Esportes

0
0
0
s2sdefault

Salvador vai sediar a abertura do Campeonato Brasileiro de Rally 4x4 de 2018. O evento vai acontecer em uma pista montada no bairro de Canabrava, entre janeiro e fevereiro. O anúncio foi feito pelo prefeito ACM Neto, pelo secretário municipal de Trabalho, Esporte e Lazer, Geraldo Júnior, e pelo presidente da Comissão Nacional de Rally 4x4, o piloto Roberto Cunha, tricampeão da categoria principal. 

"Salvador está abrindo as portas para grandes competições nacionais e também internacionais. Vamos procurar cada vez mais estabelecer novas parcerias visando estimular que nossa cidade seja um dos principais destinos do esporte nas mais diversas modalidades", afirmou o prefeito ACM Neto. 

O secretário Geraldo Júnior fez o convite aceito por Roberto Cunha. "Vamos preparar uma grande pista para receber essa competição e voltar a incluir Salvador na rota das competições automobilísticas", declarou o secretário. Para Roberto Cunha, a competição em Salvador será um marco tanto para a organização do evento quanto para a cidade. "Vamos fazer bonito. Podem esperar". 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Único barco brasileiro a participar da Transat Jacques Vabre neste ano, o Mussulo 40 Team Angola Cables, conduzidos pelo baiano Leonardo Chicourel, 33 anos, e pelo angolano José Guilherme Caldas, 56, cruzou a linha de chegada no Terminal Náutico, no Comércio, em 11º lugar, nesta segunda-feira (27). Os atletas, que competiram na Class40, completaram o percurso de 8 mil quilômetros partindo de Le Havre, na França, até a Baía de Todos-os- Santos em 21 dias, 22 horas e 59 minutos de navegação.

Em entrevista coletiva à imprensa nesta tarde, Chicourel e Caldas se comprometeram a participar da Transat Jacques Vabre 2019 e falaram das dificuldades que tiveram na edição deste ano. Um dos problemas que prejudicou o desempenho da equipe, explicou José Guilherme, foi o pouco ritmo a bordo de uma embarcação que eles tiveram de alugar às vésperas do início da regata.

“Fomos impedidos de participar com um barco que temos. Em agosto decidimos que iríamos participar com um barco alugado (o atual Mussulo). Tivemos que transferir tudo do antigo barco para esse, tudo para não deixar de ter a participação brasileira nesse evento”, disse José, que é médico e mora no Brasil há 40 anos.

Até o dia anterior da largada, no último dia 5, a dupla trabalhou duro para se adequar à nova embarcação. "A nossa principal dificuldade na regata foi de se incorporar ao barco. Não tínhamos um preparo adequado. Mas uma decepção enorme, no segundo dia de competição, foi a quebra dos instrumentos. Não funcionava instrumento de vento, bússola de orientação, piloto automático. Decidimos então parar num porto em Camaret e descobrimos que o problema estava na estação de vento. Perdemos 30 horas nesse período”, completou o angolano.

O vencedor da Class40 foi o barco V and B, dos franceses Maxime Sorel e Antoine Carpentier. Eles cruzaram a linha de chegada na última quinta-feira (23). Caldas acredita que se não fosse pelos problemas técnicos o desempenho da dupla seria melhor. “Estaríamos entre o quinto e o sétimo lugar”. 

Para o itabunense Leonardo Chicourel, a principal intenção em participar da Jacques Vabre 2017 foi ganhar experiência. “Não tínhamos nenhuma ilusão que iríamos ter um resultado melhor. Nosso objetivo era estar entre os 10 primeiros. Podemos dizer que estar na largada da Transat com o Mussulo 40 já foi uma vitória extraordinária, na minha opinião. Tivemos pouco tempo de preparo. A única velejada que a gente deu recentemente foi o transporte do barco da Inglaterra para França”, conta Chicourel.

