Geral

0
0
0
s2sdefault

Como parte do projeto Brota Arte no Engenho – Riqueza Cultural e Ancestral, a Associação Comunitária Santa Luzia, no bairro do Engenho Velho de Brotas, recebeu esta semana a Oficina de Confecção de Acessórios com Materiais Recicláveis. No local, 25 alunas aprenderam técnicas de produção de colares, pulseiras, brincos e adereços, com o uso de plástico, garrafas PET, lacres, latas, sisal e palha. A atividade é apoiada pela Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

O projeto englobou, ainda, a realização de uma palestra sobre Sustentabilidade e Reuso de Materiais, apresentada pelo engenheiro sanitarista e ambiental Elson Souza. Já as aulas da oficina ocorreram nos dias 6, 7 e 8, no turno vespertino. O projeto será concluído com um desfile, no dia 9 de junho, às 18h, no Cine Teatro Solar Boa Vista, com uma coleção inspirada nas manifestações artísticas, culturais e religiosas e nos artistas e personalidades do bairro. As peças que foram produzidas durante a oficina também irão compor o figurino dos modelos.

Valorizar o bairro – “A oficina tem sido totalmente satisfatória, inclusive tem superado as nossas expectativas. Muitas pessoas que demonstraram interesse logo de início apareceram e trouxeram outras pessoas também. No segundo dia quase o dobro apareceu. Isso mostra que a comunidade é realmente carente de cursos e oficinas que ocupem o tempo e ofereçam novas oportunidades”, conta o estilista e idealizador do projeto, Cid Brito.

Brota Arte no Engenho visa exaltar o potencial e a fonte de arte e cultura do Engenho Velho de Brotas. O verbo “brotar” faz uma brincadeira com o nome do bairro: Brotas. A iniciativa buscou agregar profissionais e personalidades da própria localidade, a exemplo da professora da oficina, que é designer e comerciante do bairro, do idealizador do projeto, do engenheiro que apresentou a palestra, dos alunos e das pessoas que irão participar do desfile, algumas delas modelos que moraram ou ainda moram no Engenho Velho de Brotas.

“Eu sou nascido e criado aqui no bairro e tudo que aprendi foi observando as manifestações culturais que surgiram daqui ou que aqui aconteceram. Eu me firmei hoje como estilista tendo como primeira experiência a produção de roupas para quadrilhas juninas daqui. Hoje, eu trabalho com moda e com adereços para religiões de matriz africana”, afirma Brito.

Produção e preservação – Para a professora Rosana Souza, que trabalha com design e acessórios há 25 anos e tem uma loja no bairro onde expõe os seus produtos, a oficina foi oportuna. “As meninas entenderam que com tampinhas de garrafa e fundo de latinha é possível fazer lindos brincos, que com tecido é possível fazer colares, pulseiras e brincos, e elas estão tão encantadas que estão perguntando se o curso vai ter continuidade. Além disso, a gente deixa de jogar no lixo o que pode reciclar”, opina.

A operadora de telemarketing Nair Valente, de 37 anos, relata que o curso a colocou em contato com uma prática que sempre admirou. “Eu sempre gostei de bijuterias que são feitas a partir do artesanato, pois quando você prepara uma peça, ela se torna especial e ganha um toque pessoal. Eu acho muito interessante. Além disso, a gente está aproveitando materiais recicláveis ao invés de descartar na natureza e é uma possibilidade de trabalho ou de renda extra. Eu até mostrei para o meu filho o brinco que produzi e ele ficou admirado”.

“O projeto está de parabéns, pois é uma forma também de ensinar técnicas que irão ajudar na preservação do meio ambiente. Os acessórios que a gente está produzindo aqui são lindos, podem ser uma fonte de renda, portanto é uma ação bastante louvável. Meu desejo é que venham outras e que os alunos também possam multiplicar. Eu mesma já vou passar esse conhecimento adiante”, disse a aposentada Edmea Coelho, de 70 anos.

