Esportes

0
0
0
s2sdefault

Operação municipal para o evento funcionou dentro do previsto e Arena Fonte Nova confirma tradição em sediar gols, com dez marcados em rodada dupla

O primeiro dia de realização dos Jogos Olímpicos em Salvador, nesta quinta-feira (4), na Arena Fonte Nova, foi marcado pela tranquilidade, de acordo com o Comitê Gestor Municipal para os Jogos Olímpicos Rio 2016. O esquema montado pela Prefeitura nas áreas de proteção às marcas, atendimento ao público, assistência social e mobilidade, dentre outros serviços, funcionou dentro do previsto para a competição esportiva mundial, mesmo com a chuva que começou a cair na cidade desde a tarde de ontem. Na rodada dupla que abriu os eventos na capital baiana, as seleções da Alemanha e México empataram em 2x2 e a Coreia venceu o Fiji por 6x0.

De acordo com o gestor do Escritório Salvador Cidade-Global (ESCG), Jorge Khoury, também titular do Comitê Gestor Municipal, a estreia dos jogos em Salvador foi muito boa. “As operações municipais transcorreram dentro do planejamento previsto.

Consideramos esse resultado como a evolução de uma equipe que se aprimora a cada megaevento que a cidade recebe. Somado a isso, tivemos um jogo entre duas grandes seleções – Alemanha (atual campeã mundial de futebol da Fifa) e México (atual campeão olímpico de futebol), que proporcionou um grande espetáculo ao público. A Arena Fonte Nova manteve sua tradição em sediar gols, sendo dez marcados em rodada dupla apenas no primeiro dia de competição”, lembrou Khoury.

Trânsito - A Superintendência de Trânsito (Transalvador) realizou o monitoramento do trânsito da cidade durante todo o evento por meio do Núcleo de Operação Assistida (NOA), que ajustou a operação à medida que contratempos eram registrados. De acordo com o órgão, nas vias muito próximas às barreiras do Dique do Tororó, a retenção inicial do fluxo se desfez em cerca de uma hora. Isso porque as barreiras começaram a ser montadas três horas antes da primeira partida, às 14h, e vias adjacentes à Arena serviram como rotas alternativas aos bloqueios, ficando sobrecarregadas.

O NOA registrou lentidão no tráfego das avenidas Vasco da Gama no sentido Rio Vermelho; Garibaldi; Oceânica, entre Ondina e o Rio Vermelho; Reitor Miguel Calmon (Vale do Canela); Joana Angélica e Adhemar de Barros, além do Campo Grande e Vitória. Fatores externos à operação da Transalvador causaram impacto no trânsito durante a tarde. A chuva torrencial que caiu na cidade e um ônibus quebrado na via exclusiva da Avenida ACM comprometeram significativamente a velocidade do fluxo na região do Shopping da Bahia (Iguatemi). O congestionamento alcançou, na Avenida ACM, a Ligação Iguatemi-Paralela (LIP) e as imediações do Corpo de Bombeiros e do Hiperposto. Uma equipe foi acionada e removeu obstáculos de concreto em cerca de 30 minutos, promovendo um desvio para a liberação do fluxo.

Na Avenida Lafayette Coutinho (Contorno), no Comércio, o fluxo foi comprometido no sentido Calçada em decorrência de ônibus quebrado em frente ao Mercado Modelo. Dois bloqueios necessários à passagem das comitivas de seleções, realizados por equipes de segurança na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), sentido Centro, em horário de pico, geraram retenção importante na via e adjacências. Cada bloqueio durou cerca de 25 minutos, após as 17h, comprometendo a fluidez nas avenidas Paralela (após a concessionária Grande Bahia sentido Centro), Octávio Mangabeira (orla), Tancredo Neves, Magalhães Neto, ACM (nas regiões do Shopping da Bahia e do Hospital Tereza de Lisieux), e bairros do Caminho das Árvores, Costa Azul e Stiep.

Não houve acidente relacionado ao evento. As barreiras começaram a ser removidas às 22h25, serviço finalizado às 22h33, quando os torcedores já haviam deixado a Arena Fonte Nova. Ao todo, 17 notificações foram emitidas e sete veículos foram removidos por estacionamento irregular durante os jogos.