Início de carreira - Leonardo Chicourel nasceu em Itabuna e veio morar em Salvador quando tinha entre 8 a 9 anos de idade. Durante a coletiva, ele disse que não imaginava que um dia estaria velejando na principal competição de regata do mundo. “Quando criança, corria com kart. Não gostava de barcos. A paixão pela vela começou quando eu tinha 14 anos. Meu pai comprou um veleiro e me colocou como comandante. Foi quando comecei a velejar em oceano”, narrou.

O itabunense, que também se considera soteropolitano, espera alcançar melhores resultados na Transat Jacques Vabre 2019. “Depois que cheguei aqui e fui recebido por meus amigos e várias outras pessoas, percebi a minha responsabilidade. Me sinto mais responsável em continuar a dar o melhor de mim e me sinto muito honrado de representar a Bahia”, destacou.

O Mussulo é o segundo barco brasileiro a disputar a Transat Jacques Vabre. Na edição de 2015, o campeão olímpico Eduardo Penido fez dupla com Renato Araújo a bordo do Zetra. Os dois terminaram a regata, que teve como destino Itajaí (SC), na sexta colocação. Em 2005, Walter Antunes foi o primeiro brasileiro a fazer o mesmo trajeto entre Le Havre e Salvador.

Os quatro vencedores da Transat Jacques Vabre 2017 foram definidos na semana passada. Na Ultime, o campeão foi o Sodebo Ultim' com a impressionante marca de 7 dias e 22 horas de Le Havre a Salvador. Na IMOCA 60, a vitória ficou com St Michel - Virbac e na Multi50 deu Arkema. Na classe do Mussulo, a Class40, o primeiro dos 16 barcos a chegar foi o V and B. A regata largou em 5 de novembro com 37 barcos. Apenas seis ficaram pelo caminho por problemas técnicos, quebras ou capotagem.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Depois da classe Ultim, agora foi a vez de Salvador conhecer a dupla campeã da categoria Mult50 da regata Transat Jacques Vabre nesta quinta-feira (16). A embarcação Arkema, comandada pelo francês Lalou Roucayrol e pelo espanhol Alex Pella, cruzou a linha de chegada, na Baía de Todos-os-Santos, às 7h49 (8h49 no horário de Brasília). Os velejadores levaram 10 dias, 19 horas, 14 minutos e 19 segundos, com uma velocidade média de 16,81 nós, para completar o percurso de Le Havre, na França, à capital baiana.

Na segunda-feira (13), foram conhecidos os vencedores da classe Ultim: os franceses Thomas Coville e Jean-Luc Nélias, a bordo do Sodebo Ultim'. Eles chegaram às 7h59, horário local (8h59 no horário de Brasília), ao fazerem uma média de 22,92 nós, mais de 1 mil km percorridos por dia e quebra de recorde da competição – dois dias e duas horas mais rápido do que o barco Groupama, que realizou o mesmo percurso em direção à capital baiana em 2007.

A expectativa agora é de conhecer os vencedores de mais duas categorias: a Imoca e a Class40 – esta última com a participação do baiano Leonardo Chicourel e do angolano José Guilherme Caldas, a bordo do Mussulo 40 Team Angola Cables.

Vila da Regata – O momento de integração entre os participantes da regata transatlântica e os soteropolitanos continua com a Vila da Regata Transat Jacques Vabre, montada pela Prefeitura ao lado do Terminal Náutico de Salvador, no Comércio. Aberta ao público no último domingo (12), a programação de hoje terá um supershow com muita black music: a banda Funk Machine, sucesso no cenário musical baiano nos anos 1990 e 2000, terá participação do antigo vocalista Adelmo Casé.

Quem aprecia uma boa gastronomia conta com um restaurante – Das Águas – comandado pelo renomado chef baiano Murilo Brocchini. O cardápio especial para a regata traz novidades como as lagostas da Gamboa, ostras de Kaonge e carneiro do Remanso, além de sorvetes e picolés. O espaço do restaurante funciona no varandão do terminal até as 22h.

Para os pais que quiserem levar os filhos, também há um espaço dedicado apenas ao púbico infantil. Na Área Kids, são promovidas atividades de entretenimento com a realização de pinturas de rosto, esculturas em gesso, pinturas de desenhos e muitas brincadeiras.