Territórios Criativos – O projeto Brota Arte no Engenho – Riqueza Cultural e Ancestral foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, gerido pela Fundação Gregório de Mattos (FGM) com recursos da Lei Paulo Gustavo, por meio do Ministério da Cultura, e com a suplementação da Prefeitura, através da FGM. O edital foi lançado em agosto do ano passado, com o objetivo de promover a cidadania cultural, ampliando a democratização e descentralização do acesso aos recursos públicos para as iniciativas artístico-culturais de relevância para a cidade.

Outros projetos contemplados pelo edital também estão sendo realizados em diferentes bairros da cidade até o próximo domingo (12). Em escolas municipais de Salvador, até esta sexta (10) está sendo realizada a Vivência Teatral Contando Histórias do Meu Mundão. Em três espaços culturais do Centro Antigo de Salvador está sendo realizada uma vivência em dança afro com a deusa do bloco Ilê Aiyê, Gisele Soares, até o próximo domingo (12). O projeto chama-se Festival Omodê Agbara e conta também com shows artísticos e um concurso voltado para crianças de seis a 12 anos.

Até o próximo domingo (12), a Fundação Pierre Verger, no Engenho Velho de Brotas, recebe a oficina de percussão afro-baiana para mulheres, intitulada Mulheres, Tambor e Resistência: Regência Feminina. Na Casa de Castro Alves, no Santo Antônio Além do Carmo, o projeto Imersão Poética na Casa de Castro Alves propõe oferecer ao público, de maneira gratuita, uma imersão literária apoiada na abordagem sobre a dignidade humana na obra de Castro Alves. A imersão poética vai até o próximo sábado (11), das 14h às 19h.

Amanhã, também na Fundação Pierre Verger, no Engenho Velho de Brotas, três oficinas serão realizadas, abertas para a comunidade e para diferentes públicos para apresentar resultados de uma pesquisa com perspectiva LGBT+ do Coletivo das Liliths. No local, também haverá quatro sessões gratuitas do espetáculo Outras Fábulas Mágicas do Coletivo das Liliths e a produção de um podcast.

Na Sede do Afoxé Filhos do Congo, na Fazenda Grande IV, estão acontecendo, todos os sábados, oficinas de pintura e customização, inspiradas no resgate e manutenção da representatividade negra e dos orixás na moda. Em sua 2ª edição, as oficinas visam capacitar 20 mulheres negras, travestis, transexuais e intersexo transgênero e cisgênero. As oficinas ocorrem todos os sábados, até o mês de agosto.

Já o Espaço Boca de Brasa Cajazeiras, em Cajazeiras X, recebe, às 10h do próximo sábado (11), a oficina de criação em dança Movimenta Cajazeiras. No local estão sendo realizadas mostra, oficina e roda de conversa.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A auxiliar veterinária Juliana Santos, de 23 anos, é tutora de Liz, uma cadela de quatro anos, da raça Pitbull, e levou o pet ao Castramóvel, na manhã desta quinta-feira (9), como alternativa de prevenção para a reprodução animal e doenças. “Liz já deu quatro crias e como os anticoncepcionais para animais não são métodos tão seguros, eu optei por trazê-la para realizar a castração. Essa é uma forma de prevenir mais uma gestação e também de proteger das doenças que podem acometer o animal não castrado”, explica.

Quem também passou pela cirurgia foi Bela, uma cadela mestiça de apenas um ano. Apesar da preocupação, a dona de casa Joanice Santos revelou ter se sentido mais segura quando chegou ao local. “Eu estava muito nervosa, pois não sabia como ia ser com Belinha, mas cheguei aqui e a equipe foi muito acolhedora. Eles me explicaram todo o procedimento e a segurança que vai trazer para a minha cadela. Agora estou mais tranquila, pois sei que é a melhor opção para ela”, disse a tutora.

Atendimento – O Castramóvel, unidade itinerante de cirurgia de esterilização para cães e gatos, está instalado no estacionamento da Unidade de Saúde da Família (USF), localizada em Cajazeiras V, na Rua D, quadra D, setor 2. O serviço oferece aos tutores da região a oportunidade de levar seus animais para realizar o procedimento de forma gratuita.