Demais serviços - De acordo com a Secretaria Municipal de Urbanismo (Sucom), foram realizadas quatro vistorias e emitidos um auto de infração por publicidade irregular e seis notificações, além da remoção de três faixas e sete materiais publicitários irregulares, seis apreensões de isopor e sombreiro irregulares e dez orientações diversas. Já a Secretaria Municipal de Manutenção (Seman) promoveu ações com limpeza, varrição, lavagem e manutenção de duas passarelas situadas na Avenida Mário Leal Ferreira (Bonocô), além da troca de alguns pisos dos equipamentos, podas de árvores e limpeza da rede de microdrenagem em todo o perímetro olímpico.
A Guarda Civil Municipal (CGM), que atuou em apoio às secretarias municipais de Ordem Pública (Semop) e Urbanismo (Sucom), à Transalvador e nas ações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), contabilizou 27 atendimentos. A maioria foi referente aos serviços de apoio ao trânsito e ordenamento do comércio informal.

A Ouvidoria Geral do Município (OGM), por meio do Disque Jogos Olímpicos 156, contabilizou apenas cinco registros, sendo quatro deles referente a informações sobre mobilidade. Já a equipe volante no entorno da arena registrou 80 ocorrências, sendo 40 pedidos de informação sobre acessos aos portões de entrada, 30 de informações sobre mobilidade (pontos de táxi e de ônibus) e outros 10 de informações gerais, a exemplo da localização de sanitários químicos.

A Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps) realizou ações de abordagem social, com o objetivo de evitar situações de trabalho infanto-juvenil e risco social e pessoal no entorno da Arena Fonte Nova. Durante as atividades, foram registrados cinco cadastros, sendo quatro situações de vulnerabilidade social e uma situação de trabalho infanto-juvenil. Foram realizados quatro encaminhamentos, sendo um para o Centro Especializado de Referência da Assistência Social (Cras) e três para o Centro Especializado de Referência da Assistência Social (Creas).

As atividades foram desenvolvidas por vinte técnicos, distribuídos em cinco equipes, no entorno da Arena Fonte Nova, a partir de duas horas antes até duas horas depois da realização das partidas. Todas as ações foram monitoradas por coordenadores da Semps no Plantão Integrado de Proteção Integral às Crianças e Adolescentes em Grandes Eventos/BA, que funciona na sede Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), no Matatu de Brotas.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Comitê Municipal para os Jogos Rio 2016 apresenta funcionamento da cidade para Corpo Consular e Itamaraty

Os encargos municipais e legado dos Jogos Olímpicos Rio 2016 para Salvador foram apresentados pela Prefeitura ao Corpo Consular da Bahia e ao Itamaraty, na manhã desta quinta-feira (28), em reunião realizada pelo Escritório Salvador Cidade Global (ESCG). Durante o encontro, o cônsul do Japão para o Nordeste, Yasuhiro Mitsui, fez a doação de material esportivo para alunos da rede municipal de ensino, que participaram do Campeonato de Futsal, promovido pela Prefeitura.

Ao abrir o encontro, o secretário Jorge Khoury, titular do Comitê Municipal para os Jogos Rio 2016, falou sobre a importância para Salvador de ser Cidade do Futebol. “É um evento que mais uma vez nos coloca no centro dos grandes acontecimentos esportivos mundiais, o que nos permite não só internacionalizar a cidade, mas ampliar os intercâmbios com outras nações. Nos últimos quatro anos, avançamos na presença e participação de Salvador, inserindo a cidade nas principais redes internacionais, com a C 40, Cidades Criativas da Unesco e Cidades Resilientes”, disse.

Para o Corpo Consular foram apresentadas as responsabilidades da cidade, explicando objetivamente como os segmentos de saúde, infraestrutura, limpeza e coleta seletiva, mobilidade, segurança, turismo e cultura, fiscalização e licenciamento vão operar durante os Jogos Olímpicos. “Já estamos preparados para sediar as partidas de futebol, que começam na próxima semana. A cidade tem tradição em receber bem seus visitantes, e neste caso não será diferente”, afirmou o secretário, lembrando que a ênfase da Prefeitura é o turismo cultural, convidando os visitantes a conhecerem a Casa do Rio Vermelho, os espaços culturais Carybé e Pierre Verger, entre outros.

Atuação logística - A assessoria internacional do município aproveitou a oportunidade para reiterar que toda e qualquer atividade que envolva estrangeiros deve ser comunicada ao Posto do Itamaraty. “Teremos uma atuação logística e de apoio aos consulados em plantão 24 horas, no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR)”, explicou o embaixador Antonio Fernando Cruz de Melo, chefe do Escritório de Representação do MRE - Bahia (EREBAHIA).