A programação terá ainda os shows de Márcia Short (dia 17), Alexandre Leão (dia 18), Magary Lord (dia 19), Filhos de Jorge (dia 21), La Playa (dia 22), Carla Cristina (dia 23) e Gerônimo (dia 24). A Vila da Regata é aberta ao público e funciona de segunda a sexta-feira, das 17h às 22h, e sábado e domingo, das 12h às 22h.

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Centro Histórico recebe nesta quinta-feira (15) a segunda edição do Desafio Bike and Run. A competição é destinada a atletas profissionais e amadores de todo país em duas modalidades distintas: Mountain Bike (MTB) e Corrida de Rua. As provas colocam Salvador no cenário de esportes radicais do Brasil. Com inscrições esgotadas e mil atletas participando, o evento é dividido em três competições: a Corrida de Rua, o Mountain Bike e o super desafio, onde o atleta realiza as duas provas.

Para os corredores, o percurso será de 5,7km e tem largada às 6h15, passando pelos principais pontos turísticos da região. Já para os que optaram pela bike, a prova será de 6km, com saída às 7h30 para a primeira bateria, e 9h30 para a segunda. Aqueles que toparem o desafio terão de completar as duas provas (corrida de rua e MTB) neste circuito repleto de curvas, ladeiras e uma belíssima paisagem. A largada e a chegada dos competidores de ambas as provas acontecem na Praça Thomé de Souza.

A competição é promovida pela Prefeitura, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur) e do Movimento Salvador Vai de Bike. O Bike and Run é organizado pela ATP Run Gestão Esportiva, conta com o apoio da Federação Baiana de Ciclismo (FBC) e da Federação Baiana de Atletismo (FBA), além da parceria com a Associação dos Treinadores de Corrida da Bahia (ATEC-BA). Mais informações estão disponíveis no site www.desafiobikeandrun.com.br.

 

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Sete dias, 22 horas e sete minutos após a partida da cidade de Le Havre, na França, para refazerem a antiga “Rota do Café” pelo Oceano Atlântico em direção ao Brasil, os primeiros velejadores da regata Transat Jacques Vabre chegaram a Salvador na manhã desta segunda-feira (13). A dupla de velejadores franceses Thomas Coville e Jean-Luc Nélias, a bordo do Sodebo Ultim', foi a campeã da classe Ultim ao cruzar a linha de chegada às 7h59, horário local (8h59 no horário de Brasília). Eles fizeram uma média de 22,92 nós e mais de 1 mil km percorridos por dia. Com isso, torna-se uma marca histórica da competição – dois dias e duas horas mais rápido do que o barco Groupama, que realizou o mesmo percurso em direção à capital baiana em 2007. 

Com partida realizada no último dia 5, a Transat Jacques Vabre, que conta com o apoio da Prefeitura de Salvador, envolve 38 embarcações e um percurso de 4.350 milhas náuticas - equivalente a 8.056 quilômetros terrestres. Participam desta edição do torneio velejadores oriundos da França, Japão, Reino Unido, Espanha, Suíça, Alemanha, Brasil, Angola, Itália e Omã. As disputas ocorrem nas categorias Class40, Multi50, Imoca e Ultime. Dentre os velejadores está o baiano Leonardo Chicourel que, ao lado do angolano José Guilherme Caldas, está a bordo do Mussulo 40 Team Angola Cables, na Class40. 

A regata revive a antiga "Rota do Café", quando navegadores de diversas partes do planeta deixavam o porto europeu rumo a algum país cafeicultor das Américas. O desfile de cores das embarcações contribui para a celebração dos 516 anos da Baía, originalmente chamada pelos índios tupinambás de Kirimurê, que significa "grande mar interior", e que foi apresentada ao Velho Mundo no dia 1º de novembro de 1501 - Dia de Todos os Santos -, pelo navegador florentino Américo Vespúcio. Salvador já foi escolhida como destino final da regata nos anos de 2001, 2003, 2005 e 2007, e volta a receber a honraria após dez anos.