O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, a partir das 8h, por ordem de chegada, com vagas limitadas e o agendamento deve ser realizado presencialmente. Nas segundas, quartas e sextas-feiras a castração é exclusiva para os felinos, já nas terças e quintas-feiras o local recebe os cães.

O responsável pelo animal deverá portar o RG, CPF, Cartão SUS e comprovante de residência em Salvador, além do cartão de vacina antirrábica do animal atualizado em até um ano. O animal só poderá realizar o procedimento caso esteja de 10 a 12 horas de jejum, incluindo água.

Uma outra unidade do Castramóvel segue no Jardim Botânico, na Avenida São Rafael, no bairro de São Marcos. O atendimento nos locais acontece de segunda a sexta-feira, a partir das 8h, por ordem de chegada.

Prevenção – A castração é um procedimento que beneficia a saúde do pet, por prolongar a vida do animal. Além disso, previne doenças como tumores, a exemplo do câncer de mama nas cadelas ou gatas.

A intervenção diminui também a demarcação de território e, em muitos casos, reduz a agressividade do animal. "A castração é uma forma de contribuir para o controle populacional, além de gerar benefícios à saúde do animal" afirma Michelle Holanda, diretora de Promoção à Saúde e Proteção Animal da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Resiliência, Bem-estar e Proteção Animal (Dipa/Secis).

Reportagem: Letícia Silva/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Aos 14 anos, a jovem atleta Luisa Sugimoto já desponta como uma das maiores promessas da natação baiana. Apesar da pouca idade, sua trajetória é marcada por superação, além do apoio fundamental do programa Viva Esporte, lançado pela Prefeitura de Salvador. Iniciando na modalidade aos dois anos, após um incidente de quase afogamento, Luisa encontrou na água não apenas uma paixão, mas também um caminho para a vida.

O talento foi reconhecido pelo professor da escola onde estudava, que a encaminhou para um teste no Yacht Clube da Bahia, um dos parceiros da Prefeitura através do programa, onde pratica desde 2019. Desde então, Luisa vem representando bem as cores do estado nas competições, conquistando títulos como o Campeonato Brasileiro de Verão Piscina e o Torneio Norte-Nordeste de Clubes. Seu mais recente feito foi se classificar para o Mundial Júnior, que será realizado na Itália, e a Copa Pacífico, no Equador, segundo ela, graças ao apoio do Viva Esporte.

Ajuda financeira – "É o único patrocínio que estou tendo neste início de ano. O Viva Esporte nos estimula a participar das principais competições do país, então não ficamos só na Bahia, ele nos impulsiona a participar de outros campeonatos. Antes do patrocínio eu não conseguia participar de tantas competições em âmbito nacional por conta dos custos, que são bem altos, incluindo todos os materiais, além de passagens e hospedagens", listou a atleta.

"Eu não conseguiria participar de tantas competições sem esse apoio. Já com esse projeto, eu tenho conseguido", continuou a jovem promessa. Luisa costuma deixar todas as preocupações de lado quando está nadando. "Não costumo pensar em nada, é como se todos os problemas sumissem. Eu só me divirto, faço o que gosto me divertindo", completou.

Antes de acompanhar mais um treino da filha no Yacht Clube, na tarde da terça-feira (7), Flávia Joaquim reconheceu o impacto positivo do programa. "Esse programa foi de extrema importância em nossas vidas. Temos muitas despesas para participarmos das competições. Neste mês, por exemplo, Luísa participará de quatro competições até o final de maio. Então são muitos gastos com as viagens, mas o programa tem nos ajudado bastante", relatou.

Viva Esporte – O programa, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre) em conjunto com a Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz), não apenas oferece apoio financeiro, mas também incentiva o desenvolvimento de jovens talentos como Luisa, moldando o futuro do esporte na Bahia e inspirando uma nova geração de atletas.

Além de fomentar o avanço das políticas públicas de esportes, o Viva Esporte oferece incentivos fiscais às empresas que investem na comunidade esportiva de Salvador, contribuindo não apenas para fortalecer sua imagem institucional, mas também para promover a responsabilidade social corporativa.

