o Palco Multicultural e o Terreiro do Samba, continua registrando o menor percentual de atendimento, correspondendo a 3% do geral.

Houve manutenção da taxa de transferências em 3%, o que corresponde a 128 pacientes que necessitaram de atendimento em unidades de retaguarda, principalmente as da rede pública, como Hospital Geral do Estado (HGE), UPA Brotas e UPA Vale dos Barris.

Fiscalização - As equipes da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) vistoriaram 33 trios, 27 camarotes e oito marquises, entre as diversas estruturas inspecionadas na segunda-feira (24), penúltimo dia do Carnaval. A operação especial segue até a madrugada da Quarta-feira de Cinzas.

A ação visa checar o cumprimento das normas previstas no ato de licenciamento da atividades. Não houve registro de maiores irregularidades. O órgão também fiscalizou 45 estabelecimentos em relação à atividade comercial, gerando um auto de infração apenas.

O órgão ainda notificou um edifício em relação à manutenção do elevador e manteve as apreensões de armas brancas (duas facas foram encontradas na segunda) e de produtos comercializados ou distribuídos em respeito à legislação que normaliza o patrocínio oficial da folia baiana. Só de bebidas, foram 3.156 unidades apreendidas somente na segunda-feira.

Já a Secretaria de Ordem Pública (Semop) apreendeu, no penúltimo dia de folia, 955 de cerveja nas operações de restrição de marca nos circuitos Dodô e Osmar. Os responsáveis pelos materiais apreendidos só poderão reaver os produtos de quinta-feira (27), na sede da Semop, na Avenida San Martin, mediante pagamento de uma taxa de liberação. No total, foram 1.609 materiais apreendidos (727 no Circuito Dodô e 882 no Osmar), incluindo itens irregulares e de risco.

Armas brancas - Além das duas facas apreendidas pela Sedur, a Semop também recolheu, somente na segunda-feira, 400 armas brancas diversas (espetos, facas, garrafas de vidro). A Guarda Civil Municipal (GCM), por sua vez, já acumulou em todos os dias oficiais da festa a apreensão de 2.365 objetos perfurocortantes, com potencial de arma branca nos dois circuitos. As apreensões resultaram na redução em 40% dos atendimentos por agressões físicas por armas brancas nas unidades de saúde que atendem aos foliões.

Identificação de crianças - Entre as ações preventivas de segurança foi realizada a identificação de 32.755 crianças com pulseirinhas reunindo dados dos responsáveis, facilitando encontrá-los caso os menores venham a se perder na folia.

Transporte - De acordo com Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), 693.070 pessoas foram transportadas pela folia no sistema convencional de ônibus. Já nos veículos do sistema complementar foram transportados cerca de 47.520 passageiros. A linha gratuita Lapa-Calabar, que permite o acesso ao Circuito Dodô, conduziu na quarta noite de operação 129.151 pessoas.

Ontem (24), 19 taxistas foram autuados em casos de recusa de passageiros ou cobrança abusiva. O Elevador Lacerda, que está operando gratuitamente desde as 6h de quinta-feira (20), transportou, na segunda-feira, 35.294 pessoas.

Conexão na folia - Pelo menos 1,7 milhão de foliões usaram, somente na segunda-feira de Carnaval (24), a rede de wi-fi gratuita (Conecta Salvador) disponibilizada pela Prefeitura nos circuitos da folia soteropolitana. Segundo a Companhia Municipal de Governança Eletrônica (Cogel), foram 481.778 envios de fotos em alta resolução e mais de um milhão de acessos às redes sociais, dentre as quais o WhatsApp, com quase 760 mil de acessos.

Ouvidoria - Os foliões também estão ajudando a Prefeitura na apuração da qualidade dos serviços presados. Até a segunda-feira, foram registradas 6.304 demandas, sendo 98,6% referente às equipes de rua e 14% pelo call center (156). Do total de registros, 3.506 foram informações/orientações, 2.087 foram elogios, 341 sugestões, 308 solicitações de serviço e 62 reclamações. Dentre as queixas, estão a cobrança abusiva por taxistas e falta de atrações no Circuito Batatinha (Pelourinho).

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Quem gosta de estilos musicais variados além da axé-music no Carnaval de Salvador ainda pode conferir a diversidade de atrações que movimentam os espaços instalados pela Prefeitura no Circuito Batatinha (Centro Histórico), neste último dia oficial de folia (25). Na Praça Castro Alves, local do lendário encontro de trios entre as décadas de 1970 e 1990, o palco do Pôr do Sol, que já recebeu nomes como Moraes Moreira, Baby do Brasil e Paulinho Boca, apresenta hoje a banda Armandinho, Dodô e Osmar. 