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) estima que cerca de 450 turistas internacionais visitem Salvador motivados pela regata, durante um período médio de permanência de 15 dias na cidade. A TJV vai gerar um movimento econômico de aproximadamente R$ 4 milhões.

Cultura e diversão – Entre 12 e 24 de novembro, a Prefeitura de Salvador, por meio da Secult, recepciona a chegada dos velejadores, equipes, jornalistas e envolve o público baiano na Vila da Regata, com shows musicais, manifestações culturais, de gastronomia e receptivo. O espaço funciona das 17h às 22h, de segunda a sexta-feira, e das 12h às 22h, nos sábados e domingos. O espaço, que será aberto, vai possibilitar que as pessoas interajam com os velejadores e se divirtam com as atrações artísticas.

Economia náutica e turismo – A Prefeitura, reconhecendo o potencial da Baía de Todos-os-Santos, criou o Comitê de Náutico de Salvador, através do decreto n° 28.231/2016, do prefeito ACM Neto, com o objetivo de desenvolver ações para melhorar a infraestrutura e os serviços, qualificar os profissionais e empresas e atrair eventos nacionais e internacionais para a capital baiana.

A retomada da regata Transat Jacques Vabre, após dez anos, é consequência dessa articulação da Prefeitura iniciada com a promoção do primeiro Congresso Brasileiro para o Desenvolvimento da Economia Náutica, realizado em novembro de 2016, no Yacht Clube da Bahia, quando os participantes abordaram assuntos como a Estratégia de Desenvolvimento da Economia Náutica de Salvador; Políticas públicas voltadas para o segmento náutico; e Mercado Náutico Brasileiro. Neste ano, o evento vai ser realizado a partir do dia 29 de novembro.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Vila da Regata Transat Jacques Vabre vai funcionar deste domingo até o próximo dia 24, das 17h às 22h, de segunda a sextas-feira, e das 12h às 22h aos sábados e domingos. Na segunda-feira (13), às 10h, o prefeito ACM Neto abrirá, oficialmente, o espaço para a imprensa e recepcionará os participantes, admiradores e curiosos desta que é a maior regata transatlântica do mundo. Na ocasião, também será instalado o Comitê Náutico de Salvador.

Durante o período de funcionamento, a Vila da Regata contará com outras apresentações musicais consagradas, como Gerônimo, Márcia Short, Dan Miranda e Filhos de Jorge. As atrações subirão ao palco a partir das 19h.

A regata Transat Jacques Vabre teve início no domingo passado (5), na cidade de Le Havre, na França, e conta com a participação de 37 barcos e 74 velejadores de oito países, incluindo uma dupla brasileira. São quatro classes com os mais modernos e rápidos veleiros de oceano: Ultime, Multi50, IMOCA e Class40. Os primeiros barcos devem chegar à Baía de Todos os Santos neste domingo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Os ventos de outono no hemisfério norte são responsáveis por impulsionar as velas das 38 embarcações que iniciam, neste domingo (5), a travessia do Atlântico, a partir da cidade de Le Havre, na França. A meta dos velejadores que participam da 13ª edição da regata Transat Jacques Vabre (TJV) é alcançar a Baía de Todos-os-Santos, em Salvador, a partir do dia 12 de novembro, após cumprir um percurso de 4.350 milhas náuticas - equivalente a 8.056 quilômetros terrestres.

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) estima que cerca de 450 turistas internacionais visitarão Salvador motivados pela regata, durante um período médio de permanência de 15 dias na cidade. A TJV vai gerar um movimento econômico de aproximadamente R$ 4 milhões.

“Muitos familiares e amigos dos velejadores, além de patrocinadores, jornalistas e amantes do esporte virão à capital baiana para vivenciar a chegada nos barcos. Tudo isso movimentará todos os setores do turismo de Salvador. Estamos honrados em receber a Transat Jacqus Vabre novamente”, pontua o titular da Secult, Claudio Tinoco.