Ao falar sobre legado, Jorge Khoury destacou os projetos Transforma e CAMP – Atletas do Futuro. O Transforma contou com o apoio da Prefeitura por meio da Secretaria da Educação (Smed) e do Escritório Cidade Global e formou 50 docentes em rugby, na Escola Municipal de Pituaçu; 50 docentes em tênis, na Escola Municipal Teresa Cristina; 400 agentes jovens e realizou o Desafio Escolar Transforma – Trégua Olímpica. Este último resultou na criação de uma bandeira da paz utilizando materiais diversos. As 10 escolas com o maior número de votos ganharão uma réplica da Tocha Olímpica Rio 2016. A Escola Municipal Jardim Santo Inácio está na disputa.

Outro legado que também impacta na educação é o CAMP – Atletas do Futuro, um projeto voltado para o desenvolvimento de clínicas esportivas com 1.080 crianças e adolescentes de 7 a 15 anos de idade, em seis comunidades. Essa parceria foi com o Clube Alemão Schalke 04, sediado na cidade de Gelsenkirchen e foi encerrada no dia 26 de julho.

Doação de chuteiras - Aproveitando o clima dos Jogos Olímpicos, o cônsul do Japão para o Nordeste, Yasuhiro Mitsui, fez uma doação de 50 chuteiras para alunos da rede municipal de ensino, que participaram do Campeonato de Futsal, promovido pela Smed em parceria com a Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps). Esse é mais um incentivo à prática do esporte por crianças e jovens, divulgando valores como a disciplina, lealdade e respeito. “O Japão aprendeu a jogar futebol com os brasileiros que contribuíram muito para o crescimento dessa modalidade esportiva. E acreditamos que, entre outros, o esporte pode ser um caminho para ampliarmos a relação com Salvador”, disse Yasuhiro Mitsui.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A atleta Rebeca Stefane Conceição, do grupo de alto rendimento de Ginástica Rítmica apoiado pela Secretaria de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps), foi a primeira colocada, na categoria Individual Geral, na soma dos aparelhos arco, fita e bola, da Seletiva de Jogos Escolares, competição que ocorreu em Salvador, neste final de semana. Com esta vitória, Rebeca, que tem hoje 15 anos e treina desde os oito, classificou-se para a etapa nacional que será disputada em João Pessoa, no período de 10 a 15 de novembro deste ano.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Decreto possibilita que a capoeira seja difundida nas escolas públicas e privadas na cidade por meio de convênio

Um dos principais símbolos da capital baiana, a capoeira poderá ser difundida para todos os alunos de Salvador por meio de convênios entre as instituições de ensino e as associações da arte-luta. A Lei 9.072/2016, que reconhece a capoeira como expressão cultural e esportiva, de caráter educacional e formativo, e permite o estabelecimento de parcerias para o ensino da arte-luta nos estabelecimentos de ensino públicos ou privados de Salvador, foi sancionada pelo prefeito ACM Neto e divulgada aos capoeiristas em cerimônia realizada nesta quinta-feira (21), no Palácio Thomé de Souza. Na ocasião, também foi entregue as chaves da Casa da Capoeira ao presidente da Federação de Capoeira da Bahia (Fecaba), Mestre Marcelo Grauçá.

De acordo com a lei, fica reconhecido o caráter educacional e formativo da capoeira em suas manifestações culturais, esportivas e como elemento formador da identidade soteropolitana. Os estabelecimentos de ensino municipais, públicos e privados, poderão celebrar parcerias com associações, federações ou outras entidades que representem e congreguem mestres e demais profissionais de capoeira.

Além disso, o ensino da capoeira poderá ser integrado à proposta pedagógica das escolas, nos termos da Lei nº 4.013/1989, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos e fortalecer a identidade local. Para o exercício da atividade prevista na lei, não se exigirá do profissional de capoeira a filiação a conselhos profissionais ou a federações ou confederações esportivas.

Para o prefeito ACM Neto, o reconhecimento como expressão da identidade do povo soteropolitano faz com que a capoeira apresente também um convite às crianças e jovens não apenas para conhecer a expressão cultural, mas também através dela realizar sonhos e buscar os próprios objetivos. A secretária municipal de Educação (Smed), Joelice Braga, ressaltou que a capoeira já está presente em 75 escolas municipais e que a iniciativa oficializa a parceria já existente entre os mestres, associações e as instituições de ensino, além de possibilitar a ampliação do ensino da capoeira nas demais escolas.

