0
0
0
s2sdefault

O trabalho de prevenção a partir de palestras, identificação e mitigação de situações de agressão física e verbal nas escolas da rede municipal de ensino ganhou um forte incremento com as ações da Patrulha Escolar, com direito a uma boa avaliação do tripé envolvido: escolas, Guarda Civil Municipal (GCM), alunos e familiares. Somente em abril passado, quando as ações foram intensificadas a partir do Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola (dia 7), cerca de 1,6 mil alunos passaram pelas palestras de orientação e quatro escolas receberam ações contínuas, sendo duas em Engomadeira e duas na região da Cidade Baixa.

As atividades consistem em visitas periódicas às unidades de ensino, promovendo a identificação e prevenção de situações de violência, vandalismo e demais ocorrências que colocam em risco a integridade física e emocional dos alunos e da comunidade escolar. Nos encontros, os estudantes aprendem sobre boas práticas de convivência e como reconhecer e evitar cyberbullying – este tipo de ocorrência passou a ser considerado crime, conforme a lei 14.812/2024. Sendo assim, penaliza o agressor, pais, responsáveis e até mesmo as unidades escolares onde o bullying aconteceu.

A Patrulha Escolar tem promovido melhoria no comportamento coletivo em escolas com alto índice de ocorrências. A diretora da Escola Municipal da Engomadeira, Jaciara Nogueira Araújo, lembra que começou a notar mudanças significativas no convívio das crianças desde o ano de 2023, quando a GCM fez a primeira intervenção na unidade. "No início, eu confesso, não acreditei que isso ia prosperar. Mas, após algumas visitas da Guarda Municipal, foi possível notar um efeito bastante positivo”, declara.

O reconhecimento do resultado do trabalho é explicado pela gestora. “Esse ano estamos colhendo frutos, com a presença da GCM cada vez mais próxima da escola, conversando com os estudantes, se aproximando das famílias, o que tem garantido para a escola uma segurança maior, demonstrando para as famílias que realmente é esse o caminho a seguir, para que os alunos entendam que a escola é um espaço de respeito", completa.

Benefício pedagógico – De acordo com Jaciara, as crianças demonstram ter admiração pelos guardas municipais, e essa aproximação tem sido essencial para os meninos que têm um comportamento inadequado. "Os guardas sentam com eles para mostrar a importância do bom comportamento e como um comportamento inadequado interfere no pedagógico. Isso inspira esses meninos, que sonham inclusive em se tornar multiplicadores do que é ensinado ali".

Raquel Conceição dos Santos, 11 anos, aluna do 4⁰ ano B da Escola Municipal da Engomadeira, lembra que já presenciou muitas situações do tipo. "Era algo bem comum ver algumas crianças praticando bullying, e isso vem diminuindo a partir das conversas da equipe de professores, dos guardas, falando que além de ser algo muito errado, é também um crime. Quando a guarda esteve aqui, falou de coisas que são bastante sérias, mas de um jeito fácil de entender a gravidade. Depois da palestra, a situação do bullying mudou bastante", conta.

Presença constante – De acordo com o coordenador de Patrulhamento Escolar da GCM, Ubirajara Azevedo, o objetivo da operação é tornar as rondas da Patrulha Escolar mais eficientes, com os agentes permanecendo cada vez mais tempo no ambiente escolar. Os guardas atuam como monitores disciplinares, fortalecendo o desenvolvimento do senso de respeito e de coletividade, a partir da orientação dos alunos da rede municipal de Salvador sobre as regras de convivência social, na resolução de conflitos de forma pacífica e como conviver uns com os outros durante todo ano letivo, de forma civilizada. Esse trabalho intensivo ocorrerá, de forma estratégica, até o fim do ano.

"Fazemos a palestra e retornamos ao local cerca de dez dias depois, para conferir os resultados, no que chamamos de "pós palestra". Vamos de sala em sala conversando, perguntando se ainda lembram da palestra e se estão aplicando as regras da boa convivência em sala de aula e na vida privada, reformando os ensinamentos em um trabalho constante, a partir da ação que chamamos de ‘Comportamentos e Atitudes Positivas’”, explica Azevedo.

Semana da Disciplina – A ação busca atender especialmente escolas com altos índices de comportamentos inadequados e violentos dos alunos. Nestes locais mais complexos, a patrulha tem uma ação mais demorada, chamada Semana da Disciplina, onde é explicado como lidar com esse tipo de situação de forma mais adequada. A ação ocorre por meio de palestras educativas e ações diretas nas escolas com a equipe antibullying.

Além da GCM e da Secretaria Municipal de Educação (Smed), o esforço contra o bullying conta com a parceria de entes como o Conselho Tutelar, a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), através da
Diretoria da Infância e Juventude, assim como a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente (Derca), Delegacia do Adolescente Infrator (DAI) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA).

Patrulha – A Patrulha Escolar é um destacamento de agentes da GCM em apoio à Smed, com efetivo de dez viaturas e 40 agentes atuando diariamente à disposição da rede municipal de ensino. A unidade é responsável por realizar rondas periódicas nas unidades escolares, identificando e prevenindo situações de violência, vandalismo e demais ocorrências registradas na comunidade escolar.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...