A competição revive a antiga "Rota do Café", quando navegadores de diversas partes do planeta deixavam o porto europeu rumo a algum país cafeicultor das Américas. O desfile de cores das embarcações contribui para a celebração dos 516 anos da Baía, originalmente chamada pelos índios tupinambás de Kirimurê, que significa "grande mar interior", e que foi apresentada ao Velho Mundo no dia 1º de novembro de 1501 - Dia de Todos os Santos -, pelo navegador florentino Américo Vespúcio. Salvador já foi escolhida como destino final da regata nos anos de 2001, 2003, 2005 e 2007, e volta a receber a honraria após dez anos.

Cultura e diversão - Entre 12 e 24 de novembro, a Prefeitura de Salvador, por meio da Secult, vai recepcionar a chegada dos velejadores, equipes, jornalistas e envolverá o público baiano na Vila da Regata, com shows musicais, manifestações culturais, de gastronomia e receptivo.

A Vila da Regata vai funcionar das 17h às 22h de segundas às sextas-feiras e das 12h às 22h aos sábados e domingos. O espaço, que será aberto ao público, vai possibilitar que as pessoas interajam com os velejadores e se divirtam com as atrações artísticas.

Participantes - Participam desta edição do torneio velejadores oriundos da França, Japão, Reino Unido, Espanha, Suíça, Alemanha, Brasil, Angola, Itália e Omã. As disputas ocorrem nas categorias Class40, Multi50, Imoca e Ultime. Representando a Bahia, o piloto Leonardo Chicourel participará da disputa com o barco “Mussulo 40 Team Angola Cables”, na categoria Class 40.

Economia náutica e turismo - A Prefeitura, reconhecendo o potencial da Baía de Todos-os-Santos, criou o Comitê de Economia Náutica de Salvador, através do decreto n° 28.231/2016, do prefeito ACM Neto, com o objetivo de desenvolver ações para melhorar a infraestrutura e os serviços, qualificar os profissionais e empresas e atrair eventos nacionais e internacionais para a capital baiana.

A retomada da regata Transat Jacques Vabre, após dez anos, é consequência dessa articulação da Prefeitura iniciada com a promoção do primeiro Congresso Brasileiro para o Desenvolvimento da Economia Náutica, realizado em novembro de 2016, no Yacht Clube da Bahia, quando os participantes abordaram assuntos como a Estratégia de Desenvolvimento da Economia Náutica de Salvador; Políticas públicas voltadas para o segmento náutico; e Mercado Náutico Brasileiro. Neste ano, o evento vai ser realizado a partir do dia 29 de novembro.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Pouco mais de 40 barcos participantes da 13ª edição da regata Transat Jacques Vabre percorrerão, entre os dias 5 e 12 de novembro, as 4.350 milhas náuticas que separam o continente europeu do sul-americano, perfazendo nestes sete dias a trajetória cumprida pelo florentino Américo Vespúcio. O navegante, durante parte do ano de 1501, viajou de Lisboa a Salvador, encontrando porto seguro naquela que batizou de Baía de Todos-os-Santos. O evento esportivo coincide com a semana em que a baía, originalmente chamada pelos índios tupinambás, de Kirimurê, cujo significado é "grande mar interior", completa 516 anos, fato que ocorre nesta quarta-feira (1º), Dia de Todos os Santos.

Com largada marcada para ocorrer no próximo dia 5, da cidade francesa de Le Havre, a regata terá a participação de velejadores de dez diferentes nacionalidades: França, Japão, Reino Unido, Espanha, Suíça, Alemanha, Brasil, Angola, Itália e Omã, nas categorias Class40, Multi50, Imoca e Ultime. Representando a Bahia, o velejador Leonardo Chicourel participará da disputa com o barco “Mussulo 40 Team Angola Cables”, na categoria Class 40. Parceria entre a Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, e do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo (Setur), a Transat Jacques Vabre já teve a capital baiana como destino final nos anos de 2001, 2003, 2005 e 2007.

