Réveillon

0
0
0
s2sdefault

De baixo, seu topo é inalcançável e se mistura com as cores azuis, vermelhas e brancas do contorno, piscando a todo instante. De cima, suas gôndolas tornam-se porta-vozes de uma vista incrível da Orla de Salvador. Estamos falando dela, a Roda Gigante do Festival Virada Salvador, que já no primeiro dia atraiu cerca de 10 mil usuários.

A expectativa e aflição de quem entra na cabine é grande, principalmente para aqueles que temem altura. Em alguns minutos, a dimensão do palco reduz tanto que é possível ver, ao longe, o cantor que se apresenta, bem como cada cantinho da Arena: a Vila Pelô, os Food Trucks e o Espaço Kids. A multidão vai se tornando miniatura de gente. Ao chegar ao topo, o mar e o contorno iluminado da avenida em direção à Itapuã se apresentam majestosamente aos olhos.

Toda essa sensação faz da experiência do passeio um momento especial. "Foi fantástico!", disse, em Língua Brasileira de Sinais (Libras), a estudante Natália Faria, 19, que nunca tinha brincado em uma roda gigante antes. Ao lado do pai e dos amigos, ela se divertiu e se deslumbrou com a vista. Alice Maciel, de 5 anos, que a acompanhou na empreitada, também ficou encantada. “Eu vi muita coisa e não fiquei com medo. Não tenho medo de altura”, disse a desbravadora.

Quem também deu uma volta no brinquedo foi a estudante Larisse Couto, 22. Cadeirante, ela não teve dificuldade de acessar o equipamento, que conta com uma gôndola adaptada. Como consegue andar acompanhada, ela preferiu ir numa gôndola comum, ao lado da amiga Mariana Lopes, 22. “Gosto muito de aventura e estava ansiosa para brincar. Tudo que tem altura eu estou dentro. Já a minha amiga só veio comigo hoje por causa da roda gigante”, contou.

Acesso – O passeio na maior roda gigante transportável da América Latina é gratuito e pode ser realizado até o dia 1º, último dia do Festival Virada Salvador. Ela comporta até 140 pessoas em cada passeio, distribuídas em 24 gôndolas, com limite de seis pessoas em cada uma. Cada participante tem direito a uma volta. Esse é o mesmo equipamento que esteve no Rock in Rio desse ano. Com 100 mil lâmpadas de LED instaladas, o brinquedo é também ótima opção para fotos e selfies. Pensando na acessibilidade, uma das gôndolas da roda gigante é adaptada para uma cadeira de rodas e um acompanhante.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Com "Do Mesmo Jeito", do álbum Velocia (2014), Samuel Rosa, Henrique Portugal, Lelo Zanetti e Haroldo Ferreti, entraram em campo no Festival Virada 2018. O jogo seguiu lembrando que "bola na trave não altera o placar", mote que embala o hit "Uma Partida de Futebol", onde os músicos do Skank, atleticanos e cruzeirenses, fizeram o público vibrar como quem comemora um gol aos 45 do segundo tempo, com direito a chapéu, drible desconcertante e desmoralização do goleiro, pela carência de humildade em gol.

Com 26 anos de estrada, a banda honrou a plateia, queimando até a última ponta de emoção com sucessos do naipe de "Uma Canção", "É Proibido Fumar" (Roberto Carlos/Erasmo Carlos) e "Saideira". De olhos vidrados hoje, como se fossem ainda os mesmos adolescentes que há 12 anos fundaram o Los Skankeiros, Caroline da Luz e Felipe Arouca - dirigentes - comandam um dos mais longevos e atuantes fã clubes da banda.