Com mais de 70 atrações, os espaços viraram um caldeirão de ritmos durante a folia de Momo. "Três das quatro ações da Prefeitura voltadas para o Centro Histórico no Carnaval já se tornaram referência e o mais novo produto veio diversificar ainda mais a nossa folia. O Terreiro do Samba, o Palco Multicultural, os quatro dias do Projeto Pôr do Sol e o Origens dão ainda mais significado ao que o Carnaval de Salvador se destina ser, uma festa democrática e plural", declarou o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington. 

Na Praça das Artes, no Pelourinho, o Palco Multicultural terá nesta terça-feira a Banda de Kara no Reggae, Kainna Tawa, Makonnen Tafari, RBF Rapaziada da Baixa Fria, Kamaphew e Aspiral do Reggae, Flora Matos e DJ Tau. Já o Terreiro do Samba, na Praça da Cruz Caída, quem manda é o ritmo brasileiro mais genuíno. A despedida terá Natália Magno, Samba de Mará, Samba 1000 graus, Davi Dias e Samba de Roda Urbano. 

A novidade este ano foi a criação do Palco Origens, montado no Espaço Cultural da Barroquinha desde a sexta feira (21) e que reuniu nomes da batida eletrônica até o rap baiano, com o objetivo de celebrar a música negra independente. Para fechar com chave de ouro a programação, terá DJ Belle, DJ Bruxa Braba, Império Ragga, Daganja, Paulillo e Bailão da Cbx e DJ Cerqueira. 

Com carreira iniciada há um ano e dois meses, o cantor e rapper DJ Cerqueira, de 27 anos, promete fazer os foliões dançarem ao som de “Lendária” e “Grandeza”. “Vão estar no palco artistas da mesma cena musical. Por isso, me sinto acolhido pelo Origens. Já convoquei todo mundo pelas redes sociais. Espero a presença do amigos, fãs e novos seguidores”, disse o novato.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Carnaval no Palco Origens chega ao fim nesta terça-feira (25) reunindo sete atrações. A estrutura, que fica localizada no Espaço Cultural da Barroquinha, no Centro, receberá artistas independentes a partir das 15h. Farão parte da programação os DJs Belle, Bruxa Braba e Cerqueira, além do Império Ragga, Daganja, Paulilo e Bailão da CBX.

Com uma playlist que se mistura entre o funk, o pagodão, o arrocha e outros ritmos, o DJ Paulilo, conhecido por levar o “primeiro paredão 120% LGBTQI+" para espaços públicos de Salvador, apresentará toda sua ousadia e resistência ao palco. “Vai ser uma verdadeira festa. Eu busco levar representatividade. Nós negros, gays, mulheres existimos e sabemos como nos divertir, como nos relacionar e nos unir. Vai ser uma verdadeira festa do amor e respeito”, afirma.

Conceito - O palco Origens, um cenário musical alternativo e da diversidade dentro do Carnaval, foi criado como uma forma de aproveitar este período, que é tão importante para a cena cultural da capital baiana, como uma plataforma de visibilidade para os artistas negros e alternativos.

O espaço contou com atrações que possuem vertentes musicais ligadas ao rap, reggae, R&B, funk, pagode eletrônico e outros ritmos, a exemplo da cantora Larissa Luz, que apresentou sucessos de sua carreira e releituras de faixas conhecidas nacionalmente e internacionalmente.

O local também já recebeu um duelo de rimas e improvisos musicais que deram voz a temas relevantes como o empoderamento feminino e respeito.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Uma das grandes novidades do Carnaval dos Carnavais, o Espaço Mix, localizado no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho, encerra as atividades nesta terça-feira (25), pela manha, com Casinha de Brinquedo e Show da Lore, de Lore Improta, animando a programação infantil. A artista levará grandes sucessos para criançada, como a mais nova canção em parceria com Patati e Patatá, “Passa Passa”, além de “Aula de Dancinha” e “Pipoca”. 

A partir das 16h, a mistura de ritmos tomará conta desse espaço tão multicultural. Subirão ao palco a Orquestra Sérgio Benutti, Tabuleiro Musiquim, Madina, Nêssa, Pedro Pondé e O Quadro. “Vou fazer um show autoral como sempre faço, com uma mistura de composições minhas com canções já conhecidas pela galera. Vão ter dançarinos, vai ter DJ, vai ser bafo! Estou muito ansiosa”, declara Nêssa. 

Nos últimos anos a Prefeitura tem intensificado o incentivo à participação das orquestras populares e temáticas na folia carnavalesca. No Rio Vermelho, por exemplo, é o segundo ano consecutivo que os grupos ganham protagonismo nesta programação especial. 

Consagrando o local como um dos mais ecléticos da folia baiana desde o início do funcionamento, na sexta-feira (21), grande nomes já passaram pelo Espaço Mix. Dentre eles estão a Orquestra Fred Dantas, Rumpilezz, Mr. Armeng, Marcio Mello, Diamba, Alexandre Leão, Orquestra Zeca Freitas, Quabales, Bailinho de Quinta, Larissa Luz, Marcia Castro, Orquestra Sanbone, DJ Telefunksoul, Hiran e Maglore.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...