O presidente da Fecaba, Mestre Marcelo Grauçá, lembrou que a capoeira trabalha bastante com o lúdico, coordenação motora, socialização e técnicas de aprendizado, e que no contexto geral traz um resultado bastante positivo para as crianças e jovens que praticam o esporte. “É um reconhecimento que a capoeira está tendo em nosso município, de conseguir celebrar esses contratos junto às escolas. Agora vamos sentar para dialogar e verificar a forma mais prática de atender a todos.”

Ele ainda comemorou, em nome de todos os capoeiristas, a entrega da sede da categoria pela Prefeitura que está localizada na Rua do Sodré, no Pelourinho, e que servirá em breve tanto como ponto de apoio para os capoeiristas da cidade e do estado, como também ponto de visitação de turistas e interessados na arte-luta. Também foi anunciada a recuperação da praça Mestre Bimba, em Amaralina, pela administração municipal.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Festival Estudantil Municipal mobilizou mais de seis mil alunos de 55 escolas da rede municipal durante toda a semana

Um espetáculo de dança, movimento e alegria. Assim foi o Festival de Ginástica Rítmica da rede municipal de Salvador, que mobilizou mais de 400 alunos de sete escolas na manhã deste sábado, no ginásio de esportes do Colégio Dom Bosco. O torneio, que marcou o encerramento do Festival Estudantil Municipal que mobilizou mais de seis mil alunos de 55 escolas da rede municipal, também teve a apresentação das atletas do colégio anfitrião e do Centro de Treinamento de Ginástica Olímpica e Rítmica da Bahia (Gorba).

As atletas competiram nas categorias Mirim (7 e 8 anos) e Pré-infantil (8 a 10 anos), com séries de mãos livres; Infantil (11 e 12 anos), com séries de mãos livres e arcos; e Juvenil (13 a 15 anos), com série de arco e bola. Deste grupo serão selecionadas atletas de destaque para participarem do grupo de alto rendimento da rede municipal de ensino. Além da competição, o grupo de alto rendimento da GR da rede municipal abriu as apresentações e as alunas se apresentaram por equipe representando as suas unidades escolares.

Para a secretária municipal da Educação, Joelice Braga, iniciativas como esta fazem toda a diferença na vida dos alunos. “Hoje é dia de muita alegria e de parabenizar, não só as atletas e seus professores, mas também às famílias por apoiarem e acreditarem no talento dos seus filhos. Nós acreditamos que ações como esta renderam bons frutos para nossas crianças”, comemorou. A importância do festival também foi destacada pela secretária de Promoção e Combate à Pobreza, Ana Paula Matos. “Projetos como este não formam só atletas, formam cidadãos”, reforçou. A presidente da Federação Baiana de Ginástica, Elisa Lemos, também esteve presente no evento.

Participando de sua primeira competição, Samanta Oliveira, 10 anos, aluna da Escola Municipal Cecília Meireles (Castelo Branco), se surpreendeu com a medalha de ouro na categoria Pré-infantil. “Entrei este ano no projeto e não imaginava ganhar, mas estou muito feliz. Sonho em ser atleta e agora eu sei porque é importante investir nos sonhos”, disse emocionada. Além da escola de Samanta, participaram do festival alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Nossa Senhora das Graças (Bonfim) e das Escolas Municipais Adroaldo Ribeiro da Costa (Resgate), Francisco Leite (Águas Claras), Parque São Cristóvão (São Cristóvão), Professor Ricardo Pereira (Cajazeiras) e Senhor do Bonfim (Plataforma).

O Festival - O FEM, realizado exclusivamente para os estudantes da rede municipal de ensino, integra o Festival de Esporte e Lazer do Município de Salvador, realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), em parceria da Secretaria de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps). A iniciativa tem como objetivo fomentar a cultura esportiva escolar, vivenciada sob a forma de atividades recreativas e de jogos esportivos integrados à prática pedagógica esportiva e cultural das escolas públicas municipais de Salvador.