Mais distante do que desejava, o grupo - que somente na capital baiana conta com mais de 100 sócios -, se emocionaram e estenderam camisetas com o nome da banda mineira quando escutaram a guitarra latina de "Canção Noturna", do algum "Maquinarama", um dos maiores êxitos do quarteto. E entoavam juntos "Minha camisa estampada com o rosto de Elvis. A minha guitarra é minha razão. Minha sorte anunciada e misteriosamente a lua sobre nada", emoção que terminou em lágrimas na plateia.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Três crianças de colo estão entre as 30 acolhidas no Espaço de Convivência montado pela Prefeitura para receber filhos de ambulantes ou jovens em situação de vulnerabilidade social durante o Festival Virada Salvador. São duas crianças de 10 meses e uma de oito meses, que recebem cuidados especiais no espaço que foi montado na Escola Municipal Luiza Mahin, situada na Avenida Simon Bolívar, Boca do Rio, próximo ao Centro de Convenções. O local está adaptado para receber crianças com idades entre 0 e 17 anos.

A medida tem sido implantada pela Prefeitura em festas populares, a exemplo da Lavagem do Bonfim, da Festa de Iemanjá e do último Carnaval. O espaço funciona 24 horas, nos moldes de uma hospedaria, até o dia 1º de janeiro. No local, as crianças são subdivididas de acordo com a idade e o sexo. Elas têm direito a todas as refeições do dia, atividades lúdicas e brincadeiras, incluindo uma festa de Réveillon onde os pequenos poderão brincar vestindo fantasias confeccionadas por eles mesmos durante a estadia.

A titular da Secretaria de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Taíssa Gama, afirma que o serviço já foi inclusive elogiado pelo Ministério Público estadual por incentivar a erradicação do trabalho infantil. “Esse espaço fortalece a rede de proteção aos jovens da nossa cidade. À noite, elas são divididas por idades, com a supervisão de assistentes sociais, pedagogos e psicólogos, tudo com segurança. Esse é um projeto que só tem a crescer para as próximas festas na cidade”, avalia a secretária.

A unidade de acolhimento pode abrigar até 100 jovens, que devem chegar ao local conduzidos voluntariamente pelos pais ou responsáveis. É necessária apresentação de documento de Identidade ou certidão de nascimento do filho, além de RG e comprovante de residência do pai/responsável. Também são realizadas abordagens pelo Conselho Tutelar para verificar casos onde é aconselhado o acolhimento. Todas serão identificadas por meio de pulseirinhas no momento em que chegarem à escola.

Baile de fantasia – Confete, jogo de luzes e panos coloridos farão parte de um grande baile à fantasia no dia da virada, no próximo domingo (31). O evento terá início às 19h. Os meninos e meninas vão produzir as próprias fantasias que vão utilizar durante a festa, a partir de materiais disponibilizados pela SPMJ. Acessórios e pinturas vão complementar o look. O baile terá animadores, lanche e uma pausa para assistir ao espetáculo piromusical, que acontece próximo à escola.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Quem vai curtir as atrações do Festival Virada Salvador 2018 também entra em contato com um pedacinho da cidade – mais precisamente o coração histórico e cultural da capital baiana. É a Vila Pelô, que funciona todos os dias na Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio, e reúne diversos estabelecimentos com as mais variadas opções de gastronomia para o público.

São seis os estabelecimentos participantes: Sandwich Hall, Sukiyaki, Beiju Café, El Greco, Originale e The Butcher. Ou seja: garantia de um mix variado de opções, que engloba desde sanduíche a yakissoba, passando por beiju, churrasco, pastel e batata frita. Tudo isso para dar uma “sustança” às pessoas que enfrentam a maratona de mais de 10 horas de evento por dia. A Vila Pelô funciona até o dia 1°, das 16h até o fim dos shows, e os estandes aceitam pagamento em dinheiro ou cartões de crédito ou débito.

Idealizada pela Empresa Salvador Turismo (Saltur) em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Seção Bahia (Abrasel-BA), a intenção desse cantinho especial foi homenagear o Centro Histórico, fazendo com que as pessoas possam sentir ainda mais o clima da soterópolis. E o cenário encanta, ao retratar os casarões coloridos e o largo que marcam um dos pontos mais visitados da capital.