Reportagem: Mateus Soares/Secom PMS

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura de Salvador alcançou mais um reconhecimento importante para a cidade: o Selo Caixa Gestão Sustentável, que reconhece o comprometimento da administração pública com os cidadãos. O prêmio foi entregue à capital na tarde desta quarta-feira (8) em evento realizado no Palácio Thomé de Souza, Centro, com a presença do prefeito Bruno Reis e de representantes da Caixa Econômica Federal.

Bruno Reis destacou os diversos esforços municipais para avançar em setores estruturantes e melhorar a qualidade de vida da população. Dentre as iniciativas, ele citou intervenções no setor de mobilidade, a exemplo do BRT, que é a maior obra projetada e executada na história da Prefeitura, além da execução de contenções de encostas e geomantas em mais de 500 áreas de risco, e da preservação do meio ambiente, com o plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica.

“Com muita alegria que a gente recebe este prêmio. Vamos em busca do próximo nível, e pode ter certeza que não vão faltar projetos e iniciativas para conquistar. O que conseguimos ao longo destes últimos anos é expressivo, como melhorar a oferta de educação infantil, ampliar cobertura da atenção básica na saúde, deixar de ser a capital do desemprego e outros pontos”, afirmou.

O selo Caixa Gestão Sustentável é um estímulo à promoção de boas práticas de governança e responsabilidade socioambiental pelas cidades brasileiras. O diretor de serviços de governo da Caixa, Cristiano Boaventura, explicou que, para receber o reconhecimento, são analisados indicadores em quatro vetores essenciais que são ligados à governança, questões sociais, ambientais e enfrentamento dos desafios climáticos.

“Para nós é muito importante pois demonstra a qualidade da gestão da Prefeitura. São poucos os municípios que têm esse certificado. Faltam poucos pontos para Salvador alcançar o próximo nível do selo, que é o topázio, e vamos colaborar para ajudar Salvador a alcançar”, pontuou.

O superintendente executivo de Governo da Caixa, Eduardo Murta, destacou que a parceria da instituição federal com Salvador tem sido produtiva, e o selo reconhece os avanços da cidade. “Esse olhar da Caixa é também pela aproximação, tratativa diária e abertura que temos para as demandas. Quando necessário, a gente sempre tem interagido com o corpo técnico da Prefeitura para esclarecer informações e dúvidas com fontes de referência, sempre bem embasadas. Foi este olhar que a gente precisou ter e resultou no selo”, finalizou.

Estiveram presentes também os titulares das secretarias municipais da Fazenda, Giovanna Victer; Casa Civil, Luiz Carreira; Gestão (Semge), Rodrigo Alves; Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Francisco Torreão; e Sustentabilidade e Resiliência, Ivan Euler.

Reportagem: Joice Pinho/ Secom

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura de Salvador e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) assinaram nesta quarta-feira (8) um memorando de entendimento voltado para o fortalecimento das políticas públicas para mulheres. O acordo foi assinado pela vice-prefeita e secretária municipal da Saúde, Ana Paula Matos, e pela diretora executiva do UNFPA e subsecretária-geral das Nações Unidas, Natalia Kanem.

O ato contou também com a presença do secretário de Educação, Thiago Dantas, Nathália Peixoto, Chefe do Escritório de Cooperação Internacional da Prefeitura; subsecretário da SPMJ, Mateus Simões, Susanna Sotolli, diretora regional na América Latina e Caribe do UNFPA; Florbela Fernandes, representante do UNFPA no Brasil; e Celso França, representante do Ministério das Relações Exteriores (MRE), dentre outras autoridades.

O memorando conta com um plano de trabalho com ações em conjunto entre as secretarias municipais de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Educação (Smed) e Saúde (SMS), além da Defesa Civil (Codesal), nas temáticas de combate à violência baseada em gênero, a garantia de direitos sexuais e reprodutivos, principalmente no que se refere à prevenção de gravidez na adolescência, e justiça climática.