A ação é fruto do convênio firmado entre a Prefeitura Municipal e o Ministério do Esporte e propõe o desenvolvimento de atividades esportivas na cidade de Salvador. Durante toda a semana os alunos competiram em modalidades esportivas, jogos adaptados e atividades recreativas como futsal, voleibol, voleibol sentado, voleibol de lençol, handebol, basquete, baleado, karatê e ginástica rítmica.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Grande final será no sábado (16) com a competição de ginástica rítmica

Muita diversão. Este foi o clima das 15 equipes que disputaram o Festival Estudantil Municipal (FEM), que aconteceu nesta quinta-feira (14), no Clube Recreativo Campomar, em Jaguaribe. As modalidades disputadas nesta quarta-feira (14) foram, baleado e vôlei de lençol, uma atividade adaptada para crianças que disputaram a categoria A (de 8 a 10), através da qual a bola é lançada por um lençol.

As equipes que se apresentaram nesta quarta foram Santa Rita, Manoel de Almeida Cruz, Pituaçú, Antônio de Carvalho Guedes, Orlando Imbassahy, Alfredo Amorim, Arnoldo Ribeiro, Centro Social Neusa Nery, Fernando Presidio, na modalidade Baleado. Já o vôlei de lençol foi disputado por Nossa Senhora dos Anjos, São Braz, Malê de Balê, Tiradentes, Beiru e Senador Antônio Carlos Magalhães.

A ação, que é destinada apenas aos estudantes entre 8 a 16 anos oriundos da rede municipal, é uma iniciativa da Secretaria Municipal da Educação (Smed) em parceria com a Secretaria de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps). Este evento é parte das atividades preparatórias para as Olimpíadas 2016, e tem como objetivo utilizar as atividades recreativas como ferramenta pedagógica para incentivar a prática esportiva escolar.

Mais de seis mil estudantes de 55 escolas municipais participam do FEM, iniciado na última terça terça-feira (12), no ginásio de esporte da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), em Piatã. O encerramento será no Salesiano Dom Bosco, no próximo sábado (16), com a competição de ginástica rítmica.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A 50 dias da abertura dos Jogos Rio 2016, entrou no ar nesta quinta-feira (16) o site http://jogosolimpicos.salvador.ba.gov.br/, criado pelo Comitê Municipal para a competição.

Lá, o torcedor encontra informações sobre as dez partidas de futebol feminino e masculino que acontecerão na Arena Fonte Nova; compra de ingressos; notícias; vídeos; serviços da cidade; informações úteis, turismo e uma tabela completa com as partidas que serão disputadas em Salvador de 4 a 13 de agosto.

O site foi elaborado pelo Escritório Salvador Cidade Global, em parceria com a Companhia de Governança Eletrônica do Salvador (Cogel), órgão da Prefeitura responsável em prover e gerir tecnologias da informação na gestão municipal.

Cidade do Futebol da Rio 2016, Salvador receberá cinco seleções femininas e oito masculinas a partir de 4 de agosto. Jogarão na Arena Fonte Nova as seleções femininas da Austrália, Zimbábue, Nova Zelândia, França e China, e masculinas do Brasil, Fiji, Coreia do Sul, México, Alemanha, Japão, Suécia e Dinamarca.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Já foram vendidos 40% dos ingressos da Arena Fonte Nova para o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos Rio 2016, que será realizado de 4 a 13 e agosto, na cidade. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (31) pelo Comitê Rio 2016 e pelo Comitê Olímpico Municipal para os Jogos Rio 2016. Desse total, 20% foram comprados por torcedores estrangeiros, com maior volume de vendas para alemães, mexicanos e franceses.

A partir do dia 13 de junho, o Comitê Rio 2016 instalará duas bilheterias, com lojas físicas, para vendas de ingressos na cidade. Uma funcionará na Arena Fonte Nova e outra no Shopping da Bahia. Atualmente só existe um canal oficial de vendas de ingressos: o site o Rio 2016 (ingressos.rio2016.com), com vendas inclusive por smartphone.

O diretor de Ingressos do Comitê Rio 2016, Donovan Ferreti, esclareceu que ainda há bilhetes à venda no site com preços bastante acessíveis de R$50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia), que podem ser parcelados no cartão. “O volume de vendas está dentro do esperado. Dos 6 milhões de ingressos disponíveis, 67% foram vendidos. E a curva de vendas aumenta com a proximidade dos jogos”, revelou Donovan Ferreti.

O executivo também afirmou que a passagem da Tocha impacta positivamente na venda de ingressos. “O evento da Tocha deixa a sensação de que os Jogos estão próximos e isso dá um sentimento de urgência nas pessoas, incrementando as vendas”, disse. A ideia, segundo Donovan, é estimular a compra de ingressos com antecedência para que as pessoas possam adquiri-los com preços acessíveis.