O gestor de Alimentos e Bebidas e coordenador da Vila Pelô, Alexandre Martins, afirma que a estrutura está bem melhor, em comparação ao que foi disponibilizado no Réveillon do ano passado. “Considerando a quantidade de alimentação existente, (o resultado) nos surpreendeu positivamente. A mudança de local foi fundamental para a grandiosidade que o evento merece. Circulando entre as pessoas, só ouvi elogios, e a cenografia da Vila Pelô se tornou um ponto turístico maravilhoso na festa”, avalia.

Revitalização – Além da homenagem, a Vila Pelô também marca o processo de revitalização do Centro Histórico de Salvador, promovido pela Prefeitura e que inclui o Pelourinho e entorno. O ponto alto dessa transformação é o megaprograma de desenvolvimento econômico Salvador 360, que tem como um dos eixos o Centro Histórico, lançado em agosto deste ano.

Com investimento inicial de R$200 milhões para os próximos quatro anos, estão previstas 40 ações distribuídas em oito eixos: Incentivos, Intervenções Urbanas, Equipamentos Estruturantes, Mobilidade, Habitação, Regulamentações, Cultura e Gestão. Com isso, a medida pretende impulsionar investimentos, infraestrutura, ocupação de espaços e, principalmente, a geração de emprego e renda no coração da cidade.

Dentro do programa, já foi lançada a segunda edição do Pelourinho Dia e Noite, que reúne nove ações calendarizadas e promoção de 11 intervenções culturais gratuitas por semana, que acontecem nas ruas e envolvem múltiplas linguagens, a exemplo da fotografia, música e teatro. Todas elas produzidas pelos próprios atores residentes e que movimentam a região. A iniciativa é administrada pela Diretoria de Gestão do Centro Histórico, vinculada à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) e criada este ano para melhor administração e acompanhamento das ações de melhorias para a região.

Outra realização, que deve ser entregue no início de 2018, é a Casa do Carnaval. A estrutura ocupará um imóvel municipal recém-reformado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan), na Praça da Sé, e vai reunir um acervo carnavalesco permanente para preservação da memória e divulgação da festa. Com quatro pavimentos e vista panorâmica para a Baía de Todos-os-Santos, as instalações oferecem ferramentas e instrumentos que possibilitarão o uso de tecnologias, como projeções, áudios e realidade virtual, que vão conferir interatividade ao acervo da casa.

O Salvador 360 Centro Histórico também envolve investimentos em requalificação de equipamentos e locais importantes da região, como a Avenida Sete e as praças Castro Alves, Terreiro de Jesus, Cairu e Marechal Deodoro, além dos terminais da Barroquinha e Aquidabã. O conjunto de iniciativas também prevê a implantação do Museu da História de Salvador e Museu da Música Brasileira, ambos no Comércio. Também é disponibilizado incentivo fiscal para interessados em ocupar imóveis degradados ou em desuso, por meio do programa Revitalizar.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault


Os cantores Rafa e Pipo Marques foram a primeira atração do segundo dia do Festival Virada Salvador nesta sexta-feira (29). A dupla, que subiu ao palco da Arena Daniela Mercury pelo segundo ano consecutivo, exaltou o crescimento do evento. “O Brasil inteiro está com os olhos aqui neste festival. É o maior Réveillon do país. Se rolar outro convite, estaremos aqui todos os anos”, confessou Rafa em entrevista exclusiva para a Prefeitura.

Enquanto se preparavam para a apresentação, os irmãos aproveitaram para falar da diversidade musical que o evento vem promovendo no cenário musical. “Desde os outros anos já tinha essa característica. O show ganhou magnitude. Por conta da visibilidade que o lugar tem, da capacidade de público. A miscigenação de ritmos é maravilhosa”, disse Pipo.