“Nosso propósito é comum, é o desenvolvimento das pessoas, é entender cada situação de vulnerabilidade e atuar para que isso não se perpetue. A assinatura do Memorando de Entendimento entre o UNFPA e a Prefeitura de Salvador possibilita ações concretas efetivas, não só nas áreas reprodutivas e de saúde sexual, mas no combate à violência baseada em gênero, à garantia de direitos sexuais, à justiça climática, mas sobretudo do fortalecimento do nosso povo”, disse Ana Paula Matos.

“Para solucionar as causas sociais que geram tristeza em meninas, meninos e famílias há uma resposta, que é a colaboração que o time da Prefeitura tem inspirado nas pessoas das comunidades. Essa é uma metodologia que o UNFPA respeita. A Casa da Mulher Brasileira é um exemplo, pois o trabalho realizado pela instituição busca promover os direitos humanos nas mesmas bases em que o UNFPA trabalha. Nossos esforços com a cidade fazem parte de um compromisso maior, com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), e espero que a nossa parceria crie medidas efetivas para combater a violência baseada em gênero, prevenir a gravidez na adolescência, e promover a justiça climática, como uma forma de garantir os Direitos Humanos da população”, destacou Natalia Kanem.

Nathália Peixoto disse que, na prática, a assinatura do Memorando significa a implementação de novas ações dentro da Prefeitura. "Juntas, vamos desenvolver atividades efetivas voltadas para o empoderamento de meninas e mulheres, a prevenção da gravidez não intencional na adolescência e a garantia dos direitos sexuais reprodutivos, além da promoção da igualdade de gênero e enfrentamento à violência baseada em gênero. O ato de assinatura de hoje reforça o compromisso do Município em atuar de forma conjunta com as Nações Unidas em prol de promover um espaço mais seguro, equitativo e justo para todos, sem deixar ninguém para trás", ressaltou.

Natalia Kanem realiza visita oficial a Salvador até a próxima sexta-feira (10). A UNFPA promove nesta quarta-feira (8) o evento "Diálogo de Tambores: pelo reconhecimento, justiça e desenvolvimento dos afrodescendentes". O evento faz parte das atividades de encerramento da Década Internacional de Afrodescendentes 2015-2024 e da comemoração do 30º aniversário da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, buscando promover o reconhecimento e o respeito pela diversidade do legado, da cultura e contribuição da diáspora no mundo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

As 10 unidades de Prefeitura-Bairro da capital baiana também receberão donativos a partir desta quinta-feira (9) da ação ‘Salvador Solidária’, que visa arrecadar água para as vítimas das chuvas e das enchentes no Rio Grande do Sul, assim como materiais de limpeza como água sanitária, detergente e sabão. A campanha começou nesta quarta-feira (8), com o posto de coleta na sede da Defesa Civil de Salvador (Codesal), na Av. Bonocô.

O prefeito Bruno Reis esteve pela manhã na sede da Codesal. Segundo ele, até o meio-dia, já haviam sido doados 3 mil litros de água. “Nossa expectativa é passar da casa de 50 mil litros. Hoje, por enquanto, estamos recebendo as doações apenas aqui, na Defesa Civil, mas amanhã (quinta) vamos receber também nas Prefeituras-Bairro. Quero convocar todos os soteropolitanos a ajudarem os nossos irmãos do Rio Grande do Sul que estão passando, infelizmente, por muitas dificuldades”, afirmou.

As doações serão recolhidas até a próxima quarta-feira (15), das 8h às 16h. “Já estamos fechando uma parceria com a Azul (companhia aérea) e com a Força Nacional para levar todo esse material arrecadado para o Rio Grande do Sul. Esperamos que, no máximo nesta sexta-feira, já possamos fechar e enviar o primeiro carregamento”, disse Bruno Reis.

As doações devem ser de água mineral, em garrafas de qualquer tamanho, ou de produtos de limpeza, como água sanitária, sabão em barra ou em pó, detergente, entre outros. Esses são os produtos que os municípios gaúchos mais precisam neste momento.

“Na última segunda-feira, tive contato com o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, e ele me disse que o maior problema, tanto na sua cidade como nas demais, era a necessidade de água potável e de materiais de limpeza. Que eles já estão recebendo outros donativos, mas estão em situação de desabastecimento de água. Então, se a gente pudesse ajudar arrecadando esses donativos, seria muito importante”, explicou Bruno Reis.