Baía de Todos-os-Santos - Enquanto a chegada portuguesa marcou o início da colonização daquela que seria capital e cidade mais importante da então colônia pelos próximos dois séculos, a regata consolida a posição de Salvador como destino de importantes eventos esportivos, fortalecendo o aquecimento do turismo náutico na capital baiana. Com pouco mais de 1.200 quilômetros quadrados de extensão, a Baía de Todos-os-Santos possui 55 ilhas e une Salvador ao Recôncavo Baiano, sendo uma das maiores baías do mundo, onde, em 1549, Tomé de Souza desembarcou para iniciar a construção da fortaleza que seria conhecida como Salvador.

Ainda no mês de novembro, a Prefeitura de Salvador e a Embaixada do Brasil na França vão elaborar uma programação conjunta para promover ações que ocorrerão na Europa em 2018. As sugestões e o calendário para os eventos foram discutidos na ocasião do lançamento oficial da regata, no dia 20 de setembro, no Pavillon des Champs-Elysées, em Paris, durante encontro do embaixador Paulo César de Oliveira Campos e do secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Cláudio Tinoco, que apresentou as principais ações feitas à frente da Secult, citando como exemplos bem sucedidos os contratos de financiamentos, os intercâmbios para o desenvolvimento do turismo, a implantação dos espaços culturais e a requalificação urbanística de Salvador.

Cultura e diversão - Principal evento de atração turística voltada para o aproveitamento da beleza da Baía de Todos-os-Santos e seu entorno, a regata oferece a oportunidade a soteropolitanos e turistas de conhecerem as belezas históricas e naturais da região, bem como aproveitar os atrativos da Cidade Alta, bastando acessar as diversas vias ladeira acima ou os ascensores disponíveis: o Elevador Lacerda e o Plano Inclinado Gonçalves, que podem ser acessados inclusive com bicicletas.

No Pelourinho, os visitantes se deparam com um conjunto arquitetônico colonial barroco português preservado e integrante do Patrimônio Histórico da Unesco. Entre tambores, ladeiras e rodas de capoeira, é possível visitar belas praças, a exemplo do Terreiro de Jesus e Largo do Pelourinho; conhecer a Faculdade de Medicina da Bahia da Universidade Federal da Bahia (FMB-UFBa), que é a escola de medicina mais antiga do Brasil; além da Igreja Ordem Terceira de São Francisco e a Catedral Basílica Primacial de São Salvador.

Berço da cultura afro-brasileira, o Pelourinho tem na Casa do Benin o reflexo da relação entre a Bahia e o país africano, através da cidade de Cotonou. A maior parte do acervo foi colecionada pelo antropólogo e fotógrafo francês Pierre Verger, em suas andanças pelo continente africano. O espaço abriga, também, exposições temporárias e oficinas artísticas. O museu funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. E, agora, toda a região conta com a programação do Pelourinho Dia e Noite, que movimenta as ruas do Centro Histórico de domingo a domingo, com atrações para turistas e baianos, passando por concertos em igrejas, gastronomia, teatro e muito mais.

Palco de uma das vistas mais belas durante o Carnaval, a Orla da Barra reserva belezas culturais e naturais singulares. Nos Fortes Santa Maria e São Diogo, que abrigam os espaços Pierre Verger da Fotografia Baiana e Carybé de Artes, respectivamente, há exposições permanentes e temporárias que apresentam aos visitantes a formação da população e da cultura baiana e revelam novos artistas. Os espaços ficam abertos diariamente - exceto às terças-feiras -, inclusive feriados, das 11h às 19h. O ingresso, com direito a visitação de ambos os fortes, custa R$ 20 inteira e R$ 10 meia (idosos e estudantes).

Entre esses dois equipamentos culturais está o Porto da Barra, excelente opção para quem deseja fazer turismo de Sol e Praia. Esta já foi eleita a terceira melhor praia do mundo pelo jornal inglês The Guardian. Para contemplar o pôr do sol, o Farol da Barra é um dos locais preferidos de baianos e turistas. O equipamento costuma receber centenas de pessoas, que aplaudem o espetáculo natural aos finais de tarde.