Há duas semanas, Rafa e Pipo lançaram a música "Sarrando", em parceria com o cantor Léo Santana. O vídeo, gravado no Subúrbio Ferroviário de Salvador, conta com a presença de modelos reais e dançarinos que curtem a trilha sonora entoada pelo trio. O clipe já soma dois milhões de visualizações no Youtube.

“Essa música vai acrescentar muito no Carnaval. Estaremos em dois dias bloco, com o Banana Coral na sexta e no sábado. É um bloco que vai para o oitavo ano e que é o maior bloco jovem da Bahia”, disse Rafa, informando que a dupla também se apresentará no Ceará e Piauí no período de folia.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Quando os ponteiros do relógio se cruzarem, marcando meia-noite do dia 1º de janeiro de 2018, quem estiver na Arena Daniela Mercury durante o Festival Virada Salvador poderá apreciar um verdadeiro espetáculo de queima de fogos. Para a atração, que vai literalmente abrilhantar a chegada do novo ano, 11 toneladas de fogos se traduzirão em 15 minutos de show piromusical.

Um repertório de canções foi escolhido para acompanhar do início ao fim a queima, que ocorrerá na areia da praia da Boca do Rio, atrás da Vila de Pescadores. Será o primeiro ano que o evento acontecerá no local. Neste sábado (30), às 13h, o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, fará vistoria dos explosivos no local do evento.

A Saltur também promoverá a queima de fogos em mais 16 pontos da cidade. Para isso, o órgão designará mais seis toneladas de explosivos. As localidades que serão contempladas são Barra, Rio Vermelho, Amaralina, Jardim de Alah, Patamares, Itapuã, Boa Viagem, Ribeira e Paripe, além de Cajazeiras 10, Santo Antônio Além do Carmo e Periperi. A atração também ocorrerá nas ilhas de Paramana, Bom Jesus dos Passos, de Maré e de Santana.

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Semps e Guarda Civil somam esforços para identificar crianças com pulseiras

Equipes da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) cadastraram 24 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social, que exerciam atividade laboral ou estavam na companhia dos familiares/responsáveis no primeiro dia do Festival Virada Salvador. Deste montante, cinco foram encaminhados para Centro de Convivência Socioassistencial, nove para o Conselho Tutelar e 10 para os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Ainda durante a atuação da Semps, no circuito da Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio, 29 crianças e adolescentes foram identificados com pulseiras, que contêm número de telefone e dados dos familiares. Já através da atuação da Guarda Civil Municipal (GCM), outras 1.881 crianças foram identificadas com pulseiras. Aliado ao serviço, os agentes também  encaminharam três crianças ao espaço de acolhimento para filhos de ambulante e devolveram outras três que estavam perdidas, em meio à movimentação da festa, aos seus responsáveis.

Como forma de instruir baianos e turistas que chegavam para curtir as atrações, os guardas ainda distribuíram 500 cartilhas com dicas e normas de segurança. A medida integra as ações de prevenção à violência que o órgão executa no local dos festejos, a fim de garantir a comodidade dos cidadãos. A GCM participa do Festival Virada Salvador com o efetivo de 510 agentes por dia, prestando apoio a diversos órgãos do município na proteção ao patrimônio público, atividades de fiscalização, além de ordenamento e patrulhamento preventivo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Para que tudo ocorra bem nos cinco dias de festa do Festival Virada Salvador, a Defesa Civil de Salvador (Codesal), junto a outros órgãos, públicos ou privados, com a finalidade de vistoriar a área do evento em busca de possíveis riscos, operação que vem sendo realizada antes mesmo do início do evento. A varredura tem como foco a prevenção de acidentes e assegurar a integridade física dos 2,5 milhões de pessoas, público flutuante estimado para os cincos dias de festa na Arena Daniela Mercury, reduzindo as causas potenciais e as consequências de possíveis contingências.