Diretor-geral da Codesal, Sosthenes Macêdo destacou que a mobilização é urgente. “Só em Porto Alegre, são cerca de 10 mil pessoas desabrigadas, que estão em abrigos provisórios. Além da capital, as chuvas e a enchente afetaram também a Grande Porto Alegre, então a Prefeitura de lá acaba auxiliando também essas outras cidades menores da região”, disse.

“Em 2021 nós fizemos uma campanha parecida, quando tivemos fortes chuvas no interior da Bahia. Naquela ocasião, enviamos para municípios afetados 40 toneladas de alimentos e 50 mil litros de água. É o que a gente pretende fazer de novo agora, com essa mobilização na Defesa Civil”, completou Sosthenes Macêdo.

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Serviço Municipal de Intermediação de Mão de Obra (Simm) oferece 31 vagas de emprego em Salvador para esta quinta-feira (9). Os candidatos deverão acessar o site www.salvadordigital.salvador.ba.gov.br para agendar o atendimento, a partir das 17h30.

Em caso de deficiência visual, os candidatos devem entrar em contato pelo número (71) 3202-2005 para fazer o agendamento. O atendimento está sendo realizado de forma híbrida, ou seja, de forma presencial e remota, via WhatsApp – a escolha é no momento do agendamento.

No caso das vagas que exigem experiência, o tempo de serviço deve ser comprovado em carteira de trabalho.

VAGAS:

Ajudante de cozinha
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência, imprescindível ter disponibilidade para pegar peso.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 1

Motorista de caminhão leve
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência, ter CNH D.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 1

Teleoperador (vaga de estágio)
Requisitos: Ensino superior incompleto exclusivamente em Administração (estar cursando a partir do 2º semestre), sem experiência, requisitos imprescindíveis: boa dicção e escrita.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 5

Operador de telemarketing ativo
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência, requisitos imprescindíveis: boa dicção e escrita, disponibilidade de horário e para trabalhar com carga reduzida.
Salário: R$941,33 + benefícios
Vagas: 5

Vendedor de material de construção
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência com vendas de material de construção.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 1

Consultor de vendas
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência.
Salário: R$1.412,00 + benefícios
Vagas: 4

Técnico em balanças
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência, CNH B, ter curso de Eletrônica, Automação, Mecatrônica ou Eletromecânica.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 1

Assistente de departamento pessoal
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência, imprescindível ter trabalhado em DP na área hospitalar e conhecimento no sistema Totvs labore.
Salário: R$2.500,00 + benefícios
Vagas: 1

Fiscal de prevenção e perdas
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência, ter disponibilidade de horário.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 2

Gerente de supermercado
Requisitos: Ensino médio completo, seis meses de experiência.
Salário: A combinar + benefícios
Vagas: 1

Empacotador (vaga exclusiva para pessoas com deficiência)
Requisitos: Ensino médio incompleto, sem experiência, ter disponibilidade para trabalhar no bairro de Valéria
Salário: R$1.412,00 + benefícios
Vagas: 4

Empacotador (vaga exclusiva para pessoas com deficiência)
Requisitos: Ensino médio incompleto, sem experiência
Salário: R$1.412,00 + benefícios
Vagas: 5

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

O Projeto Caminho Legal, da Prefeitura de Salvador, promoveu nesta quarta-feira (8), no bairro do Doron, um mutirão de pintura com crianças e moradores, no Centro Municipal de Ensino Infantil (Cmei) Olga Benário. Durante o evento, crianças e moradores tiveram a oportunidade de deixar sua marca, contribuindo diretamente para tornar o ambiente mais acolhedor e seguro para todos.

O mutirão é uma chance de engajar ainda mais a comunidade no programa. A iniciativa pioneira já está em fase de conclusão para implementação na localidade, moldado a partir das escutas e contribuições das crianças e moradores, preparando o ambiente com elementos lúdicos, além de estimular o sentimento de pertencimento à cidade.