“No período dos Jogos, o nosso foco é trabalhar o turismo cultural. Pretendemos nos posicionar como o segundo destino do país, depois do Rio de Janeiro. O nosso expectador dos Jogos Olímpicos é o cidadão voltado para o esporte, o atleta, a família”, revelou o secretário Jorge Khoury, titular do Comitê Olímpico Municipal para os Jogos Rio 2016. “A cidade já está pronta para receber as partidas de futebol. Manteremos o padrão bem-sucedido dos megaeventos anteriores”, concluiu.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Centro Histórico, Elevador Lacerda, Cidade Baixa, Avenida Paralela, Orla, Dique e Barra. A Tocha Olímpica percorreu a cidade durante esta terça-feira (24) para marcar a realização dos Jogos Rio 2016, que será em agosto. O Revezamento da Tocha começou no Largo do Pelourinho, um dos pontos mais representativos da cidade, ao som da banda Olodum. Em seguida, ainda sob o ritmo do samba-reggae, a Tocha seguiu em direção à Praça Municipal, onde foi realizada a apresentação da banda feminina Didá. De lá, desceu o Elevador Lacerda de rapel, chegando até a Praça Cairu, seguindo para o Mercado Modelo e Colina Sagrada.

Desse ponto, a Tocha passou pelas avenidas Paralela, Orlando Gomes, Otávio Mangabeira e Jardim Armação, onde foi recebida pelas apresentações da Quabales e Garampiola. No preposto da Coca-Cola, patrocinadora oficial das Olimpíadas Rio 2016, o ativista social Preto Zezé foi recebido por uma multidão que aguardava ansiosamente pela chegada da chama olímpica. Zezé atua na Central Única de Favelas e é ativista social desde 1991. Na passagem do símbolo, Zezé ressaltou a importância de representar as comunidades carentes. "Temos que mostrar que a favela não é como mostram nas páginas policiais. Ela é um lugar de potência, de gente criativa e do bem. Nós vamos mostrar essa nova favela repaginada, a cara nova da favela do Brasil", contou entusiasmado.

Em seguida, a Tocha passou pela Avenida Manoel Dias, de onde partiu para o Dique do Tororó, onde foi recebida com mais celebração pela Bateria do Apaxes e o Trio Nordestino. Lá, o atleta paralímpico Rener Pereira contornou o Dique de skiff, pedindo a bênção dos orixás. Quem também participou do revezamento foi Ivone Portela, que trabalha com Educação Esportiva na Secretaria Municipal de Educação (Smed). "Tivemos aqui um momento único, do encontro de duas culturas grega e afrobrasileira. É a chama da deusa grega Hera, saudando os Orixás do Dique. Uma imagem carregada de simbolismo", afirmou Jorge Khoury, gestor do Escritório Salvador Cidade Global (ESCG), responsável pela organização do Revezamento da Tocha em Salvador.

A Tocha passou ainda pela Avenida Centenário, Morro do Cristo – com a apresentação do Coreto Elétrico –, pela Avenida Oceânica, finalizando o percurso no Farol da Barra. "Tivemos um bom resultado. Salvador mostrou o que tem de mais importante: o seu povo, a sua cultura. Que venham os Jogos para repetirmos o sucesso que temos obtido nos megaeventos esportivos que sediamos ao longo dos últimos três anos", apontou Khoury, que acompanhou parte do revezamento com o chefe da Casa Civil, Luiz Carrera, o chefe de Gabinete do Prefeito, João Roma, a vice-prefeita Célia Sacramento, além do secretário municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza, Bruno Reis.

Pira da Celebração - Já no Farol da Barra, o cantor Thiaguinho acendeu a Pira da Celebração, simbolizando o término da passagem da Tocha por Salvador. Thiaguinho disse que o momento é importante não só para Salvador, mas para o mundo, e que certamente esse dia ficará marcado em sua vida. "Salvador está no meu coração e eu dedico esse momento aos meus pais, que são professores de educação física, e a cada um dos soteropolitanos que querem que os jogos sejam maravilhosos e desejam passar uma boa imagem para o mundo", afirmou o cantor, que fez parte da programação de shows na Barra junto com Jammil, Jota Quest e a cantora Daniela Mercury, além de DJs.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...