"Técnicos da Defesa Civil realizaram vistorias de modo a identificar as vulnerabilidades existentes e propor medidas para diminuir os riscos, contribuindo para a segurança da população, além de possibilitar agilidade nas ações de resposta aos acidentes que possam ocorrer", afirma o diretor geral da Codesal, Sosthenes Macedo, acrescentando que a Codesal manterá equipe de plantão para qualquer eventualidade com dois postos, um na área interna e outro na externa, onde haverá a queima de fogos.

Ele explica que megaeventos, como o Carnaval e o Réveillon, requerem a elaboração de um plano de contingência, ferramenta que direciona a atuação conjunta dos órgãos integrantes do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC). A concretização destas ações da Defesa Civil, ressalta o diretor geral, depende da participação efetiva dos diversos órgãos da estrutura municipal e estadual, além dos segmentos da sociedade civil, que, quando necessário, numa ação articulada e sob a coordenação do órgão, serão devidamente acionados de forma a solucionar qualquer situação de anormalidade que venha ocorrer e que possa colocar em risco a segurança dos frequentadores.

Cabe à Defesa Civil definir estratégias de atuação conjuntas, participando de reuniões com os diversos órgãos setoriais e de apoio ao SMPDC; analisar as rotas de fuga; identificar as ameaças múltiplas existentes, relativas à segurança da população; propor medidas para a minimização da vulnerabilidade da população a essas ameaças; supervisionar com equipes especializadas toda a área do evento, observando as condições de segurança; viabilizar o perfeito funcionamento da comunicação entre as equipes operacionais da Codesal, além de disponibilizar os meios necessários para o atendimento emergencial, de forma coordenada.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Assim que a última atração da primeira noite do Festival Virada Salvador chegou ao fim, as equipes de limpeza entraram em ação para organizar toda a Arena Daniela Mercury e as vias do entorno. Na manhã desta sexta-feira (29), a Limpurb recolheu 30.1 toneladas de resíduo na região da festa. Para garantir a higienização do local, foram utilizados 290 mil litros de água, 940 litros de detergente e 8 compactadores, 4 carretas pipa e 7 caminhões pipa.

No espaço, estão disponíveis 555 sanitários químicos e 21 contêineres climatizados. Esses equipamentos são higienizados de forma contínua durante o evento. Nessa primeira noite, três sanitários já sofreram ações de vandalismo. A operação de limpeza segue até o próximo dia 1º, numa grande mobilização para garantir que no menor tempo possível tudo esteja limpo.

Segundo o presidente da Limpurb, Kaio Moraes, às 5h da manhã, durante todos os dias de Festival, são iniciados os trabalhos de varrição, coleta e lavagem na Avenida Otávio Mangabeira e entorno. “O Réveillon acontece em uma área nova e nós preparamos um esquema especial para garantir a limpeza da região. Os serviços devem ser finalizados até as 8h para evitar transtornos no trânsito”, assegurou o presidente.

Na sequência, os agentes seguem para a praia e parte interna da Arena Daniela Mercury. Nessas áreas, todo o processo deve ser finalizado até as 11h. “Depois disso, o espaço já está pronto para receber mais um dia de Festival. E, assim como acontece no Carnaval, a pretensão é que não haja vestígios de que houve festa no dia anterior e todos possam curtir mais um dia", completou Kaio Moraes.

A arena conta com um ponto para a coleta de reciclável, com o apoio de uma cooperativa que assume o papel de contribuir para a sustentabilidade. Esta ação é feita através da Secretaria Cidade Sustentável e Inovação (Secis), que disponibilizou aos 10 funcionários da cooperativa cerca de 80 big bags (sacos grandes), e os devidos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), com camisas, bermudas, bonés, botinas, luvas e protetor auricular.

Outros pontos - Além da operação na Arena Daniela Mercury, na Orla da Boca do Rio, onde acontecem os shows do Festival Virada Salvador, as ações alcançam toda a Orla marítima, desde São Tomé de Paripe até Ipitanga. São 232 agentes atuando no Festival. Contabilizando o trecho de toda a Orla, são mais de 1,6 mil colaboradores. E no restante da cidade, a coleta segue regularmente.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...