A diretora do Cmei Olga Benário, Viviane Vilas Boas, celebrou a parceria e a participação das crianças na ação. Neste mutirão, participam crianças do Grupo II ao Grupo V que estudam na instituição. “É importante eles fazerem parte do projeto, que foi pensado para eles a partir da escuta do que eles desejavam ter no caminho da escola, e fazer valer a primeira infância, com respeito e dignidade que eles merecem”, disse.

Interação – A dona de casa Clélia Serra, de 36 anos, acompanhou o mutirão com o filho Samuel, de quatro anos. “Achei isso aqui muito legal, é bom que ele participa, as crianças interagem em relação ao que está acontecendo e estimula elas dentro e fora da sala de aula. Meu filho é autista e ama pintura, estamos nos divertindo muito”.

O pequeno Enzo Pereira, de cinco anos, é aluno do Grupo IV e participou da primeira turma de pintores. “Eu estou achando muito legal, gostei dos brinquedos que estão colocando na praça e achei muito divertindo pintar. Vou aproveitar muito a pracinha”.

Aos cinco anos, Sheldon Valentim da Silva, também do Grupo IV, curtiu a iniciativa. “Gostei muito de pintar aqui na frente da escola. Foi muito legal. Eu pintei um tubarão laranja”, pontuou.

Ruas seguras – O Caminho Legal é liderado pelo Núcleo Especial de Apoio à Primeira Infância (Neapi), da Secretaria de Governo, em parceria com a Global Designing Cities Initiative (GDCI), integrante da Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global (BIGRS), com o propósito de tornar os caminhos para creches e pré-escolas mais seguros, lúdicos e envolventes para as crianças e cuidadores. Após um amplo engajamento comunitário, envolvendo reuniões com líderes locais, professores, crianças de quatro e cinco anos e outros membros da comunidade, o projeto foi desenvolvido em colaboração com os residentes e partes interessadas da área.

"O Caminho Legal representa um marco na promoção de ruas seguras, inclusivas e acessíveis para todos, especialmente para as crianças na primeira infância. Ao envolver ativamente a comunidade, desde crianças e cuidadores até moradores, garantimos que as intervenções urbanísticas atendam verdadeiramente as necessidades e desejos de quem utiliza esses espaços. Escutar, reconhecer e incluir as vozes das crianças pequenas como cidadãos ativos na construção de nosso ambiente urbano é essencial para criar um senso de pertencimento e garantir a preservação e sustentabilidade desses espaços no longo prazo", afirmou a coordenadora do Neapi, Simone Café.

Intervenções – O projeto envolve várias medidas, desde intervenções artísticas até melhorias na sinalização viária. Mais de 1,5 mil m² foram reconquistados para os pedestres, com a ampliação e reforma das calçadas, sinalização de faixas de pedestres, plantio de árvores, requalificação de escadaria, drenagem de água pluvial e criação de espaços de convivência e lazer.

Essas ações visam melhorar a segurança e acessibilidade para os pedestres, transformando o ambiente urbano em uma área mais acolhedora e agradável para as crianças e familiares. O projeto está sendo liderado pelo Neapi, com o apoio da Global Designing Cities Initiative (GDCI), através da Iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito.

A gerente de programas do GDCI, Beatriz Rodrigues, contou que a iniciativa é importante porque o processo de implementação contou com a ajuda da população. “Desde o início a cidade se propôs a escolher pessoas da comunidade, da escola, moradores e comerciantes para participar do projeto, então é importante ressaltar esse fato, pois nem todas as cidades conseguem fazer esse processo tão completo”, pontuou.

A gestora ainda ressaltou que a GDCI trabalha com a possibilidade de reimaginar as ruas, no intuito de fazer uma cidade mais segura, mais atraente e divertida para as crianças. “Temos placas de trânsito, estreitamento de via, aumento de faixa de pedestres, para mostrar que é uma área de crianças. E agora, com esse espaço, todos conseguem caminhar com segurança e elementos lúdicos. São coisas simples que mostram que a cidade foi pensada para os cidadãos”, explicou.