Aos que desejam investir no turismo religioso, Salvador possui 372 igrejas. A Basílica de Nosso Senhor do Bonfim é a igreja mais popular da Bahia e uma das mais visitadas da cidade. Isso porque a tradicional lavagem das escadarias, realizada na segunda quinta-feira de janeiro, atrai milhares de peregrinos. A fachada do templo é parcialmente coberta por azulejos e seu interior foi construído em estilo neoclássico. Os portões que circundam o espaço são revestidos por milhares de fitinhas do Senhor do Bonfim, símbolos da fé baiana. As fitas são colocadas por fiéis de todo o mundo que visitam a igreja e fazem pedidos ao Santo.

O templo pode ser visitado todos os dias, das 6h30 às 18h, e a entrada é gratuita. A igreja, que fica localizada na Praça Senhor do Bonfim, no bairro do Bonfim, fica próxima ao Memorial Irmã Dulce, que possui uma exposição permanente sobre o legado de amor e caridade do “Anjo Bom do Brasil”, reunindo mais de 800 peças que ajudam a preservar e manter vivos os ideais da religiosa. O local fica aberto à visitação de terça-feira a domingo, das 10h às 17h.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Mais dois importantes equipamentos esportivos foram entregues totalmente requalificados pela Prefeitura na noite da terça-feira (31): o campo de futebol do Conjunto Baía de Todos os Santos, em Plataforma, e o Campo do Lote, localizado no bairro de Rio Sena, ambos no Subúrbio Ferroviário. A solenidade de reinauguração dos espaços contou com a presença do prefeito ACM Neto, acompanhado de diversas autoridades municipais, a exemplo do titular da Secretaria de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel), Geraldo Júnior; da diretora das Prefeituras-Bairro, Ana Paula Matos, demais gestores e lideranças comunitárias.

Em Plataforma, o prefeito destacou que reconhece a importância do equipamento para o convívio da comunidade e que o espaço representa um convite aos jovens a dizerem não à ociosidade e ao ingresso no crime, além de possibilitar a todos uma vida mais saudável. “Vocês sabem que este campo sempre foi muito utilizado pela comunidade. A prática esportiva acaba sendo motivo para a união das pessoas", reforçou, agradecendo a acolhida dos moradores. O espaço de lazer ganhou alambrados, piso, traves, rede de cobertura e iluminação, além de contenção. Foram investidos no local quase R$ 220 mil.

Em seguida, já no campo do Rio Sena, ACM Neto foi recebido com festa pelos moradores e diversos grupos culturais, a exemplo de uma equipe de capoeiristas, músicos percussivos e da Fanfarra da Escola Municipal Antônio Carlos Peixoto de Magalhães (Famuacpem). O Campo do Lote recebeu novos alambrados, piso, traves, rede de cobertura e iluminação. No local também foram construídos vestiário e arquibancada, além da contenção do campo. O custo da obra foi de R$ 307 mil.

O prefeito também aproveitou a ocasião e assinou a ordem de serviço que autoriza o recapeamento da Rua Rio Sena, localizada no mesmo bairro. A intervenção vai atingir 1.673,45 m² de extensão da rua, com gasto de aproximadamente R$900 mil. Na oportunidade, o prefeito destacou que os investimentos em Rio Sena são uma demonstração do compromisso da gestão com Subúrbio.

"O que motiva a Prefeitura a investir no esporte é exatamente saber que é uma forma de tirar os jovens da rua, de saírem do caminho das drogas. Jovem que muitas vezes se torna presas fáceis para o crime organizado, que se utiliza da inocência, da falta de estrutura familiar e acesso a educação para manipulá-los", frisou. Por fim, o gestor reforçou que deseja ver cada vez mais atletas de Salvador se destacando no cenário nacional esportivo.

Investimentos – Desde 2013, já foram requalificados 276 campos e quadras em Salvador, segundo balanço da Semtel. Mais 22 equipamentos do tipo estão em obras na capital. O investimento tem por objetivo impulsionar alternativas de lazer, saúde e bem-estar, assim como combater o ingresso dos jovens na criminalidade.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...