Reportagem: Ana Virgínia Vilalva/Secom PMS

 

0
0
0
s2sdefault
0
0
0
s2sdefault

Salvador registrou uma redução de 13% no número de mortes no trânsito entre 2020 e 2023, anunciou nesta quarta-feira (8) o prefeito Bruno Reis, durante lançamento da campanha Maio Amarelo, voltada para conscientização sobre segurança viária. A diminuição da quantidade de óbitos de pedestres foi ainda maior - 38% neste mesmo período.

Os dados constam no Relatório Preliminar de Vítimas Fatais 2023, apresentado durante o evento pelo superintendente de Trânsito (Transalvador), Décio Martins. Em 2020, a capital baiana registrou 130 mortes no trânsito, contra 113 no ano passado. Já o número de óbitos de pedestres caiu de 55 para 34 no mesmo período, que corresponde ao início da 2ª Década de Ação em Segurança Viária da ONU, que vai até 2030.

“Quando eu assumi a Prefeitura, eu renovei o nosso compromisso com a ONU de manter a redução de 50% de vítimas fatais por acidentes de trânsito. E aí teremos o Maio Amarelo com diversas ações que vão ajudar na conscientização para que a gente continue perseguindo a redução desse número”, afirmou Bruno Reis.

O prefeito destacou que a redução dos óbitos no trânsito ocorre graças a um conjunto de medidas adotadas pela gestão municipal ao longo dos últimos anos, desde ações de conscientização até redução de velocidade em diversas vias. Ele salientou que os números estão caindo mesmo diante do crescimento da frota de motocicletas, não apenas em Salvador.

Os acidentes com motos ainda representam uma parcela significativa dos dados gerais no trânsito. No ano passado, foram 63 mortes de motociclistas, o que representa um aumento de 26% em relação a 2022, quando foram contabilizados 50 casos. Em comparação a 2020, o crescimento foi de 9% - naquele ano foram 58 registros.

“Se a gente não tem conseguido reduzir ainda mais o número de vítimas fatais do trânsito, é pelo aumento permanente da frota de motos. Nós temos que ter atenção especial, conscientizar todos que transitam de motos em nossa cidade, todos os profissionais que fazem entregas de delivery, sobre a importância de trabalhar com segurança”, disse o prefeito.

Bruno Reis destacou que a Prefeitura tem feito ações permanentes para conscientizar motociclistas sobre a segurança viária, de forma a reduzir os indicadores de acidentes. “Temos ações para disseminar a cultura da segurança viária. Implantamos em diversas áreas o trânsito calmo para reduzir as velocidades, adotamos a redução da velocidade em diversas vias”, afirmou.

Ele anunciou uma licitação para a aquisição de 42 motos para renovar a frota da Transalvador e afirmou que em breve será lançado o Plano Cicloviário de Salvador, com uma série de obras que são realizadas para ampliar ainda mais ciclovias e incentivar a mobilidade ativa, com segurança, na capital baiana.

Moto faixas - Bruno Reis anunciou ainda que a Prefeitura está estudando a implantação de moto faixas para dar mais segurança a motociclistas e evitar acidentes. O modelo estudado segue a “Faixa Azul”, iniciativa adotada em São Paulo que tem reduzido o número de acidentes de moto. Quando completou um ano, em 2023, a Faixa Azul não registrou mortes nas vias onde foi implantada. Na capital baiana, a primeira moto faixa deve ser implantada na avenida Mário Leal Ferreira (Bonocô).

“Estamos estudando e vamos implantar em Salvador, para trazer mais segurança a todos que trafegam de moto, as motofaixas. Já é uma realidade em São Paulo. Ainda não é regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro, mas já existem vias programadas que nós vamos fazer intervenções, como a Bonocô, por exemplo. Vamos requalificar todo o canteiro central, vamos fazer todo o recapeamento, e vamos trazer as motofaixas para começar os testes em nossa cidade e seguir ampliando para outras vias”, contou.

0
0
0
s2sdefault

Fale Conosco

O seu canal de comunicação com o nosso site. Caso tenha dúvidas, sugestões ou solicitações de serviços, por favor, mande mensagem que teremos prazer em respondê-la.

Enviando...